Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES - 2015
Quem somos 
A CASA7 pretende contribuir para o fortalecimento da prática social e de seus atores pela via da valorização e...
Estratégias do PJP 
•Articulação de organizações sociais, escolas, jovens e educadores. 
•Realização de oficinas presencia...
•Baseada na visão de pesquisa como instrumento político de mobilização social, a pesquisa diagnóstica é utilizada para ide...
Vídeo como instrumento de pesquisa e disseminação dos resultados 
A produção de vídeo neste Programa tem o objetivo de des...
•As atividades formativas incluem: pesquisa experimental; análise de dados; construção de instrumentos de pesquisa; trabal...
ATIVIDADES 
1) Selecionar e articular organizações e jovens Público alvo: 20 jovens (10 duplas) de 16 a 20 anos, ativos no...
2) Formar Jovens pesquisadores 
10 horas para saída a campo e seminário 
8 horas para oficinas de vídeo, tabulação e uso...
Trechos de depoimentos dos jovens participantes da primeira edição do PJP Aprender a expor e respeitar opiniões diferentes...
Desenvolvimento da capacidade de comunicação; segurança e autoconfiança. 77% dos jovens se sentiram seguros para apresenta...
3) Formar grupo de trabalho, rede de colaboração e acompanhar trabalhos de campo 
Encontro inaugural de 6 horas envolvend...
Em questão dirigida as jovens a CASA7 buscou saber quais temas e atividades poderiam ser mais explorados durante o Program...
•Oficina: vídeo 
ETAPA 1 – Pesquisa Exploratória 
•Encontro de formação I 
•Oficina: Excel e Tabulação 
•Saída a campo 
ET...
Resultados esperados 
20 jovens formados em metodologia de diagnóstico e multiplicadores da proposta 
Diagnósticos socia...
Como apoiar: Investimento social privado Convênios com outras organizações nacionais e internacionais; Doação de pessoas j...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Programa Jovens Pesquisadores 2015

430 views

Published on

O PJP busca formar jovens como pesquisadores de suas realidades, com base nos pressupostos do diagnóstico social, bem como sistematizar e disseminar esta metodologia como referência para outros educadores. A edição 2015 pretende formar jovens, de 16 a 20 anos, oriundos de organizações sociais da cidade de São Paulo.

Published in: Government & Nonprofit
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Programa Jovens Pesquisadores 2015

  1. 1. PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES - 2015
  2. 2. Quem somos A CASA7 pretende contribuir para o fortalecimento da prática social e de seus atores pela via da valorização e articulação das memórias, aprendizagens e conhecimentos que dela derivam. Objetivo Geral do Programa Jovens Pesquisadores O PJP busca formar jovens como pesquisadores de suas realidades, com base nos pressupostos do diagnóstico social, bem como sistematizar e disseminar esta metodologia como referência para outros educadores. A Edição Piloto incluiu a formação direta de 20 jovens de 16 a 20 anos oriundos de 10 organizações sociais da zona leste e zona sul de São Paulo, bem como o acompanhamento de seus educadores. Foram realizadas 12 oficinas e atividades de campo, acompanhamento entre as oficinas de abril a setembro de 2013, dois encontros com os educadores e um seminário para divulgação dos resultados (parceria Fundação Tide Setúbal e FICAS). Os vídeos produzidos pelos jovens estão disponíveis em www.casa7.org.br/biblioteca.
  3. 3. Estratégias do PJP •Articulação de organizações sociais, escolas, jovens e educadores. •Realização de oficinas presenciais de formação e pesquisa de campo com os jovens. •Realização de encontros com educadores e coordenadores das organizações envolvidas para tratar das etapas da pesquisa. •Utilização do vídeo como instrumento de pesquisa qualitativa e estratégia para disseminar práticas e resultados. •Utilização de meios virtuais para conectar e orientar os diferentes atores sociais envolvidos no Programa. Objetivos específicos •Selecionar e articular organizações e jovens. •Formar jovens como pesquisadores de suas realidades. •Sistematizar boas metodologias de pesquisa em conjunto com os educadores das organizações participantes. •Formar rede de colaboração e troca entre os atores envolvidos no Programa. •Disseminar as informações coletadas nas pesquisas nas comunidades envolvidas, assim como as experiências e metodologias criadas ao longo das edições do Programa para outras ONGs.
  4. 4. •Baseada na visão de pesquisa como instrumento político de mobilização social, a pesquisa diagnóstica é utilizada para identificação e análise de questões, potencialidades e desafios próprios da realidade investigada a partir da ótica dos sujeitos que a vivem. •O diagnóstico social é um estudo local (contexto social, espacial e temporal) que compila dados sobre as mais variadas áreas, trazendo uma visão, o mais possível, inter setorial das questões, avanços e desafios. •A partir da observação e análise dos diferentes atores que compõe a comunidade pesquisada, o diagnóstico social joga luz sobre os recursos existentes e prioridades em cada localidade, contribuindo assim para o planejamento e orientação de ações sustentáveis. •A formação é compreendida como um conjunto de atividades e ações que favorecem a reflexão sistemática sobre os processos e sentidos da pesquisa, sempre a partir da prática concreta, fornecendo aos jovens os instrumentos necessários para a realização efetiva de diagnósticos em suas comunidades. •Sistematização é no Programa compreendida como um instrumento de produção e disseminação do conhecimento construído a partir da prática. PRESSUPOSTOS METODOLÓGICOS
  5. 5. Vídeo como instrumento de pesquisa e disseminação dos resultados A produção de vídeo neste Programa tem o objetivo de desenvolver projetos de pesquisa por meio das técnicas audiovisuais, contribuindo assim para a disseminação dos resultados nas comunidades estudadas. Durante o processo, são demonstradas de que forma as etapas de uma pesquisa dialogam com o processo de produção de um filme. Como produto, cada dupla de jovem elabora um vídeo-documentário de aproximadamente 5 minutos compilando as informações coletadas ao longo do processo de pesquisa. Vídeo PJP Edição Piloto https://www.youtube.com/watch?v=CyKYl_XOUFA
  6. 6. •As atividades formativas incluem: pesquisa experimental; análise de dados; construção de instrumentos de pesquisa; trabalho de campo; produção de vídeo diagnóstico; processamento, análise e disseminação dos resultados nas comunidades. •As atividades de campo são primeiramente exercitadas nos encontros presenciais e a realização do diagnóstico (em parceria com os educadores) é acompanhada à distância e em visitas técnicas nas organizações. •Os encontros com educadores objetivam garantir a sua participação nas atividades externas e sistematizar a metodologia em roteiros formativos que podem ser disseminados. •TEMPO DE DURAÇÃO: 8 meses A partir da avaliação realizada pelos jovens participantes da edição piloto e da equipe CASA7 algumas etapas formativas foram ampliadas e outras incorporadas ao Programa para aprimorar o processo formativo. Assim, para a segunda edição do PJP o número de encontros presenciais com jovens e educadores foi ampliado e dedicado mais tempo para o ensino e uso de ferramentas tecnológicas. Sínteses das Ações do Programa
  7. 7. ATIVIDADES 1) Selecionar e articular organizações e jovens Público alvo: 20 jovens (10 duplas) de 16 a 20 anos, ativos no bairro / comunidade e/ou interessados em pesquisa integrantes de 10 ONGs Seleção: 20 horas para visitar as organizações interessadas em participar do PJP Pré-requisitos para as organizações: destacar um educador para participar do PJP, de preferência que domine Excel e programa básico de edição de vídeo; possuir computadores com programas de edição de vídeo e Excel e disponibilizá-los para que os jovens possam realizar as atividades propostas nas organizações; disponibilizar espaço para encontros, seminários e reuniões com a comunidade.
  8. 8. 2) Formar Jovens pesquisadores 10 horas para saída a campo e seminário 8 horas para oficinas de vídeo, tabulação e uso do Excel 48 horas em 12 encontros semanais presenciais com os jovens, na sede da CASA7 Aproximadamente 50 horas para a realização de atividades de campo e produção de materiais, com acompanhamento à distância pela CASA7. •Delimitação geográfica •Levantamento de lideranças •Roteiros de entrevista •Oficina: vídeo •Entrevistas com lideranças •Definição dos focos da pesquisa ETAPA 1 – Pesquisa Exploratória •Construção de Metodologia e Instrumentos de Pesquisa •Definição da amostra •Oficina: Excel e Tabulação •Saída a campo •Aplicação de questionário •Tabulação de dados ETAPA 2 – Pesquisa de Campo •Análise dos resultados •Captação de novas imagens a partir dos resultados •Edição de vídeo ETAPA 3 – Análise e Edição •Visita técnica às organizações •Edição final dos vídeos •Apresentação nas comunidades •Seminário final ETAPA 4 – Socialização dos resultados
  9. 9. Trechos de depoimentos dos jovens participantes da primeira edição do PJP Aprender a expor e respeitar opiniões diferentes; •“o mais importante foi conhecer o local onde moro e aceitar a opinião dos outros” Aprender a trabalhar em equipe; “minha dupla me completou e estou seguro do nosso trabalho”; Ampliação do repertório sobre o contexto social paulistano.  “descobri coisas em outras comunidades que não achei que poderia ter, achava que a minha comunidade era ruim, mas existem outras na mesma situação” “conseguiram (equipe do Programa) fazer com que eu venha a observar as coisas ao meu redor e que eu venha saber e ter coragem de expor minha opinião” A experiência da primeira edição do PJP mostrou o valor e importância que os jovens atribuem, além do exercício do diagnósticos, para a troca e interação afetiva entre eles, pela diversidade, pelas novidades, curiosidade, etc. Esta constatação fez com que o Programa abrisse espaço para a realização de atividades práticas nos temas das pesquisas sempre em grupo e subgrupos como forma de dar espaço para estes conteúdos. A partir da avaliação dos jovens o Programa além de formá-los como pesquisadores, também contribuiu para a ampliação de repertório, desenvolvimento de habilidades pessoais e de relacionamento, promovendo a construção de novos laços de sociabilidade.
  10. 10. Desenvolvimento da capacidade de comunicação; segurança e autoconfiança. 77% dos jovens se sentiram seguros para apresentar em público o trabalho final. “me sinto mais à vontade e confiante” “O principal é que (o Programa) me passou segurança e consegui me descobrir” “estou segura porque tinha muita vergonha, me sinto mais à vontade em falar” “vou falar o que fiz aqui e me orgulho muito(...) por que acredito que nosso trabalho ficou bom”. Somam-se a estes aprendizados diversos depoimentos que apontaram para a formação de novas redes de sociabilidade, marcadas principalmente pelo estabelecimento de novos laços de amizade. “O mais importante foi o conhecimento e amigos que estarão no meu coração” “Novos conhecimentos e novas amizades” “amor, amizade, união.” A partir destas devolutivas se explicitou a importância de incorporar ao planejamento da segunda edição do PJP novas estratégias e um tempo maior para a integração e socialização do grupo, o que consequentemente pode contribuir para um melhor andamento das atividades coletivas e para a formação de uma rede de colaboração e troca. Para tanto, foram incorporadas às ações do PJP mais duas atividades: um encontro inaugural e uma vivência no centro da cidade.
  11. 11. 3) Formar grupo de trabalho, rede de colaboração e acompanhar trabalhos de campo Encontro inaugural de 6 horas envolvendo todos os atores do Programa para: socializar os objetivos do PJP; as diferentes organizações conhecerem o trabalho que realizam; promover a integração do grupo. 40 horas para a equipe da CASA7 visitar cada uma das 10 organizações integrantes do programa para acompanhar e orientar o trabalho dos jovens. Apresentação dos diagnósticos sociais para a comunidade Criação de comunidades virtuais em redes sociais Criação de espaço virtual (site ou blog) do Programa Outro aprendizado importante da primeira edição do Programa é que é fundamental aperfeiçoar os canais de comunicação entre a equipe da CASA7 e os jovens. 76,9% dos participantes da primeira edição apontaram que o acompanhamento virtual é fundamental para a execução das tarefas nas comunidades. Assim, além de e-mail e Facebook para a segunda edição está prevista a criação de um (site ou blog) para concentrar orientações, materiais, dúvidas e produções. Na mesma linha, outra ação que visa ampliar o acompanhamento do trabalho dos jovens é a realização de uma visita técnica da equipe CASA7 a cada uma das organizações participantes para orientar e qualificar o acabamento dos produtos finais.
  12. 12. Em questão dirigida as jovens a CASA7 buscou saber quais temas e atividades poderiam ser mais explorados durante o Programa. Como resultado as principais propostas que surgiram foram: Mais tempo para as oficinas de vídeo e principalmente para a etapa de edição Ter mais oficinas e mais tempo para realizar parte das tarefas nos encontros. Estas sugestões são reforçadas pela avaliação dos jovens que apontou que 92,3% se disseram satisfeitos com a produção de campo (Atividades), mas apenas 7,7% ficaram muito satisfeitos. Estes dados se somam a avaliação da equipe da CASA7, que observou que apesar da excelente participação dos jovens nas oficinas, muitos apresentaram dificuldades na produção e entrega das atividades propostas. Assim, ficou clara a necessidade de ampliar o processo formativo e de se dedicar mais tempo para: •Ensino de edição e uso do vídeo como ferramenta de pesquisa •Edição das entrevistas e imagens captadas ao longo do processo •Ensino de comandos básicos do Excel, processamento e tabulação
  13. 13. •Oficina: vídeo ETAPA 1 – Pesquisa Exploratória •Encontro de formação I •Oficina: Excel e Tabulação •Saída a campo ETAPA 2 – Pesquisa de Campo •Encontro de formação II •Visita Técnica às organizações •Seminário final ETAPA 4 – Socialização dos resultados 4) Acompanhamento e Sistematização da Metodologia com Educadores 8 horas em 2 encontros para sistematizar metodologias de pesquisa e construir roteiros formativos 8 horas de oficinas de vídeo, tabulação e uso do Excel 10 horas para saída a campo e seminário Para 76,9% dos jovens a participação dos educadores (ONG) nas atividades foi considerada muito importante. Internamente a equipe CASA7 também avaliou que é de extrema importância formar os educadores para que eles possam orientar e acompanhar os jovens na execução das tarefas que compõe o Programa. Assim foram previstos dois encontros exclusivos para formação dos educadores e mais 4 atividades envolvendo jovens e educadores das Ongs.
  14. 14. Resultados esperados 20 jovens formados em metodologia de diagnóstico e multiplicadores da proposta Diagnósticos sociais realizados em 10 comunidades Metodologia de pesquisa e de formação de jovens sistematizada 10 educadores disseminando a metodologia para 10 ONGs (aproximadamente 50 educadores desenvolvendo a metodologia) 10 comunidades (ONGs, lideranças locais, poder público, escolas, etc.) mobilizadas 10 ONGs articuladas e trocando experiência Produtos 10 vídeos produzidos com resultados diagnósticos Roteiro formativo publicado / Caderno da Prática Avaliação As perguntas avaliativas serão construídas com base nos resultados esperados e em conjunto com os jovens e educadores. A avaliação qualitativa será realizada processualmente por meio de rodas de aprendizagens a serem realizadas ao final de cada encontro formativo. Além disso, também servirão de parâmetro para avaliar o processo, a qualidade dos vídeos e a pesquisa de campo produzidas ao longo do Programa. A avaliação quantitativa será feita por meio de questionários para educadores jovens ao final do processo.
  15. 15. Como apoiar: Investimento social privado Convênios com outras organizações nacionais e internacionais; Doação de pessoas jurídicas e físicas. Para mais informações, entre em contato pelo telefone 11 – 21 933777 ou pelo e-mail casa7@casa7.org.br

×