Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

1º Fórum do CCQ – Círculo do Café de Qualidade

1,139 views

Published on

1º Fórum do CCQ – Círculo do Café de Qualidade durandte o 17º ENCAFÉ - ABIC

Published in: Business, Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

1º Fórum do CCQ – Círculo do Café de Qualidade

  1. 1. 1º Fórum do CCQ – Círculo do Café de Qualidade Realizado na tarde do dia 20 de novembro, no âmbito do 17º Encafé, o 1º Fórum ABIC do Círculo do Café de Qualidade foi uma conversa livre, com muita troca de experiência, em torno do segmento de cafés de alta qualidade no Brasil. Foi debatido como ampliar as vendas desse produto e de que forma o Círculo do Café de Qualidade (CCQ) pode ser uma ferramenta para o crescimento do mercado de café. Além de industriais e proprietários de cafeterias, participaram como convidados especiais os americanos Bruce Milletto, da Belissimo Coffee InfoGrop e American School of Baristas; David Griswold, da Sustainable Harvest Coffee e ex-presidente da SCAA, Pete Millers, da Caravan Coffee, e os jornalistas Jan Weigel e Chris Ryan, da revista Fresh Cup. A seguir, um resumo das principais conclusões e recomendações deste Fórum. Quer enviar uma sugestão? clique aqui Pontos abordados: Quais as iniciativas e pontos importantes para ampliar o consumo de café de alta qualidade? Depoimentos 1. Ponto chave é a educação para o consumo e marketing; 2. Consumidor precisa saber que existem cafés que custam mais caro e a razão disso; 3. Ferramenta do CCQ é o treinamento do Barista; 4. Cafeterias devem ser encaradas como pontos de educação à distância – centro de difusão do conhecimento; 5. Cafeterias podem utilizar o mesmo conceito da degustação de vinhos; 6. Pessoas gostam de mostrar que compraram café diferente; 7. O caminho é divulgar através da qualidade;
  2. 2. 8. Existe uma demanda reprimida por produtos de qualidade; 9. Cafeteria ajuda a vender o bom café na gôndola e não é concorrente; 10. Quanto melhor a qualidade da Cafeteria, mais o varejo vende cafés especiais; 11. Investir massivamente em comunicação via internet (facebook/You tube/Twitter); 12. Realizar ações educativas dentro da cafeteria – cupping e cursos – pois a cafeteria é o meio físico de formação da cultura do café para os consumidores; 13. Ampliar a divulgação do PQC através da cafeteria – promover a educação do consumidor; 14. Ambiente de informação é a cafeteria: utilizar o máximo disso e difundir conhecimento e conceito; 15. O Barista é pessoa chave e precisa estar preparado e devidamente treinado. Qual o papel do CCQ/ABIC para promoção do consumo de café de alta qualidade? E quais as oportunidades para ampliar e/ou melhorar o negócio? 1. Padarias são uma alternativa para atrair as classes mais baixas. O Brasil precisa entender como vender luxo para as classes B e C; 2. Criação de mini lojas de café em Padarias – reposicionamento do negócio “padaria” como um todo, o café aproveitando essa onda; 3. Dados: 62.000 padarias no Brasil, sendo mais de 15.000 em São Paulo; 4. Padarias estão se tornando lojas de conveniência e o café pode recuperar espaço e qualidade; 5. Renovação de conceitos e serviços neste segmento; 6. Grandes empresas de café já estão com pontos de café em Padarias, muitos desses estão baseados em equipamentos de recente tecnologia; 7. Melhorar ainda mais as cafeterias, inovando e tornando-as mais atrativas e modernas; 8. Café é visto como coisa de gente velha, mas com as novas cafeterias o café está voltando a ser moda na juventude; 9. Explorar café na geração saúde – disseminar o conceito de energético / bebida natural; 10. ABIC deve divulgar mais café e saúde e educar os jovens a tomar mais café; 11. Envolver mais as indústrias nas cafeterias - marca vende, luxo vende;
  3. 3. 12. Cafeteria deveria expor a marca do que vende e as torrefadoras deveriam estimular esta prática (exposição da marca); 13. Cafeterias x quiosques de café - - quiosques podem ser explorados (hospitais, condomínios, laboratórios, etc.); 14. O CCQ deve envolver parte da cadeia que são os fabricantes de equipamentos, pois profissionais deste segmento são importante fonte de aprendizado; 15. O CCQ deve envolver fabricantes e operadores de “vending machines”, estimulando mais qualidade nessas máquinas. Conclusões: 1. É necessário conhecer o mercado e o consumidor que pretende alcançar; 2. Trabalhar de forma diferenciada. Inovar; 3. Divulgar a qualidade do café e suas diferenças; 4. Levar os pontos de café até os jovem, formadores de opiniões (universidades); 5. Trabalhar mais o conceito Café e Saúde e aproximar os jovens. (energético/natural/drinks); 6. Investir na comunicação via web ( youtube, twiter, etc....); 7. Buscar apoio financeiramente para elaboração do material de divulgação e educação de consumo; 8. A certificação do CCQ fortalece a marca, valorizar a qualificação; 9. Aproximar do segmento de equipamentos para juntar forças na divulgação e capacitação; 10. Treinar e capacitar o Barista é o caminho para ajudar a educar o consumidor; 11. Ampliar o Guia ABIC da Qualidade dos Cafés do Brasil e fazer o Guia da Qualidade dos Cafés Especiais; 12. Aproveitar grandes eventos e fazer ações junto com o governo para Copa do Mundo e Olimpíadas. Campanha pública sobre qualidade do café; 13. O 1º Fórum do CCQ recomenda ao Conselho Gestor da ABIC a criação de uma "Diretoria do CCQ e Especialização", para ampliar as ações de apoio às empresas do setor.

×