Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Carolina Cândido
João Henrique Oliveira
Lahana Silva de Cristo
Milena Pelissari Maciel
Thiago Maggioni
1
6º BIBLIOTECONOMI...
Desejo de ser cidadão desenvolvido;
Desenvolvimento é avanço do conhecimento (baseado em
boa informação);
Pensar e apre...
Desenvolvimento social: dotar a população de condições básicas de inserção no processo
de desenvolvimento econômico. Isso ...
Desenvolvimento econômico e social andando juntos
Sem essas duas formas de desenvolvimento andando juntas, é impossível a ...
Ousadia do bibliotecário
É importante que o profissional bibliotecário seja ousado e corajoso e estar atento às
questões i...
O questionamento sobre a construção da cidadania no ambiente da informação, segundo
Souza (1994, p.23, apud BARROS 2003, p...
7
O Bibliotecário tem uma função social: poder de
intervenção na sociedade, tanto através da sua
imagem quanto da próprio ...
Portanto, para disseminar a informação com intuito de tornar o indivíduo consciente da sua
cidadania, faz-se necessário qu...
BARROS, Maria Helena T. C. Disseminação da informação para o
desenvolvimento da cidadania. In: ______. Disseminação da inf...
COMO CITAR E REFERENCIAR
CÂNDIDO, Carolina. et al. Seminário Barros SRI I.
Vitória, 2015. 10 slides, color.
No texto: De a...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

BARROS, Maria Helena T. C. Disseminação da informação para o desenvolvimento da cidadania. In: ______. Disseminação da informação: entre a teoria e a prática. Marília: s.n., 2003. p. 17-26.

1,530 views

Published on

Capítulo 1 do livro de Barros (2003, p. 17-26), apresentado em sala de aula na disciplina de Sistema e Recuperação da Informação no dia 30/04/2015.

Published in: Education
  • Be the first to comment

BARROS, Maria Helena T. C. Disseminação da informação para o desenvolvimento da cidadania. In: ______. Disseminação da informação: entre a teoria e a prática. Marília: s.n., 2003. p. 17-26.

  1. 1. Carolina Cândido João Henrique Oliveira Lahana Silva de Cristo Milena Pelissari Maciel Thiago Maggioni 1 6º BIBLIOTECONOMIA CCJE – 2015/1º biblioufes2012.2@gmail.com
  2. 2. Desejo de ser cidadão desenvolvido; Desenvolvimento é avanço do conhecimento (baseado em boa informação); Pensar e aprender é inato no ser humano; Desenvolvimento do Conhecimento x Crescimento Econômico: um não é consequência natural do outro, desenvolvimento também pode estar ligado ao bem estar social e qualidade de vida. 2 CONHECER AS NECESSIDADES DE INFORMAÇÃO DA COMUNIDADE Fonte: Mundosimples
  3. 3. Desenvolvimento social: dotar a população de condições básicas de inserção no processo de desenvolvimento econômico. Isso é feito disponibilizando às comunidades educação, saúde, lazer e serviços especiais em geral. O desenvolvimento econômico ganha mais solidez quando o desenvolvimento social for ativo e estes são interdependentes. Segundo Kliksberg (1998, p.35-36, apud BARROS, 2003, p.20, grifo nosso), “as sociedades que conseguiram combinar ambos os tipos de desenvolvimento estão entre as mais avançadas do planeta e demonstram, com seu exemplo, que esta integração é factível”. 3
  4. 4. Desenvolvimento econômico e social andando juntos Sem essas duas formas de desenvolvimento andando juntas, é impossível a pessoa deter informação, e esta é conhecimento, sendo assim, o ideal de felicidade nunca será alcançado por falta de uma das partes ou das duas. O valor da informação e o usuário Segundo Figueiredo (1990, p.97 apud BARROS, 2003, p.21), “deve-se falar do valor da informação em nível do usuário, em termos de valor com o uso, porque a situação de atribuir valor a serviços de informação é uma situação orientada pela necessidade". A informação para ser considerada informação precisa ter valor útil ao seu usuário, precisa ser pertinente a ele, é tempo perdido para o usuário e para o bibliotecário quando esse fornece informações que não são relevantes ao usuário. 4 DIFERENÇA DE DESENVOLVIMENTO X CRESCIMENTO ECONÔMICO
  5. 5. Ousadia do bibliotecário É importante que o profissional bibliotecário seja ousado e corajoso e estar atento às questões importantes e às necessidades reais apresentadas em nossa sociedade, sabendo discernir o que são as necessidades reais dos interesses de algum grupo da sociedade. O cidadão brasileiro e o papel do bibliotecário como agente cultural O cidadão brasileiro é privado de muitos dos seus direitos, como não ter um registro ou não ter direito a moradia, direitos tão fundamentais mas tão difíceis de serem conseguidos, principalmente quando diz respeito aos mais desfavorecidos, tanto socialmente quanto economicamente, e é nesse ponto que o bibliotecário como agente de informação deve entrar, levando informação a lugares onde ela não é fomentada e disseminada da forma que deveria, fazendo com que essas pessoas tenham pensamento crítico e saibam onde e como buscar seus direitos. 5
  6. 6. O questionamento sobre a construção da cidadania no ambiente da informação, segundo Souza (1994, p.23, apud BARROS 2003, p.23) aponta temas de discussão para o Bibliotecário: 1. sua identidade cidadã; 2. seu poder de intervenção na sociedade; 3. sua identidade enquanto Bibliotecário brasileiro; 4. autonomia da sua profissão dentro da sociedade brasileira; 5. o que pensa sobre seus compromissos de classe; 6. o que a sociedade civil pensa sobre seus compromissos de classe; 7. o que os diversos povos brasileiros pensam sobre os compromissos que teriam para com eles; 8. a forma como poderão conhecer os diversos povos do ponto de vista de suas necessidades de construção da cidadania. 6 O PAPEL DO BIBLIOTECÁRIO
  7. 7. 7 O Bibliotecário tem uma função social: poder de intervenção na sociedade, tanto através da sua imagem quanto da próprio autoimagem. A informação segundo Targino (1991, p.150-151, apud BARROS, 2003, p. 24, grifo nosso), “é um dos elementos que permite a todos nós ajustarmos ao mundo exterior, de forma legítima e coerente, conquistando o status de cidadãos.” Segundo o artigo 5º da Constituição de 1988, a informação é: um bem comum a todos; infere que sem ela não há o exercício da cidadania; além de educativa é democratizante. Todos sabem desta informação? Onde fica a DP de Vitória?
  8. 8. Portanto, para disseminar a informação com intuito de tornar o indivíduo consciente da sua cidadania, faz-se necessário que a mesma esteja organizada e tratada, e que ao ser assimilada, contribua para transformar (para melhor) o ser humano e o seu entorno, mesmo em pequeníssimas medida. Para isso, também é necessário considerar: 1. conhecimento sobre o usuário e suas necessidades; 2. formação continuada do Bibliotecário; 3. o Bibliotecário estar ciente da sua própria cidadania e postura política; 4. a disseminação da informação não é neutra; 5. disseminar a informação é feita na prática! 8
  9. 9. BARROS, Maria Helena T. C. Disseminação da informação para o desenvolvimento da cidadania. In: ______. Disseminação da informação: entre a teoria e a prática. Marília: s.n., 2003. p. 17-26. Fã Page do Conselho Nacional de Justiça. Disponível em: <https://www.facebook.com/cnj.oficial?pnref=story>. Acesso em: 23 abr. 2015. Portal da Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo. Disponível em: <http://www.defensoria.es.gov.br/site/webpage/Index.aspx>. Acesso em: 23 abr. 2015. 9 REFERÊNCIAS
  10. 10. COMO CITAR E REFERENCIAR CÂNDIDO, Carolina. et al. Seminário Barros SRI I. Vitória, 2015. 10 slides, color. No texto: De acordo com Cândido et al (2015) ou (CÂNDIDO et al., 2015) 10

×