Universidade Federal de Goiás
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Sistema de Bibliotecas da UFG
Biblioteca Central – ...
Universidade Federal de Goiás
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Sistema de Bibliotecas da UFG
Biblioteca Central – ...
Universidade Federal de Goiás
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Sistema de Bibliotecas da UFG
Biblioteca Central – ...
Universidade Federal de Goiás
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Sistema de Bibliotecas da UFG
Biblioteca Central – ...
Universidade Federal de Goiás
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Sistema de Bibliotecas da UFG
Biblioteca Central – ...
Universidade Federal de Goiás
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Sistema de Bibliotecas da UFG
Biblioteca Central – ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Resumo do II Encontro Nacional da Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital - Cariniana / nov 2013

409 views

Published on

Resumo do II Encontro Nacional da Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital - Cariniana, realizado pelo IBICT, em novembro de 2013, nas dependências do IBICT, em Brasília, DF, Brasil.
O evento contou com a participação de todas as instituições parceiras da Rede Cariniana e demais interessados.

Published in: Science
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
409
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resumo do II Encontro Nacional da Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital - Cariniana / nov 2013

  1. 1. Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Sistema de Bibliotecas da UFG Biblioteca Central – Gerência de Informação Digital e Inovação/GIDI Campus Samambaia – Caixa Postal 411 – 74001-970 Goiânia-GO Fone (62) 3521.1183 / www.gidi.bc.ufg.br Resumo do II Encontro Nacional da Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital 28 e 29 de novembro de 2013 IBICT, Brasília – DF Participaram do evento as instituições: Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Universidade Federal da Bahia (UFBA) e demais funcionários e colaboradores do IBICT. 28 de novembro de 2013 Módulo I – Preservação Digital, Políticas e Gestores Sônia Araújo de Assis Boêres (UnB) Foram apresentados conceitos fundamentais relacionados à Preservação Digital (PD): definição de PD; relação de PD e organização; uso e importância das Linguagens Documentárias para PD. Bibliotecário atualmente usa menos procedimentos técnicos e despende maior tempo em processos/procedimentos intelectuais. Breve histórico da PD apresentado: surgido da Teoria Geral dos Sistemas. Como é o processo do ciclo documentário. Tipos de Preservação (a grosso modo): Física – objetos físicos; Digital – objetos digitais. Definições de PD: Rothemberg (1998); Hedstrom (1996). Na PD envolve-se: confiabilidade; integridade; autenticidade. Conceito de curadoria digital. Elementos essenciais da Política de PD: Pessoal, Recursos Financeiros, Disponibilização Pública entre outros. Módulo II – Técnicas, Tecnologias e Gestão da Digitalização Rafael Cobbe (Uninter) e Denis Novaes Lopes (IBICT) Foram apresentados conceitos sobre Resolução Óptica; Matrizes Digitais. Elementos necessários na digitalização: Sensores; Scanners; Digitalização Gráfica.
  2. 2. Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Sistema de Bibliotecas da UFG Biblioteca Central – Gerência de Informação Digital e Inovação/GIDI Campus Samambaia – Caixa Postal 411 – 74001-970 Goiânia-GO Fone (62) 3521.1183 / www.gidi.bc.ufg.br Exemplos de Sensores (CCD – Charge Coupled Device); (CIS – Contact Image Sensor); PMT (Photomultiplier Tube); CMOS (Complementary Metal-oxide Semicondutor). Interface do Scanner: Mais utilizada: USB 2; Mais atual: USB 3. Cores e Tons: 1 bit = 2 níveis (preto e branco), quanto maior número de bits, maior diversidade de cores e tons. Drivers para Digitalização Gráfica: TWAIN – Technology Without an Interesting Name. Foi apresentada uma tabela com informações sobre PDF A: Características: durável; pesquisável; usa norma ISO. PDF/X é específico para MAPAS. PDF/A 1 – ISO 19005 – 1, de 2001. (Adobe Acrobat) PDF/A 2 – ISO 19005 -2, 2011. PDF/A 3 – ISSO 19005- 3, 2012. Informações: www.pdfa.org Gerenciamento Eletrônico de Documentos – GED – softwares GESDOC; ARQUIVAR. ECM – (Gestão de conteúdo empresarial) é um GED melhorado. Físico (Preparação, Digital). Digital (Indexação, Controle de Qualidade e Armazenamento). Empresas que fazem digitalização nunca dão garantia de 100% (apenas em torno de 90% ou pouco mais); pois sempre algo será perdido, não poderá ser digitalizado (textos serão digitalizados como imagens, não sendo pesquisável, portanto). Curiosidade: Cristal de Memória Superman: cristal de até 360TB que tem durabilidade de até 1 milhão de anos que permitem o armazenamento em cinco dimensões; criado pela Universidade de Southampton (Inglaterra). Módulo III – Tecnologias de Preservação Digital e o LOCKSS Alexandre Faria de Oliveira (IBICT) e Arthur Heleno Lima R. de Souza (IBICT) Foi passado o vídeo-documentário: Into The Future: On the preservation of knowledge in the eletronic age (1998). Link do video em partes no Dailymotion: http://www.dailymotion.com/video/xa9dp6_into-the-future- on-the-preservation_tech Software de Preservação Digital – deve contemplar o modelo OAIS.
  3. 3. Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Sistema de Bibliotecas da UFG Biblioteca Central – Gerência de Informação Digital e Inovação/GIDI Campus Samambaia – Caixa Postal 411 – 74001-970 Goiânia-GO Fone (62) 3521.1183 / www.gidi.bc.ufg.br Modelo OAIS: padrão para software de preservação digital. Modelo conceitual OAIS: Estratégia 1 – foco na emulação. Estratégia 2 – foco na migração. Rede Cariniana utiliza a estratégia 2, que tem como foco a Migração e o Modelo Distribuído (preservação armazenada em caixas dispersas geograficamente). Modelo Centralizado – serviço Portico. LOCKSS = Cada parceiro é uma caixa LOCKSS. LOCKSS + Daemon + Interface Props Server – servidor web (atualmente está em Stanford, mas o objetivo da Rede é que ano que vem já passe a ser gerenciado pelo IBICT, tornando a rede brasileira definitivamente). O objetivo do LOCKSS é preservar a informação, ou seja, apenas em última instância essas informações serão buscadas. A instituição recebe instruções para preservar e manter backup de todos os sistemas, revistas, repositório e apenas em último caso aquilo que está preservado na caixa é recuperado. O LOCKSS não é um sistema de acesso, e sim de preservação, ou seja, as informações não estão disponibilizadas para qualquer pessoa recuperar, são para PRESERVAÇÃO. Módulo IV – Serviços de Preservação Digital Miguel Angel Márdero Arellano (IBICT) Atividades estruturais – investimentos iniciais Atividades operacionais Certificação Digital – futuramente a Rede Cariniana pretende emitir certificação digital. Centro de Preservação Documental – Archisafe; iArxiv; Metaposta Internet Archive – objetivo de armazenar páginas web, arquivando a evolução da web, dos sites etc. Mineração de dados científicos: CERN, Max Planck Institute, Radio Telescopio Alma, Vksolar System Data Centre, ICSU World Data Center Climate. A área da produção editorial é a que mais está inovando e investindo em Preservação Digital. Projeto estrutural de PD – deve estar em acordo com a missão da instituição. Rede Global LOCKSS – qualquer instituição pode participar, mas é pago o serviço.
  4. 4. Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Sistema de Bibliotecas da UFG Biblioteca Central – Gerência de Informação Digital e Inovação/GIDI Campus Samambaia – Caixa Postal 411 – 74001-970 Goiânia-GO Fone (62) 3521.1183 / www.gidi.bc.ufg.br 29 de novembro de 2013 Reunião com Parceiros, Colaboradores e Pesquisadores Apresentação dos Colaboradores presentes (Prof. Rubens Ribeiro Gonçalves da Silva, UFBA; Lídia Brandão Toutain, UFBA; Sônia Boêres, UnB e outros) e da pesquisa destes envolvendo preservação digital, memória, softwares. Apresentação do vídeo com a Victoria Reich, diretora do Programa LOCKSS da Universidade de Stanford: A diretora fala sobre o software LOCKSS – sistema de código aberto; preserva revistas, repositórios institucionais, banco de dados. Em 2013 o IBICT se juntou com a Universidade de Stanford e fundou a Cariniana, para preservar o conteúdo de acesso aberto publicado no Brasil. A Aliança LOCKSS na Universidade de Stanford forneceu à Cariniana: ‘apoio técnico para colocar on-line e manter as caixas LOCKSS que formam a rede de preservação; novas versões do software, aproximadamente a cada dois meses; processamento de conteúdos de preservação, incluindo – assegurando que o material está estruturado de modo que possa ser preservado incluindo metadados necessários, se permissões legais estão on-line, controle de qualidade e testes; oportunidade de construir uma cooperação em prol do conhecimento em preservação; comunidade internacional que compartilha experiências e melhores práticas; rede nacional de preservação. O Programa Cariniana forneceu ao mundo um exemplo de modelo de uma nação a assumir a responsabilidade pela preservação da sua própria literatura de acesso aberto. O Brasil é a única nação da qual estou ciente de que está fazendo isso de maneira sistemática. (fala resumida da diretora). NDIIP - National Digital Information Infrastructure and Preservation Program (da Library of Congress) - http://www.digitalpreservation.gov/ Software Open Monograph Press (do PKP) - http://pkp.sfu.ca/omp/ FURG já está usando (Instituições que desejam saber sobre uso do software entrar em contato com FURG). A Rede Cariniana só conseguiu apoio e chance de seguir com recursos do FINEP por causa do Projeto do Livro Aberto do IBICT (no software DSpace). A Rede Colaborativa da Cariniana usa o IBM Connections, plataforma de software social. Canal onde as instituições terão seu próprio espaço/site, assim como os grupos de pesquisa associados à Cariniana, informações relacionadas à rede, material de divulgação da rede etc. Informações Importantes O Acordo de Cooperação Técnica não exige transferência de recursos financeiros pela instituição e o IBICT. A versão atualizada do Acordo será enviada pelo IBICT, a instituição deve enviar a documentação, o Acordo e o Plano de Trabalho preenchidos (já atualizados com termos e aprovação da Assessoria Jurídida) para o IBICT – sem assinar, para que o IBICT posteriormente envie as três vias necessárias para assinatura.
  5. 5. Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Sistema de Bibliotecas da UFG Biblioteca Central – Gerência de Informação Digital e Inovação/GIDI Campus Samambaia – Caixa Postal 411 – 74001-970 Goiânia-GO Fone (62) 3521.1183 / www.gidi.bc.ufg.br O acordo tem vigência de 5 anos. No caso de instituições que exigem cronograma detalhado para aprovação do Acordo de Cooperação Técnica, solicitar ao IBICT. Em qualquer momento a instituição pode solicitar o contrato fechado entre IBICT e Universidade de Stanford. Atividades e Eventos Futuros Props Server, que está atualmente na University of Stanford passará para o IBICT, em 2014. Todo material de divulgação da Rede Cariniana será disponibilizado na Rede Colaborativa. (Mais informações com Alexandre – IBICT). 1º Seminário Nacional da Rede Cariniana, ocorrerá em maio, de 2014. – Haverá apresentações dos grupos de pesquisa relacionados à rede, dos quais participam os colaboradores. A instituição deve passar o contato direto da Assessoria Jurídica para o IBICT – para comunicação mais ágil, na resolução de procedimentos para aprovação do Acordo de Cooperação Técnica. Quaisquer problemas e erros ocorridos na preservação de revistas científicas será passado aos administradores do portal, cabendo a estes a obrigação de informar aos editores científicos para resolução dos problemas. A Revista Ciência da Informação publicará uma edição especial com artigos relacionados a Preservação Digital, edição sai até fevereiro de 2014. A instituição deve configurar as revistas científicas (no OJS), habilitando a opção do LOCKSS no software, do contrário as mesmas não são preservadas. Documentos Suplementares no OJS – sempre ocasiona problemas no LOCKSS, no momento da preservação, a recomendação é que a revista não utilize tais documentos ou edite as informações para que os metadados não referenciem documentos suplementares. Unidade de Arquivamento – no LOCKSS o termo significa cada volume da edição. Quando as revistas publicarem novos fascículos, cabe a ela a responsabilidade de informar à Rede (A instituição pode escolher se informa a cada fascículo publicado ou se informa ao final do ano todos os fascículos publicados naquele ano anterior). O LOCKSS não preserva documentos de anos correntes (pois em caso de revistas científicas, por exemplo, novos fascículos podem ser publicados ao final do ano). Por exemplo: publicações do ano de 2013 serão preservadas no ano de 2014. Uso de hardware atual: estão preservados 10 títulos (de revistas), armazenados em 10gb. A Revista Ciência da Informação está com todos os volumes preservados no LOCKSS.
  6. 6. Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Sistema de Bibliotecas da UFG Biblioteca Central – Gerência de Informação Digital e Inovação/GIDI Campus Samambaia – Caixa Postal 411 – 74001-970 Goiânia-GO Fone (62) 3521.1183 / www.gidi.bc.ufg.br De acordo com o contrato da Rede com Stanford, o mínimo para preservação são 1000 títulos de revistas. Para que a instituição veja o que está sendo preservado, ela deve entrar na caixa (remotamente), não há necessidade do IBICT passar essa informação. Porém informações serão passadas periodicamente sobre títulos publicados, espaço utilizado, erros ocorridos etc. A caixa LOCKSS da instituição preservará tudo de todas as instituições que participam da Rede, então quando a mesma mostrar o que já foi preservado, mostrará de todas. Atividades a serem realizadas Atividade Por Quem Para Quem Cadastrar Equipe UFG no portal social da Rede Cariniana, passando dados pessoais por e-mail. Equipe GIDI Alexandre (IBICT) Enviar Acordo de Cooperação Técnica para Assessoria Jurídica da UFG para aprovação (não devolver ao IBICT assinado, apenas já a versão aprovada, para que o IBICT aprove e mande as 3 vias. UFG Assessoria Jurídica UFG Enviar Plano de Trabalho, documentação e Acordo de Cooperação Técnica preenchidos e assinados. UFG IBICT Instalação e configuração da Caixa (equipamento de hardware e software) na UFG. UFG/IBICT Reunião para compartilhamento das informações a respeito da participação da UFG na rede. Equipe GIDI/CERCOMP UAs, órgãos relacionados Reunião para compartilhamento das informações a respeito da participação da UFG na rede. (Repassar Guia de Preservação de Revistas). Equipe GIDI/CERCOMP Editores Científicos Revistas UFG Migrar Biblioteca de Teses e Dissertações do TEDE para DSpace. (Ver data, procedimentos). Washington, Milton (IBICT) UFG Diagnosticar situação do acervo digitalizado da UFG. (Ver data, procedimentos). Rafael Cobbe UFG (BC, CIDARQ, CGA, CDIM) Representantes da UFG no evento: Carla L. Ferreira (BC/UFG) Cássia O. Santos (BC/UFG) Túlio Gonçalves (CERCOMP/UFG) Laura Vilela Rodrigues (FIC/UFG)

×