Trabalho de historia: Religiosidade Popular na Colonia

4,589 views

Published on

Religiosidade Popular na Colonia

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
4,589
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
46
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho de historia: Religiosidade Popular na Colonia

  1. 1. TRABALHO DE HISTORIA Religiosidade Popular na colonia
  2. 2. Religiosidade Popular A religiosidade popular (conjunto de práticas simbólicas de raiz popular) é um facto que acompanha a vida da Igreja Católica (aqui escolhida na sua qualidade de religião mais representativa no nosso país) e que a acompanhou durante todos os séculos. Trata-se de expressões, gestos, atitudes,
  3. 3. Religiosidade No Brasil Colonia Religiosidade Colonial. A Festa da Boa Morte: manifestação de uma irmandade religiosa baiana oriunda dos tempos coloniais. Segregação, trabalho e interesse são os mais comuns itens pelos quais os livros de História resgatam o nosso passado colonial.
  4. 4. A religiosidade na colônia A partir da chegada expedição de Pedro Alvares Cabral, a religiosidade cristã foi sendo gradativamente apresentada para os nativos americanos. Acima, a cena representada fornece a ideia de que esses primeiros contatos entre a Igreja Católica e os ameríndios foram amistosos. No entanto, sabemos que os trabalhos para se retirar as religiosidades originais dos índios empreendidos dos padres
  5. 5. Tais metodologias passavam pelo emprego do teatro e da música, no sentido de transmitir os preceitos e ideais do catolicismo. Sabe-se que a história da presença da Companhia de Jesus na América Portuguesa começa em 1549, com a chegada dos primeiros missionários em 1549. A partir de então, tal ordem foi se estabelecendo em solo colonial, criando missões e colégios. O objetivo era o de evangelizar os nativos, fortalecendo o poder da Igreja Católica no Novo Mundo.
  6. 6. Religiosidade popular colonial: entre o sagrado e o profano religiosidade popular na colônia. Enfatizaremos que as preocupações da Igreja Católica, ao estarem voltadas para atender aos cânones da religião católica, o que ia ao encontro dos interesses dos senhores de engenho, resultavam na intolerância aos saberes dos indígenas e dos negros escravizados, que eram obrigados a participar da fé de seus senhores, além de excluir os saberes de outros pobres livres.
  7. 7. A diversidade de etnias que aqui se alocaram e, com isso, a diversidade cultural que aqui se manifestava, tanto a diversidade egra, quanto a diversidade indígena, e até mesmo a diversidade branca, contribuíram para a emergência de uma religiosidade diferente da esperada pela Igreja, derivando em práticas religiosas, voltadas para costumes e rituais sincretizados. Será feita uma análise dos costumes religiosos, das festas e também da poesia que expressava o sentimento e a vivência colonial na época.
  8. 8. Religião e Religiosidade no Brasil Colonial O livro aborda a religiosidade na formação social brasileira, mostrando a forte influência da igreja católica enquanto instituição de poder durante o período colonial onde as normas oficiais fundiram-se rapidamente com as crenças e práticas populares, num intenso movimento de recriação cultural que deixou marcas permanentes na vida do povo brasileiro
  9. 9. religião e a religiosidade A religião e a religiosidade são vistas como expressão cultural de homens e mulheres que em condições específicas, viveram no Brasil colonial
  10. 10. Equipe Anna mayra Anna thalia Iris Ferreira Samara morais Ianka Oliveira Michel Macedo

×