Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Barramentos clock interno

5,544 views

Published on

  • Be the first to comment

Barramentos clock interno

  1. 1. CPU e Barramentos o Clock interno 1
  2. 2. Sumário  CPU  Definições  Constituição interna  Ligações ao exterior: dados, endereços, controlo  Barramentos  Definições  Tipos de barramentos  Arbitragem do barramento  Interrupções  Mapeamento de I/O / Descodificação de endereços 2
  3. 3. CPU CPU – Central Processing Unit  É o órgão responsável pela actividade de um computador  Executa instruções que estão armazenadas na memória. À leitura de uma instrução dá-se a designação de fetch O CPU inclui  ALU – Arithmetic Logic Unit  Unidade de controlo  Registos  Linhas de comunicação internas – barramentos internos 3
  4. 4. Barramentos Um barramento (Bus) é um conjunto de linhas partilhado por vários dispositivosCada barramento obedece a um conjunto de regras (Bus Protocol) e écaracterizado por um conjunto de especificações eléctricas e mecânicasNum computador existem vários tipos de barramentos  Barramento local  Barramento de sistema  Barramento interno ao processador  Caminhos que permitem o transporte de dados entre os vários elementos: CPU, memória, placas de expansão, sistema de entrada e saída, etc... 4
  5. 5. Barramentos Grupo de linhas paralelas. Cada linha trafega 1 bit de cada vez  Barramento de 8 linhas  1 byte  Barramento de 32 linhas  4 bytes Exemplos de padrões de barramento de expansão:  ISA (Industry Standard Architecture),  MCA (Microchannel Architecture),  EISA (Extended Industry Standard Architecture),  VLB (Vesa Local Bus), Serão exemplo os mais modernos  PCI (Peripheral Component Interconnect),  AGP (Accelerated Graphics Port),  USB (Universal Serial Bus) 5
  6. 6. Barramentos Padrão PCI Os dados são transmitidos em 64 bits Desenvolvido inicialmente pela Intel Desenvolvido para o Pentium e para o Pentium Pro Mais barato e versátil que o VLB Alto desempenho 6
  7. 7. Barramentos Padrão AGP Desenvolvido para as placas de vídeo mais modernas (3D) e processadores Pentium II 2 vezes mais rápido que o PCI Permite a placa de vídeo aceder directamente a memória para armazenar texturas sem que os dados passem pelo processador 7
  8. 8. Barramentos Padrão USB Novo padrão para a conexão de periféricos externos  Facilidade de uso  Possibilidade de conectar vários periféricos a uma única porta USB  Considerado 1º barramento para Computadores realmente Plug-and- Play 8
  9. 9. Barramentos Exemplo de barramentos num computadorInternos Local Sistema 9
  10. 10. Barramentos Noção de Master e Slave de um barramento Master – dispositivo que requisita o barramento tomando a iniciativa numa transferência de dados Slave – dispositivo que serve o pedido A maioria dos dispositivos pode tanto ser master como ser slave, excepto a memória que é sempre slaveExemplos:  O CPU o pede ao controlador de disco para ler um bloco em disco  O controlador de disco pede à memória para aceitar os dados que foram lidos do disco 10
  11. 11. Barramentos Ligação de vários dispositivos periféricos Vários dispositivos periféricos podem partilhar o mesmo barramento Tal facto é possível devido a  Utilização de buffers tri-state  Existência de arbitragem no barramento 11
  12. 12. Arbitragem do barramentoA arbitragem do barramento existe para impedir a dois dispositivos diferentessejam master simultaneamente.Existem dois tipos de arbitragem  Centralizada – existe um dispositivo – árbitro – ao qual estão ligados todos os periféricos  Descentralizada – cada periférico verifica primeiro se já existe um outro periférico que seja master do barramento 12
  13. 13. Interrupções Designa-se por interrupção um evento que faça com o CPU interrompa (temporariamente) a normal execução de um programa  Exemplos:  Pedido de um periférico que não pode esperar  Existência de um erro num programa Quando ocorre uma interrupção, o CPU terá que salvaguardar o conteúdo de todos os seus registos A interrupção é servida através da execução de um conjunto de instruções pré-definidas 13
  14. 14. Interrupções Existem vários tipos de interrupções Hardware  Pedidos de dispositivos periféricos, relógio do sistema, circuitos de monitorização de energia Software  Uma interrupção causada por um programa (e.g., envio de dados para o écran) Excepção  Ocorrem devido a utilizações indevidas de instruções ou de dados (e.g., divisão por 0, acesso a uma posição de memória protegida, etc.) 14
  15. 15. Interrupções Interrupt requests (IRQ)  Canais para requisição de interrupções – um canal por periférico Interrupt controller (PIC)  Um controlador de interrupções é responsável pelo encaminhamento das interrupções dos periféricos para o processador  Estabelece um protocolo com o processador, trocando dados necessários para servir a interrupção 15
  16. 16. Descodificação de Endereços Os periféricos podem ser mapeados para posições de memória (memory- mapped I/O)  Desta maneira poupam-se linhas de barramento dedicadas para cada periférico As transferências de dados podem ser vistas como operações de leitura / escrita em memória Põe-se então um problema: como activar os chips correspondentes ao controlo destes periféricos ?  Utiliza-se descodificação de endereços  Desta maneira a cada periférico fica associado um conjunto de endereços 16
  17. 17. Clock interno Coração do computador  Emite pulsos eléctricos que se propagam pelo barramento Movido por um cristal de quartzo localizado na placa mãe  As moléculas deste cristal vibram milhões / biliões de vezes por segundo, em velocidade constante  As vibrações são usadas para cronometrar operações de processamento e ditar a velocidade de transferência de dados Expresso em termos de frequência – Hertz (Hz)  1 Hz = 1 ciclo por segundo (1 operação realizada a cada ciclo) Exemplo: Computador de 1 GHz emite 1 bilhão de pulsos eléctricos por segundo – 1 bilhão de realizadas por segundo O processador não possui gerador de clock. Opera multiplicando o sinal recebido da placa mãe 17
  18. 18. Clock interno Tecnologia relacionada ao número de instruções de processamentoque podem ser reconhecidas CISC (Complex Instruction Set Computing) Conjunto Complexo de Instruções  Reconhece mais de uma centena de instruções  É mais lento na execução das instruções (quanto > número de instruções > tempo)  A maioria dos microprocessadores são CISC 18
  19. 19. Clock interno RISC (Reduced Instruction Set Computing)  Conjunto Reduzido de Instruções RISC Reconhece um número limitado de instruções que, em contrapartida, são optimizadas para que sejam executadas com mais rapidez Redução do conjunto de instruções ao mínimo: as instruções não contempladas são executadas como combinações das existentes Desempenho de 50-75% superior a um CISC 19

×