Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

IX Agrocafé APRES - Apresentação 9º Agrocafé 2008

441 views

Published on

IX Agrocafé APRES - Apresentação 9º Agrocafé 2008

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

IX Agrocafé APRES - Apresentação 9º Agrocafé 2008

  1. 1. IX AGROCAFÉ A sustentabilidade Econômica da Cafeicultura Gílson Ximenes Diretor Presidente Conselho Nacional do Café 03/03/2008
  2. 2. SOBRE O COSELHO NACIONAL DO CAFÉ - CNC <ul><li>Fundado em 1981 </li></ul><ul><li>Participou de todos os momentos críticos da história recente da Agricultura Brasileira defendendo o interesse dos produtores </li></ul><ul><li>09 Presidentes ao longo de sua história </li></ul><ul><li>Idealizou a formação do Conselho Deliberativo de Política do Café – CDPC, criado em 1996 com participação de Governo e demais membros da cadeia do café. </li></ul>
  3. 3. SOBRE O COSELHO NACIONAL DO CAFÉ - CNC <ul><li>Participa dos importantes fóruns internacionais de café: </li></ul><ul><li>Organização Internacional do Café – membro titular da junta Consultiva do setor Privado </li></ul><ul><li>4 C´s – código comum para a comunidade cafeeira – Membro fundador e tem um de seus membros ocupando a Diretoria da Junta Executiva. </li></ul>
  4. 4. SOBRE O COSELHO NACIONAL DO CAFÉ - CNC <ul><li>Sede em São Paulo </li></ul><ul><li>Escritório de representação política em Brasília </li></ul><ul><li>Sócios: 21 cooperativas de produtores. Que representam 50 mil produtores que recebem 40% da produção nacional de café e 53% da produção de café arábica. </li></ul>
  5. 5. A sustentabilidade Econômica da Cafeicultura Passado, Presente e Futuro <ul><li>No Passado: </li></ul><ul><li>Marcos regulatórios garantiam através de intervenções no mercado, preços que asseguravam a renda para os produtores </li></ul><ul><li>A nível internacional: Acordo de cláusulas econômicas na Organização Internacional do Café. </li></ul><ul><li>A nível nacional: IBC (Instituto Brasileiro do Café) realizava intervenções no mercado através de cotas de contribuições e formação de estoques reguladores. </li></ul>
  6. 6. A sustentabilidade Econômica da Cafeicultura – Críticas ao modelo do passado <ul><li>Política “guarda- Chuva” para concorrentes ao produzir melhores preços no mercado internacional, as intervenções favoreceram o aumento de produção de outros países. </li></ul><ul><li>O aumento da produção internacional não foi acompanhada de ações estratégicas para o aumento do consumo e agregação de valor, via verticalização da produção até o consumidor final . </li></ul>
  7. 7. APESAR DISSO ... <ul><li>O agronegócio Café Mundial faturava na década de 1980 U$30 bilhões, os produtores U$9 bilhões (30% do total) </li></ul><ul><li>Hoje o Agronegócio Café fatura no mundo U$80 bilhões, os produtores U$7,5 bilhões (8% do total) </li></ul><ul><li>O faturamento aumentou, mas os produtores não se beneficiaram. </li></ul>
  8. 8. A sustentabilidade Econômica Presente <ul><li>Na década de 90 todos os marcos regulatórios AIC e IBC acabaram </li></ul><ul><li>Os produtores melhoraram a produtividade, através do incremento tecnológico e renovação da lavoura, mas todos os benefícios foram apropriados pelos consumidores </li></ul><ul><li>O resultado é o maior nível de endividamento e inadimplência da história da cafeicultura brasileira </li></ul>
  9. 9. Endividamento da Produção <ul><li>Solução: </li></ul><ul><li>Adotar as novas políticas para formação de preços em níveis sustentáveis. Priorizar financiamento do produto em detrimento do custeio e adequar o voluma de dívidas dos produtores, limitando a amortizações máximas de 3% da renda anual. </li></ul>
  10. 10. A sustentabilidade Econômica o desafio da construção de novos modelos <ul><li>Premissas: </li></ul><ul><li>Planejamento da produção e oferta, em níveis que mantenham a renda e possibilitem o desenvolvimento da atividade </li></ul><ul><li>Redução da volatilidade do mercado pois o maior inimigo dos preços baixos são os preços baixos, dos preços altos os preços altos </li></ul><ul><li>A longo prazo, preços muito baixos e muito altos são inimigos dos produtores . </li></ul>
  11. 11. A sustentabilidade econômica Construindo modelos futuros <ul><li>Seguro – Renda </li></ul><ul><li>Utilização de instrumentos de política agrícola: Preço como medida compensatória a valorização do real – garantindo renda e competitividade – e opções públicas como seguro de preços de venda e possibilidade de recomposição gradual dos estoques. </li></ul>
  12. 12. A sustentabilidade econômica Construindo modelos futuros <ul><li>Construção de Consórcio entre cooperativas, que tenham entre os seus objetivos: </li></ul><ul><li>Agregação de valor ao produto, pela industrialização e comercialização do produto primário </li></ul><ul><li>Exportações diretas </li></ul><ul><li>Programa de treinamento e aprimoramento profissional para dirieintes e funcionários das cooperativas </li></ul><ul><li>Difusão e transferência de tecnologia para produtoes </li></ul>
  13. 13. O CONSELHO NACIONAL DO CAFÉ AGRADECE A OPROTUNIDADE DE ESTAR PRESENTES COM TODOS VOCÊS <ul><li>UM GRANDE ABRAÇO A TODOS! </li></ul>

×