Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Gêneros Literários

10,939 views

Published on

Published in: Education

Gêneros Literários

  1. 1. Gêneros Literários“A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELAPALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA.”
  2. 2. Gêneros LiteráriosConjuntos de elementos semânticos,estilísticos e formais utilizados pelos autores emsuas obras, para caracterizá-las de acordo com asua visão da realidade e o público a que sedestinam. Na antiguidade clássica, os textosliterários dividiam-se em três gêneros:Lírico (sentimental, poético)Dramático (teatro)Épico (narrativo)
  3. 3. Gênero Lírico
  4. 4. • Gênero o qual predomina a subjetividade, ouseja, o autor tenta falar consigo mesmo, ou comum interlocutor particular (amigo, amante,fantasia, elemento da natureza, Deus...), tendo apresença do eu - lírico.• Seu nome vem de lira, instrumento musical queacompanhava os cantos dos gregos.
  5. 5. • Predominamas palavras epontuações de1ª pessoa.• SegundoAristóteles,palavracantada.
  6. 6. É importante ressaltar que o “eu - lírico”pode ser masculinooufemininoindependente do autor.
  7. 7. EXEMPLO DE GÊNERO LÍRICOAutor masculino – eu lírico masculinoAinda uma vez adeus...Gonçalves DiasEnfim te vejo! - enfim posso,Curvado a teus pés, dizer-teQue não cessei de querer-te,Pesar de quanto sofri.Muito penei. Cruas âncias,Dos teus olhos afastado,Houveram-me acabrunhadoA não lembrar-me de ti!(...)
  8. 8. EXEMPLO DE GÊNERO LÍRICOAutor masculino – eu lírico femininoCom açúcar, com afetoChico BuarqueCom açúcar, com afetoFiz seu doce prediletoPra você parar em casaQual o quêCom seu terno mais bonitoVocê sai, não acreditoQuando diz que não se atrasa.Você diz que é um operário, sai em busca do salário.
  9. 9. EXEMPLO DE GÊNERO LÍRICOAutor feminino – eu lírico femininoGARGANTAAna CarolinaSei que não sou santaÀs vezes vou na cara duraÀs vezes ajo com canduraPra te conquistarMas não sou beataMe criei na ruaE não mudo minha posturaSó pra te agradar
  10. 10. Gênero Dramático
  11. 11. • Em grego, drama significa “ação”.• Ao gênero dramático pertencem os textos paraserem encenados, representados.• O Gênero Dramático se assenta em três eixosimportantes: o ator, o texto e o público sem oque não há espetáculo teatral.• Segundo Aristóteles é a palavra representada.
  12. 12. Modalidades do gênero dramático• Tragédia: é a representação de um fato trágico,apto a suscitar compaixão e terror.• Comédia: é a representação de um fato inspiradona vida e no sentimento comum, de riso fácil, emgeral criticando os costumes.
  13. 13. • Tragicomédia: é a mistura do trágico com ocômico. Originalmente, significava a mistura doreal com o imaginário.• Farsa: pequena peça teatral, de caráter ridículo ecaricatural, criticando a sociedade e seuscostumes; baseia-se no lema latino Ridendocastigat mores (“Rindo, corrigem-se oscostumes.”).
  14. 14. TEXTO DRAMÁTICO: COMÉDIAA MEGERA DOMADAWilliam ShakespeareCatarina: Deixe-me em paz Bianca!Eu já disse que não vou!Bianca: Mas Catarina, se você não for,Papai não me deixa ir!Catarina: E eu com isso?
  15. 15. TEXTO DRAMÁTICO: TRAGÉDIAÉdipo ReiSofóclesÓ meus filhos, gente nova desta velha cidadede Cadmo, por que vos prosternais assim, juntoa estes altares tendo nas mãos os ramos dossuplicantes?
  16. 16. Gênero Épico
  17. 17. • A palavra "epopéia" vem do grego épos, e serefere à narrativa em forma de versos, de umfato grandioso e maravilhoso que interessa a umpovo.
  18. 18. • O gênero épico: narrações de fatos grandiosos,centrados na figura de um herói. Tem a presençade um narrador.• Segundo Aristóteles, a palavra narrada.
  19. 19. • Provavelmente, é a mais antiga dasmanifestações literárias. Ele surgiu quando oshomens primitivos sentiram necessidade derelatar suas experiências, centradas na durabatalha de sobrevida num mundo caótico, hostile ameaçador...........................................................
  20. 20. Os elementos essenciais• Na estrutura épica temos: o narrador, o qualconta a história praticada por outros no passado;a história, a sucessão de acontecimentos; aspersonagens, em torno das quais giram os fatos;o tempo, o qual geralmente se apresenta nopassado e o espaço, local onde se dá a ação daspersonagens.
  21. 21. Os LusíadasLuíz Vaz de CamõesAs armas e os barões assinalados;Que da Ocidental praia lusitana,Por mares nunca de antes navegados,Passaram ainda além da Taprobrana,Em perigos e guerras esforçados...
  22. 22. IlíadaHomeroCanta, ó deusa, a cólera de Aquiles, o Pelida(mortífera!, que tantas dores trouxe aos Aqueuse tantas almas valentes de heróis lançou noHades, ficando seus corpos como presa paracães e aves de rapina, enquanto se cumpria avontade de Zeus), desde o momento em queprimeiro se desentenderam o Atrida, soberanodos homens, e o divino Aquiles.
  23. 23. Gênero Narrativo• É visto como uma variante moderna do gênero épico,caracterizando-se por se apresentar em prosa.Manifesta-se nas seguintes modalidades:• Romance: narração de um fato imaginário maisverossímil, que representa quaisquer aspectos da vidafamiliar e social do homem. Podemos dividi-lo em:romance de cavalaria, romance de costumes, romancepolicial, romance psicológico, romance histórico etc.• Novela: breve, mas viva narração de um fato humanonotável, mais verossímil que imaginário. É como umpequeno quadro da vida, com um único conflito. Emgeral, apresenta-se dividida em alguns poucos capítulos.
  24. 24. • Conto: narração densa e breve de um episódio davida; mais condensada do que a novela e o romance.Em geral, não apresenta divisão em capítulos.• Fábula: narrativa inverossímil, com fundo didático;tem como objetivo transmitir uma lição de moral.• Crônica: o seu nome já nos dá uma dica: crônicaderiva do radical latino crono, que significa“tempo”. Daí o seu caráter: relato de acontecimentosdo tempo de hoje, de fatos do cotidiano. Desde aconsolidação da imprensa, a crônica se caracterizoucomo uma seção de jornal ou revista em que secomentam acontecimentos do dia-a-dia.
  25. 25. FábulaA cigarra e a formigaEsopoEra uma vez uma cigarra que vivia saltitando e cantando pelobosque, sem se preocupar com o futuro. Esbarrando numaformiguinha, que carregava uma folha pesada, perguntou:- Ei, formiguinha, para que todo esse trabalho? O verão é paragente aproveitar! O verão é para gente se divertir!- Não, não, não! Nós, formigas, não temos tempo paradiversão. É preciso trabalhar agora para guardar comida parao inverno.
  26. 26. • Colégio Savina Petrilli• Ribeirão, 17 de junho de 2013.• Aluno: Caio Rodrigo Cunha Cavalcanti.• Professora: Lourdes Barros.• Série: 1ª E.M.• Disciplina: Literatura.

×