Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

óXido de zinco e eugenol para moldagem camilla bringel

16,564 views

Published on

  • Be the first to comment

óXido de zinco e eugenol para moldagem camilla bringel

  1. 1. UNIVERSIDADE CEUMACOORDENAÇÃO GERAL DA AREA DESAÚDECURSO DE ODONTOLOGIAMateriais Relacionado a PróteseCamilla Bringel Rêgo
  2. 2. Conceitos Moldagem ato para obtenção deum molde. Molde reprodução negativa daárea moldada. Modelo reprodução positivo daárea moldada.
  3. 3. Materiais para MoldagemIRREVERSÍVEISANAELÁSTICOS ELÁSTICOSREVERSÍVEIS• Gesso• Pasta deóxido de zincoe eugenol• Godiva• Alginato• Elastômeros• Hidrocolóidesreversíveis
  4. 4. ÓXIDO DE ZINCO E EUGENOL Agente de cimentação; Cimento cirúrgico; Restaurações provisórias; Cimento para obturação de canais radiculares; Registro de mordida; Reembasamento temporário de dentaduras; Moldagem funcional em desdentados.Indicações:PASTA
  5. 5. PÓisolamentotérmicoAPRESENTAÇÃO Oxido de zinco(Zno)-70% Oxido de magnesio(Mgo) Resina hidrogenada Sais de zinco- Estearato- Acetato Aceleradores- Succinato de presa- Propionato Colofônia e mica Resistência Eugenol (oleo de cravo-70%) Óleo de oliva ou óleo de algodão Àcido acético Àcido orto-etóxi-benzóico (EBA)LÍQUIDOPÓ + LÍQUIDOPASTA BASE + PASTA CATALIZADORA
  6. 6. Pasta de Óxido de Zinco e Eugenolpara MOLDAGEMPASTA+PASTABASECATALIZADORA- Óxido de Zinco- Óleo de Oliva- Óleo de Linhaça- Acetato de Zinco- Água- Eugenol- Cargas- ColofôniaCaulimTalcoCerasFacilita a velocidade dareação e produz umamistura final maishomogênea e suave.Agem comoplastificantes emascaram a açãoirritante doeugenol.
  7. 7. VARIEDADES Dois tipos de pastas são tambémdesignados tipo I (duro) e tipo II (mole). A diferença entre os dois tipos estárelacionada com a consistência dapasta após a presa.
  8. 8. PASTA PARA MOLDAGEM(ÓXIDO DE ZINDO E EUGENOL) Finalidade corretiva na moldeira individual(Para rebordo flácido)1. Faz-se a moldagem preliminar com alginato;Obtém-se um modelo de estudo de gesso.2. Sobre este modelo, constrói-se com resina acrílicauma moldeira individual bem adaptada.Após os desgastes necessários, recobrem-se suas bordascom um fio de godiva plastificada promover o selado periférico.3. Esta moldeira, assim preparada, é preenchida com apasta de óxido de zinco e eugenol e levada à boca dopaciente.Para obtenção deuma moldagemSECUNDÁRIA/FUNCIONAL
  9. 9. REAÇÃO QUÍMICAHidrolise do oxido de zincoReação entre o hidroxidode zinco e o eugenolEugenolato de zinco(Quelato)
  10. 10.  1º Reação Hidrólise do óxido de zinco = O que indica que a água é essencial para esta reação. O óxido de zinco desidratado não reage com o eugenol desidratado A água é provavelmente um dos produtos da reação, sendo estaautocatalítica. 2º Presa Reação ácido + Base = QuelatoZnO + H2O ↔ Zn(OH)2Zn(OH)2 + 2HE ↔ ZnE2 + 2H2O A incorporação de colofônia à pasta de óxido de zinco e eugenol reduz acristalização do quelato.Formaçãodo hidróxidode zinco
  11. 11. TEMPO DE PRESA Levado à boca na condição plástica > material toma presa em tempoUma presa = perda de precisãoinevitável o movimento da moldeira com a pasta ainda mole. Relação: tipo/quantidade de acelerador usado; O tempo de presa inicial = é o período que vai desde o início daespatulação até aquele em que o material perde a pegajosidade(varia entre 3 a 6 minutos) A moldagem deve ser realizada antes da presa inicial.O tempo de presa final = deve ocorrer aos 10 minutos para a pasta tipoI e os 15 minutos as pastas do tipo II..O molde pode ser removido da boca.
  12. 12. Controle do Tempo de Presa A adição de água Resfriamento da espátula e do material Tempo de manipulação TEMPO DE PRESA Temperatura e umidadeTEMPODEPRESADURANTE A PRESAPode sofrer menosde 0,1% de contraçãoESTABILIDADEDIMENSIONAL
  13. 13. Técnica de EspatulaçãoA manipulação dasduas pastas égeralmenterealizada sobre umafolha de papelimpermeável aóleos.PROPORÇÃO1:1
  14. 14. Epatulação continuapor 1 minuto ou pelotempo recomendadopelo fabricante.
  15. 15. Consistência e escoamentoPara escoaruniformemente sobre ostecidos que estão sendomoldados.Misturahomogêneaapós amanipulaçãoESCOAMENTOTEMPODEPRESA =intervalo de tempoentre a PRESA INICIAL eFINAL
  16. 16. Considerações Gerais A moldeira deve ser mantida firmemente em posição até que apasta tome presa. A ação aceleradora do calor da boca e da saliva, que se encontrasobre a superfície dos tecidos, pode provocar o endurecimentoda pasta inicialmente nessas regiões de contato.Qualquer movimento do molde neste momento causará uma distorção. Somente quando o material estiver completamente endurecido, omolde deve ser removido da boca. DESINFECÇÃO DO MOLDE- Imersão em solução de glutaraldeído a 2% por 10 min

×