<ul><li>P rograma de Pós-Graduação em  C iências e  T écnicas  N ucleares   </li></ul><ul><ul><li>ÁREA : Aplicações das Ra...
Professor Rodrigo Penna <ul><li>Sítio  na internet: </li></ul><ul><li>www. fisicanovestibular .com.br   </li></ul><ul><li>...
INTRODUÇÃO – 1 <ul><li>Aplicações das radiações na indústria: medidas de umidade, densidade, espessura, nível, detector de...
V&M – Paraopeba/MG Professor  Rodrigo Penna  www.fisicanovestibular.com.br  ‘
INTRODUÇÃO – 2 <ul><li>Técnicas nucleares tradicionais para medida de densidade de madeira são baseadas na transmissão   ...
TRADICIONAL Rodrigo Penna 1 - Radiação incidente. 2 – Atravessa a madeira. 4 – O detector faz a leitura e transforma a med...
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA – 1  <ul><li>A densidade é uma das mais importantes características da madeira. </li></ul><ul><li>Se...
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA – 2 <ul><li>O método tradicional de medida da densidade da madeira é pela razão m / v. </li></ul><ul...
Método da Imersão Professor  Rodrigo Penna  www.fisicanovestibular.com.br  ‘
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA – 3 <ul><li>Medida de densidade da madeira por transmissão é antiga: Loss, 1961; Reichardt e Ferreir...
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA – 4 <ul><li>O PCTN/UFMG já vem desenvolvendo a tecnologia de medidas por técnicas nucleares. </li></...
Trabalho de  Marinho Rodrigo Penna
Trabalho de Sérgio Professor  Rodrigo Penna  www.fisicanovestibular.com.br  ‘
FUNDAMENTOS TEÓRICOS – 1  <ul><li>A atenuação da radiação pela matéria depende do número atômico e da densidade dos materi...
EFEITO FOTOELÉTRICO (Tauhata, Salati  et al. , 2003)  Professor  Rodrigo Penna  www.fisicanovestibular.com.br  ‘
EFEITO COMPTON Rodrigo Penna (Tauhata, Salati  et al. , 2003)
EFEITO COMPTON COERENTE Rodrigo Penna ( Bushberg, Seibert  et al ., 2002 )
FORMAÇÃO DE PARES Rodrigo Penna (Tauhata, Salati  et al. , 2003)
GUIA LÍQUIDO <ul><li>Seu funcionamento é semelhante ao de uma fibra óptica comum, baseado na  reflexão total  da luz. </li...
FUNCIONAMENTO Teflon AF Luz Líquido <ul><li>Condições de funcionamento: </li></ul><ul><li>Meio interno  mais  refringente;...
GUIA DO EXPERIMENTO Rodrigo Penna
FONTES UTILIZADAS <ul><li>Amerício – 241 : energia de 60 keV. </li></ul><ul><li>Vantagens: baixa energia quando comparada ...
DECAIMENTO DO AMERÍCIO Rodrigo Penna 84,2% dos  decaimentos     levam ao ao Neptúnio – 237 excitado, que decai  emitindo ...
ESQUEMA DAS FONTES Fonte Externa 7400 MBq (200 mCi) 7 mm externo 5 mm ativo Fonte Interna 518 MBq (14 mCi) 3 mm externo 2 ...
FONTE SECUNDÁRIA <ul><li>Fótons originários da fonte interagem com o meio por efeito Compton espalhando fótons secundários...
REPRESENTAÇÃO DA FONTE SECUNDÁRIA Rodrigo Penna A blindagem impede que a radiação direta, vinda  da fonte, atinja o detect...
CINTILADORES UTILIZADOS <ul><li>Neste trabalho, além do NaI(Tl) utilizou-se cintiladores plásticos do tipo NE-102A. </li><...
FOTOS DOS CINTILADORES Professor  Rodrigo Penna  www.fisicanovestibular.com.br  ‘
FUNCIONAMENTO DO CINTILADOR Rodrigo Penna Fótons Luz
MADEIRAS UTILIZADAS <ul><li>Amostras das seguintes espécies foram utilizadas nos experimentos: </li></ul><ul><ul><li>cande...
PREPARAÇÃO DAS AMOSTRAS Professor  Rodrigo Penna  www.fisicanovestibular.com.br  ‘
MADEIRAS PARA A SONDA Rodrigo Penna
MEDIDA COM FONTE EXTERNA Professor  Rodrigo Penna  www.fisicanovestibular.com.br  ‘
REPRESENTAÇÃO Rodrigo Penna Fótons originários da fonte de  241 Am. Fótons oriundos das interações. Pb Plástico Madeira C ...
MEDIDA COM A SONDA Rodrigo Penna
FUNCIONAMENTO DA SONDA Rodrigo Penna Fonte Fótons originários da fonte de  241 Am. Fótons oriundos das interações. Madeira...
SIMULAÇÃO NO MCNP – 4C  <ul><li>O programa Monte Carlo foi utilizado para a otimização da sonda nos seguintes parâmetros: ...
RESULTADOS <ul><li>Medida da densidade pela relação massa/volume da madeira: </li></ul>Professor  Rodrigo Penna  www.fisic...
MEDIDA COM DETECTOR E FONTE EXTERNOS Rodrigo Penna
CURVA DE CALIBRAÇÃO <ul><li>Coeficiente de correlação: 0,989. </li></ul>Rodrigo Penna D = ( 1,40 .10  – 5     8.10  – 7  ...
MEDIDA COM A SONDA Rodrigo Penna
CURVA DE CALIBRAÇÃO <ul><li>Coeficiente de correlação: 0,99. </li></ul>Rodrigo Penna D = ( 1,28.10  – 5     5.10  – 7   )...
COMPARAÇÃO ENTRE OS MÉTODOS Rodrigo Penna
PROGRAMAÇÕES DO  MONTE CARLO <ul><li>Espessura mínima da blindagem: 0,5 mm (na prática 1,0 mm); </li></ul><ul><li>Posição ...
CONCLUSÕES <ul><li>Os dois sistemas são funcionais. </li></ul><ul><li>O Amerício-241 é uma fonte eficiente neste caso. </l...
PERSPECTIVAS <ul><li>Otimizar a geometria do sistema com o uso do Monte Carlo. </li></ul><ul><li>Pesquisar a utilização de...
LITERATURA CONSULTADA – 1  <ul><li>Abnt, A. B. D. N. T.-. NBR 11941 - Wood - Determination of basic density: ABNT–Associaç...
LITERATURA CONSULTADA – 2  <ul><li>F o ,   M. T., L. E. C. Barrichelo , et al.   Análise da madeira de compressão em .  Pi...
LITERATURA CONSULTADA – 3  <ul><li>Palermo, G. P. D. M., J. V. D. F. Latorraca , et al.  Análise da densidade da madeira d...
LITERATURA CONSULTADA – 4  <ul><li>Waterbuy, R. D., W. Yao , et al.  Long Pathlength absorbance spectroscopy: trace analys...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Sonda Nuclear para medida da densidade da madeira, dissertação de Mestrado UFMG - Conteúdo vinculado ao blog http://fisicanoenem.blogspot.com/

2,128 views

Published on

NUCLEAR PROBE FOR MEASURE OF WOOD DENSITY BY
COMPTON SCATTERING . A conversão de arquivo do SlideShare "mata" várias animações. Todo o conteúdo vinculado a este arquivo está descrito, organizado e lincado no nosso blog:
http://fisicanoenem.blogspot.com/

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,128
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
36
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sonda Nuclear para medida da densidade da madeira, dissertação de Mestrado UFMG - Conteúdo vinculado ao blog http://fisicanoenem.blogspot.com/

  1. 1. <ul><li>P rograma de Pós-Graduação em C iências e T écnicas N ucleares </li></ul><ul><ul><li>ÁREA : Aplicações das Radiações, Radioproteção e Instrumentação Nuclear </li></ul></ul><ul><ul><li>Orientador : Clemente José Gusmão Carneiro da Silva </li></ul></ul><ul><ul><li>Aluno : Rodrigo Penna </li></ul></ul>Sonda nuclear para medida da densidade da madeira por espalhamento Compton
  2. 2. Professor Rodrigo Penna <ul><li>Sítio na internet: </li></ul><ul><li>www. fisicanovestibular .com.br </li></ul><ul><li>Blog: www.quantizado.blogspot.com </li></ul><ul><li>Link para currículo no Sistema Lattes: </li></ul><ul><li>http://lattes.cnpq.br/6150368513460565 </li></ul>EMAILs [email_address] [email_address]
  3. 3. INTRODUÇÃO – 1 <ul><li>Aplicações das radiações na indústria: medidas de umidade, densidade, espessura, nível, detector de fumaça entre outras. </li></ul><ul><li>No PCTN: Marinho (2004) e Sérgio (2005). </li></ul><ul><li>Dados sobre madeira no Brasil: maior área plantada de eucaliptos do mundo, maior produtor mundial da celulose, indústrias ligadas ao eucalipto representam 4% do nosso PIB, 8% das exportações e geram aproximadamente 150 mil empregos (Ministério da Ciência e Tecnologia). </li></ul>Rodrigo Penna
  4. 4. V&M – Paraopeba/MG Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br ‘
  5. 5. INTRODUÇÃO – 2 <ul><li>Técnicas nucleares tradicionais para medida de densidade de madeira são baseadas na transmissão  dependente da geometria. </li></ul><ul><li>Uma alternativa vantajosa para esta medida seria uma técnica baseada no espalhamento Compton. </li></ul><ul><li>Pode-se utilizar uma fonte de 241 Am, de energia 60 keV, que possibilita uma blindagem mais compacta em relação ao 137 Cs, por exemplo. </li></ul><ul><li>Objetivo do trabalho: construir este densímetro. </li></ul>Rodrigo Penna
  6. 6. TRADICIONAL Rodrigo Penna 1 - Radiação incidente. 2 – Atravessa a madeira. 4 – O detector faz a leitura e transforma a medida de radiação em medida de densidade. 3 – Atenuação devido à interação com a matéria.
  7. 7. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA – 1 <ul><li>A densidade é uma das mais importantes características da madeira. </li></ul><ul><li>Seu conhecimento permite fazer previsões com respeito às futuras propriedades da madeira e sobre a utilidade de seus produtos derivados (Zobel e Talbert, 1984; Bowyer e Smith, 1998). </li></ul><ul><li>Muitas propriedades mecânicas dependem da densidade (Haygreen e Bowyer, 1996). </li></ul>Rodrigo Penna
  8. 8. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA – 2 <ul><li>O método tradicional de medida da densidade da madeira é pela razão m / v. </li></ul><ul><li>A massa é obtida com balança. O volume, em geral, pelo deslocamento de água </li></ul><ul><li>(Haygreen e Bowyer, 1996; ABNT, 2003 ). </li></ul><ul><li>Se a amostra é regular, facilita a obtenção do volume, calculando-se geometricamente. </li></ul>Rodrigo Penna
  9. 9. Método da Imersão Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br ‘
  10. 10. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA – 3 <ul><li>Medida de densidade da madeira por transmissão é antiga: Loss, 1961; Reichardt e Ferreira, 1966. </li></ul><ul><li>Utilizado até hoje, inclusive no Brasil (Winistorfer e Jr., 1994; Winistorfer e Moschler, 1996; Rezende, Severo et al. , 1999; Palermo, Latorraca et al. , 2003). </li></ul><ul><li>Pode ser utilizado até para densidade do carvão vegetal (Coutinho e Ferraz, 1988). </li></ul>Rodrigo Penna
  11. 11. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA – 4 <ul><li>O PCTN/UFMG já vem desenvolvendo a tecnologia de medidas por técnicas nucleares. </li></ul><ul><li>Mário (“ Marinho” ) mediu densidade de meios porosos com sonda gama e Cs-137 (Silva, 2004). </li></ul><ul><li>Sérgio mediu umidade de solos por sonda de nêutrons (Teixeira, 2005). </li></ul><ul><li>Nosso trabalho dá continuidade às pesquisas já realizadas, apresentando inovações. </li></ul>Rodrigo Penna
  12. 12. Trabalho de Marinho Rodrigo Penna
  13. 13. Trabalho de Sérgio Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br ‘
  14. 14. FUNDAMENTOS TEÓRICOS – 1 <ul><li>A atenuação da radiação pela matéria depende do número atômico e da densidade dos materiais (Knoll, 1989). </li></ul><ul><li>Nessa interação, são 3 os fenômenos principais: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Efeito Fotoelétrico; </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Efeito Compton; </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Formação de Pares. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><li>Combinados os 3: </li></ul>Rodrigo Penna I = I o . e –  t . x
  15. 15. EFEITO FOTOELÉTRICO (Tauhata, Salati et al. , 2003) Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br ‘
  16. 16. EFEITO COMPTON Rodrigo Penna (Tauhata, Salati et al. , 2003)
  17. 17. EFEITO COMPTON COERENTE Rodrigo Penna ( Bushberg, Seibert et al ., 2002 )
  18. 18. FORMAÇÃO DE PARES Rodrigo Penna (Tauhata, Salati et al. , 2003)
  19. 19. GUIA LÍQUIDO <ul><li>Seu funcionamento é semelhante ao de uma fibra óptica comum, baseado na reflexão total da luz. </li></ul><ul><li>São de uso mais recente, com plásticos especiais como o Teflon AF ( n = 1,29 a 1,31) e podem ser preenchidos com água (n = 1,33). </li></ul><ul><li>Menos eficientes que as fibras, mas possuem aplicações específicas (Dress e Franke, 1997). </li></ul>Rodrigo Penna
  20. 20. FUNCIONAMENTO Teflon AF Luz Líquido <ul><li>Condições de funcionamento: </li></ul><ul><li>Meio interno mais refringente; </li></ul><ul><li> maior que o ângulo limite. </li></ul>Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br ‘
  21. 21. GUIA DO EXPERIMENTO Rodrigo Penna
  22. 22. FONTES UTILIZADAS <ul><li>Amerício – 241 : energia de 60 keV. </li></ul><ul><li>Vantagens: baixa energia quando comparada aos 662 keV do Césio – 137, possibilitando menores blindagens e maior segurança do operador; longa meia – vida (+ de 400 anos). </li></ul><ul><li>Além da baixa (relativamente) energia de emissão, a própria fonte é de pequena dimensões, milímetros, facilitando a construção de equipamentos portáteis. </li></ul>Rodrigo Penna
  23. 23. DECAIMENTO DO AMERÍCIO Rodrigo Penna 84,2% dos decaimentos  levam ao ao Neptúnio – 237 excitado, que decai emitindo um fóton  de 60 keV. Fóton  de 60 keV
  24. 24. ESQUEMA DAS FONTES Fonte Externa 7400 MBq (200 mCi) 7 mm externo 5 mm ativo Fonte Interna 518 MBq (14 mCi) 3 mm externo 2 mm ativo Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br ‘
  25. 25. FONTE SECUNDÁRIA <ul><li>Fótons originários da fonte interagem com o meio por efeito Compton espalhando fótons secundários. </li></ul><ul><li>Estes podem gerar outras interações e produzir fótons terciários e assim por diante. </li></ul><ul><li>Esta interação é função da densidade e servirá como parâmetro para medi-la. </li></ul><ul><li>O número de fótons que irá atingir o detector depende da densidade. </li></ul>Rodrigo Penna
  26. 26. REPRESENTAÇÃO DA FONTE SECUNDÁRIA Rodrigo Penna A blindagem impede que a radiação direta, vinda da fonte, atinja o detector. Apenas fótons espalhados são contados. E este espalhamento depende da densidade.
  27. 27. CINTILADORES UTILIZADOS <ul><li>Neste trabalho, além do NaI(Tl) utilizou-se cintiladores plásticos do tipo NE-102A. </li></ul><ul><li>Composição: PoliVinilTolueno, densidade igual a 1,032 g/cm 3 e deterioração a 70 o C. </li></ul><ul><li>Tempo de decaimento: 2 ns, adequado às taxas de contagens do experimento, inferiores a 3.000 cps. </li></ul><ul><li>As peças precisaram ser cortadas e polidas para a sua utilização. </li></ul>Rodrigo Penna
  28. 28. FOTOS DOS CINTILADORES Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br ‘
  29. 29. FUNCIONAMENTO DO CINTILADOR Rodrigo Penna Fótons Luz
  30. 30. MADEIRAS UTILIZADAS <ul><li>Amostras das seguintes espécies foram utilizadas nos experimentos: </li></ul><ul><ul><li>candeia de cerca, Eremanthus erythropappus (DC.) Macleish; </li></ul></ul><ul><ul><li>canela de velho, Cenostigma macrophyllum Tul ; </li></ul></ul><ul><ul><li>sucupira preta, Bowdichia virgilioides ; </li></ul></ul><ul><ul><li>canela, Ocotea spp ; </li></ul></ul><ul><ul><li>pereira, Platycyamus regnelii . </li></ul></ul><ul><ul><li>eucalipto. </li></ul></ul>Rodrigo Penna
  31. 31. PREPARAÇÃO DAS AMOSTRAS Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br ‘
  32. 32. MADEIRAS PARA A SONDA Rodrigo Penna
  33. 33. MEDIDA COM FONTE EXTERNA Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br ‘
  34. 34. REPRESENTAÇÃO Rodrigo Penna Fótons originários da fonte de 241 Am. Fótons oriundos das interações. Pb Plástico Madeira C i n t i l a d o r Fonte
  35. 35. MEDIDA COM A SONDA Rodrigo Penna
  36. 36. FUNCIONAMENTO DA SONDA Rodrigo Penna Fonte Fótons originários da fonte de 241 Am. Fótons oriundos das interações. Madeira Guia líquido
  37. 37. SIMULAÇÃO NO MCNP – 4C <ul><li>O programa Monte Carlo foi utilizado para a otimização da sonda nos seguintes parâmetros: </li></ul><ul><ul><li>Estudo da blindagem adequada ao Amerício-241; </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudo da posição ideal da fonte; </li></ul></ul><ul><ul><li>Influência da geometria da amostra de madeira; </li></ul></ul><ul><ul><li>Simulação da funcionalidade dos densímetros. </li></ul></ul>Rodrigo Penna
  38. 38. RESULTADOS <ul><li>Medida da densidade pela relação massa/volume da madeira: </li></ul>Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br ‘
  39. 39. MEDIDA COM DETECTOR E FONTE EXTERNOS Rodrigo Penna
  40. 40. CURVA DE CALIBRAÇÃO <ul><li>Coeficiente de correlação: 0,989. </li></ul>Rodrigo Penna D = ( 1,40 .10 – 5  8.10 – 7 ) . C + ( – 0,19  0,06 )
  41. 41. MEDIDA COM A SONDA Rodrigo Penna
  42. 42. CURVA DE CALIBRAÇÃO <ul><li>Coeficiente de correlação: 0,99. </li></ul>Rodrigo Penna D = ( 1,28.10 – 5  5.10 – 7 ) . C + ( – 0,28  0,05 )
  43. 43. COMPARAÇÃO ENTRE OS MÉTODOS Rodrigo Penna
  44. 44. PROGRAMAÇÕES DO MONTE CARLO <ul><li>Espessura mínima da blindagem: 0,5 mm (na prática 1,0 mm); </li></ul><ul><li>Posição da fonte em relação à blindagem da sonda: 0,38 cm (na prática 0,4 cm); </li></ul><ul><li>Raio mínimo da amostra para a sonda: 5 cm (na prática > 5 cm); </li></ul><ul><li>Funcionalidade: a previsão foi que os densímetros funcionariam. </li></ul>Rodrigo Penna Resposta do MCNP-4C para variação do fluxo de fótons em função da distância entre a fonte de Amerício-241 e a blindagem de chumbo.
  45. 45. CONCLUSÕES <ul><li>Os dois sistemas são funcionais. </li></ul><ul><li>O Amerício-241 é uma fonte eficiente neste caso. </li></ul><ul><li>O código Monte Carlo é uma ferramenta útil na otimização de aplicações como estes densímetros, tornando-o mais eficiente. </li></ul><ul><li>A sonda pode ser utilizada in situ , perfurando diretamente o tronco das árvores e é um método não destrutivo. </li></ul>Rodrigo Penna
  46. 46. PERSPECTIVAS <ul><li>Otimizar a geometria do sistema com o uso do Monte Carlo. </li></ul><ul><li>Pesquisar a utilização de técnica semelhante para medida de umidade da madeira e sua influência na densidade. </li></ul><ul><li>Aumentar a sensibilidade minimizando a perda de fótons em todos os acoplamentos. </li></ul><ul><li>Construir um densímetro mais compacto para uso in situ . </li></ul><ul><li>Registrar uma patente do densímetro. </li></ul>Rodrigo Penna
  47. 47. LITERATURA CONSULTADA – 1 <ul><li>Abnt, A. B. D. N. T.-. NBR 11941 - Wood - Determination of basic density: ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 11941 2003. </li></ul><ul><li>Altkorn, R., I. Koev , et al. Low-loss liquid-core optical fiber for low-refractive-index liquids: fbrication, characterizaation, and application in taman spectroscopy. Applied Optics , v.36, n.35, 1 December, p.8992-8998. 1997. </li></ul><ul><li>______. Raman Performance Characteristics of Teflon AF 2400 Liquid-Core Optical-Fiber Sample Cells. Applied Spectroscopy , v.53, n.10, p.1169-1176. 1999. </li></ul><ul><li>Belcher, D. J., T. R. Cuykendll , et al. the measurement of soil moisture and density by neutron and gamma ray scattering. CAA Techn , v.127, ocotobre 1950. 1950. </li></ul><ul><li>Beling, J. K., J. O. Newton , et al. The Decay of Am241 . Atomic Energy Research Stablishment. Harewell, Berkshire, England, 1952. p. </li></ul><ul><li>Bowyer, J. L. e R. L. Smith. The Nature of Wood and Wood Products. U. O. M. F. P. M. D. Institute 1998. </li></ul><ul><li>Bushberg, J. T., J. A. Seibert , et al. The Essential Physics of Medical Imaging . Philadelphia, PA - USA: Lippincott Williams & Wilkins. 2002 </li></ul><ul><li>Coutinho, A. R. e E. S. B. Ferraz. Determinação da densidade do carvão vegetal por atenuação da radiação gama. IPEF . 39 : 17-20 p. 1988. </li></ul><ul><li>Cown, D. e B. Clement. A wood densitometer using direct scanning with x-rays. Wood Science and Technology . 17 : 91-99 p. 1983. </li></ul><ul><li>Dress, P. e H. Franke. Increasing the accuracy of liquid analysis and pH-value control using a liquid-core waveguide. Rev. Sci. Instrum , v.68, p.3167-2171. 1997. </li></ul><ul><li>Ferraz, E. S. D. B. Determinação da densidade de madeiras por atenuação de radiação gama de baixa energia. Boletim IPEF . 12 : 61-68 p. 1976. </li></ul><ul><li>Ferreira, C. A. e E. S. B. Ferraz. Relatório de pesquisas apresentado à Comissão Nacional de Energia Nuclear. Esalq-Usp 1969. </li></ul>Rodrigo Penna
  48. 48. LITERATURA CONSULTADA – 2 <ul><li>F o , M. T., L. E. C. Barrichelo , et al. Análise da madeira de compressão em . Pinus oocarpa E Pinus strobus VAR. chiapensis . composição química. IPEF , v.31, 01/12/85, p.69-73. 1985. </li></ul><ul><li>Gigante, G. E. e S. Sciuti. A large-angle coherent/Compton scattering method for measurement in vitro of trabecular bone mineral concentration. Med Phys , v.12, n.3, p.321-326. 1985. </li></ul><ul><li>Haygreen, G. J. e J. L. Bowyer. Forest products and wood science: an introduction : Ames: Iowa State University Press. 1996. Specific gravity. Chapter 9 p. </li></ul><ul><li>Knoll, G. F. Radiation detection and measurement : John Wiley & Sons. 1989. </li></ul><ul><li>Laboratory, O. R. N. MCNP4C-Monte Carlo N-Particle Transport Code System . OAK RIDGE: RSICC-RADIATION SAFETY INFORMATION COMPUTATIONAL CENTER. 2000a. 898 p. </li></ul><ul><li>______. MCNPDATA-Standard Neutron, Photon, and Electron Data Libraries for MCNP4C . OAK RIDGE: RSICC-RADIATION SAFETY INFORMATION COMPUTATIONAL CENTER. 2000b. 238 p. </li></ul><ul><li>Loss, W. E. Gamma ray absorption and wood moisture content and density. Forest Products Joumal , v.11, n.3, p.145-149. 1961. </li></ul><ul><li>Mcginley, P. H. e A. H. Dhaba'an. Evaluation of the contribution of capture gamma rays, x-ray leakage, and scatter to the photon dose at the maze door for a high energy medical electron accelerator using a Monte Carlo particle transport code. Medical Physics , v.27, n.1, p.225-230. 2000. </li></ul><ul><li>Mukhopadhyay, S. e B. Nevada. Plastic gamma sensors: an application in detection of radioisotopes. U. S. D. O. Energy: National Nuclear Security Administration Nevada Site Office : 11718-774 p. 1996. </li></ul><ul><li>Mct, M. D. C. E. T.-. Brasil: Campeão do Eucalipto 2005a. </li></ul><ul><li>______. Eucaliptos mais resistentes, indústrias menos poluentes 2005b. </li></ul><ul><li>______. Pesquisa de Campo: O Brasil tem hoje mais de três milhões de hectares de florestas de eucaliptos – a maior área do mundo. 2005c. </li></ul>Rodrigo Penna
  49. 49. LITERATURA CONSULTADA – 3 <ul><li>Palermo, G. P. D. M., J. V. D. F. Latorraca , et al. Análise da densidade da madeira de Pinus elliottii Engelm. por meio de radiação gama de acordo com as direções estruturais (longitudinal e radial) e a idade de crescimento. Floresta e Ambiente . 10 : 47-57 p. 2003. </li></ul><ul><li>Rebourgeard, P., F. Rondeaux , et al. Fabrication and Measurements of Plastic Scintillating Fibers. Nuclear Instruments & Methods v.427, n.3, p.543-567. 1999. </li></ul><ul><li>Reichardt, K. e C. A. Ferreira. Relatório de pesquisas apresentado à Comissão Nacional de Energia Nuclear. Esalq-Usp 1966. </li></ul><ul><li>Rezende, M. A. D., E. T. D. Severo , et al. Estudo das variações da massa específica em Pinus oocarpa através da técnica de atenuação da radiação gama. Floresta , v.29, n.1/2, p.67-84. 1999. </li></ul><ul><li>Silva, I. J. O. D. Desenvolvimento de Sonda Gama para Cirurgia Radioguiada . Departamento de Engenharia Nuclear, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005. </li></ul><ul><li>Silva, M. R. D. S. Desenvolvimento de um Densímetro Nuclear por Difusão Compton utilizando um Guia Líquido de Luz . Programa de Pós-Graduação em Ciências e Técnicas Nucleares, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2004. </li></ul><ul><li>Speller, R. D., G. J. Royle , et al. Instrumentation and techniques in bone density measurement. J. Phys. E: Sci. Instrum. , v.22, n.4, p.202-214. 1989. </li></ul><ul><li>Stalp, J. T. e R. B. Mazess. Determination of bone density by coherent-Compton scattering. Med Phys , v.7, n.6, p.723-726. 1980. </li></ul><ul><li>Tartari, A., C. Baraldi , et al. Compton scattering profile for in vivo XRF techniques. Phys Med. Biol. , v.36, n.5, p.567-578. 1991. </li></ul><ul><li>Tauhata, L., I. P. A. Salati , et al. Radioproteção e Dosimetria: fundamentos : IRD - CNEN. 2003 </li></ul><ul><li>Teixeira, S. A. Medida da Umidade de Solos usando um cristal de LiI(Eu) Acoplado a um Guia Liquido de Luz . PCTN, UFMG, Belo Horizonte, 2005. </li></ul>Rodrigo Penna
  50. 50. LITERATURA CONSULTADA – 4 <ul><li>Waterbuy, R. D., W. Yao , et al. Long Pathlength absorbance spectroscopy: trace analysis of Fr(II) using a 4.5m liquid core waveguide. Analytica chimica acta , v.357, p.99-102. 1997. </li></ul><ul><li>Winistorfer, P. M. e W. W. M. Jr. Measuring the Vertical Density Profile In-situ During Pressing. November 1994, p.25. 1994. </li></ul><ul><li>Winistorfer, P. M. e W. W. Moschler. Dynamics of Mat Consolidation During Pressing: What We've Learned With Our In-press Radiation System for Pressing Wood Composites . SPIE Proceedings Series &quot;Nondestructive Evaluation of Materials and Composites&quot;. December 1996, 1996. 324-334 p. </li></ul><ul><li>Www.Rofin.Com . </li></ul><ul><li>Zobel, B. J. e J. B. Jett. Genetics of Wood Production . Berlin, Heidelberg, New York, 1985. 337 p. </li></ul><ul><li>Zobel, B. J. e J. Talbert. Applied Forest Tree Improvement . New York. USA: John Wiley & Sons. 1984 </li></ul>Rodrigo Penna

×