Construção de uma luneta a baixo custo

5,999 views

Published on

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,999
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Construção de uma luneta a baixo custo

  1. 1. Construção de uma luneta a baixo custo Marcos Calil @MarcosCalil Construção de uma luneta a baixo custo
  2. 2. A LUNETA
  3. 3. RECADO NUNCA OLHE PARA O SOL VOCÊ PODERÁ FICAR CEGO EM MENOS DE 1 SEGUNDO
  4. 4. REFRATORES Refratores Os refratores - também chamados de lunetas - basicamente são instrumentos ópticos compostos de lentes.
  5. 5. O telescópio refrator trabalha com a refração e a luz passa através uma lente para formar a imagem. CONCEITO ÓPTICO
  6. 6. CONCEITOS Quem é quem...
  7. 7. Este instrumento possui uma lente objetiva que capta a luz dos objetos e forma a imagem no foco. CONCEITO ÓPTICO
  8. 8. Logo atrás temos uma segunda lente chamada de ocular. A ocular funciona como uma lupa, aumentando a imagem formada pela objetiva.  CONCEITO ÓPTICO ocular
  9. 9. O telescópio refrator, também conhecido como luneta, foi aperfeiçoado pelo astrônomo e físico Galileo Galilei no ano de 1610. CONCEITO ÓPTICO
  10. 10. O telescópio utilizado por Galileo era um instrumento de pequenas dimensões e constituído por uma objetiva cromática (objetiva formada por uma única lente convergente). Lente Cromática CONCEITO ÓPTICO
  11. 11. Este tipo de objetiva apresenta um grave problema que é  a aberração cromática . As diferentes cores que formam a luz branca são decompostas fazendo com que os diferentes componentes cromáticos interceptem o eixo óptico da objetiva em pontos diferentes. Assim um observador que utiliza este tipo de instrumento percebe algumas manchas coloridas em volta dos astros. CONCEITO ÓPTICO
  12. 12. CONCEITO ÓPTICO Foto: Marcos Calil Luneta Optovac Sem foco e com aberração cromática
  13. 13. CONCEITO ÓPTICO Foto: Marcos Calil Telescópio MEADE ETX125
  14. 14. Para diminuir um pouco os efeitos da aberração cromática os construtores de telescópios começaram a produzir objetivas com distâncias focais extremamente grandes, pois à medida que aumentamos a distância focal as diferentes cores que compõem a luz branca encontram o eixo óptico em pontos mais próximos. CONCEITO ÓPTICO
  15. 15. Um exemplo desse tipo de instrumento foi o telescópio utilizado por Johann Hevelius que apresentava uma objetiva pequena e com uma distância focal próxima de 20 metros. Isso deixava o telescópio muito grande e com imagens de baixa qualidade devido ao aumento  exagerado. CONCEITO ÓPTICO
  16. 16. CONCEITO ÓPTICO Telescópio de Johann Hevelius de 140 pés Do livro Machina Coelestis , publicado em 1673.
  17. 17. Os telescópios refratores só começaram a atingir as dimensões atuais com a invenção da objetiva acromática . CONCEITO ÓPTICO Chester More Hall John Dollond Esse tipo de objetiva foi proposta em 1733 por Chester More Hall e a primeira objetiva desse tipo foi feita por John Dollond em 1759.
  18. 18. Vidro menos denso Vidro mais denso CONCEITO ÓPTICO lente biconvexa lente plano-côncava
  19. 19. Atualmente temos outras objetivas mais complexas como as apocromáticas e as semi-apocromáticas, ambas formadas por três lentes. Encontramos também diversos tipos de objetivas acromáticas e objetiva tipo Clairaut é a mais utilizada em binóculos e telescópios refratores destinados aos amadores CONCEITO ÓPTICO
  20. 20. OLHO FOCO OBJETIVA OCULAR CONCEITO ÓPTICO Ajustando o foco
  21. 21. VAMOS CONSTRUIR A LUNETA MONTAGEM
  22. 22. 1- Separe todos os materiais e não tire da embalagem as lentes. Vamos conferir se está tudo certo; MONTAGEM
  23. 23. MONTAGEM Vamos montar a parte “frontal” da luneta 2- Coloque a lente objetiva na luva maior com a face convexa voltada para fora. Verifique se a objetiva está bem alocada;
  24. 24. 3- Encaixe o tubo mais largo nessa peça; MONTAGEM
  25. 25. MONTAGEM Vamos montar a parte “traseira” da luneta 4- Insira a ocular na luva menor. Como a lente é biconvexa, tanto faz o lado.
  26. 26. MONTAGEM 5- Insira a arruela com cuidado para prender a ocular;
  27. 27. MONTAGEM 6- Rosquei as duas peças;
  28. 28. MONTAGEM 7- Encaixe a peça rosqueada no tubo mais fino;
  29. 29. MONTAGEM 8- Pronto!!! Encaixe um tubo no outro e boa observação!!!
  30. 30. DICAS DE USO 1- Use um tripé para apoiar sua luneta. Os tripés de câmeras fotográficas são uma excelente pedida. 2- Acople uma câmera fotográfica e obtenha belas fotos da Lua. Com tempo e treino você conseguirá registrar outros objetos celestes.
  31. 31. DICAS DE USO 3- Acople uma webcam e filme o resultado. 4- Aprenda a utilizar as coordenadas altazimutais e insira um sistema graduado na luneta ou no tripé. 5- Obtenha o freeware Stellarium em www.stellarium.org 6- Saiba o que observar no céu da sua cidade em www.momentoastronomico.com.br > efemérides
  32. 32. DICAS DE USO 7- PERIGO!!!
  33. 33. DICAS DE USO CUIDADO!!!
  34. 34. DICAS DE SITES Funbec - Orientações de montagem http://www.funbec.com.br/1160_KitLunetaGalileu.html Momento Astronômico - Informações sobre o que observar no céu a olho nu ou com sua luneta http://www.momentoastronomico.com.br/ > Efemérides @MarcosCalil - Informações no seu Twitter sobre eventos de Astronomia Observacional. Telescópios.com.br - Informações sobre telescópios http://www.telescopiosastronomicos.com.br/
  35. 35. Marcos Calil www.climatempo.com.br > Astronomia [email_address] Adquira esse livro em: http://bit.ly/btUzvV Twitter @MarcosCalil Adquira esse livro em: http://bit.ly/gxECTB   Adquira essa palestra em http://slidesha.re/wz92bp

×