Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito

1,961 views

Published on

BANCO DE AULAS ANA LUZ

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito

  1. 1. CENTRO DE TRABALHOS ESPÍRITA ANA LUZ ELEMENTOS GERAIS DO UNIVERSO: Matéria e Espírito
  2. 2. 1804-1869
  3. 3. 1.O Fluído Cósmico Universal1.O Fluído Cósmico Universal 2. Elementos Gerais do Universo:2. Elementos Gerais do Universo: Matéria e EspíritoMatéria e Espírito 3. Formação dos Mundos e da Terra3. Formação dos Mundos e da Terra 4. Os Reinos da Natureza:4. Os Reinos da Natureza: Mineral, Vegetal, Animal e HominalMineral, Vegetal, Animal e Hominal 5. Diferentes Categorias de Mundos Habitados 6. Materialização nos Diferentes Mundos 7. A Terra: Mundo de Expiação e Provas7. A Terra: Mundo de Expiação e Provas
  4. 4. Informativo
  5. 5. “Por quê?” está fora do domínio da ciência. A ciência busca responder “que” e “como”. Para saber “o porquê” assista à aula de Filosofia. Aspecto “religioso” é com às “Religiões”
  6. 6. 1. Como a Ciência conceitua a matéria? 2. Como a Filosofia define a matéria? 3. Há quantos elementos gerais no Universo? 4. Com relação à matéria, que é que nos ensina a Doutrina Espírita? 5. Que informações o Espiritismo nos dá com relação ao fluido
  7. 7. Ciência que estuda seres vivos (animal, vegetal e hominal), considerando o aspecto evolutivo da origem, seu desenvolvimento e sua fisiologia, sua organização e seu comportamento
  8. 8. ...qualquer substância sólida, líquida ou gasosa que ocupa lugar no espaço; Substância capaz de receber determinada forma ou na qual atua determinado agente. Física é um termo com origem no Grego “physis” que significa “natureza” É a ciência que estuda as propriedades da natureza e os fenômenos naturais do Universo. Alguns dos físicos mais conhecidos da História: Galileu Galilei, Isaac Newton e Albert Einstein.
  9. 9. ...entre os filósofos pré-socráticos, o elemento ou substância essencial que constitui todo e qualquer ser da natureza. Substância informe e indeterminada que ganha forma em consequência da sua natureza receptiva, segundo o platonismo e o aristotelismo. Conjunto de estudos, de sistemas de pensamento e de reflexões intelectuais que visam a compreender a realidade absoluta, as causas elementares, os fundamentos dos valores e das crenças humanas, o sentido da existência.
  10. 10. Doutrina que busca o aperfeiçoamento moral dos homens por meio da crença na sobrevivência da alma e na existência de formas de comunicação entre vivos e mortos, o que ocorre pela interveniência dos chamados médiuns. ...existe em estados que o homem ignora e pode ser, por exemplo, tão etérea (de natureza espiritual elevada – celestial - divina) e sutil que nenhuma impressão causa aos sentidos. “Matéria Elementar Primitiva ou Fluído Cósmico Universal”
  11. 11. ●● MMatéria vai além da máximaatéria vai além da máxima comum, de que é tudo que podecomum, de que é tudo que pode impressionar os sentidosimpressionar os sentidos (visão,(visão, audição, paladar, olfato e tato).audição, paladar, olfato e tato). Para os Espíritos, em seusPara os Espíritos, em seus ensinamentos, a MATÉRIA existe emensinamentos, a MATÉRIA existe em estados ainda desconhecidos porestados ainda desconhecidos por nós, de forma tão sutil, que nãonós, de forma tão sutil, que não afete qualquer dos nossos sentidos.afete qualquer dos nossos sentidos. Mesmo assim, emboraMesmo assim, embora imperceptível aos nossos sentidos, éimperceptível aos nossos sentidos, é sempre matériasempre matéria..
  12. 12. DEUS-Criação Princípio Material: Matéria Princípio Espiritual: Espírito ● Fluido Universal ou Matéria Elementar Primitiva – Princípio Vital quando Inerte: Reino Mineral. ● Fluído Vital quando Ativo: Reino Vegetal, Animal e Hominal.
  13. 13. DEUS - Criador e inteligência Suprema ESPÍRITO Aspecto Fluídico, Etéreo e Inteligência Secundária Matéria Elementar Primitiva ou Fluído Universal CORPO MATERIAL Matéria Bruta constituída por PRINCÍPIO VITAL Ativo = Vida Inativo = Dessoma
  14. 14. Princípio Espiritual Princípio Material Individualização Do Princípio Espiritual Fluído Vital Magnético ou Elétrico Individualização do Princípio Material ESPÍRITO INATIVO VIDAATIVADO Matéria Elementar Primitiva ou Fluído Universal; Elemento básico fundamental de todo o Universo material e espiritual. Onde reside todas as forças e, por isso, suscetível a inúmeras combinações.
  15. 15. ● Sendo que toda criação procede de Deus, porquanto, o espírito surge dessa ideia. Assim, concluímos que só o espírito pode conceber ideias e que, o mesmo, não se dá em relação a matéria, sem que haja uma ação direta do fluido universal quando transformado em fluído vital. A ação direta do fluido vital é que dá vida aos seres orgânicos. O espírito quando materializado recebe a designação “ALMA”. Alma: “Princípio Inteligente que habita o corpo”.
  16. 16. Hálito Mental: Poder do Pensamento. Hálito Espiritual: Plasma Divino > Fluido cósmico. Hausto: Ação de haurir: (aspiração, desejo forte) Criação Excelsa: Criação Superior, Sublime. DEVA: 1. Gênio do Mal na religião de Zoroastro... 2. No Hinduísmo e Budismo, Ente divino ou deus. 3. Gênios bons na teogonia bramânica... TEOGONIA: 1.Ramo da mitologia que trata da origem dos deuses e descreve a sua genealogia.
  17. 17. 2. Conjunto de deuses que constituem a mitologia de um povo. Plasma/Protoplasma: Substância orgânica fundamental das células e tecidos. Física: Fluido composto de moléculas gasosas, íons e elétrons. (Estima-se que 99% da matéria do Universo exista sob a forma de plasma). Plasma Germinativo: 1. Biol. A informação hereditária que os gametas transmitem à descendência. 2. Termo genérico para células e tecidos que dão origem a um novo organismo.
  18. 18. Subsídios
  19. 19. Qst. 27: Haveria assim, dois elementos gerais do Universo: a matéria e o espíritos? - Sim, e acima de ambos, Deus, o criador, o pai de todas as coisas. Essas três coisas são o princípio de tudo o que existe, a trindade universal (8). Importa considerar que o elemento geral espírito – escrito com (e) minúsculo, também chamado princípio inteligente do Universo, difere de Espírito (palavra escrita com (E) maiúsculo), que designa a individualidade humana, dotada de razão. (veremos a seguir, as questões 23, 26 e 76 a 81 de O Livro dos Espíritos).
  20. 20. Qst. 23: Que é espírito? - O princípio inteligente do universo. Qst. 26: Pode-se conhecer o espírito sem a matéria e a matéria sem o espírito? - Pode-se sem dúvida, pelo pensamento. Qst. 76: Como podemos definir os Espíritos? - Podemos dizer que os Espíritos são os seres inteligentes da criação. Eles povoam o Universo, além do mundo material. Nota: A palavra Espíritos aqui é empregada para designar os seres extracorpóreos e não mais o elemento inteligente universal.
  21. 21. Qst. 77: Os Espírito são seres distintos da Divindade, ou não seriam mais do que emanações ou porções da Divindade, por essa razão chamados filhos de Deus? - Meu Deus! São sua obra, precisamente como acontece com um homem que fez uma máquina; Essa é obra do homem e não ele mesmo. Sabes o homem; quando faz uma coisa bela e útil, chama-a de sal filha, sua criação. Pois bem; dá-se o mesmo com Deus; Nós somos seus filhos, porque somos sua obra.
  22. 22. Qst. 78: Os Espírito tiveram princípio ou existem de toda a eternidade, como Deus? - Se os Espíritos não tivessem tido um princípio seriam iguais a Deus; Mas, pelo contrário, são sua criação, submetidos à Sua vontade. Deus existe de toda a eternidade, isso é incontestável; Mas quando e como Ele criou, não sabemos. Podes dizer que não tivemos princípio, se com isso entendes que Deus, sendo eterno, deve ter criado sem cessar; Mas quando e como cada um de nós foi feito, eu te repito, ninguém o sabe; isso é um mistério.
  23. 23. Qst. 79: Um vez que há dois elementos gerais do Universo: O inteligente e o material, poderíamos dizer que os Espíritos são formados do elemento inteligente, como os corpos inertes são formados do material? - É evidente. Os Espíritos são individualizações do princípio inteligente, como os corpos são individualizações do princípio material; E a maneira dessa formação é que desconhecemos.
  24. 24. Qst. 80: A criação dos Espíritos é permanente ou verificou-se apenas na origem dos tempos? - É permanente, o que quer dizer que Deus jamais cessou de criar. Qst. 81: Os Espíritos se formam espontaneamente ou procedem uns dos outros? - Deus os criou, como a todas as outras criaturas, pela sua vontade; Mas repito ainda uma vez mais que a sua origem é um mistério.
  25. 25. A matéria tem origem no fluído cósmico universal, também conhecido como éter ou matéria cósmica primitiva, conforme vimos no roteiro anterior deste módulo (3). Sabemos também que nessa [...] substância original, ao influxo do próprio Senhor Supremo, operam as inteligências Divinas a Ele agregadas, em processo de comunhão indescritível, os grandes Devas da teologia hindu ou os Arcanjos da interpretação de variados templos religiosos, extraindo desse hálito espiritual os celeiros da energia com que se constroem os sistemas da Imensidade, em serviço de Cocriação em plano maior, de conformidade com os desígnios do Todo-Misericordioso, que faz deles agentes orientadores da Criação Excelsa (12).
  26. 26. Sob a orientação das Inteligências Superiores, congregam-se (ligam-se) os átomos em colmeias (agrupamentos) imensas, e, sob a pressão (a força), espiritualmente dirigida, de ondas eletromagnéticas, são controladamente reduzidas as áreas espaciais intra-atômicas (contido no átomo), sem perda de movimento, para que se transformem na massa nuclear adensada (que tem muita massa – muito conteúdo intenso, profundo), de que se esculpem os planetas, em cujo seio as mônadas celestes (princípio inteligente) encontrarão adequado berço ao desenvolvimento (10).
  27. 27. Temos, assim, a luz e o calor, que teoricamente classificamos entre as irradiações nascidas dos átomos supridos (completos) de energia. São estes que, excitados (agitados) na Íntima estrutura, despedem (enviam) as ondas eletromagnéticas (oscilações dos campos elétricos e magnéticos). Todavia, não obstante tatearmos (indagarmos, sondarmos) com relativa segurança as realidades da matéria, definindo a natureza corpuscular (partícula pequeníssima) do calor e da luz, e embora saibamos que outras oscilações eletromagnéticas se associam, insuspeitadas por nós, na vastidão universal, aquém do [espectro (visão imaginária)] infravermelho e além do ultravioleta, completamente fora da zona de nossas percepções...,
  28. 28. ...confessamos com humildade que não sabemos ainda, principalmente no que se refere à elaboração da luz, qual seja a força que provoca a agitação inteligente dos átomos, compelindo-os a produzir irradiações capazes de lançar ondas no Universo com a velocidade de 300.000 quilômetros por segundo, preferindo reconhecer, em toda a parte, com a obrigação de estudarmos e progredirmos sempre, o hálito divino do Criador (plasma divino) (14). Esse processo de Cocriação em plano maior resultou na produção de variados tipos de matéria no cosmo.
  29. 29. Para se ter uma ideia da grandiosidade do processo, observamos que as nossas análises químicas apontam para a existência de [...] cerca de um quarto de milhão as substâncias da Terra, que podem ser reduzidas, aproximadamente, como originárias de noventa elementos [naturais da tabela periódica] (15). Na verdade, a atual tabela periódica é formada por cerca de 103 elementos químicos, sendo que os seus noventa primeiros elementos são classificados como de ocorrência natural no nosso planeta. As substâncias químicas restantes foram produzidas pela inteligência humana (veja anexo).
  30. 30. Anexo: Tabela periódica de elementos químicos
  31. 31. Emmanuel nos esclarece que [...] a Química necessita apresentar essa divisão de elementos para a catalogação dos valores educativos, com vistas às investigações de natureza científica, no mundo; Contudo, se na sua base estão os átomos, na mais vasta expressão de diversidade, mesmo assim tenderá sempre para a unidade substancial em remontando com as verdades espirituais às suas fontes de origem. Aliás, em se tratando das individuações químicas, já conheceis que o hidrogênio, no quadro dos conhecimentos terrestres, é o elemento mais simples de todos.
  32. 32. Seu átomo é a forma primordial (que se originou primeiro – primitivo) da matéria planetária, porque composto de um só elétron, de onde partem as demais individuações no mecanismo evolutivo da matéria, em suas expressões rudimentares (15). Observando a matéria existente no nosso planeta, constatamos que [...] não há o que pareça tão profundamente variado, nem tão essencialmente distinto, como as diversas substâncias que compõem o mundo. Entre os objetos que a Arte ou a Natureza nos fazem passar diariamente ante o olhar, haverá duas que revelem perfeita identidade, ou, sequer, paridade (igualdade, semelhança) de composição?
  33. 33. Quanta dessemelhança, sob os aspectos da solidez (firmeza), da compressibilidade (comprimível), do peso e das múltiplas propriedades dos corpos, entre os gases atmosféricos e um filete de ouro, entre a molécula aquosa (água) da nuvem e a do mineral que forma a carcaça óssea do globo! Que diversidade entre o tecido químico das variadas plantas que adornam o reino vegetal e o dos representantes não menos numerosos da animalidade na Terra!
  34. 34. Entretanto, podemos estabelecer como princípio absoluto que todas as substâncias, conhecidas e desconhecidas, por mais dessemelhantes que pareçam, quer do ponto de vista da constituição íntima, quer pelo prisma (forma de ver ou considerar as coisas) de suas ações recíprocas, são, de fato, apenas modos diversos sob que a matéria se apresenta; Variedades em que ela se transforma sob a direção das forças inumeráveis que a governam (1).
  35. 35. Se se observa tão grande diversidade na matéria, é porque, sendo em número ilimitado as forças que hão presidido às suas transformações e as condições em que estas se produziram, também as várias combinações da matéria não podiam deixar de ser ilimitadas. Logo, quer a substância que se considere pertença aos fluidos propriamente ditos, isto é, aos corpos imponderáveis quer revista os caracteres e as propriedades ordinárias da matéria, não há, em todo o Universo, senão uma única substância primitiva; O <<cosmo>>, ou <<matéria cósmica>> dos uranógrafos (astrônomo) (2).
  36. 36. Os Espíritos Orientadores da Codificação Espírita afirmam que não é fácil analisar a natureza íntima do espírito. Qst 23-a: Qual é a sua natureza intima? - Não é fácil analisar o espírito na vossa linguagem. Para vós, ele não é nada, por não ser palpável, mas, para nós, é alguma coisa. Ficai sabendo: nenhuma coisa é o nada e o nada não existe (4). Qst 24: Espírito é sinônimo de inteligência? - A inteligência é um atributo essencial do espírito;
  37. 37. Mas um e outro se confundem num princípio comum, de maneira que, para vós, são uma e a mesma coisa (5). Qst 25: O espírito é independente da matéria, ou não é mais do que uma propriedade desta, como as cores são propriedades da luz e o som do ar? - São distintos, mas é necessária a união do espírito e da matéria para dar inteligência [intelectualizar a matéria] a esta (6). Refletindo a respeito, perguntamos: qual é o verdadeiro significado da expressão <<intelectualizar a matéria>>? Como é que uma matéria pode ser intelectualizada?
  38. 38. Realizando uma pesquisa mais aprofundada, vimos que no original francês está escrito “intelligenter la matière”, frase traduzida por intelectualizar a matéria ou dar inteligência a esta (matéria), dependendo do tradutor. Na nossa língua não existe o verbo <<inteligenciar>>, como também não existe o verbo <<intelligenter>> na Língua Francesa. Compreendemos então que os Espíritos Orientadores criaram um neologismo [é um fenômeno linguístico que consiste na criação de uma palavra ou expressão nova, ou na atribuição de um novo sentido a uma palavra já existente – (Dicionário Informal)] para melhor explicar o assunto.
  39. 39. Etimologicamente, [história ou origem das palavras...] o verbo intelectualizar origina-se de intelecto (intellectus do Latim) e quer dizer: dar caráter intelectual a; dar forma ou conteúdo racional; elevar algo (um sentimento, uma discussão) à categoria das coisas intelectuais. Por outro lado, <<intelligenter>> ou <<inteligenciar>>, caso existissem, respectivamente, no francês ou no português, originaria do vocábulo inteligência (do Latim, intelligentia) de diferentes significados. Citemos alguns: Inteligência é um substantivo que pode ser entendido como faculdade de entender, de compreender, de conhecer, de aprender, juízo;
  40. 40. Discernimento; penetração do espírito; conjunto de funções psíquicas e psicofisiológicas que contribuem para o conhecimento ou compreensão das coisas e significado dos fatos; Para a Psicologia é a capacidade de aprender e organizar os dados de uma situação, em circunstâncias para as quais de nada servem o instinto, o aprendizado e o hábito; Ainda na Psicologia, é a habilidade em tirar partido das circunstâncias; Para a Metafísica (é uma palavra com origem no grego e que significa "o que está para além da física". É uma doutrina que busca o conhecimento da essência das coisas.), é a substância espiritual e abstrata considerada como fonte de toda a intelectualidade. (ESDE – Tomo I – Módulo VII – Rot. 2 - p. 250).
  41. 41. Entendemos, assim, que intelectualizar a matéria está relacionada, em última análise, à capacidade ou à habilidade de “princípio inteligente” conhecer ou compreender a matéria, e, quando em contato com esta, aplicar-lhe ajustes e organizações, tantas quantas forem necessárias. A ligação matéria-princípio inteligente é conduzida pela ação dos Espíritos Crísticos diretamente ligados à Inteligência Divina, os quais retiram do fluído cósmico universal os elementos necessários à formação de novas substâncias e novos materiais. (ESDE – Tomo I – Módulo VII – Roteiro 2 - p. 250-251). Vejamos o seguinte esquema:Vejamos o seguinte esquema:
  42. 42. Princípio Inteligente ou espírito Princípio Material ou matéria Princípio Inteligente ou espírito Matérias mais complexas Elementos necessários à formação de novas substâncias e novos Corpos materiais Espíritos Superiores faz que também sejam repercutidas no... Os ajustes e organizações impressos na matéria, de forma que novos aprendizados ocorram igualmente no... Espíritos Crísticos Auniãodo...
  43. 43. Existe uma certa dificuldade em conhecermos os princípios material e intelectual atuando, isoladamente, na Natureza. Acreditamos que este foi um dos motivos que levou Kardec a perguntar aos Espíritos Superiores. Qst 25-a: Essa união é igualmente necessária para a manifestação do espírito? (Por espírito entendemos aqui o princípio da inteligência, abstração feita das individualidades designadas por esse nome). - É necessária para vós [dizem eles], porque não estais organizados para perceber o espírito sem a matéria; vossos sentidos não foram feitos para isso (7).
  44. 44. Esta resposta nos faz concluir que a nossa condição evolutiva representa um impedimento natural à percepção, mais aprofundada, dos dois princípios gerais existentes no Universo. Parece que a compreensão do assunto requer, não apenas condições intelectivas adiantadas, mas, também, uma organização física mais especializada. (ESDE – Tomo I – Módulo VII – Roteiro 2 - p. 251). Vejamos a resposta dada pelos Espíritos Superiores à Kardec, quando questionados à respeito. 27. Haveria, assim, dois elementos gerais no Universo: a matéria e o Espíritos?
  45. 45. - Sim e acima de ambos, Deus, o criador, o pai de todas as coisas. Essas três coisas são o princípio de tudo o que existe, a trindade universal. Mas ao elemento material é necessário ajuntar o fluído universal, que exerce o papel de intermediário entre o espírito e a matéria propriamente dita, demasiado grosseira para que o espírito possa exercer alguma ação sobre ela. Embora, de certo ponto de vista, se pudesse considerá-lo como elemento material, ele se distingue deste por propriedades especiais. Se fosse simplesmente matéria, não haveria razão para que o espírito não o fosse também.
  46. 46. Ele está colocado entre o espírito e aEle está colocado entre o espírito e a matéria;matéria; É fluído, como a matéria é matéria;É fluído, como a matéria é matéria; Suscetível, em suas inumeráveisSuscetível, em suas inumeráveis combinações com esta,combinações com esta, e sob a ação do espírito, de produzir infinita variedade de coisas, das quais não conheceis mais do que uma ínfima parte. Esse fluído universal, ou primitivo, ou elementar, sendo o agente de que o espírito se serve, é o princípio sem o qual a matéria permaneceria em perpétuo estado de dispersão (espalhado em todas as direções), e não adquiriria jamais as propriedades (as qualidades)
  47. 47. 28: Sendo o Espírito, em si mesmo, alguma coisas, não seria mais exato, e menos sujeito a confusões, designar esses dois elementos gerais pelas expressões: matéria inerte e matéria inteligente? - As palavras pouco nos importam. Cabe a vós formular a vossa linguagem, de maneira a vos entenderdes. Vossas disputas provêm, quase sempre, de não vos entenderdes sobre as palavras. Porque a vossa linguagem é incompleta para [designar – exprimir] as coisas que não vos tocam os sentidos (10).
  48. 48. O certo mesmo é o que constata admiravelmente o lúcido Codificador do Espiritismo: 28 – Comentário: Um fato patente (evidente) domina todas as hipóteses: Vemos matéria sem inteligência e vemos um princípio inteligente independente da matéria. A origem e a conexão dessas duas coisas nos são desconhecidas. Que elas tenham ou não de uma fonte comum e os pontos de contato necessários; Que a inteligência tem existência própria, ou que seja uma propriedade, um efeito;
  49. 49. Que seja, mesmo, segundo a opinião de alguns, uma emanação da Divindade, - é o que ignoramos. Elas nos aparecem distintas, e é por isso que as consideramos formando dois princípios constitutivos do Universo. Vemos, acima de tudo isso, uma inteligência que domina todas as outras, que as governa, que delas se distingue por atributos essenciais: É a esta inteligência suprema que chamamos DEUS (11).
  50. 50. Referência Bibliográfica
  51. 51. Capítulo VICapítulo VI URANOGRAFIAURANOGRAFIA GERALGERAL ITEM: A Matéria (1) - Questão 3 – Pág. 95 (2) - Questão 7 – Pág. 97ITEM:ITEM: As Leis e as ForçasAs Leis e as Forças (3) Questão 10–Págs.(3) Questão 10–Págs. 98-9998-99 23ª Edição Março de 2010
  52. 52. Capítulo IICapítulo II ELEMENTOS GERAISELEMENTOS GERAIS DO UNIVERSODO UNIVERSO ITEM IIITEM II ESPÍRITO E MATÉRIA (4) – Qst. 23-a – Pág. 63(4) – Qst. 23-a – Pág. 63 (5) – Qst. 24 – Pág. 63(5) – Qst. 24 – Pág. 63 (6) – Qst. 25 – Pág. 63(6) – Qst. 25 – Pág. 63 (7) – Qst. 25-a – Pág. 63(7) – Qst. 25-a – Pág. 63 (8) – Qst. 27 – Págs.63-(8) – Qst. 27 – Págs.63- 6464 (9) – Qst. 27-a – Pág. 64(9) – Qst. 27-a – Pág. 64 (10) – Qst. 28 – Pág. 64(10) – Qst. 28 – Pág. 64Livro Primeiro 68ª Edição Janeiro de 2009
  53. 53. Capítulo - I FLUÍDO CÓSMICO Item: (12) - Cocriação em Plano Maior – Pág. 21 Item: (13) - Forças Atômicas – Pág. 24 Item: (14) - Luz e Calor–Págs. 25-26 Primeira Parte 23ª Edição Rio de Janeiro: FEB - 2005
  54. 54. Capítulo ICapítulo I CiênciasCiências FundamentaisFundamentais Item: Q U Í M I C A (15) – Qst. 4 – Págs. 24-25 26ª Edição Rio de Janeiro: FEB - 2006 Primeira Parte:Primeira Parte: CIÊNCIACIÊNCIA - O Espiritismo e a- O Espiritismo e a Necessidade da CiênciaNecessidade da Ciência

×