Transtornos de aprendizagem são bento - 25112010 - alunos

11,209 views

Published on

Published in: Education, Technology
0 Comments
10 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
11,209
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
558
Actions
Shares
0
Downloads
496
Comments
0
Likes
10
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Fraco desenvolvimento da coordenação motora (fina e grossa)
  • Transtornos de aprendizagem são bento - 25112010 - alunos

    1. 1. São Bento - 2010 Marcia Maria Barreira Psicóloga com Especialização em Neuropsicologia Terapeuta de Casal Coordenadora do Setor de Psicologia da ABD Coordenadora do CEEC - Centro de Estudos e Eventos Científicos da ABD
    2. 2. AprendizagemAprendizagem “É um processo de aquisição, evolutivo que depende de fatores internos e externos. O processo de aquisição implica em modificação de comportamento”. (Sara Paim – 1973)  FI – condições: - integridade anatomofuncional, cognitiva com a estruturação e organização dos estímulos  FE – campo dos estímulos (sensitivo-sensorial) “Aprender é processar. É como o cérebro vai receber, usar, armazenar, repassar e expressar a informação. É modulado por fatores intrínsecos (genéticos) e extrínsecos (experiências). Gera modificações funcionais e comportamentais”.
    3. 3. AprendizagemAprendizagem Disfunção é caracterizada por uma falha genética ou metabólica. NoDisfunção é caracterizada por uma falha genética ou metabólica. No momento que a informação é processada existe um fluxo sanguíneomomento que a informação é processada existe um fluxo sanguíneo menor em determinada região cerebral.menor em determinada região cerebral. Aprendizagem falha (disfunção): alterações em áreas específicas doAprendizagem falha (disfunção): alterações em áreas específicas do SN (áreas de processamento) dific. no esquema corporal,SN (áreas de processamento) dific. no esquema corporal, lateralidade, noção temporo-espacial, alterações perceptomotoraslateralidade, noção temporo-espacial, alterações perceptomotoras problemas de aprendizagem.problemas de aprendizagem. “Um cérebro com estrutura normal, com condições funcionais e neuroquímicas corretas e com um elenco genético adequado, não significa 100% de garantia de aprendizado normal”. (Newra T. Rotta)
    4. 4. ÁreasÁreas Cerebrais envolvidas na LinguagemCerebrais envolvidas na Linguagem
    5. 5. Fatores Desencadeantes e AgravantesFatores Desencadeantes e Agravantes metodologia de alfabetizaçãometodologia de alfabetização Problemas EducacionaisProblemas Educacionais condições físicas de sala de aulacondições físicas de sala de aula corpo docentecorpo docente Problemas sócio-economicos-culturaisProblemas sócio-economicos-culturais Problemas Emocionais/MotivacionaisProblemas Emocionais/Motivacionais alcoolismoalcoolismo drogadiçãodrogadição Histórico FamiliarHistórico Familiar comportamento anti-socialcomportamento anti-social desagregação familiardesagregação familiar rotinas de sono, alimentação,lazer, estudorotinas de sono, alimentação,lazer, estudo
    6. 6. Definição:Definição: Dificuldade de AprendizagemDificuldade de Aprendizagem  Caracterizado por baixo rendimento escolar em atividade de leitura, escrita e raciocínio lógico matemático  Inteligência dentro da normalidade para a faixa etária  Oportunidades sociais e culturais adequados  Nível de instrução adequado.
    7. 7. Definição:Definição: Transtorno de AprendizagemTranstorno de Aprendizagem Caracterizado por desempenho em leitura, escrita e matemática abaixo do esperado para idade e escolaridade. Dificuldades relacionadas ao processo cognitivo (processos linguísticos, atenção, memória ou a combinação destes) Ausência de retardo mental, visual ou auditiva Nível de instrução adequado Bases Neurobiológicas: genéticos desenvolvimento do SNC (geram disfunções) estrutura íntegra e funcionamento cerebral inadequado
    8. 8. Diagnóstico DiferencialDiagnóstico Diferencial do Transt. Aprendizagemdo Transt. Aprendizagem  Retardo mentalRetardo mental  Distúrbios PsiquiátricosDistúrbios Psiquiátricos  Distúrbios de Linguagem ou Graves do DesenvolvimentoDistúrbios de Linguagem ou Graves do Desenvolvimento  Distúrbios Sensoriais Primários (audição e visão)Distúrbios Sensoriais Primários (audição e visão)  Distúrbios neurológicosDistúrbios neurológicos  TDA/HTDA/H
    9. 9. Transtorno de Aprendizagem Dificuldade de Aprendizagem Origem: neurológica Origem: pedagógica FRACASSO ESCOLAR
    10. 10. Distúrbios Específicos de AprendizagemDistúrbios Específicos de Aprendizagem Dislexia (5 a 7% dos dist. de aprendizagem)Dislexia (5 a 7% dos dist. de aprendizagem) Falhas na AquisiçãoFalhas na Aquisição Disgrafia (3 a 5% dos dist. de aprendizagem)Disgrafia (3 a 5% dos dist. de aprendizagem) DisortografiaDisortografia Discalculia (1 a 3% dos dist. de aprendizagem)Discalculia (1 a 3% dos dist. de aprendizagem) DISDIS Dist. do Desenvolvimento Dist. de aquisição Dist. de proces/oDist. do Desenvolvimento Dist. de aquisição Dist. de proces/o
    11. 11. O que está envolvido na aquisição da leituraO que está envolvido na aquisição da leitura Deve-se simultaneamente:Deve-se simultaneamente:  Ter atenção dirigida às marcas impressas e controlar os movimentos de olho pela página  Reconhecer os sons associados com as letras  Entender as palavras e a gramática  Construir idéias e imagens  Comparar idéias novas com as que você já tem  Armazenar idéias na memória
    12. 12. dietilftalato Rota Fonológica palavra impressa sistema de análise visual sistema de segmentação léxico auditivo produção da fala léxico semântico fala leitura com compreensão sem compreensão Rotas de Leitura
    13. 13. examinadorexaminador palavra impressa Rota LexicalRota Lexical sistema de análise visual léxico ortográfico léxico semântico produção da fala fala léxico auditivo léxico auditivo acesso ao significado, antes da emissão pronúncia obtida direta sem mediação do significado, leitura sem compreensão Rotas de Leitura
    14. 14. DefiniçãoDefinição ““A dislexia é uma dificuldade de aprendizagemA dislexia é uma dificuldade de aprendizagem de origem neurobiológica. É caracterizadade origem neurobiológica. É caracterizada pela dificuldade no reconhecimento e fluênciapela dificuldade no reconhecimento e fluência na decodificação e soletração. Essana decodificação e soletração. Essa dificuldade resulta tipicamente num déficit dodificuldade resulta tipicamente num déficit do componente fonológico da linguagem que écomponente fonológico da linguagem que é inesperada em relação a outras habilidadesinesperada em relação a outras habilidades cognitivas consideradas na faixa etária”cognitivas consideradas na faixa etária” (Bradly, E. Dickman, G. Eden - 2003)
    15. 15. Dislexia: conceitualizaçãoDislexia: conceitualização É um dos distúrbios de aprendizagem Dificuldade p/ aprendizado da L/E Indivíduos c/ inteligência médio/superior Boa oportunidade de educação Meio familiar favorecedor Sem déficits sensoriais como causa Atraso no processo de alfabetização – 2 anos Sem distúrbios intelectuais Adequado estado psíquico Dislexia do Desenvolvimento
    16. 16. PESQUISAS:PESQUISAS: DIFERENÇAS BIOLÓGICAS NA DISLEXIA 1- Genética (alterações dos cromossomos 1, 2, 3, 6, 7, 15 e 18) Cromossomo 6 - descoberto por Lubs, na Inglaterra, que tem efeito significante no desenvolvimento da habilidade ortográfica, afeta a atenção fonológica, a decodificação de fonemas e o reconhecimento de palavras. Cromossomo 15 – descoberto por Smith, na Inglaterra, que está vinculado à decodificação de fonemas e reconhecimento de palavras. Cromossomo 2 – descoberto em 2002 por Fagerhein, na Noruega, alterações do gene DYX3 deste cromossomo, que acreditam poder cloná-lo para estuda-lo e entende-lo melhor. Cientistas britânicos (2005) descobriram um gene que pode estar ligado a dislexia (Universidade de medicina de Cardiff). O estudo foi feito com a análise de DNA de integrantes de 300 famílias com pelo menos uma criança com a dislexia, do País de Gales e do oeste da Inglaterra. O gene, descoberto pela equipe de Julie e Michael O´ Donavan, ganhou o nome: KIAAO319. “ Trata-se de um grande avanço, por ser a primeira identificação de um gene que pode contribuir para a suscetibilidade da dislexia”
    17. 17. 4 Genes4 Genes DVX1C1 KIAA0319 DCDC2 ROBO1
    18. 18. 2 - Anatomia do Cérebro Investigação neurológica iniciada na Harvard Medical School por Norman Geschwind, que vem sendo continuada por Albert Galaburda (estudou oito cérebros de disléxicos). Ele encontrou diferentes estruturas e funções provando que o cérebro de um disléxico processa a linguagem de maneira diferente (ectopias e displasias). Dirk Bakker, na Europa, investiga a causa da incapacidade que os disléxicos revelam em estabelecer no cérebro a ”assimetria funcional” normal, direita e esquerda.
    19. 19. 3- Processamento do Cérebro Guinevere Éden (Georgetown University - Washington) desenvolve pesquisas com imagem por ressonância magnética para entender melhor a organização funcional do cérebro para leitura e como essa organização falha no cérebro dos disléxicos. 4- Processamento Visual Galaburda e Livingstone (Harvard) mostram que as anormalidades neuro-anatômicas(das estruturas nervosas) no percurso magno e parvo celular que liga o olho ao córtex visual, ainda que permitam o disléxico receber de forma adequada a informação visual que é apresentada lentamente, dificultam o processamento da informação apresentada rapidamente, prejudicando sua eficácia. No Brasil Dra Monica Teixeira estuda a parte visual dos disléxicos.
    20. 20. 5- Processamento Auditivo Paula Tallal (California) mostra alterações, a mesma falta de eficácia (do processamento visual) que se faz sentir no sistema de processamento da informação auditiva. No Brasil os estudos foram feitos na UNIFESP por Dra. Liliane Desgualdo. 6- Potenciais Evocados (trabalhos eletrofisiológicos) Latência entre estímulo e resposta. Instrumento útil para abordar os problemas ligados à compreensão dos processos visuais (Livingstone et. al), perturbações de linguagem e auditivas (Harter et.al.). Taylor & Keenan pesquisaram as competências linguísticas em um exercício de decisão léxica. Stelmack et testaram em crianças disléxicas a leitura silenciosa. Todos estes estudos mostram uma lentidão temporal nos disléxicos. No Brasil os estudos foram realizados na USP por Dra. Eliana Schochat.
    21. 21. O que é? Dis - dificuldade Lexia - leitura e/ou escrita - origem neurobiológica – genética - núcleo da dificuldade – componentes fonológicos da linguagem em leitura de palavras e texto, compreensão TDAH acompanha ou não dificuldades sensorio-motora (dispraxia e disgrafia) problemas comportamentais O que é não é? - problema visual, auditivo, psiquiátrico e QI abaixo da média Dislexia: conceitualizaçãoDislexia: conceitualização
    22. 22. Começa a tornar-se evidente na fase da alfabetização;  Incidência maior em meninos - 4/1;  Estima-se que no Brasil cerca de 19 milhões de pessoas possuem algum tipo de necessidade especial; Os distúrbios de aprendizagem afetam de 5 a 17% da população mundial. (IDA) Dislexia: conceitualizaçãoDislexia: conceitualização
    23. 23. TOM CRUISETOM CRUISE WHOOPI GOLDBERGWHOOPI GOLDBERG Disléxicos FamososDisléxicos Famosos
    24. 24. ALBERT EINSTEINALBERT EINSTEIN CHERCHER WALT DISNEYWALT DISNEY Disléxicos FamososDisléxicos Famosos THOMAS EDSONTHOMAS EDSON
    25. 25. Como a dislexia é genética e hereditária, se a criança possuir pais ou outros parentes disléxicos quanto mais cedo for realizado o diagnóstico melhor para os pais, a escola e para a própria criança. A criança poderá passar pelo processo de avaliação realizada por uma equipe multidisciplinar especializada, mas se não houver passado pelo processo de alfabetização o diagnóstico será apenas de uma ”criança de risco“.   Sinais de Alerta da Dislexia
    26. 26. Sintomas da Dislexia do Desenvolvimento Dislexia: quadro sintomáticoDislexia: quadro sintomático
    27. 27. Sinais na Pré-EscolaSinais na Pré-Escola  Histórico FamiliarHistórico Familiar  Fraco desenvolvimento da atençãoFraco desenvolvimento da atenção  Imaturidade no trato com outras criançasImaturidade no trato com outras crianças  Dificuldade de aprender rimas e cançõesDificuldade de aprender rimas e canções  Atraso no desenvolvimento da fala e da linguagemAtraso no desenvolvimento da fala e da linguagem  Atraso no desenvolvimento visualAtraso no desenvolvimento visual  Fraco desenvolvimento da coordenação motoraFraco desenvolvimento da coordenação motora  Falta de interesse por livros e impressosFalta de interesse por livros e impressos
    28. 28. Dificuldade na aquisição e automação daDificuldade na aquisição e automação da leitura e escritaleitura e escrita Dislexia: quadro sintomáticoDislexia: quadro sintomático
    29. 29. Dificuldade na leitura mecânica, na compreensão e na interpretação do conteúdo. Resistência a esta atividade.
    30. 30. Na leitura:Na leitura:  evita livrosevita livros  substituição e omissão de palavrassubstituição e omissão de palavras  não é fluente (entrecortada, trabalhosa)não é fluente (entrecortada, trabalhosa)  falta de estratégia para ler palavras novasfalta de estratégia para ler palavras novas  medo acentuado de ler em voz altamedo acentuado de ler em voz alta Dislexia: quadro sintomáticoDislexia: quadro sintomático
    31. 31. Na leituraNa leitura:: Dificuldades:Dificuldades:  identificar errosidentificar erros  interpretação de textosinterpretação de textos MAS,MAS,  entende com facilidadeentende com facilidade o que se lê para eleo que se lê para ele  lê e entende textoslê e entende textos relativos a uma determinadarelativos a uma determinada área de interesseárea de interesse Dislexia: quadro sintomáticoDislexia: quadro sintomático
    32. 32. Na escritaNa escrita  Dificuldade de copiar de livros ou lousaDificuldade de copiar de livros ou lousa  Troca e omissão de letrasTroca e omissão de letras  Junção e aglutinação de palavrasJunção e aglutinação de palavras Dislexia: quadro sintomáticoDislexia: quadro sintomático
    33. 33.  Na leitura e escritaNa leitura e escrita  Lento, cansa-se rapidamenteLento, cansa-se rapidamente  Dificuldade para sentar e fazer as liçõesDificuldade para sentar e fazer as lições intermináveisintermináveis  Tarefas em sala de aula incompletasTarefas em sala de aula incompletas  Em casa necessita de auxílioEm casa necessita de auxílio  Necessita de um tempo maior paraNecessita de um tempo maior para elaborar a respostaelaborar a resposta Mas,Mas, Se dá bem em áreas que não dependemSe dá bem em áreas que não dependem dede de leitura e escrita (ex: computador,de leitura e escrita (ex: computador, algum esporte)algum esporte) Dislexia: quadro sintomático
    34. 34.  DisgrafiaDisgrafia  Ortografia desastrosaOrtografia desastrosa  Coordenação motora finaCoordenação motora fina para desenhos: extremos (aquém ou além)para desenhos: extremos (aquém ou além) Dislexia: quadro sintomático
    35. 35. Matemática:Matemática: Dificuldade:Dificuldade:  estruturar operações (necessitam do concreto)estruturar operações (necessitam do concreto)  compreensão do enunciadocompreensão do enunciado  desenho geométricodesenho geométrico  discalculiadiscalculia Mas,Mas,  Raciocínio rápidoRaciocínio rápido  Cálculo por aproximaçãoCálculo por aproximação Dislexia: quadro sintomático
    36. 36.   Defasagem de conteúdo, começa aDefasagem de conteúdo, começa a perder a habilidade para matemática,perder a habilidade para matemática, problemas com desenho geométrico...problemas com desenho geométrico... Dislexia: quadro sintomático
    37. 37.  Dificuldade com a memória imediata:Dificuldade com a memória imediata:  RecadosRecados  InstruçõesInstruções  NomesNomes  DatasDatas  No. de telefoneNo. de telefone Mas,Mas,  Tudo que tiver significado, ouTudo que tiver significado, ou  Quando entende como as coisasQuando entende como as coisas funcionam guarda com maior facilidadefuncionam guarda com maior facilidade Dislexia: quadro sintomático
    38. 38. DisnomiaDisnomia ““Magali, pegue o treco e coloqueMagali, pegue o treco e coloque em cima daquela coisa”.em cima daquela coisa”. Dislexia: quadro sintomático Confusão entre direita / esquerda
    39. 39.  Dificuldade:Dificuldade:  manusear mapasmanusear mapas  dicionáriosdicionários  listas telefônicaslistas telefônicas  relógio analógicrelógio analógic  Mas,Mas,  tem curiosidadetem curiosidade  imaginaçãoimaginação  criatividadecriatividade Dislexia: quadro sintomático
    40. 40. Dificuldade:Dificuldade:  na aprendizagem de uma língua estrangeirana aprendizagem de uma língua estrangeira Dislexia: quadro sintomático Dificuldade:Dificuldade: na aprendizagem de uma línguana aprendizagem de uma língua estrangeiraestrangeira
    41. 41.  desatenção e dispersão:desatenção e dispersão:  déficit de atenção/ hiperatividadedéficit de atenção/ hiperatividade  esquecem de fazer ou levar trabalhos eesquecem de fazer ou levar trabalhos e materiais escolaresmateriais escolares  perdem seus objetos pessoaisperdem seus objetos pessoais  baixa memória imediatabaixa memória imediata Dislexia: quadro sintomático
    42. 42.  Desorganizado:Desorganizado:  pertences pessoais (ex: mochila)pertences pessoais (ex: mochila)  material escolar (caderno,folhas soltas, livros,material escolar (caderno,folhas soltas, livros, lápis,etc.)lápis,etc.)  ambiente que freqüentaambiente que freqüenta Dislexia: quadro sintomático ProvasProvas - tensão- tensão - provas orais- provas orais - necessitam de- necessitam de tempo >tempo >
    43. 43. Problemas de conduta e sentimentos:Problemas de conduta e sentimentos: impulsividadeimpulsividade agressividadeagressividade incapacidadeincapacidade o ser diferenteo ser diferente retraimentoretraimento mentiramentira palhaço da turmapalhaço da turma sedutorsedutor perfeitoperfeito Dislexia: quadro sintomático
    44. 44. Prejuízo emocional:Prejuízo emocional:  presença de sofrimentos nem sempre visíveispresença de sofrimentos nem sempre visíveis  sacrifício freqüente da vida social para estudarsacrifício freqüente da vida social para estudar  sacrifício de aulas prazerosas para término de liçõessacrifício de aulas prazerosas para término de lições  cobranças paternas (castigos ou recompensas ligados acobranças paternas (castigos ou recompensas ligados a escola)escola)  pressão socialpressão social  depressãodepressão  desmotivaçãodesmotivação  desvalorizaçãodesvalorização  baixa auto-estimabaixa auto-estima  vítimas do bullyingvítimas do bullying  ansiedadeansiedade  medomedo Dislexia: quadro sintomático
    45. 45. 4210011 0010 1010 1101 0001 0100 1011
    46. 46. 421 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 Do ponto de vista evolutivo maturacionalDo ponto de vista evolutivo maturacional Entre 6 e 12 anos: - capacidade de agrupar de 10 em 10 - ler e escrever de 0 a 9 - saber a hora - compreender metade e ¼ - nomear o valor do dinheiro - medir objetos, volume - contar de 2 em 2, de 5 em 5 e 10 em 10 - compreender números ordinais - resolver problemas mentais simples - executar operações matemáticas básicas Adultos letrados: - leitura, escrita - produzir e compreender números (forma arábica e palavras numéricas), converter números nestes formatos - realizar as 4 operações - capacidade de realização de problemas aritméticos
    47. 47. 421 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 MAU RENDIMENTO EM MATEMÁTICAMAU RENDIMENTO EM MATEMÁTICA PrimáriasPrimárias SecundáriasSecundárias Deficiência mentalDeficiência mental DislexiaDislexia T D A HT D A H EpilepsiaEpilepsia Síndrome de TurnerSíndrome de Turner Fenilcetonúria tratadaFenilcetonúria tratada Portadores do X FrágilPortadores do X Frágil Síndrome de WilliamsSíndrome de Williams Síndrome fetal alcoólicaSíndrome fetal alcoólica Baixo pesoBaixo peso OutrosOutros CAUSASCAUSAS NEUROLÓGICASNEUROLÓGICAS AcalculiaAcalculia Discalculia doDiscalculia do desenvolvimentodesenvolvimento
    48. 48. 421 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 MAU RENDIMENTO EM MATEMÁTICAMAU RENDIMENTO EM MATEMÁTICA CAUSAS NÃOCAUSAS NÃO NEUROLÓGICASNEUROLÓGICAS Fatores escolaresFatores escolares Fatores sociaisFatores sociais Ansiedade para matemáticaAnsiedade para matemática
    49. 49. 421 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 Dificuldade no aprendizado de matemática, capacidade abaixo da média para a realização de operações aritméticas, apesar do nível de inteligência normal, oportunidade escolar, motivação e estabilidade emocional. Discalculia do desenvolvimento
    50. 50. 421 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 Cálculos mentais rápidos,Cálculos mentais rápidos, conceitualização abstrata, habilidades deconceitualização abstrata, habilidades de solução de problemas, execução oral esolução de problemas, execução oral e escrita de cálculos.escrita de cálculos. Lobos frontaisLobos frontais Hemisfério direitoHemisfério direito Hemisfério dominante naHemisfério dominante na linguagemlinguagem Áreas de associação doÁreas de associação do hemisfério dominantehemisfério dominante REGIÃO CEREBRALREGIÃO CEREBRAL FUNÇÃOFUNÇÃO Organização viso-espacialOrganização viso-espacial Habilidades lingüísticasHabilidades lingüísticas Leitura e compreensão de problemasLeitura e compreensão de problemas verbais, Compreensão de conceitos everbais, Compreensão de conceitos e procedimentos matemáticosprocedimentos matemáticos ÁREAS CEREBRAIS ENVOLVIDAS NOÁREAS CEREBRAIS ENVOLVIDAS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICAAPRENDIZADO DA MATEMÁTICA
    51. 51. 421 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 ÁREAS CEREBRAIS ENVOLVIDAS NOÁREAS CEREBRAIS ENVOLVIDAS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICAAPRENDIZADO DA MATEMÁTICA Memória de séries, realizações matemáticasMemória de séries, realizações matemáticas básicasbásicas Subvocalização durante solução de problemasSubvocalização durante solução de problemas Lobo temporalLobo temporal dominantedominante Lobos parietaisLobos parietais Lobo parietal esquerdoLobo parietal esquerdo Lobos occipitaisLobos occipitais REGIÃO CEREBRALREGIÃO CEREBRAL FUNÇÃOFUNÇÃO Funções motoras, uso das sensaçõesFunções motoras, uso das sensações tácteistácteis Habilidade de seqüenciaçãoHabilidade de seqüenciação Discriminação visual dos símbolosDiscriminação visual dos símbolos matemáticos escritosmatemáticos escritos Lobos temporaisLobos temporais Percepção auditiva, memória verbalPercepção auditiva, memória verbal de longo prazode longo prazo
    52. 52. 421 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 Discalculia do desenvolvimento Bases Neuropsicológicas Cálculo função cerebral complexa Mecanismos cognitivos envolvidos numa operação aritmética simples • processamento verbal e/ou gráfico da informação • percepção • reconhecimento e produção de números • representação número/símbolo • discriminação visuo-espacial • memória de curto e longo prazo • raciocínio sintáxico • atenção
    53. 53. 421 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 DISCALCULIA - DificuldadesDISCALCULIA - Dificuldades • na reserva: 607 308 +495 +283 1002 581 • orientação espacial: 37 x 24 148 74 222
    54. 54. 421 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 DISCALCULIA - DificuldadesDISCALCULIA - Dificuldades • no procedimento do cálculo: 607 142 +495 x 5 10912 52010 • desatenção: seqüências trocas e/ou inversões de números, sinais, operações erros de cálculos, tabuadas
    55. 55. DisgrafiaDisgrafia 1980 – alterações de ortografias e caligrafia eram comuns em crianças com transtorno específico da leitura, quanto a dificuldade para ler. Definição É Transtorno de expressão escrita Habilidade de escrita abaixo do nível esperado para a idade Inteligência para a faixa etária Escolaridade dentro do espero para a faixa etária ( DSM-IV 1995)
    56. 56. DisgrafiaDisgrafia Estudos realizados entre as décadas de 1970 a 1990 dividem: • Disgrafia orgânica: presença de lesão cerebral e deficiência sensorial e motora • Disgrafia funcional: disfunções neurológicas e fatores emocionais Caracteriza-se: • Dificuldade para escrever • Mistura de letras maiúsculas e minúsculas na palavra ou uso da letra de forma e cursiva • Traçado de letra ininteligível •Traçado de letra incompleto • dificuldade para realizar cópia e falta de respeito à margem do caderno (Thomaz e Capellini 1999)
    57. 57. DisgrafiaDisgrafia Crianças de risco: • Dificuldade quanto à lateralidade • Canhotas ensinadas a escrever com a mão direita • Idade motora inferior a cronológica (atividades com rapidez, equilibrio e coordenação motora simples • Sem problema visual, mas com dificuldade em perceber a diferença entre as letras • Problemas emocionais • Problemas Visuais (traumas e lesões) (Richards 1998)
    58. 58. Bibliografia Distúrbios de Aprendizagem: Proposta de Avaliação Interdisciplinar – Sylvia Maria Ciasca e Colaboradores – Casa do Psicólogo Diagnóstico e Tratamento dos Problemas de Aprendizagem – Sara Paín - Artmed Transtornos de Aprendizagem: Abordagem Neurobiológica e Multidisciplinar – Newra Tellechea Rotta e Colaboradores – Artmed Transtornos de Aprendizagem: da intervenção à intervenção - Jack M. Fletcher e Colaboradores “O Cérebro e a Matemática” – José Alexandre Bastos “Los Transtornos del Calculo y el Procesamiento del Número: Discalculias e Acalculias” Sergio Dansilio – Prensa Médica Latinoamericana, Montevideo Dislexia: Ultrapassando as Barreiras do Preconceito – James Bauer – Casa do Psicólogo Entendendo a Dislexia – Sally Shaywitz – Artmed A vida secreta da criança com dislexia – Robert Frank, Ph.D – M. Books "Dislexia, Fala e Linguagem - Um manual do profissional“- Margaret Snowling - Artmed

    ×