Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Carlos Eduardo UFMA-DEINF Mestrado-Satelite-ap

156 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Carlos Eduardo UFMA-DEINF Mestrado-Satelite-ap

  1. 1. 1 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Sistemas de Comunicação Via Satélite Seminário ministrado na disciplina “COMPUTAÇÃO MÓVEL”. Pós-Graduação em Engenharia Elétrica, Mestrado em Ciência da Computação. Universidade Federal do Maranhão. Setembro / 2003. 2 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Resumo • Introdução. • Cobertura. Constelação de Satélites. • Órbitas de Satélites. • Conexões e Serviços por Satélite. • Redes de Satélites: Redes de Dados. Conclusão SUMÁRIO 3 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 • Crucial para o desenvolvimento das telecomunicações; RESUMO • Importância comparável à das Fibras Óticas; • Altos custos dificultam a universalização, mas tem contribuição relevante para as comunicações sem fio e a computação móvel; • Várias Constelações de satélites em operação; • Serviços ofertados: Telefonia, Sinais de Geodésia, Navegação, GPS, Transmissão de dados, Sensoreamento remoto e Internet banda larga.
  2. 2. 2 4 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 A área de cobertura geográfica de um único satélite em órbita geoestacionária sobre o Equador, não consegue ser maior do que 30% da superfície da terra [Athur Clarke, 1945] [1] Constelação de Satélites. “Um número de satélites similares, de tipo e funções similares, desenhado para estar em órbitas similares e complementares, para um propósito compartilhado, sob um controle compartilhado”. COBERTURA 5 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Tipos de Órbitas. • Órbita Elíptica Alta - HEO No percurso, o satélite descreve uma elipse. Usada em transmissões de TV por broadcast. • Órbita Geoestacionária - GEO Satélite fixo em relação a um ponto ou área do planeta sobre alinha do equador, a uma altitude de 35,8 mil km. • Órbita Média - MEO Satélite girando ao redor da terra, numa altitude entre 7 mil km e 10,5 mil km, cobrindo um mesmo ponto a intervalos regulares. • Órbita Baixa - LEO Satélite girando ao redor da terra, numa altitude entre 500 km e 1500 km, cobrindo um mesmo ponto a intervalos regulares. 6 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003
  3. 3. 3 7 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Geometria das Órbitas. Somente as órbitas Média - MEO e Baixa - LEO utilizam geometria distinta da equatorial (GEO). • Órbita Walker Delta ou Rosette Também chamada de órbita Inclinada. 8 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 • Órbita Walker Estrela ou Polar 9 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Freqüências de Uso. Aplicações. Banda Faixa de freqüência Largura de banda Aplicação geral L 1 a 2 GHz 1 GHz Serviço móvel de satelital (MSS). S 2 a 4 GHz 2 GHz MSS, NASA, pesquisa espacial. C 4 a 8 GHz 4 GHz Serviço satelital fixo (FSS). X 8 a 12,5 GHz 4,5 GHz FSS militar, exploração da terra e satélites meteorológicos. Ku 12,5 a 18 GHz 5,5 GHz FSS, serviços de difusão satelital (BSS). K 18 a 26,5 GHz 8,5 GHz BSS, FSS. Ka 26,5 a 40 GHz 13,5 GHz FSS.
  4. 4. 4 10 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Tipos de Conexões. • Conexão Ponto-a-ponto ou Ponto-multiponto. a) b) a) Conexão Unicast. b) Conexão Multicast. 11 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Tipos de Conexões. • Conexão Broadcast. Transmissor Receptores múltiplos Receptores múltiplos 12 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Constelações em operação * * Todas implementadas nos anos 90
  5. 5. 5 13 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Conexão por Satélite Repetidor. 14 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Conexão por Satélite Roteador. 15 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Aplicações.
  6. 6. 6 16 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Aplicações. • Comunicação de dados ¬Serviços de disaster recovery confiáveis ¬Utilities: óleo, gás, água, eletricidade ¬Acompanhamento de cargas perigosas • Telefonia ¬Telefonia remota para segurança de infraestrutura ¬Telefonia para locais de baixa teledensidade e/ou sem rede • Internet Trunking • Backbone Internet 17 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 • Serviços de vídeo / DBS • Serviços de Rede Corporativa • Segurança residencial de qualquer lugar a qualquer hora • Dados de telemetria • Monitoramento de trens/caminhões • Reparo / manutenção de barragens ou pontes • Comunicação Marítima/Aeronáutica • Acompanhamento de tempo de uso para navios e aviões • Serviços banda larga comerciais e governamentais Aplicações. 18 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Aplicações: GPS.
  7. 7. 7 19 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Aplicações: COSPAS-SARSAT. Sistemas operando nos EUA: NESDIS National Environmental Satel- lite, Data and Information Service NOAA National Oceanic and Atmos- pheric Administration SARSAT Search and Rescue Satellite Aided Tracking EPIRB Emergency Position-indica- ting Radio Beacon 20 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Principais fabricantes 21 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Notícias.
  8. 8. 8 22 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Notícias. 23 COMPUTAÇÃO MÓVEL Carlos Eduardo Silva Castro. Setembro / 2003 Conclusão. • Cobertura global para telecomunicações; • Atinge lugares onde a Fibra Ótica não chega; • Dificuldades no manuseio de TCP/IP em processo avançado de solução (MPLS e outros); • Diminuição dos custos para o usuário final • Aumento constante na oferta de serviços; • Várias Constelações de satélites operando; • Satélites com mais tecnologia embarcada

×