Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Enxertos osseos abo 2013

5,283 views

Published on

  • accessibility Books Library allowing access to top content, including thousands of title from favorite author, plus the ability to read or download a huge selection of books for your pc or smartphone within minutes DOWNLOAD THIS BOOKS INTO AVAILABLE FORMAT ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... Download Full PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download Full EPUB Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... ...................................ALL FOR EBOOKS................................................. Cookbooks, Manga, Memoir, Music, Mystery, Non Fiction, Paranormal, Philosophy, Poetry, Psychology, Religion, Art, Biography, Business, Chick Lit, Children's, Christian, Classics, Comics, Contemporary, Romance, Science, Science Fiction, Self Help, Suspense, Spirituality, Sports, Thriller, Travel, Young Adult, Crime, Ebooks, Fantasy, Fiction, Graphic Novels, Historical Fiction, History, Horror, Humor And Comedy,
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • If you want to download or read this book, copy link or url below in the New tab ......................................................................................................................... DOWNLOAD FULL PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M } .........................................................................................................................
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Enxertos osseos abo 2013

  1. 1. Associação Brasileira de Odontologia Sessão do Rio de Janeiro Curso de Especialização em Periodontia Seminário 12 de novembro de 2013
  2. 2. Evolução da doença periodontal Perda de Inserção Procedimentos Regenerativos Restauração do aparato de inserção Enxertos Ósseos
  3. 3.  Horizontais • Descência • Fenestração  Verticais • Infra ósseos Raio de ação da placa subgengival (Papapanou & Tonetti 2000)
  4. 4.  Aspectos importantes: › Local do defeito ósseo › Tamanho do espaço edêntulo › Nível ósseo nos dentes adjacentes ao defeito
  5. 5.  1 parede  2 paredes  3 paredes  Combinações (Figuras – Lindhe, 5ed., 2008)
  6. 6. Diagnóstico Terapêutica básica Reexame Procedimentos Complementares Manutenção Nova raspagem Terapia antibiótica Cirurgia
  7. 7.  Bolsa residual perda de inserção Recontorno Ósseo Procedimento Regenerativo Restauração do LP
  8. 8. Reparo EJL Anquilose Reabsorção radicular Regeneração Novo cemento Novo osso Novo ligamento periodontal
  9. 9.  Abrange procedimentos planejados para restaurar os tecidos do aparato de sustentação do dente perdidos devido a periodontite Enxerto Fatores de crescimento Membrana Retalho reposicionado coronalmente
  10. 10.  Áreas de defeito ósseo com demanda estética  Recessão gengival localizada e exposição radicular  Dentes com envolvimento de furca (Lindhe,2008)
  11. 11.  Critérios de avaliação: › Sondagem periodontal › Análise radiográfica › Medição direta do osso neoformado › Histologia (Reddy & Jeffcoat, 1999)
  12. 12. Existir em quantidade ilimitada Ser biocompatível Facilitar revascularização Estimular osteoindução Não ser carcinogênico Não impedir movimentos ortodônticos Servir de estrutura para osteocondução Ser substituído por osso do hospedeiro rapidamente Induzir formação de nova inserção histológica
  13. 13.  Osteoproliferativos (osteogênicos)  Osteocondutores  Osteoindutores (Ellegaard et al., 1973, 1974, 1975, 1976; Nielsen et al., 1980)
  14. 14.  Ocorre quando osteoblastos e células precursoras de osteoblastos viáveis são transplantados como material do enxerto para dentro do defeito, onde podem estabelecer centros de formação óssea.
  15. 15.  Ocorre quando o material de enxerto não-vital serve como arcabouço para o crescimento de células precursoras dos osteoclastos para o interior do defeito. A reabsorção do enxerto ocorre em conjunto.
  16. 16.  Envolve a formação de um novo osso pela diferenciação local das células mesenquimais indiferenciadas em células formadoras de osso sob a influência de um ou mais agentes indutores.
  17. 17. Enxertos Enxertos autógenos Intra orais Extra orais Aloenxertos Osso trabecular e medular de ilíaco congelado Osso mineralizado congelado seco - FDBA Osso descalcificado congelado seco - DFDBA
  18. 18. Enxertos Xenoenxertos Osso bovino Materiais aloplásticos Hidroxiapatita HA Beta fosfato tricálcio b- TCP Vidros bioativos
  19. 19.  Enxertos transplantados de um lugar para outro em um mesmo indivíduo  Padrão ouro (Goldberg, 1987)  Podem ser: • Intra orais • Extra orais
  20. 20.  Vantagens: • Sem risco de transmissão de doenças • Material com maior potencial osseoindutor  Desvantagens: • Necessidade de outra área doadora • Quantidade limitada (Goldberg,1987)
  21. 21.  Potencial osteoindutor  Áreas de exodontia em fase de cicatrização  Tuberosidade maxilar  Área retromolar da mandíbula 1ª escolha Osso trabeculado 2ª escolha Osso cortical em pequenos fragmentos. (Rosenberg et al., 1979) Não há diferença no resultado final (Ouhayoun, 1997)
  22. 22.  Potencial osteogênico (Schallhorn et al., 1970; Schallhorn & Hiatt, 1972; Patur, 1974; Froum et al., 1975)  Osso medular de crista ilíaca (Schallhorn, 1967, 1968) • Evidências histológicas de regeneração periodontal (Dragoo & Sullivan, 1973) • Reabsorção radicular (Ellegaard et al., 1973, 1974) • Alto grau de morbidade
  23. 23.  Enxertos transplantados entre indivíduos da mesmo espécie, porém geneticamente diferentes  Liofilizado  Potencial osteoindutor  Desvantagens: • Risco de transmissão de doenças • Inconsistência nos métodos de processamento
  24. 24.  DFDBA Aumenta o potencial osteogênico pela exposição das BMPs  FDBA (Urist,1983)
  25. 25.  95% da água do osso  Elimina todas as células  Mantem a estrutura morfologia originais do enxerto ósseo  Diminuem antigenicidade do material  Tamanho das partículas 250 a 800um
  26. 26.  Componentes de matriz óssea associados às fibrilas de colágeno  Estimulam a formação de osso pela indução de células indiferenciadas da medula a se transformarem em osteoblastos
  27. 27.  Enxertos retirados de um doador de outra espécie  Potencial osteocondutor  Matriz mineral óssea bovina
  28. 28.  Indicações: • Casos onde necessite grande quantidade de material Exemplo: - elevação do seio maxilar - preenchimento de alvéolo  Vantagens: • Não induz reação imunológica • Não possui risco de transmissão de doenças (Cohen, 1994 ; Sogal, 1999)
  29. 29. Osso bovino: › Bio-Oss › Endobone › Osteograf › Cerabone › GenOx
  30. 30. Carbonato de coral: ›Produto natural, poroso, composto por aragonista, reabsorvível. ›Tamanho da partícula de 100 a 200um - Interpore 200 - Biocoral
  31. 31.  Materiais de implantes sintéticos ou inorgânicos utilizados como substitutos aos enxertos ósseos  Potencial osteocondutor  Isento da possibilidade de transmissão de doenças e indução de resposta imune  Pode ser usado em conjunto com outros substitutos ósseos (Damien, 1990 ; Kim, 1999)
  32. 32.  Hidroxiapatita • Calcitite • Periograf • Osteograf  Vidros bioativos • PerioGlas • Bio-Gran  Beta-fosfato tricálcico • Synthograft
  33. 33.  Hidroxiapatita: • Forma particulada cerâmica não-reabsorvível • Forma particulada não-cerâmica reabsorvível • Não provoca nova inserção
  34. 34.  Vidros biotivos: ›Composto por dióxido de sílica, óxido de sódio, óxido de cálcio e pentóxido de fósforo. ›Após a exposição aos fluidos teciduais, elas se cobrem de uma camada composta de gel de sílica e apatita. ›Essa camada promove adsorção e concentração de osteoblastos para formarem a matriz extracelular mineralizada (osteogênese)
  35. 35.  Beta-fosfato tricálcico: ›É produzido a partir do pó de fosfato de cálcio, misturado com naftaleno, prensado e aquecido de 1000 a 2000° ›Reabsorvido rapidamente por células gigantes e macrófagos ›Algumas partículas podem ficar por longos períodos encapsulados
  36. 36.  Todos materiais usados como preenchimento ósseo mostraram resultados clínicos superiores aos obtidos com raspagem e/ou cirurgia periodontal para debridamento.  Nova inserção histológica só foi demonstrado com uso de autoenxertos e DFDBA.  Previsibilidade do resultado de determinado defeito é limitada. (Lindhe,2008)
  37. 37.  Tratado de periodontia clínica e implantologia oral. Jan Lindhe, 5a ed. – Capítulo 25  Boyne PJ. Induction of bone repair by vrious bone grafting materials. Hard tissue growth, repair and remineralization. Ciba Foundation Symposium. 1973; 11: 121-41.  Lima AM, Joly JC. Enxertos ósseos: características de alguns materiais. Rev. ABO Nac. 2008; 16(3): 162-66.  Cohen RE, Mullarky RH, Noble B, Comeau RL, Neiders ME. Phenotypic characterization of mononuclear cells following anorganic bovine bone implantation in rats. J Perio- dontol. 1994;65(11):1008-15.  Damien CJ, Parsons JR, benedict JJ, Weisman DS. Investigation of a hydroxyapatite and calcium sulfate composite supplemented with an osteoinductive factor. J Biomed Mater Res. 1990;24(6):639-54.  Goldberg VM, Stevenson S. Natural history of autografts and allografts. Clin Orthop Related Res. 1987;225:7-15.  Kim SG, Yeo HH, Kin YK. Grafting of large defects of the jaws with a particulate dentin- plaster of Paris combination. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod. 1999;88 (1): 22-5.  Sogal A, Tofe A. Risk assessment of BSE transmission through bone mineral derived from bovine bone used for dental applica- tions. J Periodontol. 1999;70:1053-63.  Urist Mr. Bone formation by autoinduction. Science. 1965; 150(698):893-9.

×