Fenicafé 2010 Apresentação Nathan ABIC

1,907 views

Published on

MERCADO DE CAFÉ FRENTE AO CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO DE CONILON - Fenicafé 2010 Apresentação Nathan

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,907
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
63
Actions
Shares
0
Downloads
75
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Alternation of high and low production years shows influence of biennial cycle in Brazil on overall supply, 1999-2002: period of overproduction stimulated by high prices in late 1990s causes coffee crisis (2000-2005) Supply today is more or less balanced with demand, Mar 28, 2010
  • World consumption has shown steady growth of around 2,5% per annum in recent years, Prospects for consumption in the context of the current economic crisis will be examined at the end of presentation, Mar 28, 2010
  • The recovery in prices since 2005 has been stimulated exports, which set new records in 2007 and 2008, Mar 28, 2010
  • Embora o café moído/coado continua fortemente presente no consumo. Nos últimos anos, observa-se um crescimento significativo dos chamados cafés especiais principalmente entre as classes A e B
  • Consumo praticamente se mantem em todas as faixas etárias, consumo de especiais cresce em todas as fixas etárias
  • Embora o café moído/coado continua fortemente presente no consumo. Nos últimos anos, observa-se um crescimento significativo dos chamados cafés especiais principalmente entre as classes A e B
  • Respostas espontâneas, em 2009 surge a citação: selo de garantia, procedência, certificação e sustentável e ser orgânico
  • Fenicafé 2010 Apresentação Nathan ABIC

    1. 1. MERCADO DE CAFÉ FRENTE AO CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO DE CONILON Nathan Herszkowicz | Diretor Executivo
    2. 2. MERCADO DE CAFÉ FRENTE AO CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO DE CONILON CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO DE CONILON FRENTE AO MERCADO DE CAFÉ? OU
    3. 3. Produção mundial Anos-safra: 2000 a 2008
    4. 4. Consumo mundial 2000 a 2008
    5. 5. Exportações totais para todos os destinos 1989 a 2008
    6. 7. Total Mundial: 128,1 milhões de sacas Produção Mundial de Café (em milhões de sacas)
    7. 8. VOLUME DE EXPORTAÇÃO DE CAFÉ SOLÚVEL sacas 60kg
    8. 14. INDICADORES DA INDÚSTRIA DE CAFÉ
    9. 15. CONSUMO INTERNO DE CAFÉ EM SACAS E PER-CAPITA - BRASIL Período: novembro - outubro
    10. 16. A EVOLUÇÃO DO CONSUMO INTERNO DE CAFÉ NO BRASIL
    11. 17. SONDAGEM CONJUNTURAL DA INDÚSTRIA DE CAFÉ
    12. 18. SONDAGEM CONJUNTURAL DA INDÚSTRIA DE CAFÉ
    13. 19. o consumidor brasileiro
    14. 20. Fonte:FGV/ CENTRO DE POLÍTICAS SOCIAIS distribuição da população brasileira por classe de consumo 2003 2008 13,3 65,9 46,9 49,3 19,4 91,8 45,4 30 em milhões de pessoas AB C D E desenvolvido por MIXXER para ABIC
    15. 21. massa total de renda disponível por classe em bilhões de reais 515 398 256 106 população massa total de renda 15.7% 56.5% 28% Projeção 2015 AB C D E desenvolvido por MIXXER para ABIC Fonte:FGV/ CENTRO DE POLÍTICAS SOCIAIS
    16. 22. desenvolvido por MIXXER para ABIC Fonte: KANTAR WORDLPANEL expansão do consumo incremento dos gastos em alimentos, bebidas, higiene pessoal e produtos de limpeza 2008 X 2009, em % Nº DE CATEGORIAS NAS COMPRAS AB C DE > 10 de 4 a 10 até 4 14 + 17 21 + + 2008 2009 2008 2009 2008 2009 salários mínimos
    17. 23. o consumidor brasileiro de café
    18. 24. penetração do café em % Fonte: Pesquisa Tendências de Consumo de Café – Ivani Rossi – Fevereiro de 2010 + 6,6 2003 2009 O hábito é um dos elementos mais importantes na formação do consumidor de café. A partir daí, os elementos organolépticos (aroma, sabor residual, etc) são os elementos de reforço do consumo. Além do caráter social do consumo desta bebida
    19. 25. + 14% classe social Fonte: Pesquisa Tendências de Consumo de Café – Ivani Rossi – Fevereiro de 2010 o consumidor brasileiro de café 2003 2009 - em % A B C D
    20. 26. Fonte: Pesquisa Tendências de Consumo de Café – Ivani Rossi – Fevereiro de 2010 desenvolvido por MIXXER para ABIC EM CASA FORA DE CASA 2003 2009 + 170% 2009 +242% Classe C hábitos de consumo local de consumo - em %
    21. 27. hábito de consumo intensidade 2008 2009 - em % Fonte: Pesquisa Tendências de Consumo de Café – Ivani Rossi – Fevereiro de 2010 desenvolvido por MIXXER para ABIC EM CASA FORA DE CASA QUANTIDADE DIÁRIA + 10% +9% +20%
    22. 28. desenvolvido por MIXXER para ABIC hábitos de consumo tipos de café por classe – 2004 2009 - em % Fonte: Pesquisa Tendências de Consumo de Café – Ivani Rossi – Fevereiro de 2010 A B C D
    23. 29. Fonte: Pesquisa Tendências de Consumo de Café – Ivani Rossi – Fevereiro de 2010 desenvolvido por MIXXER para ABIC hábitos de consumo tipos de café por faixa etária – 2004 2009 - em % + 36 27 - 35 20 - 26 15 - 19
    24. 30. hábitos de consumo tipos de café - em % Fonte: Pesquisa Tendências de Consumo de Café – Ivani Rossi – Fevereiro de 2010 94 15 10 - 10 0,5 1 - - Moído: coado/ filtrado Instantâneo/ solúvel Capuccino instantâneo Capuccino não inst.(*) Expresso Gourmet Descafeinado Orgânico De região certificada 93 12 7 4 7 1 1,2 0,4 0,4 2003 2009 2003 2009 10 11 1,5 3 2004 2009 A B C D 19 15 8 5 27 19 8 6 + 42 + 26 CAFÉS ESPECIAIS Consumo de tipo 1,31 1,26
    25. 31. conceito de qualidade em café 2003 2009 - em % Fonte: Pesquisa Tendências de Consumo de Café – Ivani Rossi – Fevereiro de 2010 desenvolvido por MIXXER para ABIC
    26. 32. atributos associados ao café 2004 2009 - em % Fonte: Pesquisa Tendências de Consumo de Café – Ivani Rossi – Fevereiro de 2010 - (*) incluído em 2008 desenvolvido por MIXXER para ABIC (*)
    27. 34. PROGRAMA DE QUALIDADE DO CAFÉ
    28. 35. ESCALA SENSORIAL 0
    29. 37. Representação de produtos por Categoria Gourmet ...........92 Superior ........... 80 Tradicional ....... 182
    30. 39. ESCALA SENSORIAL 0
    31. 40. <ul><li>Conjunto de sugestões para a elaboração de editais de licitação para a compra de café. </li></ul>Estabelece um monitoramento da qualidade do produto adquirido, com avaliações feitas em laboratórios credenciados
    32. 41. Governo de Minas Gerais e do Espírito Santo Exército Brasileiro Órgãos do Governo do Paraná Prefeitura de Piracicaba - SP EBAL - Empresa Baiana de Alimentos 6,5 pontos 6,0 pontos 5,5 pontos 5,5 pontos 4,5 pontos Prefeitura de São Paulo - SP 4,5 pontos
    33. 42. para adoção do NMQ
    34. 43. Novos Nichos de Mercado Cafés Sustentáveis
    35. 44. Certificações e Programas de Sustentabilidade
    36. 45. FAZENDA Certificação de boas práticas agrícolas e preservação do meio ambiente XÍCARA Produto sustentável e com qualidade certificada INDÚSTRIA Certificação na torrefação, controles,segurança, higiene e avaliação do produto SUSTENTABILIDADE QUALIDADE QUALIDADE COM SUSTENTABILIDADE
    37. 47. Avaliação do café SPECIALTY COFFEE ASSOCIATION OF AMERICA
    38. 48. Pagamento de Prêmio ABIC SCAA Prêmio (%) PQC - ABIC Catação Gourmet < 10 85-100 25 Gourmet < 10 80-84 20 Gourmet < 10 73-79 15 Superior < 10 65-72 10
    39. 49. MELHOR QUALIDADE = MAIOR VALOR AGREGAD O = MAIS RENDA PARA O PRODUTOR E PARA O INDUSTRIAL DE CAFÉ
    40. 50. E O CONILON?
    41. 51.     -   Participação média na produção brasileira = 35%     -   Não há excedentes significativos     -   Lógica de preços e mercado distinto do arábica     -   Preços se aproximam ou superam arábica em algumas ocasiões     -   Viabilizou o suprimento para suportar o aumento da demanda interna     -   Enorme potencial para exportação - Brasil quase não atua neste mercado crescente  
    42. 52. E a qualidade do produto final?
    43. 53. 20% conilon 10% conilon Só arábica
    44. 54. Perfil do Consumidor de Café <ul><li>Tipos de café consumidos (geral) </li></ul><ul><li>coado/filtrado – 93% </li></ul><ul><li>Solúvel – 14% </li></ul><ul><li>Cappuccino – 13% </li></ul><ul><li>Expresso – 11% </li></ul><ul><li>O consumo de expresso: classe A/B </li></ul><ul><li>Crescem o solúvel cappuccino : classe C/D </li></ul>
    45. 55. O Fenômeno do Solúvel <ul><li>Praticidade </li></ul><ul><li>Baixo custo </li></ul><ul><li>Porta de entrada nos mercados novos e emergentes </li></ul><ul><li>Crescimento do liofilizado </li></ul><ul><li>Produtos novos e sofisticados: </li></ul><ul><li>Orgânico </li></ul><ul><li>Fair Trade </li></ul><ul><li>Certificados </li></ul><ul><li>“ Especiais” </li></ul>Criar novos consumidores / mantê-los por mais tempo / subir a escada.
    46. 56. Bebidas prontas para beber <ul><li>Inovação japonesa (1970) </li></ul><ul><li>Novos produtos </li></ul><ul><li>Gigantes do mercado </li></ul><ul><li>Starbucks + Pepsi </li></ul><ul><li>Illy + Coca-Cola </li></ul>Bebida de café- pronta para beber, estável à temperatura ambiente
    47. 57. Bebidas prontas para beber <ul><li>Mercado ainda pequeno que cresce aceleradamente </li></ul><ul><li>Grande agregação de valor </li></ul><ul><li>Outras empresas </li></ul><ul><li>Japão </li></ul><ul><li>Guatemala </li></ul><ul><li>Colômbia </li></ul><ul><li>Base é extrato líquido (café solúvel) </li></ul>
    48. 58. Palcos do crescimento do consumo: Os 3 mercados <ul><li>Mercados tradicionais (54%) </li></ul><ul><li>EUA, Europa e Japão </li></ul><ul><li>Países produtores (29%) </li></ul><ul><li>Brasil, Índia, Indonésia, México, etc. </li></ul><ul><li>Mercados emergentes (18%) </li></ul><ul><li>Leste Europeu (Russía) </li></ul><ul><li>China, Coréia, Austrália, etc. </li></ul>
    49. 59. Centro de Desenvolvimento tecnológico da Café Estudo de Qualidade Café Conilon Parceria Período de realização : de Julho de 2006 a Novembro de 2006
    50. 60. <ul><li>30 amostras </li></ul><ul><li>3 regiões </li></ul><ul><ul><li>Norte, Noroeste e Sul. </li></ul></ul>
    51. 61. Região Sul
    52. 62. Região Noroeste
    53. 63. Região Norte
    54. 65. Avaliação Sensorial Blends com Arábica <ul><li>Conilon </li></ul><ul><li>CD, Noroeste do ES, terreiro </li></ul><ul><li>Arábica </li></ul><ul><li>CD, tipo 2/3, Gourmet </li></ul>
    55. 66. Avaliação Sensorial Blends com Arábica 15% 85% PRODUTO QUALIDADE GLOBAL Conilon CD + Arábica 7,20
    56. 67. Conilon no Espírito Santo <ul><li>Alta produtividade </li></ul><ul><li>Tecnologia avançada </li></ul><ul><li>Rentabilidade e viabilidade econômica </li></ul><ul><li>Convivência tranqüila com arábicas </li></ul><ul><li>Próxima etapa :  aprimorar a Qualidade </li></ul>
    57. 68. “ O que realmente importa é estimular o consumo de todas as formas de café, com qualidade crescente, maior valor agregado e rentabilidade em todo agronegócio.” Almir José da Silva Filho Presidente da ABIC
    58. 69. MUITO OBRIGADO! www.abic.com.br www.cafeesaude.com.br E-MAIL abic@abic.com.br

    ×