PANORAMA SEMANAL


VEJA NESTA EDIÇÃO


     Macroeconomia e Mercados – Como encerramos a primeira semana de Novembro
   ...
PANORAMA SEMANAL

09 de Novembro de 2009

Macroeconomia a Mercados

A bolsa brasileira voltou para o trilho e fechou a sem...
PANORAMA SEMANAL


Panorama Econômico – Últimas divulgações
                         Dia                                  ...
PANORAMA SEMANAL

Agenda de Indicadores
   Dia      Horário                                           Evento              ...
PANORAMA SEMANAL


Agenda de Balanços

                                                                       Agenda de Re...
PANORAMA SEMANAL


Acompanhamento da Carteira Recomendada XP Novembro



                                        MÊS      ...
PANORAMA SEMANAL


Já o lucro líquido ficou dentro do previsto, atingindo R$ 655,1 milhões no 3º trimestre de 2009 contra ...
PANORAMA SEMANAL



Fique de Olho – Análise Técnica

IBOVESPA




O Ibovespa está formado em canal de alta primário e fech...
PANORAMA SEMANAL


PETRÓLEO




O petróleo fechou a semana em leve alta de 0,71%%, se mantendo dentro da região entre 76,5...
PANORAMA SEMANAL


XP Investimentos – Área de Análise
(21) 3265-3927
www.xpi.com.br
Rio de Janeiro | RJ
Av. Borges de Mede...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Panorama Semanal 0911

504 views

Published on

Published in: Business, Economy & Finance
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
504
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Panorama Semanal 0911

  1. 1. PANORAMA SEMANAL VEJA NESTA EDIÇÃO  Macroeconomia e Mercados – Como encerramos a primeira semana de Novembro  Agenda de Indicadores e Balanços Corporativos  Acompanhamento da Carteira Recomendada  Fique de Olho – Análise Técnica (Ibovespa, S&P 500, Dólar e Petróleo)
  2. 2. PANORAMA SEMANAL 09 de Novembro de 2009 Macroeconomia a Mercados A bolsa brasileira voltou para o trilho e fechou a semana com valorização de 4,75%. Depois das perdas da última semana de outubro o Ibovespa voltou aos patamares de 64.500 pontos, mas, com a volatilidade ainda como pano de fundo. Na última semana, os destaques ficaram por conta dos dados de emprego vindo dos EUA e as divulgações de resultados das companhias brasileiras. Os resultados estão confirmando a recuperação econômica e o fôlego extra também é sinal que os fundamentos estão prevalecendo nos negócios. Já no campo macroeconômico houve desconforto. Os dados mais aguardados eram os referentes ao mercado de trabalho norte-americano. A economia americana confirmou perda de 190 mil postos de trabalho em outubro, enquanto a taxa de desemprego chegou a 10,2%. Ambos os dados vieram pior do que as expectativas de mercado, a análise positiva é que o ritmo de fechamento de vagas tem sido menos acentuado. Ainda assim, o mercado balançou. A valorização dos ativos avançou de forma mais rápida do que a recuperação econômica, dessa forma os indicadores econômicos sendo divulgados ganham cada vez mais evidência. Na próxima semana Wall Street sai do foco principal e abre espaço para a China e Europa. Pequim divulgará na quarta-feira uma bateria de indicadores - dados de inflação, produção industrial, de investimentos em ativos fixos e vendas no varejo de outubro. Na Europa sairão números importantes, como os resultados do PIB no terceiro trimestre das principais economias do continente na quinta-feira. Nos EUA a agenda será mais calma, o déficit orçamentário do governo federal, na quinta-feira (previsão de -US$ 150 bi), e o déficit comercial, na sexta-feira serão os destaques. No Brasil o dado mais aguardado é o IPCA na quarta-feira. O encontro do G-20, realizado no último final de semana, trouxe viés positivo para os negócios. Os principais líderes concordaram em manter os estímulos à economia até que se tenha uma recuperação mais consistente na atividade. E estamos chegando próximo ao final do ano, as apostas estão mais favorecidas para os que acreditam em um novo rali, se assim for fecharemos o ano com chave de ouro! Variações da semana Maiores Altas Maiores Baixas Empresa Abertura Fechamento % Empresa Abertura Fechamento % VIVO 43,20 48,60 12,50% EMBRAER 8,94 8,67 -3,02% LOJAS AMERIC 11,60 12,95 11,64% B2W VAREJO 51,00 50,10 -1,76% ALL AMER LAT 12,99 14,36 10,55% BRASKEM 11,70 11,68 -0,17% ROSSI RESID 11,79 12,89 9,33% GOL 18,25 19,95 9,32% ITAUUNIBANCO 33,50 36,54 9,07% ELETROBRAS 24,91 27,10 8,79% ITAUSA 10,01 10,88 8,69%
  3. 3. PANORAMA SEMANAL Panorama Econômico – Últimas divulgações Dia Evento Período Fato Expectativa Anterior 2/11/2009 EUA - ISM Index Outubro 55.7 53.0 52,60% EUA - Construction Spending Setembro 0,80% -0,20% -0,10% EUA - Pending Home Sales Setembro 6,10% 1,20% 6,40% Brasil - Feriado 3/11/2009 Brasil - Produção industrial A/A Outubro -7,80% - - Brasil - Produção industrial sazonal (M/M) Outubro 0,80% - - EUA - Vendas internas de veículos Outubro 7.94M 7.30M 6.8M EUA - Pedidos de fábrica Setembro 0,90% 0,80% -0,80% Reino Unido - Confiança consumidor (Nacional) Outubro 72.0 73.0 71.0 4/11/2009 Itália - Serviços PMI Outubro 52.2 49.3 48.5 França- Serviços PMI Outubro 57.7 57.8 57.8 Alemanha - Serviços PMI Outubro 50.7 50.9 50.9 Zona do Euro - Serviços PMI Outubro 52.6 52.3 52.3 Zona do Euro - PMI Composite Outubro 53.0 53.0 53.0 Reino Unido - Serviços PMI Outubro 56.9 55.5 55.3 EUA - ADP Employment Outubro -203 -200 -254 EUA - ISM Composto exceto manufatura Outubro 50.6 51.5 50.9 EUA - Estoques de Petróleo Semanal (3.6 M) (1.4M) - EUA - Reunião do Fed (2º dia) Novembro 0 a 0,25% 0 a 0,25% 0 a 0,25% 5/11/2009 Reino Unido - Produção industrial (M/M) Setembro 1,60% 1,20% -2,50% Reino Unido - Produção industrial (A/A) Setembro -10,30% -10,30% -11,20% Zona do Euro - Vendas a varejo (M/M) Setembro -0,70% 0,20% -0,20% Zona do Euro - Vendas a varejo (A/A) Setembro -3,60% -2,40% -2,60% EUA - Novos pedidos seguro-desemprego Sem até 31/10 512k 523k 530k EUA - Custo da mão-de-obra 3º trimestre -5,20% -4,00% -5,90% Reunião do Banco Central da Inglaterra - Boe Novembro 0,50% 0,50% 0,50% EURO - Reunião do BCE Novembro 1,00% 1,00% 1,00% 6/11/2009 Alemanha - Pedidos de fábrica M/M (saz) Setembro 0,90% 1,00% 1,40% Alemanha - Pedidos fábrica A/A Setembro -13,10% -13,60% -20,40% EUA - Taxa de desemprego Outubro 10,20% 9,90% 9,80% EUA - Média de ganhos/hora (M/M) Outubro 0,30% 0,10% 0,10% EUA - Média de ganhos/hora (A/A) Outubro 2,40% 2,20% 2,50% EUA - Variação na folha de pagamento (payroll) Outubro -190 -175 -263 EUA - Estoques no atacado Setembro -0,90% -1,00% -1,30% EUA - Crédito ao consumidor Setembro ($14.3B) -$10.0B -$12.0B Dentre os indicadores divulgados na semana, o mais importante foram os dados de emprego, com destaque para o Payroll, que contabiliza o número de vagas criadas/cortadas nos Estados Unidos e a taxa de desemprego. A economia americana perdeu 190 mil postos de trabalho em outubro, acima da previsão do mercado para corte de 175 mil vagas. No entanto, os cortes vêm se estabilizando em níveis mais baixos, o que é positivo para a o cenário de trabalho. O setor de construção, que foi bastante afetado pelas perdas no mercado de moradias e o setor de manufatura, que sofreu impacto significativo da queda no consumo, se destacaram na retomada das atividades e retenção de funcionários. Níveis de Emprego - EUA Mesmo com a melhora da economia e o fim da recessão americana, ainda vemos a taxa de Taxa de Desemprego Payroll desemprego subir para 10,2% em outubro, Corte de Vagas Taxa de Desempergo 12,0 -700 atingindo o maior nível desde abril de 1983. O 10,0 -600 motivo para isso, além de que os cortes de vagas -500 continuam acontecendo, é que a retomada do 8,0 mercado de trabalho sofre defasagem em relação -400 6,0 à evolução da economia. O aumento na produção -300 e atividade americana leva os empresários a 4,0 -200 buscar primeiro os ganhos de produtividade. Só 2,0 -100 depois que a demanda se encontrar mais estabilizada e a retomada da economia mais 0,0 0 consolidada que eles partirão para novas O N D J F M A M J J A O S contratações. Atualmente, o ponto positivo é que 2008 2009 as contratações temporárias mostraram número melhores em relação aos meses anteriores. Fonte: briefing.com
  4. 4. PANORAMA SEMANAL Agenda de Indicadores Dia Horário Evento Período Expectativa Anterior Relevância 9/11/2009 08:00 Brasil - IPC(S) 1ª Quadr/Nov - 0,01% B 08:00 Brasil - IGP(DI) Outubro 0,11% 0,25% A 08:30 Brasil - Relatório Focus Semanal - - B 09:00 Alemanha - Produção industrial (M/M) Setembro 1,00% 1,70% A 09:00 Alemanha - Produção industrial (A/A) Setembro -14,40% -16,80% A 11:00 Brasil - Balança Comercial Semanal - - B 10/11/2009 06:00 França - Produção industrial (M/M) Setembro 0,50% 1,80% A 06:00 França - Produção industrial (A/A) Setembro -9,20% -10,80% A 07:00 Brasil - IPC(Fipe) 1ª Quadr/Nov 0,21% 0,16% B 08:00 Alemanha - índice de expectativas das empresas Novembro 55,00 56,00 A 08:00 Alemanha - índice da situação atual Novembro -70,00 -72,20 A 09:00 Brasil - Pesquisa Industrial de Emprego e Salário Setembro - - A 11/11/2009 00:00 China - Índice preços do produtor (A/A) Outubro -5.2% -7.0% A 00:00 China - Índice preço compra (A/A) Outubro -8.0% -10.1% A 00:00 China - Índice preços ao consumidor (A/A) Outubro -0.4% -0.8% A 00:00 China - Vendas a varejo (A/A) Outubro 15.8% 15.5% A 00:00 China- Vendas varejo acum/ano A/A Outubro 15.2% 15.1% A 00:00 China - Produção industrial (A/A) Outubro 15.5% 13.9% A 00:00 China - Ativo fixo inv urbano acum/ano A/A Outubro 33.5% 33.3% A 00:00 China - Produção industrial acum no ano A/A Outubro 9.5% 8.7% A 00:00 China - Exportações %A/A Outubro -13.0% -15.2% A 00:00 China - Importações %A/A Outubro -1.0% -3.5% A 08:00 Brasil - IGP(M) 1º Dec/Nov 0,08% 0,10% A 09:00 Brasil - IBGE Inflação IPCA (% no mês) Outubro 0.21% 0.24% A 09:00 Brasil - IBGE Inflação IPCA (A/A) Outubro 4.10% 4.34% A 09:00 Brasil - IBGE Inflação INPC (% no mês) Outubro - 0,15% B EUA - Feriado (Dia do Veterano) - - - 12/11/2009 08:00 Zona do Euro - Prod ind zona euro sa (M/M) Setembro 0,50% 0,90% A 08:00 Zona do Euro - Prod ind zona euro wda (A/A) Setembro -14,10% -15,40% A 10:00 EUA - MBA-Solicitações de empréstimos hipotecários Novembro 8,20% A 11:30 EUA - Novos pedidos seguro-desemprego Sem até 07/11 510K 512K A 14:00 EUA - Estoques de Petróleo Semanal - - A 17:00 EUA - Orçamento mensal Outubro -$150.0B -$155.5B A 13/11/2009 02:00 Japão - Produção industrial (M/M) Setembro - 1.4% A 02:00 Japão -Produção industrial % (A/A) Setembro - -18.9% A 02:00 Japão -Capacity Utilization (MoM) Setembro - 2.3% A 02:00 Japão - Confiança do consumidor Outubro 40.5 40.7 A 08:00 Alemanha - Produto interno bruto (T/T) 3T09 0,80% 0,30% A 08:00 Alemanha - Produto Interno Bruto (A/A) 3T09 -4,80% -5,90% A 08:00 França - Produto interno bruto (T/T) 3T09 0,60% 0,30% A 08:00 França - Produto Interno Bruto (A/A) 3T09 -1,90% -2,80% A 08:00 Itália - Produto interno bruto (T/T) 3T09 0,80% -0,50% A 08:00 Itália - Produto Interno Bruto (A/A) 3T09 -4,50% -6,00% A 08:00 Zona do Euro - Produto interno bruto (T/T) 3T09 0,50% -0,20% A 08:00 Zona do Euro - Produto Interno Bruto (A/A) 3T09 -3,90% -4,80% A 09:00 Brasil - Vendas a varejo (A/A) Setembro - 4.7% A 09:00 Brasil - Vendas a varejo (M/M) Setembro - 0.7% A 11:30 EUA - Balança comercial Setembro -$31.6B -$30.7B A 11:30 EUA - Índice preços de importação (M/M) Outubro 1.0% 0.1% A 11:30 EUA - Índice preços de importação (A/A) Outubro -5.6% -12.0% A 13:00 EUA - Confiança-Univ de Michigan Novembro 71.0 70.6 A .
  5. 5. PANORAMA SEMANAL Agenda de Balanços Agenda de Resultados - 3T09 Novembro 2 3 4 5 6 Feriado Bematech Após fechamento Bradesco Antes da abertura Agre Após fechamento Light Após fechamento Braskem Antes da abertura BR Malls Após fechamento B2W Após fechamento Randon Antes da abertura Cia Heringer Após fechamento Cremer Após fechamento Confab Antes da abertura CSN Após fechamento Log-in Após fechamento Gafisa Após fechamento Fras-le Antes da abertura Tenda Após fechamento Gerdau Antes da abertura ItauUnibanco Antes da abertura Iguatemi Após fechamento Iochpe-Maxion Após fechamento Loj Americanas Após fechamento Met Gerdau Após fechamento Tractebel Após fechamento 9 10 11 12 13 Banco Pine A definir Banrisul A definir ALL A definir Abyara A definir ABC Brasil A definir CPFL Energia A definir BM&FBovespa A definir Amil A definir AES Tietê Após fechamento Açúcar Guarani A definir Cyrela - CCP Após fechamento Itausa A definir BicBanco A definir AmBev A definir Alpargatas A definir Dasa A definir Marcopolo A definir BM&FBovespa A definir Aracruz A definir Banco Cruzeiro do A definir Sul Even Após fechamento MMX Mineração A definir Cesp A definir Banco do Brasil A definir Banco Pan A definir Hypermarcas A definir Multiplan A definir Copel A definir BR Foods A definir Bradespar A definir Marisa Após fechamento Porto Seguro A definir Drogasil A definir Brookfield A definir CCR A definir Profarma A definir Positivo A definir Itausa A definir Cosan AS A definir Cemig A definir Gol Após fechamento Tecnisa A definir Klabin Segall A definir Cosan Limited A definir Copasa A definir Duratex A definir LLX Logística A definir Cyrela Br Realty A definir Cteep A definir Lupatech A definir Eletrobrás A definir Equatorial A definir Marcopolo A definir Eletropaulo A definir Friboi A definir MMX A definir Fert Heringer Após fechamento JHSF A definir Multiplan A definir Grendene A definir Metalfrio A definir OGX Petróleo A definir Ideiasnet A definir Minerva A definir Porto Seguro A definir Kepler Weber Antes da abertura MPX Energia A definir Positivo A definir Medial Saúde A definir MRV A definir SLC Agrícola Após fechamento Nossa Caixa A definir PDG Realty A definir Sofisa Antes da abertura Odontoprev A definir Petrobras A definir Tecnisa A definir OHL A definir Rodobens A definir Terna A definir Pão de Açúcar Antes da abertura Sabesp A definir Rossi Resid A definir São Martinho Após fechamento Saraiva A definir SulAmérica A definir Trisul Após fechamento TAM Antes da abertura Unipar Após fechamento VCP A definir
  6. 6. PANORAMA SEMANAL Acompanhamento da Carteira Recomendada XP Novembro MÊS SEMANA CARTEIRA RECOMENDADA 5,13% 5,13% IBOV 4,75% 4,75% A Carteira Recomendada apresentou valorização de 5,13% na primeira semana de novembro contra alta de DESEMPENHO NA SEMANA 4,75% do Ibovespa. A última semana foi marcada pela recuperação das EZTC3 6,15% perdas de final de outubro. Como POSI3 0,49% destaque positivo tivemos as ações da MPXE3 Itaúsa que sobreperformaram o índice -0,21% 7,89% BVMF3 em quase 4%. BVMF também foi ITSA4 8,69% destaque de alta, com valorização de 7,89% na semana. TBLE3 5,50% UGPA4 6,38% GOAU4 5,12% VALE5 5,48% PETR4 2,88% IBOV 4,75% Nossas Empresas Gerdau – Resultado 3T09 O resultado da Gerdau foi bastante positivo e mostrou recuperação importante na comparação trimestral. As vendas consolidadas do 3º trimestre de 2009 atingiram 3,9 milhões de toneladas, com crescimento de 14,7% em relação ao trimestre anterior, mostrando retomada na quantidade de produção e vendas. Esse aumento é explicado, principalmente, pela recuperação nos principais setores consumidores de produtos da Empresa e, particularmente, na América da Norte, pela reposição dos estoques ao logo da cadeia. No Brasil, destaca-se o crescimento do mercado doméstico, com vendas superiores a um milhão de toneladas, aumento de 26,4% no 3º trimestre em relação ao 2º trimestre de 2009, com crescimentos superiores a 30% para clientes da indústria e 10% para os da construção civil. Observa-se que os incentivos proporcionados pelo governo nos diferentes setores da economia contribuíram para a retomada do consumo doméstico. Destaque positivo para o crescimento da geração de caixa, medida pelo EBITDA, que alcançou R$ 1,4 bilhão, mais que o dobro em relação ao 2º trimestre de 2009. A margem EBITDA atingiu 20,2% no 3º trimestre de 2009, comparada com 9,3% do trimestre anterior.
  7. 7. PANORAMA SEMANAL Já o lucro líquido ficou dentro do previsto, atingindo R$ 655,1 milhões no 3º trimestre de 2009 contra um resultado contábil negativo de R$ 329,1 milhões registrados no 2º trimestre. Essa melhora no lucro reflete a recuperação das margens operacionais da Companhia no período. Com o resultado obtido no 3º trimestre, o lucro líquido acumulado no ano foi de R$ 361,0 milhões. Tractebel - Resultado 3T09 O resultado da Tractebel foi positivo, porém sem grandes surpresas. O aumento do preço médio líquido de venda da energia e a melhora no resultado financeiro foram os principais fatores que levaram a expansão de 24,9% no lucro líquido da geradora que alcançou R$ 285,7 milhões. A produção de energia elétrica nas usinas operadas pela Tractebel Energia foi de 10.132 GWh (4.589 MW médios), o que representou um avanço de 11,0% em relação ao 3T08, e um significativo aumento de 172,5% em relação ao 2T09. Esta grande diferença se deve exclusivamente às condições hidrológicas, uma vez que uma forte estiagem marcou todo o primeiro semestre na Região Sul, enquanto que o terceiro trimestre foi caracterizado por chuvas abundantes. A receita operacional bruta no 3T09 foi de R$ 983,0 milhões, 3,4% maior do que a registrada no 3T08, que foi de R$ 950,5 milhões. Essa variação justifica-se, essencialmente, pela combinação dos seguintes fatores: (i) aumento do preço médio de venda; (ii) incidência do volume de vendas das empresas adquiridas ou que entraram em operação após o 3T08; (iii) aumento da exportação de energia em 66 GWh (30 MW médios), equivalente a R$ 9,6 milhões, evoluindo de R$ 4,2 milhões no 3T08 para R$ 13,8 milhões no 3T09; (iv) queda do volume de energia vendida, excluindo-se os volumes mencionados em (ii) e (iii), principalmente para clientes livres, de 208 GWh (94 MW médios), correspondente a um montante estimado de R$ 2,4 milhões; (v) redução da receita de venda de créditos de carbono em R$ 8,4 milhões; e (vi) queda de R$ 34,7 milhões na receita decorrente das transações no âmbito da CCEE. Segundo a empresa, a venda ao mercado livre caiu em razão do fim do contrato com alguns clientes e por conta dos efeitos da crise econômica global. Mas em contrapartida, a venda para as distribuidoras cresceu. Isso explica a queda de apenas R$ 2,4 milhões na receita de comercialização de energia obtida com esses agentes. Itaú Unibanco - Resultado 3T09 O resultado do ItaúUnibanco foi positivo e superou nossas previsões. Destaque para a melhora observada na margem financeira gerencial, devido à ampliação do saldo das carteiras de empréstimos e financiamentos e as sinergias obtidas provenientes da união entre o Itaú e Unibanco. Também chamou atenção o aumento no ROE, o retorno recorrente anualizado sobre o patrimônio líquido médio foi de 22,4%, com aumento de 1,3 pontos percentuais em relação ao retorno obtido no período anterior. O nível de inadimplência melhorou para a carteira de clientes pessoa física. No entanto, a qualidade dos ativos de crédito da carteira de clientes pessoa jurídica ainda está prejudicada diante do cenário econômico atual. Adicionalmente, a valorização do real frente ao dólar não beneficiou os resultados da empresa. A valorização do real em relação a moedas estrangeiras fez com que o saldo das operações denominadas ou indexadas a essas moedas diminuísse em relação ao saldo do trimestre anterior. A variação cambial também produziu significativo impacto no saldo das operações de grandes empresas, levando a uma redução de 1,5% no saldo entre os trimestres. Da mesma maneira, os empréstimos e financiamentos das unidades no exterior foram afetados pela valorização do real, decrescendo 9,6% em relação ao período anterior.
  8. 8. PANORAMA SEMANAL Fique de Olho – Análise Técnica IBOVESPA O Ibovespa está formado em canal de alta primário e fechou a semana em alta de 4,75%, redefinindo a LTA terciária com suporte em 61.000, que pode ser testado se o mercado perder o suporte intradiário em 63.500. Se o mercado seguir a tendência de alta pode buscar as resistências em 65.200 ou 67.500. S&P500 O S&P500 fechou a semana em alta de 3,20%, não conseguindo superar a resistência em 1079, o que pode levar a níveis de 1101, 1130 ou 1200, e se voltar a ceder, pode testar os suportes em 1029, 995 ou 968.
  9. 9. PANORAMA SEMANAL PETRÓLEO O petróleo fechou a semana em leve alta de 0,71%%, se mantendo dentro da região entre 76,50 e 82,00 dólares o barril. Caso ultrapasse um destes pontos, o óleo tende a buscar nova definição de tendência, na direção do rompimento, podendo buscar resistências em 87,00 ou 90,00 em caso de alta ou suportes em 73,50 ou 69,00 em caso de baixa. DÓLAR COMERCIAL O dólar comercial fechou a semana em baixa de 2,11% e está, após teste da resistência do canal de baixa, em 1,78, que se for confirmado pode levar a teste de resistências em 1,80 ou 1,90, voltou a ceder e testando o suporte em 1,72, que se for rompido pode levar a níveis de 1,69 ou 1,66.
  10. 10. PANORAMA SEMANAL XP Investimentos – Área de Análise (21) 3265-3927 www.xpi.com.br Rio de Janeiro | RJ Av. Borges de Medeiros 633 | sala 301 CEP: 22430-041 Disclosure: 1. Este relatório foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos Corretora”) e tem como único propósito fornecer informações que possam ajudar o investidor a tomar sua decisão de investimento. Este relatório não constitui oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data da divulgação deste relatório e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. 2. Rossano Foresti Oltramari (“Rossano”), analista de investimento responsável pela elaboração deste relatório, em conformidade ao artigo 5º, na Instrução Normativa/CVM 388/03, declara: - que as recomendações expressas neste relatório refletem única e exclusivamente suas opiniões pessoais e foram produzidas de forma independente e autônoma, incluindo no que se refere à XP Investimentos Corretora; - que não mantém vínculo com qualquer pessoa natural que atue no âmbito das companhias cujos valores mobiliários foram objeto de análise no relatório divulgado; - que detém participação indireta no capital social da XP Investimentos Corretora, mas referida sociedade nem os clubes de investimentos por ela administrados possuem participação acionária direta ou indireta igual ou superior a 1% (um por cento) do capital social de quaisquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado, estando a corretora, contudo, envolvida, na atividade de intermediação de tais valores mobiliários no mercado; - que não é titular, direta ou indiretamente, de valores mobiliários de emissão da companhia objeto de sua análise, que representem 5% (cinco por cento) ou mais de seu patrimônio pessoal, nem está envolvido na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado; - que nem ele nem a XP Investimentos Corretora recebem remuneração por serviços prestados ou apresenta relações comerciais com qualquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado, ou pessoa natural ou pessoa jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse desta companhia; - que sua remuneração não está atrelada à precificação de quaisquer dos valores mobiliários emitidos por companhias analisadas no relatório, ou às receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela instituição a qual está vinculado. Contudo, considerando que Rossano participa, de forma indireta, no capital social da XP Investimento Corretora, as receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela referida corretora, porque impactam o resultado da empresa, lhe trazem benefício econômico. 3. Os instrumentos financeiros discutidos neste relatório podem não ser adequados para todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de cada investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A rentabilidade de instrumentos financeiros pode apresentar variações, e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste relatório em relação a desempenhos futuros. A XP Investimentos Corretora se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 4. Este relatório não pode ser reproduzido ou redistribuído para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento por escrito da XP Investimentos Corretora. Informações adicionais sobre os instrumentos financeiros discutidos neste relatório se encontram disponíveis quando solicitadas. 5. O analista Rossano é, ainda, sócio da empresa de administração de recursos XP Gestão de Recursos Ltda. (“XP Gestão”). Não há, contudo, interferência dele na administração ou nos processos de tomada de decisão de investimento da XP Gestão. Os relatórios/análises de Rossano não influenciam ou são influenciados, sob qualquer forma, pelas posições assumidas pela XP Gestão. 6. A Ouvidoria da XP Investimentos Corretora tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa a seus problemas. Para contato, ligue 0800 725 5534.

×