Monitoramento Georreferenciadoda Cultura do Café - Marcos Antônio Pimenta

923 views

Published on

Monitoramento Georreferenciadoda Cultura do Café
Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor em Cafeicultura Irrigada

Published in: Education, Travel, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
923
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Monitoramento Georreferenciadoda Cultura do Café - Marcos Antônio Pimenta

  1. 1. Monitoramento Georreferenciado da Cultura do Café Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor em Cafeicultura Irrigada 17/11/2010
  2. 2. NOSSA CAFEICULTURA
  3. 3. INÍCIO DO GEORREFERENCIAMENTO DE PRAGAS NAAGRICULTURAIniciou-se em meados de 99 em lavourasde algodão na Serra da Petrovina – MT.Migrou para as lavouras de algodão e sojado Oeste Baiano no final de 2002.Em 2005 já eram mais de 30 grandespropriedades monitoradas por sistemas degeorreferenciamento.No início de 2006 iniciam-se os primeirostrabalhos em Pivôs de Café do Oeste Algodão no Mato GrossoBaiano. Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  4. 4. INÍCIO DO GEORREFERENCIAMENTO DE PRAGAS NACULTURA DO CAFÉFazendas de exploração diversificada,com culturas anuais e perenes,consideradas empresas rurais.Fazenda Campo Aberto “GRUPOAGRIFIRMA” e Fazenda Zuttion.Em empresas rurais é tradicional autilização de técnicos no monitoramento depragas, cultura herdada das culturas de sojae algodão. Monitor de pragas no Café. Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  5. 5. TRANSIÇÃO E ADAPTAÇÃO PARA CULTURA DO CAFÉNo algodão a metodologia de avaliaçãofoi validada estatisticamente pelo Dr. ValterJorge do instituto IAPAR.Baseado em uma distribuição de pontosque busca o máximo da representabilidadechegando quase a uma varredura da área.A metodologia é livre de qualquertendensiosidade por parte do avaliador jáque os pontos são determinados pelo GPS. Monitoramento com visita a campoA planta é avaliada por inteiro como éfeito nas culturas da soja e algodão. Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  6. 6. AJUSTES E FORMATAÇÕES PARA UMA CULTURAPERENEAtravés de uma comparação com ométodo de coleta de folhas foramestipuladas novas médias de infestação euma nova forma de coleta dos dados.O monitoramento se estendeu tanto parafatores bióticos quanto abióticos.FATORES BIÓTICOS: Pragas, Doenças,Inimigos naturais.FATORES ABIÓTICOS: Deficiênciasnutricionais e injúrias físicas causadas pormáquinas ou pelo clima. Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  7. 7. MONITORAMENTO A CAMPOPragas como bicho mineiro sãomonitoradas em todos os seus estágios devida com as seguintes classificações: Bichomineiro Adulto Alto, Baixo, Larva Viva,Larva morta, Covalecendo e Pupa.Da mesma forma outras pragas de granderelevância como Broca, Cochonilha e ocomplexo de ácaros também sãomonitorados no mesmo levantamento. Registro de ferrugem feita peloDoenças importantes como ferrugem e monitor em um PDA.cercóspora são avaliadas em sua totalidade, Marcos Antônio Pimenta Menezesde acordo com sua presença. Consultor – Cafeicultura Irrigada
  8. 8. MONITORAMENTO A CAMPOCom o Georreferenciamentode pragas como o bichomineiro e a organização dosdados de sua incidência,permitiram identificar pontosde reinfestação e locais demaior pressão do ataque dapraga. Registro de Bicho mineiro em suas diferentes fases de vida. Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  9. 9. ARMAZENAMENTO PROCESSAMENTO EAPRSENTAÇÃO DOS DADOSApós o monitoramento os dados sãodescarregados e gerenciados por umsistema, que fornece mapas de localizaçãoe o nível de infestação dos fatoreslevantados.Os níveis de controle são baseados napresença de plantas atacadas, e o controlepassa a tomar um caráter preventivo, ouseja, a ação é tomada quando não seriaainda percebida no método delevantamento tradicional. Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  10. 10. ARMAZENAMENTO PROCESSAMENTO EAPRSENTAÇÃO DOS DADOS Imagem com monitoramento georreferenciado e processamento das informações colhidas no campo. Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  11. 11. O “GPS” tem a função de promover uma divisão da área e uma organização dos pontos levantados para que estes alcancem o máximo da representabilidade Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  12. 12. INFORMAÇÕES APRESENTADAS EM FORMA DE GRÁFICOS REGIONAIS. Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  13. 13. INFORMAÇÕES APRESENTADAS EM FORMA DE GRÁFICOS REGIONAIS. Georreferenciamento em pivô linearGeorreferenciamento em pivô circular Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  14. 14. O GEORREFERENCIAMENTO ALIADO AO MONITORAMENTO DE VISITA A CAMPOCOM VISTORIA TOTAL PROPORCIONAM MAIOR EFICÁCIA NO CONTROLE QUÍMICOO monitoramento com visita a campo e (%) infestaçãogeorreferenciamento dos pontos Sem monitoramentoproporciona um controle mais preventivo e Monitoramento com GEOcom isto um ganho residual proporcionadopor uma janela de aplicação maior. Esta janela de aplicação maior aliada auma intervenção preventiva permitem autilização de doses mais baixas e de classetoxicológica menor. Dias Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  15. 15. OS GANHOS SE REFLETEM TAMBÉM NAQUALIFICAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS. O Conhecimento em Geotecnologia qualifica o funcionário a acompanhar atividades extras como: -Amostra de solo e folhas, monitoramento de fatores abióticos e controle de máquinas. Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada
  16. 16. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.(Cora Coralina) Nossa Localização Agrobios www.mapmenezes.com.br mapmenezes@mapmenezes.com (77) 9116 1907 Marcos Antônio Pimenta Menezes Consultor – Cafeicultura Irrigada

×