Usabilidade
Carlos J. Costa
Martinha Piteira
Filipa Sardinha
Manuela Aparício

2005-2011
Índice






Enquadramento
Como Garantir o Sucesso?

Desenho centrado nos utilizadores

Princípios de desenho

Prin...
■ Enquadramento
 Mau desenho????

 Como se cancela a operação?!

DCTI

3
■ Enquadramento

DCTI

4
■ Enquadramento
 Mau desenho????

DCTI

5
■ Como garantir o sucesso





Desenho centrado nos utilizadores
Princípios de desenho
Princípios de Usabilidade
Boas ...
■ Desenho centrado no utilizador
 Envolver o utilizador durante todas as fases do
processo.





Observar e falar com...
■ Princípios de Desenho
 Normalmente são uma lista de
 O que fazer, e que não fazer.
 Derivam de: conhecimentos teórico...
■ Princípios de Desenho
 Visibilidade
 Funções visíveis, o utilizador sabe o que tem de fazer a seguir
 Retorno
 Infor...
■ Princípios de Desenho
 Correspondência (mapping)
 Relação entre os controlos da Interface do Utilizador e o
mundo real...
■ Princípios de Desenho
 Consistência
 Elementos similares para tarefas similares (mais fácil de
aprender)
 Potencialid...
■ Princípios de Usabilidade
 Tornar o estado do sistema visível
 Informar sobre o que se está a passar
 Falar a linguag...
■ Princípios de Usabilidade
 Evitar erros
 Prevenir a ocorrência de erros

 Reconhecimento em vez de lembrança
 Tornar...
■ Princípios de Usabilidade
 Ajudar o utilizador a reconhecer, diagnosticar e
recuperar dos erros
 Usar linguagem simple...
■ Avaliação
 A avaliação de interfaces tem três objectivos
principais, Dix et al. (2004):
 Avaliar a extensão e acessibi...
■ Métodos e Técnicas
 Métodos de Avaliação
 São grupos de técnicas agrupadas para identificação de
problemas de Usabilid...
■ Métodos e Técnicas

DCTI

17
Métodos e Técnicas vs. Contextos de
Utilização
Técnica

Fase do Planeamento
dos Requisitos

Fase de Execução
do Projecto

...
■ Como se mede??
 Testes com os utilizadores
 Utilizadores da população alvo

 Aprendizagem
 Testes com utilizadores p...
■ Como se mede??
 Memorização
 Testes com utilizadores casuais
 Medida: tempo para realizar a tarefa

 Poucos erros e ...
Como se mede??

DCTI

21
■ Usabilidade
 “capacidade de um determinado produto ser
utilizado por utilizadores específicos para atingir
objectivos e...
■ Usabilidade



Para Nielsen (1993), a usabilidade não é uma propriedade singular,
unidimensional de uma interface do s...
Usabilidade

DCTI

24
■ Usabilidade
 norma ISO – 9241 é o padrão internacional mais
comum na avaliação de usabilidade de sistemas
interactivos....
Componentes
para avaliação
vs
Autores
Usabilidade

Shackel
(1991)

Eficiência

Jackob
Nielse
n
(1993)

Jordan
(1998)

Dona...
Publicações
2004
R. Costa & C. Costa “Usabilidade: Ferramenta de avaliação de websites” in CAPSI
2004: 5ª Conferência da A...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Usabilidade

789 views

Published on

Published in: Technology
1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
789
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
83
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Usabilidade

  1. 1. Usabilidade Carlos J. Costa Martinha Piteira Filipa Sardinha Manuela Aparício 2005-2011
  2. 2. Índice     Enquadramento Como Garantir o Sucesso?  Desenho centrado nos utilizadores  Princípios de desenho  Princípios de Usabilidade Como medir Afinal o que é Usabilidade? DCTI 2
  3. 3. ■ Enquadramento  Mau desenho????  Como se cancela a operação?! DCTI 3
  4. 4. ■ Enquadramento DCTI 4
  5. 5. ■ Enquadramento  Mau desenho???? DCTI 5
  6. 6. ■ Como garantir o sucesso     Desenho centrado nos utilizadores Princípios de desenho Princípios de Usabilidade Boas práticas de Engenharia DCTI 6
  7. 7. ■ Desenho centrado no utilizador  Envolver o utilizador durante todas as fases do processo.     Observar e falar com os utilizadores; Entrevistar os utilizadores; Utilizar questionários; Testar o seu desempenho usando para o efeito tarefas específicas; DCTI 7
  8. 8. ■ Princípios de Desenho  Normalmente são uma lista de  O que fazer, e que não fazer.  Derivam de: conhecimentos teóricos, experiência e senso comum  Determinam o que se deve ver e fazer durante a realização de tarefas DCTI 8
  9. 9. ■ Princípios de Desenho  Visibilidade  Funções visíveis, o utilizador sabe o que tem de fazer a seguir  Retorno  Informação sobre a acção e o resultado DCTI 9
  10. 10. ■ Princípios de Desenho  Correspondência (mapping)  Relação entre os controlos da Interface do Utilizador e o mundo real DCTI 10
  11. 11. ■ Princípios de Desenho  Consistência  Elementos similares para tarefas similares (mais fácil de aprender)  Potencialidade  Usar palavras e frases familiares ao utilizador DCTI 11
  12. 12. ■ Princípios de Usabilidade  Tornar o estado do sistema visível  Informar sobre o que se está a passar  Falar a linguagem do utilizador  Usar palavras e frases familiares ao utilizador  O utilizador controla  Mecanismos para o utilizador sair de situações inesperadas DCTI 12
  13. 13. ■ Princípios de Usabilidade  Evitar erros  Prevenir a ocorrência de erros  Reconhecimento em vez de lembrança  Tornar acções, objectos e opções visíveis  Flexibilidade e eficiência  Disponibilizar atalhos para especialistas  Desenho de écran estático e minimalista  Evitar excesso de informação irrelevante DCTI 13
  14. 14. ■ Princípios de Usabilidade  Ajudar o utilizador a reconhecer, diagnosticar e recuperar dos erros  Usar linguagem simples que permita ao utilizador perceber e resolver o problema  Dar ajuda e documentação  Fornecer informação que possa ser facilmente acedida DCTI 14
  15. 15. ■ Avaliação  A avaliação de interfaces tem três objectivos principais, Dix et al. (2004):  Avaliar a extensão e acessibilidade das funcionalidades dos sistemas;  Avaliar a experiência de interacção do utilizador;  Identificar quaisquer problemas do sistema. DCTI 15
  16. 16. ■ Métodos e Técnicas  Métodos de Avaliação  São grupos de técnicas agrupadas para identificação de problemas de Usabilidade  Técnicas de Avaliação  É um procedimento único que tem como objectivo a identificação de problemas de Usabilidade. DCTI 16
  17. 17. ■ Métodos e Técnicas DCTI 17
  18. 18. Métodos e Técnicas vs. Contextos de Utilização Técnica Fase do Planeamento dos Requisitos Fase de Execução do Projecto Teste e Avaliação Recursos necessários X X Médio Verificar a estrutura e fluxo em relação aos objectivos do utilizador X Baixo Especificar ao utilizador características essenciais do produto X Baixo Aferir as necessidades dos utilizadores através de reunião Baixo Fornecer sugestões de especialistas de usabilidade sobre interfaces de utilizador Baixo Proporcionar uma visão detalhada da experiência do utilizador sobre a utilização de um produto Médio Descrever detalhadamente a actividade do utilizador do sistema Cognitive Walkthrough Análise do Contexto de Uso Focus Group Avaliação Heurística Entrevista Observação X X X X X Objectivo do método Baseado em testes de interacção com o utilizador X Alto Baseado em testes de utilização do design X Médio Fornecer informações e recomendações necessárias para realizar melhorias ao projecto Baixo Proporcionar uma visão sobre a opinião e experiência do utilizador sobre a utilização de um produto Inquéritos X X DCTI Identificar medidas de usabilidade e problemas de interacção 18
  19. 19. ■ Como se mede??  Testes com os utilizadores  Utilizadores da população alvo  Aprendizagem  Testes com utilizadores principiantes  Medida: completar uma tarefa com sucesso  Eficiência  Testes com utilizadores peritos  Medida: tempo para realizar tarefa DCTI 19
  20. 20. ■ Como se mede??  Memorização  Testes com utilizadores casuais  Medida: tempo para realizar a tarefa  Poucos erros e não catastróficos  Teste com todos os utilizadores  Medida: numero de erros cometidos durante a realização da tarefa  Satisfação  Testes com todos os utilizadores  Medida: pergunta-se ao utilizador se foi positiva a sua interacção com o sistema  Questionário no final dos testes DCTI 20
  21. 21. Como se mede?? DCTI 21
  22. 22. ■ Usabilidade  “capacidade de um determinado produto ser utilizado por utilizadores específicos para atingir objectivos específicos com eficácia, eficiência e satisfação num contexto específico de utilização”. [Norma ISO-9241-11]  “facilidade de utilização, satisfação do utilizador na utilização do sistema e facilidade de aprendizagem”.[Smith and Mayes, 1996] DCTI 22
  23. 23. ■ Usabilidade   Para Nielsen (1993), a usabilidade não é uma propriedade singular, unidimensional de uma interface do sistema tecnológico de informação. assenta numa multiplicidade de elementos, sendo tradicionalmente associada aos seguintes componentes : • Eficiência: o sistema deve ser eficiente para que o utilizador depois de o saber usar, possa atingir uma grande produtividade; • Aprendizagem: o sistema deve ser fácil de assimilar pelo utilizador, para que este possa começar a trabalhar rapidamente; • Memorização: o sistema deve ser facilmente memorizado, para que depois de algum tempo sem o utilizar, o utilizador se recorde de o usar; • Erros: o sistema deve prever os erros e evitar que os utilizadores os cometam e, quando assim é, deve recuperar facilmente o que foi perdido. • Satisfação: o sistema deve ser usado de uma forma agradável, para que os utilizadores fiquem satisfeitos com a sua utilização DCTI 23
  24. 24. Usabilidade DCTI 24
  25. 25. ■ Usabilidade  norma ISO – 9241 é o padrão internacional mais comum na avaliação de usabilidade de sistemas interactivos.  a capacidade que um produto tem de ser usado por utilizadores específicos para atingir objectivos específicos com eficácia, eficiência e satisfação num contexto de uso específico” (ISO 9241-11) DCTI 25
  26. 26. Componentes para avaliação vs Autores Usabilidade Shackel (1991) Eficiência Jackob Nielse n (1993) Jordan (1998) Donald Norman (2004) Chris McGregor (2004) Preece (2002) Smith & Mayes (1996) X Aprendizagem X Flexibilidade Bastien & Scapin (1993) Quesenber y (2001) X X X X X X Norma ISO 9241 – 11 (1998) X Atitude X Shneiderma n (1998) X Memorização X X Erros X X Satisfação X X Intituividade X X X Re -usabilidade X X Potencial do Sistema X X Performance do utilizador Experiente X X Como se mede?? Facilidade X X Simplicidade X X Utilizador X X X X Eficácia X Utilidade X X Cargo de trabalho X Consistência X Significado do Código X Adaptabilidade X Compatibilidade X Controlo Explicito X Atracção DCTI X X 26 X X
  27. 27. Publicações 2004 R. Costa & C. Costa “Usabilidade: Ferramenta de avaliação de websites” in CAPSI 2004: 5ª Conferência da Associação Portuguesa de Sistemas de Informação. Lisboa, 3 a 5 de Novembro, 2004 2006 M. Piteira & C. Costa, Avaliação da usabilidade percebida: Plataforma de e-learning Moodle. CIAWI/IADIS, Múrcia, Espanha Outubro 6-7, 2006 2007 C. Costa, J. Silva & M. Aparicio: Evaluating Web Usability Using Small Display Devices in David G. Novick, Clay Spinuzzi (Eds.): Proceedings of the 25th Annual International Conference on Design of Communication,SIGDOC2007; El Paso, Texas, USA 2010 C. Costa. Testing usability of ERP open source systems. In Proceedings of the Workshop on Open Source and Design of Communication (OSDOC '10). ACM, New York, NY, USA, 25-30. 2010. DCTI 27

×