Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

GESTÃO DO EMPREENDIMENTO CULTURAL E CRIATIVO - AULA 14

325 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

GESTÃO DO EMPREENDIMENTO CULTURAL E CRIATIVO - AULA 14

  1. 1. promovendo interconexão André Martinez www.andremartinezcult.com copyright 2012 © APRAX - Todos os direitos reservados
  2. 2. contextos colaborativos 4. articulação e redes interconexão
  3. 3. contextos colaborativos 5. coempreen- dedorismo interconexão
  4. 4. contextos colaborativos 6. pesquisa em ação interconexão
  5. 5. contextos colaborativos 7. diversidade em diálogo interconexão
  6. 6. 4.articulação e redes Sinergia entre o que o empreendimento busca e realiza e o trabalho/aprendizado de outros movimentos orientados para sentidos, valores, princípios e propósitos compatíveis.
  7. 7.  Diálogo com agendas públicas governamentais e intergovernamentais. Colaboração em rede. Articulação intersetorial.
  8. 8. Agendas públicas são questões de interesse geraldebatidas pela sociedade e articuladas em ideologias eações de Estado, de organizações intergovernamentaise/ou de instituições de repercussão pública (mídia,fundações, partidos etc).
  9. 9. Governança para viabilizar, nas tomadas de 5. decisão mais críticas –coempreen- principalmente aquelas que dedorismo interferem na vida da comunidade em médio e longo prazos –, a participação direta ou indireta dos segmentos e setores envolvidos no empreendimento, garantindo assim a sua legitimidade.
  10. 10. Aprendizado dos coempreendedores, integrando metodologias 6. e processos continuados depesquisa pesquisa às ações e resoluçõesem ação dos problemas envolvidos, com a revisão e o aperfeiçoamento constante das práticas, e a sistematização, difusão e apropriação dos conhecimentos decorrentes.
  11. 11. resoluçãode problemas tomada de consciência Integração produção deconhecimento
  12. 12. cultura deapropriaçãodo conhecimentocompetência depesquisaprocessos depesquisa
  13. 13. apropriação do conhecimentoCapacidade de utilizar a experiência do conhecimento socialmente produzido,inserindo neste conhecimento o contexto da sua produção. Conhecimento produzido Por quê? Para quê? Como? Onde? Quando? Fonte: Benites e Fichtner
  14. 14. Pesquisa-ação“[...] um tipo de pesquisa social com base empírica que éconcebida e realizada em estreita associação com umaação ou com a resolução de um problema coletivo e noqual os pesquisadores e os participantes representativosda situação ou do problema estão envolvidos de modocooperativo ou participativo.” MICHEL THIOLLENT
  15. 15.  melhorar a prática dos participantes a sua compreensão dessa prática a situação onde se produz a prática  envolver assegurar a participação dos integrantes do processo assegurar a organização democrática da açãopropiciar compromisso dos participantes com a mudança
  16. 16. Pesquisa-açãoÉ uma estratégia metodológica da pesquisa social na qual:a) há uma ampla e explícita interação entre pesquisadores e pessoas implicadas na situação investigada;b) dessa interação resulta a ordem de prioridade dos problemas a serem pesquisados e das soluções a serem encaminhadas sob forma de ação concreta;c) o objeto de investigação não é constituído pelas pessoas e sim pela situação social e pelos problemas de diferentes naturezas encontrados nessa situação;d) o objetivo da pesquisa-ação consiste em resolver ou, pelo menos, em esclarecer os problemas da situação observada;e) há, durante todo o processo, um acompanhamento das decisões, das ações e de toda a atividade intencional dos atores da situação;f) a pesquisa não se limita a uma forma de ação (risco de ativismo): pretende-se aumentar o conhecimento ou o nível de consciência das pessoas e grupos considerados.
  17. 17. 7.diversidadeem diálogo Convivência não violenta e uso de tecnologias para a resolução dos conflitos ou divergências que surgem naturalmente na gestão e operação do empreendimento, tanto como meio quanto como fim
  18. 18. sawubonaeu vejo você
  19. 19. sikhonaeu existo
  20. 20. ubuntu
  21. 21. discussão/debate diálogo Visa fechar questões Visa abrir questões Visa convencer Visa mostrar Visa demarcar posições Visa estabelecer relações Visa defender idéias Visa compartilhar ideias Visa persuadir e ensinar Visa questionar e aprender Visa explicar Visa compreender Visa as partes em separado Vê a interação partes/todoDescarta as idéias “vencidas” Faz emergir ideias Busca acordos Busca a pluralidade de ideias
  22. 22. Formação em Mediação, Facilitação de Diálogo e Construção de ConsensoEm todos os países, independentemente da cultura, as práticas de resolução nãoadversarial de conflitos, dentre as quais a Mediação, a Facilitação de Diálogos, os Círculosde Conversas e as Negociações para a Construção de Consenso têm demonstrado que ascapacitações (teóricas articuladas com a prática) geram os seguintes benefícios: habilidades para a comunicação e para a negociação - atitudes e condutas colaborativas; capacidade de ouvir e ser ouvido; consciência de interdependência e conectividade com os outros; (fonte: Palas Athena – duração do curso: 110 horas)
  23. 23. Formação em Mediação, Facilitação de Diálogo e Construção de Consenso lidar de forma positiva com as diferenças, impasses e/ou conflitos; construção de soluções de conflitos - resultados que atendem aos interesses e necessidades de todos; capacidade de tratar as questões conflituosas dentro de uma visão sistêmica; utilização adequada do poder (econômico, hierárquico ou de qualquer outra natureza); (fonte: Palas Athena – duração do curso: 110 horas)
  24. 24. Formação em Mediação, Facilitação de Diálogo e Construção de Consenso redução de lides futuras e do uso da via judicial de forma recorrente; mudança de atitude frente aos conflitos, com a incorporação de novas competências para geri-los. (fonte: Palas Athena – duração do curso: 110 horas)

×