Projeto PIBIC

2,507 views

Published on

  • Be the first to comment

Projeto PIBIC

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE HABILITAÇÕES PEDAGÓGICAS Coordenadora Prof ª. Dr ª. Janine Marta Coelho Rodrigues nenija9@hotmail.comPROJETO DE PESQUISA: A FORMAÇÃO DOCENTE E AS DIFICULDADES DO PROFESSOR FRENTE À DIVERSIDADE Plano de Trabalho: A escolarização dos ciganos como espaço de construção da cidadania. Bolsista PIBIC/CNPQ/UFPB Gitanna Sobreira Bezerra(gitannasobreira@hotmail.com) COLABORADORES Prof. MS Silvestre C. Rodrigues, Prof ª. MS Tania Lucia A. Colella e Prof ª. Dr ª. Maria Helena da S. Virgínio. JOÃO PESSOA - 2011
  2. 2. INTRODUÇÃO Este trabalho é parte integrante de um projeto mais amplo,denominado formação decente frente à diversidade. “A parte inicial dapesquisa enfocou a formação docente e deficientes, em seguida sobre oatendimento de crianças de e na rua, depois voltado a formação docentee afro descendentes”, foi apresentado à comunidade acadêmica comoartigo na revista Temas em Educação do Programa de Pós Graduaçãoem Educação, nº 13 nas pags. 143 a 150 ISSN 01042777, intituladoQuebrando o silencio a caminho do reconhecimento, em 2004. “A quartaparte sobre a formação docente e a questão indígena” foi discutido eapresentado à comunidade acadêmica, em forma de capitulo, do livroMulheres no Brasil, de Machado e Scneider (org), intitulado A formaçãodo professor frente à diversidade: a questão indígena nas pags 161 a172, pela Ed Universitária, ISBN 8599135805, em 2006. Encontrando-seem andamento, “a quinta parte do projeto a escolarização dos ciganoscomo espaço de construção de cidadania”, teve alguns resultadospublicados nos Anais do II Seminário Internacional sobre Exclusão,Inclusão e Diversidade, em março de 2011, CDroom: ISBN 978-85-7745-657-4.
  3. 3. APRESENTAÇÃO Do anuncio à denuncia Este Projeto foi elaborado e está sendo executado no contexto dadiversidade, com a finalidade de analisar a formação docente e asprincipais dificuldades encontradas pelos professores em lidar na salade aula com as questões étnicas, em particular nesse momento depesquisa, com a escolarização dos ciganos. Através de uma pesquisa de campo, objetivando mapear ereconhecer os perfil econômico, cultural, social e educacional dacomunidade cigana, realizamos visitas a comunidade cigana de Sousa-PB.
  4. 4. PROBLEMATIZAÇÃO Cigano é cidadão brasileiro? Observando, anunciando e denunciando a não Cidadania No processo da formação docente do professor frente àdiversidade, torna-se imprescindível que durante sua formaçãoinicial, seja discutido e oportunizado através dos ProjetosPolíticos dos Cursos (PPCs), dos cursos de Pedagogia eLicenciaturas, disciplinas onde questões complexas comodiferenças de raça, etnia, classe, gênero e cultura tenhamespaços para serem discutidas como oportunidade de formaçãopara práticas profissionais comprometidas, justas edemocráticas para aqueles que possam ser vitimas de exclusão epreconceito social. Neste sentido, foi objetivado este projeto,para identificar as dificuldades das praticas docentes relativas aescolarização dos ciganos na rede regular de ensino de Sousa.
  5. 5. JUSTIFICATIVA Pensar na formação docente e nas dificuldades doprofessor frente à diversidade, requer um zelo pedagógico naformação daqueles que vão lidar com alunos de minoriassociais ou que sejam vitimas de discriminação e preconceito. Estudar a inclusão socioeducacional e as condições devida dos indivíduos ciganos de Sousa-PB. Viabilizar junto ao Poder Público, programas de geraçãode empregos, moradias, saúde e preservação da culturacigana.
  6. 6. OBJETIVOSGeral:Discutir a formação docente frente à diversidade.Específicos:Estudar as comunidades ciganas de Sousa-Pb.Criar espaços sociais para dar visibilidade na construção desuas cidadanias.Oportunizar a qualidade de vida através de programassociais e de políticas mínimas de atenção amoradia, saúde, trabalho e educação.
  7. 7. REFERENCIAL TEÓRICO A Constituição Brasileira reza em seu art 3º, inciso IV,promover o bem estar de todos sem preconceitos de origem,raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas dediscriminação, a Lei de Diretrizes e Bases da EducaçãoNacional (LDBEN) no título II, art 3º inciso IV prega a liberdade eapreço a tolerância. Os Parâmetros Curriculares Nacionais, A Carta dos Direitosdos Ciganos (2000), Direitos Econômicos, Sociais, Culturais eAmbientais (1999), Documentos dos Direitos Presenciais (2000)e o Estatuto da Igualdade Racial (2003). Autores que lidam com a diversidade como Canem, FreiDavi, Freire, Rodrigues. Para estudo das comunidades ciganas os autores Moonem,Magalhães, Silveira e Teixeira.
  8. 8. METODOLOGIA A metodologia consistiu em visitas a comunidade cigana dacidade de Sousa-PB, onde foram realizadas pesquisasdocumental, descritiva e exploratória, colhendo depoimentos,realizando entrevistas e aplicando questionários para coleta dedados quantitativos e qualitativos que forneceram informaçõesreferentes à família, escolaridade e renda. Foram utilizados comotransportes o ônibus e o carro do Centro de Educação destaUniversidade. Organização de Evento comemorativo no hall do CE em 24 deMaio de 2010, para divulgação do “Dia Nacional do Cigano”, comexposição de fotos das visitas a Sousa, exibição de filme comfotos e entrevistas na comunidade cigana e distribuição defolder com descrição das atividades executadas em Sousa-PB. Realização do I Seminário da Comunidade Cigana de Sousa-PB.
  9. 9. RESULTADOS DAS ATIVIDADES Primeira visita (Dez/2009): Os ranchos foram construídos emterreno doado por Antonio Mariz em 1982, então Prefeito da cidadede Sousa-PB. A população é formada por 1.350 indivíduos ciganose não tem registros, possuem 180 casas (alvenaria, taipa, papelão eplástico) sem água e sem rede de esgoto, organizaram-se em trêscomunidades e cada uma possui o seu chefe, a educação é familiare escolar e a língua e costumes são repassados pelos mais velhos.Existe um PSF, mas com atendimento precário. Segunda visita (Abr/2010): A comunidade cigana é formada por1.350 indivíduos (crianças, adolescentes, adultos e idosos), na suamaioria estão os adultos, na renda familiar os homens possuemmaior responsabilidade, vivem de biscates, ocupações eventuais eProgramas sociais (Bolsa família e aposentadoria), naescolaridade, grande parte dos adultos não são alfabetizados, osalfabetizados se encontram em nível do 1º ao 5º ano, entre osindivíduos em idade escolar apenas 280 frequentam a escolaregular e duas ciganas alunas do Curso de Graduação dePedagogia.
  10. 10. RESULTADOS DAS ATIVIDADES Terceira visita (Maio/2010): Encontro com a Secretaria Especial dePromoção de Políticas para Igualdade Racial (SEPPIR), Secretariada Cultura do Estado, Prefeitura Municipal de Sousa e FundaçãoAcauã para apresentação do Projeto de equipamentos e instalaçõesde oficinas para o CCDI e divulgação do Edital “Prêmio CulturasCiganas 2010”. Quarta visita (Ago-Set/2010): Possuem próximo a comunidadeduas escolas: E.E.E.F.M.Celso Mariz e E.E.E.I.E.F.Dr. Thomas Pires.Na primeira escola estudam 240 ciganos (fundamental e médio) ena segunda escola dos 170 alunos (EJA), 96 são ciganos. Foramentrevistados 22 professores (14 na primeira escola e 8 na segundaescola), com os seguintes depoimentos: os ciganos são bonsalunos, possuem as mesmas dificuldades que os não ciganos, ospais do ensino infantil vão a escola, os ciganos têm comportamentorespeitoso, gostam de dançar, sentem dificuldades de falar, ler eescrever Português e a Filosofia e Sociologia são consideradaspelos alunos ciganos as matérias mais fáceis.
  11. 11. RESULTADOS DAS ATIVIDADESQuinta visita (15/Out/2010): I Seminário da Comunidade Cigana deSousa-PB, com a presença da SEPPIR, Sec. Educ. de Sousa, Pref.Mun. de Sousa, SEDH, CREA-PB, professores e alunos da UFPB, acomunidade cigana e demais profissionais interessados. Foramapresentados os resultados das pesquisas, a cultura cigana ediscussões nas 3 mesas redondas sobre exclusão, inclusão,diversidade e cidadania cigana. Lançamento do livro do Coronel. Eo Decreto Municipal: Centro Calon de Desenvolvimento Integral(CCDI), como Instituição de Utilidade Pública.Sexta visita (Dez/2010): Oficinas de leitura e artesanato comcrianças ciganas, distribuição entre as ciganas de material paraconfeccionarem e venderem seus produtos como geração de rendae confraternização de fim de ano, com distribuição de presentes elanches para as crianças ciganas.
  12. 12. RESULTADOS DAS ATIVIDADES Dia Nacional do Cigano (24/Maio/2010): evento no hall do Centro de Educação com apresentação de pôsteres, vídeo e distribuição de folder alusivo ao dia nacional do cigano. Participação no XVIII Encontro de Iniciação Científica da UFPB, realizado no período de 18-22/Out/2010, João Pessoa-PB. O trabalho foi classificado para indicação de prêmio. Participamos da Oficina de Cultura Cigana. Acompanhamos os representantes da comunidade cigana na posse da Comissão Estadual da Igualdade Racial. Acompanhamos os representantes dos ciganos na consolidação da Comissão no Palácio do Governo. Participamos das elaborações de 10 projetos para o “Prêmio Cultura Cigana – 2010”. Foram classificados 7 projetos.
  13. 13. As atividades foram realizadas com a participação:Da professora coordenadora: Janine Marta Coelho Rodrigues.Dos professores colaboradores: Silvestre Coelho Rodrigues eMagno Alexon Bezerra Seabra.Das professoras colaboradoras: Patricia Nunes da Fonseca, MariaHelena da Silva Virginio eTania Lucia Amorim Colella.Das alunas: Francineide Nogueira Ramos, Amanda F. Barbosa,Gitanna Sobreira Bezerra, Watusi Evangelista Torres, Karla KarlynyAlbuquerque Araujo, Thamires de Lima Felipe e Juliana FonsecaMartins da Silva.Dos alunos: Severino Pedro Felipe, Israel Dias da Silva Filho eJoão Pedrosa Wanderley Neto.Do voluntário Prof. Rafael da Silva Virginio.
  14. 14. REFERÊNCIASCANEN. A. Formação de Professores e Diversidade Cultural. Petrópolis:Vozes. 1997.DAVI. F. O brasileiro, o racismo silencioso e a emancipação deafrodescendentes. São Paulo: 2006.FREIRE, P. Educação como prática de Liberdade. Rio de Janeiro: Vozes.1996.GADOTTI, M. Educação e Compromisso. São Paulo: Papirus. 1999.GAUDÊNCIO. R.; RODRIGUES, J.M.C. (Org.). Formação Docente:coletando textos, discutindo idéias. João Pessoa: Ed.Universitária. 2004.MAGALHÃES. H. Relações de Poder na Literatura da Amazônia LegalCuiabá. EdUFMT: INEP. 2002.
  15. 15. REFERÊNCIASMOONEM, F. Ciganos Calón na Paraiba. Recife: 2002.PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Brasília. 2001.RAIZES e ASAS. Unicef. Fund Itaú. MEC. Brasília. 2002.RODRIGUES. J. M. C. Construindo a Profissionalização Docente. JoãoPessoa: Ed. Universitária 2003.SANTOS, P.; DAYRELL, A. Novos Olhares sobre a Educação e a Cultura.Belo Horizonte-MG: UFMG. 1999.TEXEIRA. R. História dos Ciganos no Brasil. Recife: 2000.

×