Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Blog 3 - Capítulos 7 e 8

Blog 3 - Capítulos 7 e 8

Related Books

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Blog 3 - Capítulos 7 e 8

  1. 1. Blog 3 referente aos capítulos 7 e 8 Capítulo 7 O capítulo versa sobre os detectores de luz e começa falando sobre os princípios da fotodetecção, cujo mecanismo é fundamental para a comunicação óptica, onde um sinal de luz é convertido em uma grandeza elétrica (usualmente corrente elétrica). Esses fotodetectores são formados por junções p-n reversamente polarizadas. Os fotodiodos mais comuns são os PIN, que têm sua eficiência avaliada através de sua responsividade, dada por R = Ig/Po, onde Ig é a corrente gerada e Po é a potência recebida. Por fim, fala-se sobre o fotodiodo avalanche, cujo ponto forte é a medição de baixas intensidades e cujo ganho interno melhora a sua responsividade. Por vezes, obtém-se um maior ganho antes da avalanche através da adição de dopantes. Contudo, ele é sensível à mudança de temperatura. O capítulo traz figuras, gráficos e tabelas elucidativos que facilitam a compreensão, ele também é mais fácil do que os últimos capítulos os quais vínhamos estudando. Segundo estudo da HP, o fotodetector pode ser usado como medidor de potência, dentre as vantagens pode-se medir potências até a ordem de 1pW e obter boa sensitividade: http://literature.cdn.keysight.com/litweb/pdf/5965-5287E.pdf Também fiz um estudo sobre o efeito da avalanche de luz em outra disciplina: https://www.dropbox.com/s/riyl563jhgrx7k2/Relat%C3%B3rio%20PCS%202529% 207.0%20FINAL.pdf?dl=0
  2. 2. Capítulo 8 Esse capítulo possui um viés mais prático e fala sobre alguns componentes passivos e moduladores externos. Conectores são componentes passivos e existem vários tipos no mercado de acordo com a aplicação do cliente. É desejável que eles tenham baixas perdas de inserção e reflexão, estabilidade das características face aos ciclos repetidos de conexão e desconexão, construção e montagem fáceis, insensibilidade a fatores ambientais, baixo ruído de diafonia etc. Eles estão associados à perdas de inserção extrínsecas, enquanto as intrínsecas advém da fibra óptica afetando os conectores em suas geometrias. As emendas, diferentemente dos conectores de caráter temporário, são junções permanentes e possuem a função de aumentar o comprimento do cabo óptico, mudar o tipo de cabo e efetuar manobras de sistemas de cabeamento. Elas causam o mesmo tipo de perdas que os conectores, contudo a atenuação é menor do que quando usado um conector. Em uma rede óptica, o sinal pode atravessar diferentes caminhos, esse direcionamento de sinal é feito através de acopladores T, acoplador estrela, acopladore direcional ou comutadores. Nas redes full duplex, onde uma mesma fibra óptica recebe e transmite sinais. Os modulares externos, como o próprio nome indica, modulam os sinais ópticos, é importante estar atento a eventual reflexão que pode voltar à fonte de luz, esse evento desabilita o modulador. O capítulo teve extensão mediana no universo do livro com informações concisas e de alto grau prático. As ilustrações deram um bom “feeling” de como os conectores são na realidade. Este documento relata o efeito de conectores danificados na transmissão do sinal, além de mostrar figuras mais detalhistas e coloridas dos conectores: http://cp.literature.agilent.com/litweb/pdf/5991-1271EN.pdf

×