Palestra resultados experimentais no café e suas aplicações diretas dr. roberto santinato palestra patos

1,263 views

Published on

Patestra realizada na Inauguração do campo Experimental de café da ASSOPATOS ( Associação dos Cafeicultores de Patos de Minas e Região) saiba mais em www.revistacafeicultura.com.br

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,263
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
251
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Palestra resultados experimentais no café e suas aplicações diretas dr. roberto santinato palestra patos

  1. 1. PALESTRA ASSOPATOS PRINCIPAIS RESULTADOS DE PESQUISA NOS CAMPOS CAPAL – ACA 2006-2014 APLICAÇÃO DIRETA 1
  2. 2. MUDAS E FORMAÇÃO SUBSTITUIÇÃO DA FONTE USUAL DE MAT. ORGÂNICA VIGOR VEGETATIVO NAS MUDAS VIGOR VEGETATIVO E PRODUÇÃO NA FORMAÇÃO 2
  3. 3. 1 1.5 1.4 0.9 0.8 0.9 1.2 1.7 1.2 1.4 3.3 3.6 1.7 2 2.7 2.7 3.5 2.8 0 1 2 3 4 5 6 1 2 3 4 5 6 7 8 9 (Araxá- CE-Capal) (2013) 2,4 4,8 4,9 2,6 2,8 3,6 3,9 5,2 4,0 Substituição do E. de Curral por E. Galinha na formação de mudas de café em solo cerrado LVE Tratamentos Terra % 100% 70% 70% 70% 70% 70% 70% 70% 70% EC % 0 30% 20% 10% 0 30% 20 10 0 EG % 0 0 10% 20% 30% 0 10 20 30 SFS Kg 6 6 6 6 6 0 0 0 0 K Cl Kg 1 1 1 1 1 0 0 0 0 Efeito Mo + M Efeito Mo Efeito M Mudas Fonte: 39º CBPC pg181 – Santinato Tavares Carneiro Ferreira (Adaptado) Matériasecagramas 3
  4. 4. 0.8 1.8 1.6 1.2 1.1 1.3 1.3 1.1 0.9 1.1 3.8 3.8 2.7 2.3 2.7 2.7 2.3 2.4 0 1 2 3 4 5 6 1 2 3 4 5 6 7 8 9 1,9 5,6 5,4 3,7 3,4 3,8 4,0 3,3 3,3 SUBSTITUIÇÃO DO E. DE CURRAL POR PALHA DE CAFÉ NA FORMAÇÃO DE MUDAS EM SOLO CERRADO LVE Tratamentos Terra % 100% 70% 70% 70% 70% 70% 70% 70% 70% EC % 0 30% 20% 10% 0 30% 20 10 0 PC % 0 0 10% 20% 30% 0 10 20 30 SFS Kg 6 6 6 6 6 0 0 0 0 K Cl Kg 1 1 1 1 1 0 0 0 0 Efeito Mo + M Efeito Mo Mudas Fonte: 39º CBPC pg180 – Campos Santinato Tavares Ticle Santinato (Adaptado) Matériasecagramas 4
  5. 5. 4.6 3.8 4.7 5.3 5.6 5.6 7.4 7.1 8 8.2 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 1 2 3 4 5 69.4 36.1 44.5 18.4 24.5 1 2 3 4 5 VIGOR E CONTROLE DA CERCOSPORA EM MUDAS DE CAFÉ ATRAVÉS DA COMBINAÇÃO DA PYRACLOSTROBINA E O BOSCALID (COMET + CANTUS) 1- Sem Comet e Cantus 2-Comet 1,5 ml/l 3- Cantus 0,45 g/l 4-Comet + Cantus 1,5 ml + 0,45 g/l 5-Comet + Cantus 0,75 ml + 0,225g/l *Aplicações 1º /2º - 2º / 3º - 3º /4º pares ** Inoculação cercospora após stress em 3 pulv de 2/3 dias Fonte: 39º CBPC, p. 336 Santinato, Tavares, Santinato e Silva - Adaptado Tratamentos Peso seco - Vigor % Cercospora 10,2 11,4 11,8 13,3 13,8 Araxá CE- CAPAL) (2013) 5
  6. 6. EFEITO FISIOLOGICO DO FUNGICIDA APROACH PRIMA NO DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE CAFEEIRO EM FASE DE VIVEIRO 3.7 4.3 3.6 3.7 3.9 5.1 6.6 6 5.6 5 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 T 0,1% 0,2 0,4% 0,8% DOSES 1= 0,0 2=0,1 3=0,2 4=0,4 5=0,8 %APROACH PRIMA (1) (2) (3) (4) (5) A 17,5 17,4 16,0 15,0 15,4 NF 8,9 13,8 14,6 14,1 12,3 CR 15,3 16,2 16,5 16,1 15,8 VR 15 19,3 20,1 19 20 Biometria 8,8 10,8 9,6 9,3 8,7 (Melhores Resultados) Araxá CAPAL 6 Massasecagramas
  7. 7. EFEITO DO FITOHORMONIO RAIZAL + KTIONIC NO POS PLANTIO DO CAFEEIRO IRRIGADO 39.4 55.3 56 53 60.5 0 10 20 30 40 50 60 70 A 64,7 72,5 81,7 78,0 75,2 NI 10,0 11,0 16,7 17,0 18,2 Bio met ria (Melhores Resultados) Araguari– CE - ACA • LVA 4 x 0,5 CV 144 Fonte: 39CBPC pg 321 Santinato, Santinato F. , Silva . T R 0,5 K 0,5 R 1 K 1 R 2 K 2 R 1 k 1 + 2 EC Aos 18 meses 7 Sacabenf/ha
  8. 8. VIGOR VEGETATIVO DAS ESTROBIRULINAS PYRACLOSTROBINA (COMET) PICOXYXTROBINA (ORANIS) TRIFLOSTROBINA (FLINT) E AZOXYSTROBINA (AMISTAR) NA FORMAÇÃO DO CAFEEIRO IRRIGADO POR GOTEJAMENTO 2.4 22.6 22.3 22.3 26.3 33 41.7 37.5 41.1 51.3 0 10 20 30 40 50 60 70 T A F O C 2 Safra 1 Safra DOSES A= 50-100-200 F=75-150-300 O=100-200-400 C=150-300-600 100g 150g 200 ml 600 ml A 80,6 87,6 90,0 90,0 95,0 cm NF 170,6 158 169,3 217,6 239,6 cm CR 7,4 158,0 169,3 217,6 239,6 cm Bio met ria 25,4 64,3 59,8 63,4 76,6 (Melhores Resultados) Araxá CAPAL • LVA 4 x 0,5 CV 144 • Araguari : CE –ACA Fonte: 39CBPC pg 326 Santinato, Santinato F, Silva e Tavares 8
  9. 9. 2- PHOMA – ASCOCHYTA – M. AUREOLADA QUIMICOS NOVOS BIOLOGICOS 9
  10. 10. 6.1 10.1 13.6 1.7 1.8 1.51.7 2.1 2.8 0.8 1.5 1.6 0 2 4 6 8 10 12 14 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 CONTROLE DE PHOMA SP UTILIZANDO O PRODUTO COMERCIAL NATIVO (20% TEBUCONAZOLE + 10% TRIFLOXYSTROBINA) Araguari-MG ACA- CE-I.Bronzi –LVA-3,70x0,7m 10 anos Catuai Vermelho IAC 51 1-Testemunha 2-Cantus 180g/ha N/D – D/J 3-Folicur 0,5l + Roural 0,5l/ha N/D D/J 4- Nativo 1 l/ha N/D D/J 10 %INFECÇÃO
  11. 11. 17.7 3.7 6.7 2 16.8 3.3 8.7 2 19.4 12.8 5.7 3.3 11.7 3.7 8.7 2.1 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 CONTROLE DO COMPLEXO PHOMA ASCOCHYTA E MANCHA AUREOLADA COM O BACTERICIDA BIOLOGICO DUO 1-PHOMA  Nov 2- Ascochyta  Nov 3- M. Aureolada  Nov 4- Mumificação  Dez 11 Test Cantus 180 DUO 2l 1 2 3 4 Cantus 180 + DUO 2l Fonte: 39º CBPC p. 328 Santinato, Silva, Santinato F %INFECÇÃO
  12. 12. 3- ESPAÇAMENTO CATUAI NA LINHA 0,25-0,50-0,75- 1,0 ACAIA 12
  13. 13. 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 74.9 57.6 48.7 40.9 57.1 56.8 47.1 50.9 46 46.8 40.5 36 1 Bienio 2 Bienio 3 Bienio ESPAÇAMENTO ENTRE PLANTAS NA LINHA DE PLANTIO COM VARIEDADE CATUAI VERMELHO IAC 144 (6 Safras – Araxa – CE – CAPAL 2006-2013 LVE) 59,3 53,7 45,4 42,3Média Espaça mento 4x0,25 4x0,5 4x0,75 4x1,0 Fonte: 39º CBPC pg 231 Santinato Ticle, Tavares, Santinato (Adaptado) 13 (a) (a) (b) (b)
  14. 14. ESPAÇAMENTO ENTRE PLANTAS NA LINHA DE PLANTIO COM VARIEDADE ACAIA 474-19 (6 Safras –Araxá – CE – CAPAL – 2006-2013 LVE) 0 10 20 30 40 50 60 40.4 38.9 26.5 30.2(a) (a)(a) 34.3 26.5 21.1 20.9 35.1 48.3 36.2 36 51.9 42 40.7 32.9 3° Bienio 1 Bienio 2° Bienio 4 x 0,25 4 x 0,5 4 x 0,75 4 x 1,0 TRATAMENTOS Fonte: 39º CBPC pg 231 Santinato, Ticle, Tavares, Santinato (Adaptado) Sacasbeneficiadas/há Média Espaçamento (a) (b) (b) 14
  15. 15. 4- PODAS – ÉPOCA - VIGOR DECOTE ESQUELETAMENTO RECEPA VIGOR 15
  16. 16. ÉPOCA DE PODA POR DECOTE EM CAFEZAL NAS CONDIÇÕES DE CLIMA SOLO NA REGIÃO DOS CERRADOS DE ARAGUARI 42.9 37.7 23.5 24.6 42.6 53.5 54.8 48.9 85 61.9 70.8 89.4 25.5 28.9 31.1 28.3 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 (Araguari CE –ACA 3,7 x 0,7 Catuai vermelho IAC 51 10 anos – LVA) 2010-2013 Média 49,9 45,5 45,0 47,8 (Agosto) (Setembro) (Outubro) (Novembro) Tratamentos 16Fonte 39 CBPC – pg 299 Santinato, Mosca, Silva, Silva, Santinato. 1º Produção 2º Produção 3º Produção 4º Produção
  17. 17. 17 ÉPOCA DE PODA POR ESQUELETAMENTO COM E SEM DESBROTA EM CAFEZAL DEPAUPERADO NAS CONDIÇÕES DE SOLO E CLIMA DO CERRADO DE ARAGUARI 91.4 36.7 40.9 82 43 42.9 88.4 40.7 48.7 77.6 45 43.2 64.3 58.9 38.9 63.2 51.1 40.4 53 55.3 33.2 44.4 50 37.6 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 A S O N A S O N A S O N Medias E Safras S/D 42,2 44,4 40,5 35,3 40,6 C /D 41,9 41,5 38,7 33,0 38,7 E BOCAS A S O N MED Fonte: 39º CBPC pg Santinato, Mosca, Silva, Silva e Santinato F. 1º BIENIO 2º BIENIO 4º BIENIO
  18. 18. EFEITO DE DOSES (CONCENTRAÇÕES) DO STIMULATE NO CAFEEIRO ESQUELETADO CRESCIMENTO/PRODUÇÃO 52.1 66.9 71.3 82.1 87 11.1 4.4 19.3 17.7 16.5 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 1 2 1 2 1 2 1 2 1 2 MÉDIAS 31,6 45,5 43,8 49,9 51,8 (b) (ab) (ab) (ab) (a) T 0,1% 0,2% 0,3% 0,4% Aplicação Doses Brotos 5-10 cm 425 ml – 0,1% Brotos 10-15 cm 750 ml – 0,2% Brotos 15-20cm 1250 ml – 0,3% Brotos > 20 cm 1700 ml – 0,4% 18
  19. 19. 5- ADUBAÇÃO VERDE (QUEBRA VENTO) ESPECIES A USAR VIGOR 19
  20. 20. 20 ADUBAÇÃO VERDE DO CAFEEIRO EM FORMAÇÃO COM DIFERENTES ESPÉCIES DE FOLHA LARGAS E ESTREITAS 8 15 6 10 6 0 2 4 6 8 10 12 14 16 T M C FP NB T= Mato Natural M = Milheto C= Crotolária FP = Feijão De Porco NB = Nabo Forrageiro MACROS EXTRAÇÃO DE NUTRIENTES N 207 276 74 193 Q U I M I C O P2O5 18 16 7 8 K2O 412 248 225 146 CaO 87 108 62 74 MgO 57 19 19 16 S 19 9 25 7 MICROS EXTRAÇÃO DE NUTRIETES B 195 260 186 222 Zn 510 230 162 144 Mn 600 250 120 200 Cu 150 65 24 66 CONC BX SC SC SC FISICO ved A B A A
  21. 21. 6- ADUBAÇÃO ORGÂNICA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO ESTERCO DE CURRAL PALHA DE CAFÉ 21 ESTERCO DE GALINHA GALINHA + PÉ DE CAFÉ
  22. 22. 1.5 2.7 3.5 4 5.5 4 4.7 24.5 56.8 61.2 76.6 66.8 63.1 62.5 27 38.9 40.3 45.6 41.9 40.9 31.5 0 20 40 60 80 100 (T) (M) (5 EC + MRI) (10 EC + MR2) (20EC + MR3) (40EC + MR4) (50 EC +MR5) 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EM SOLO DE CERRADO – LVE – COM DOSES CRESCENTES DE ESTERCO DE CURRAL CURTIDO ASSOCIADAS A ADUBAÇÃO MINERAL REDUZIDA PROPORCIONALMENTE AOS NUTRIENTES CONTIDOS NO ESTERCO - FORMAÇÃO Média Formação 25,8 47,8 50,7 61,1 54,3 52,0 47,0 (c ) (ab ) (ab ) (a ) (a ) (ab ) (b ) * Média sem catinha  1º e 2º Safras Fonte: 39º CBPC , pg 296 Santinato, Ferreira, Tavares, Santinato. (Adapatado Fase Formação) (Araxá – CE – Capal – LVE 4 x 0,5 M, CATUAI Vermelho IAC 144) 1= Catação 2= 1º Produção 3= 2º ProduçãoM= Adubação Mineral,MR1,R2,R3,R4,R5 Adubaçao Mineral reduzida com E.Curral 5,10,20,40 e 80t/ha com 0,5% N0,3% P2O5 0,5% K2O5 0,3% S 22 S.benf
  23. 23. 36 79.5 90.5 90.5 88.7 75.2 78 26.8 22.5 25.6 25.6 20.9 23.4 26.9 35.7 81.9 87.6 87.5 87.3 82.5 94.4 19.7 25 25.7 25.7 22.5 25 22.4 0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 85 90 95 100 1 2 3 4 (T) (M) (5 EG + MR1) (10 EC + MR2) (20 EC + MR3) (40 EC + MR4) (80 EC + MR5) 29,5 52,2 57,3 54,8 61,3 51,5 = 50,4 Média Produção ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EM SOLO DE CERRADO OU LVE – COM DOSES CRESCENTES DO ESTERCO DE CURRAL CURTIDO ASSOCIADAS A DUBAÇÃO MINERAL REDUZIDA PROPORCIONAMENTE AOS NUTRIENTES CONTIDOS NO ESTERCO - PRODUÇÃO 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 Média Geral 6 Safras 27,6 50,0 54,0 57,9 57,8 51,7 46,5 Araxa – CE – Capal – LVE 4 x 0,5m Catuai Vermelho IAC 44 2010 2013) 23(a) (ab) (a) (a) (a) (ab) (b)
  24. 24. 1.9 0.7 2.6 4.2 2.6 3.4 24.5 80 84.4 76.9 78.7 77.5 16.5 47.5 44.9 42.8 42.8 54.3 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EM SOLO CERRADO LVE COM DOSES CRESCENTES DE ESTERCO DE GALINHA MAIS PALHA DE CAFÉ ASSOCIADAS A ADUBAÇÃO MINERAL REDUZIDA PROPORCIONALMENTE AOS NUTRIENTES NPKS CONTIDOS NO ESTERCO E PALHA – FASE FORMAÇÃO 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 T M 2,5 EG + 1,25 PC + MR1 5 EG + 1,5 PC + MR2 7,5 EG 3,75 PC + MR3 12,5 EG 6,25 PC + MR5 24 Sacas/benef/ha MEDIAS  20,5 (b) 63,7 (a)  64,6 (a)  59,8 (a)  60,7 (a)  65,8 (a)
  25. 25. 37.5 74 86.7 83 80.7 91.2 92.3 14.8 15.6 18.2 29.6 30.5 30 23.4 31.2 70 88.2 98.2 57.1 76.7 74.4 17.5 10 20 21.2 13.5 15 15 0 20 40 60 80 100 120 Adubação na formação e produção do cafeeiro em solo cerrado LVE com doses crescentes de esterco de galinha mais palha de café associadas adubação mineral reduzida proporcionalmente aos nutrientes NPKS contido no esterco e palha – fase produção 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 (Araxá – CE – CAPAL – LVE – 4 x 0.5 Catuai Vermelho IAC 144) (2010 – 2013) Média Produção 25,2  42,4  53,2  56,0  47,2  53,2  49,1 Média 6 safras  22,8  46,9  58,4  60,3  53,5  56,9  57,4 25 S.Benf/ha
  26. 26. ADUBAÇÃO ORGANICA NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EM SOLO LVE COM DOSES CRESCENTES DE ESTERCO DE GALINHA POEDEIRA ASSOCIADAS A ADUBAÇÃO MINERAL REDUZIDA PROPORCIONALMENTE AOS NUTRIENTES NPKS CONTIDOS NO ESTERCO FASE – FORMAÇÃO 0.9 2.9 3.5 28 2.7 1.8 30.9 64.1 66.7 71.9 75.6 74.4 26.8 44.3 46.8 45.3 45 49 0 10 20 30 40 50 60 70 80 1 2 3 1 2 31 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 MÉDIA 28,8 54,2 56,7 58,0 60,3 61,7 26 T M 2,8 EG + MR1 5 EG + MR2 10 EG + MR3 20 EG + MR4 sacasbenf/ha
  27. 27. 33 79.2 91 104 86.7 99.7 27 26.5 40.9 24.7 32 24.3 30.6 61.1 61.3 85.6 75 82.5 18.9 22.5 21.7 20.9 19.8 21.3 0 20 40 60 80 100 120 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EM SOLO LVE COM DOSES CRESCENTES DE ESTERCO DE GALINHA POEDEIRA ASSOCIADAS A ADUBAÇÃO MINERAL REDUZIDA PROPORCIONALMENTE NUTRIENTES NPKS CONTIDOS 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 MEDIA T M MR1 MR2 MR3 MR3 + 2,5EG +5EG + 10EG + 20 EG 27Média Geral  28,0  50,7  55,2  58,4  56,8  59,3
  28. 28. ADUBAÇÃO ORGÂNICA PRODUÇÃO RECUPERAÇÃO 28 Palha de café Esterco Galinha Esterco de Peru Combinação Peru com Palha Substitutivo Da Mineral
  29. 29. 0 10 20 30 40 50 60 M 37 2,5 PC + MR1 39,3 5PC + MR2 44 10PC + MR3 43,2 20PC + MR4 32,9 33.9 33.1 33.6 34.7 28.3 40.2 45.6 55.7 51.7 37.5 2 Biênio 1 Biênio DOSES CRESCENTES DE PALHA DE CAFÉ NA ADUBAÇÃO DO CAFEEIRO EM SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DA ADUBAÇÃO MINERAL NPKS CONTIDOS NOS ADUBOS UREIA, SULFATO DE AMONIO, CLORETO POTÁSSIO E MAP A P2O5 53 62 59 68 72 N. K20 197 209 275 284 287 S B 0,47 0,40 0,50 0,50 0,52 O Zn 8,2 7,9 6,7 8,5 10,2 L Cu 0,51 0,63 0,61 0,45 0,50 O Mn 9,4 8,7 8,0 7,3 9,4 29
  30. 30. 0 10 20 30 40 50 60 70 17.5 45.7 48.9 55.4 47.2 SUBSTITUIÇÃO PARCIAL NA UREIA, MAP E CLORETO POTÁSSIO POR ESTERCO DE GALINHA COMPOSTADO – BIOFÉRTIL NA NUTRÍÇÃO DO CAFEEIRO A P 37 53 68 75 80 N. K 115 122 119 133 109 S B 0,68 0,92 0,93 1,12 1,30 O Zn 4 6 7 8 8 L Cu 0,38 0,48 0,47 0,41 0,39 O Mn 4 7 4 6 7 50.6 48.4 52.7 62.7 54.2 44.6 43.1 45 48 40.2 2 Bienio Série 2 (ab ) 25EG-+MR1 5EG-+MR2 10EG-+MR3 20EG-+MR4 (ab ) (ab ) (a ) (ab ) M= adubação mineral media 410N;95 P2o5, 39k20; MR1,R2,R3,R4 Adubação mineral reduzida do esterco com 2,5; 5; 10 e 20 t/ha com %N %P2O5 %K20 % 2,2 – 3,1 – 1,7 30 (Araguari – CE – ACA – 4 safras – 2010 2013 LVA – 3, 7 x 0,7 cu51-9 ANO)
  31. 31. 0 10 20 30 40 50 60 70 52.2 50.4 53 51.7 41.8 38.8 47.1 48.4 40.2 47.2 2 Biênio 1 Biênio (Araguari – CE – ACA – LVA – 3,7 x 0,7 cv62 – 10 ANOS) DOSES CRESCENTES DE ESTERCO DE PERU NA SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DA ADUBAÇÃO NPKS MINERAL NA PRODUÇÃO DO CAFEEIRO 45,5 48,8 50,2 45,9 44,5 A P2o5 37 41 64 82 97 N. K2o 162 184 179 188 159 S B 0,52 0,72 1,12 1,24 1,48 O Zn 5 6 5 5 4 L Cu 0,83 0,94 0,83 0,83 0,76 O Mn 6 7 7 7 6 (a) (a) (a) (a) (a) M= Adubação Mineral = Media A= 420 N – 100 P2O5, 390 K2O MR1,R2,R3 e R4 Mineral reduzida Com 2,5;5 10 E 20T/Ha de E. peru=2,7% N3,8% P2O5 1,9 % k2o 31
  32. 32. 0 10 20 30 40 50 60 70 M 51,7 EP 2,5 48,9 EP 5 49,7 EP 7,5 53,3 37.1 37.3 32.6 35.8 64.8 68.9 65.1 63.3 1 Bienio 2 Bienio DOSES CRESCENTES DE ESTERCO DE PERU ASSOCIADO A PALHA DE CAFÉ NA SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DA ADUBAÇÃO MINERAL NPKS NA PRODUÇÃO DO CAFEEIRO NA REGIÃO DE ARAGUARI M= Adubação mineral = N= 440 P= 85 K2O= 360 S= 96 P= Esterco Peru 2,5 5 e 7,5 t/ha = 2,7% N , 3,8% P2O5, 1,9% K2O PL= Palha Café 1,25 , 2,5; 3,75 T/ha = 1,0% 0,5% P2O5= 3,4% K2O Araguari- CE – ACA 3,70 x 0,7 m – Catuai Vermelho IAC 51- LVE Fonte: 39º CBPC pg 317 Santinato, Silva, Santinato 32
  33. 33. ADUBAÇÃO MINERAL E CORREÇÕES 33 LENTA LIBERAÇÃO FONTES DE BORO FONTES DE MAGNÉSIO OUTRAS EM ANDAMENTO
  34. 34. 0 10 20 30 40 50 60 70 12.9 50.1 50.2 52.7 51.9 35.6 14.7 67.5 62.2 66.4 58 40.9 14.5 42.5 46.6 46.5 38.6 34.6 9.7 40.2 41.8 41.8 45.7 31.3 DOSES CRESCENTES DE PRODUCOUTE NKS (F: 380000 + 13,55 E F: 000051 + 14%S) DE LIBERAÇÃO CONTROLADA NO PÓS PLANTIO 1º 2º E 3º SAFRAS NO CULTIVO DO CAFEEIRO COMPARATIVAMENTE COOM NKS SOLUVÉIS (URÉIA –SUL. AMONIO E CLORETO POTÁSSIO) T M X 4 A 100% A 80% A 60% A 40% N. p e r i o d o M= Adubação Mineral 4 aplicações /ano Producote 1x ano N = Período M= 1710 kg A= 1056 K= Período  K = 1367 kg – A 820 S = Período M = 438 Kg A= 253 -40% 34 SacasBenf/ha (Araxá – CE – Capal: 4x0,5 CV 144 LVE) Fonte: 39º CBPC Santinato, Ticle, Tavares, Silva, Santinato
  35. 35. 0 10 20 30 40 50 60 70 19.6 48.8 54.4 51.6 55.2 34.1 26.1 44.9 54.2 40.2 44.4 30.1 13.1 52.7 54.7 63 66 20 REDUÇÃO DOS NIVÉIS DE NK NA ADUBAÇÃO MINERAL DO CAFEEIRO E NO NÚMERO DE PARCELAMENTO COM UTILIZAÇÃO DE CICLUS 19-00-19 E 24-00- 12 EM LAVOURA IRRIGADA NA REGIÃO DE ARAGUARI Araguari-MG 2009 a 2013 (4 safras) ACA- CE I.BRONZI *LVA 3,60 x 0,6  Catuai Vermelho IAC 51 9 anos 920m T M C 100% C 80% C 60% C 40% Tratamentos Media N= M= 405 C 60% = 243 Kg/ha Media K20= M= 366 C 60% = 220 kg/ha (-40%) 35 Redução SacasBenf/ha Fonte: 39º CBPC Santinato, Silva, Santinato, Tavares, Fernandes
  36. 36. EFEITO DO AGROCOUTE FORMULADO 25-00-25 COM ADUBOS 37-00-00-35 E 000046145 DE LENTA/PROGRAMADA LIBERAÇÃO NA PRODUÇÃO CAFEEIRO 0 10 20 30 40 50 60 70 37.4 30.6 49.4 51 49.4 43.8 28.4 60.4 56.5 54.3 66.1 39.3 0 10 20 30 40 50 60 70 1 Bienio 2 Bienio Tratamentos 32.9 M 55.5 53.0 52.6 58.0 41.6 M= Média : 385 kg/h a N – 385 / ha de K20 AG= Média:– 100 – 80 – 60 – 40% 36 ARAXÁ – Faz. Pena 10 anos CV IAC 144 4x0,5 LVA 4 Safras Médias T AG 100 AG 80 AG 60 AG 40
  37. 37. ADUBAÇÃO COM CICLUS FORMULADO 19-00-19 EM SUBSTITUIÇÃO A ADUBAÇÃO NK COM UREIA E CLORETO DE POTÁSSIO NA NUTRIÇÃO DO CAFEEIRO EM ARAXÁ - MG 0 10 20 30 40 50 60 70 80 40.4 57.7 56.1 54.6 60.4 51.3 42.5 67.3 68.2 65.8 69.6 58.5 38.4 52.3 44 43.4 52 41.8 2 Bienio 1 Bienio T M C 100% C 80% C 60% C 40% Araxá Faz. Pena 10 anos Catuai Vermelho IAC 144 4 x 0,5m LVA – 2010 a 2013 – 4Safras ( c) ( a) ( a) ( a) ( a) ( ab) TRATAMENTOS Fonte: 39º CBPC Santinato, Tavares, Santinato, Ferreira 37 T= testemunha, M= Adubação Mineral 100% 4x; c= Ciclus 100, 80, 60 e 40 1x
  38. 38. DOSES DE OXIDO DE MAGNÉSIO E DOSES DE SERPENTINITO NA CORREÇÃO DA DEFICIÊNCIA DE MAGNÉSIO EM SOLO COM TEORES ADEQUADOS DE CÁLCIO 0 10 20 30 40 50 60 37.9 41.5 48.5 40.8 42.2 40.8 42.3 42.1 37.7 42.2 49.8 43.5 46.6 43 49.9 48.1 36.5 38.8 47 37.7 34.6 38.1 38.5 36 T SM S1 S2 S3 TR1 TR2 TR3 T= Testemunha SMg= Sulf. Magnésio 100kg/ha S1= Serpentinito 38kg/ha S2= 78kg/ha S3= 152 kg/ha -9-18-36 kg/ha TER e TRIMAG 25kg/ha TR2 51kg/ha TR3= 102kg/ha – 9-18-36kg/ha 38 SacasBenf/HA
  39. 39. FONTES DE BORO NA PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EM SOLO DE CERRADO (Araguari CE – ACA – LVA, 3,7 x 0,7 m, 9 anos, Catuai vermelho IAC 144 2010 – 2013) 0 10 20 30 40 50 60 28.4 38.2 38.9 40.8 36.4 36.9 33.1 35.7 41 24 32.6 35.5 34.5 30.4 29.6 29.5 32.7 37.1 32.7 43.8 44.5 47.5 44.2 44.5 36.6 37.5 44.7 2 Bienio 1 Bienio 39 1- Testemunha 5- Ulexita 15% 28,3 kg/ha 9- Ac. Borico 17% 26 Kg/ha 2- A. Borico 0,5 6- Hidro Ulexita 19% 47,2 kg/ha 3- Agua Boro 0,4 7- Hidro Ulexita 11% 38,6 kg/ha 4- Boro Liquido 0,8 8- Triulexita 10% 42,5 kg/ha Fonte: 39º CBPC pg 93 Santinato, Santinato, Silva, Pereira Sacabenf/ha
  40. 40. COLHEITA PRODUÇÃO DE CEREJA RETARDADOR DE PASSA - SECO 40
  41. 41. APLICAÇÃO LOCALIZADA DO PRODUTO FISIOLOGICO MATURUY NA OBTENÇÃO DE FRUTOS CEREJAS EM CAFEEIRO 14.2 22.6 9.2 28 52.2 39.5 12.4 10.3 14 44.9 14.7 37.1 0 10 20 30 40 50 60 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 TEST 2,5 l/ha Sem desfolha 5,0 l/ha com desfolha SD = C = 28  52,2 = + 24,2 B= 44,9 – 14,2 = -30,7 CD = C = 28  39,5 = + 11,5 B= 44,9 – 37,1 = - 7,8 41 Araxá – Faz. Pena CV 144 4x 0,5 1- verde 2- cereja 3- passa 4- seco Sacas/Benf
  42. 42. EFEITOS DO PRODUTO MATHURY NA COLHEITA DE CAFÉ IRRIGADO POR GOTEJAMENTO NOS CERRADOS 11.1 22.5 12 59.9 12.9 32 15.1 41.1 11.3 40.7 10.9 36.1 0 10 20 30 40 50 60 70 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 % Verde % Cereja % Passa % Seco TRATAMENTOS Fonte: 39º CBPC pg. 314 Tavares, Santinato, Ferreira Costa, Santinato. Faz. Gaúcha LVE, 4 x 0,5, 9 anos, Catuai Vermelho IAC 144 Média 2 anos (1º 70 sacos – 2º 35 sacos ) /ha 2012 e 2013 42 1- Testemunha 2- 2,5l/ha 3- 5,0 l/ha %Maturação
  43. 43. Solos Adensamento 43 Subsolagem 2 x 2 Subsolagem 1 x l1
  44. 44. EFEITO DA SUBSOLAGEM NA PRODUÇÃO DO CAFEEIRO CULTIVO EM SOLO DE CERRADO LVA COM ADENSAMENTO PRONUNCIADO –(1 A CADA 4 ANOS) 2010 - 2013 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 51 65.2 70.9 60.7 68.9 30.9 34 53.7 39.1 47 41.0 49.6 62,4 49,9 56,4 (a) (b) (a) (b) (ab) T 1H 2H 3H 4H T= testemunha 1= uma hastes 2= duas hastes 3= três hastes 4= quatro hastes 44 Tratamentos SacasBenef/ha
  45. 45. 45 EFEITOS DA ÉPOCA DE IRRIGAÇAO POR GOTEJAMENTO NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO NAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DO PLANTIO DE ARAXA-MG 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 1 2 3 4 5 6 7 8 9 69.1 40.4 33.3 38.9 40.7 42.4 43.8 50.1 50.3 33.5 28.5 29.9 30.8 29.6 31.2 31.5 38.4 36.5 64.9 34.7 44.3 46.8 48.8 48.5 64.2 50.9 57.3 3 Bienio 2 Bienio 1 Bienio Araxá – CE – CAPAL – LVE – 4x 0,5 CV 144 1- Irrig- Anotodo 7- AG/ Nov sem irrigação 2- Sem irrigação 8- Set / nov sem irrigação 3- ABR / Nov se irrigam 9- Out / novem sem irrigaçaõ 4- MAI/ nov se irrigam 5- Jun/ nov se irrigam 6- Jul / nov se irrigam Fonte: 39º CBPC pg 295 Santinato, Fernandes, Ferreira, Tavares e Santinato
  46. 46. PRAGA NEMATÓIDE 46
  47. 47. 1224 416 451 301 162 118 1000 378 291 218 138 980 200 400 600 800 1000 1200 1400 1 2 3 4 5 6 População Total População Raízes CONTROLE DO NEMATOIDE M. EXIGUA EM CAFEEIROS JOVENS UTILIZANDO O NEMATICIDA BIOLOGICO PROFIX MAX (ARAXA CE – CAPAL – CATUAI VERMELHO 144 Legenda 1- Testemunha 2- Rugby 30l / ha 3- Profimax – 1kg / ha 4- Profimax 2kg/ha 5- Profimax 4kg/ha Profix A- Oligosfera A- Musiforme A-robustlin F litacinus Bacillus subtiles B lenchiiformis 47 Fungos Bactérias
  48. 48. OBRIGADO! 48 Santinato & Santinato Cafés Contato: 19- 981755669 E-mail: rsantinatocafeicultura@hotmail.com

×