Lady Susan - Livro de Jane Austen

6,276 views

Published on

Idioma: Português
Tradução de Bruna Tavares
http://descobrindojaneausten.blogspot.com

Published in: Education
1 Comment
4 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
6,276
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
253
Comments
1
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Lady Susan - Livro de Jane Austen

  1. 1. UM LIVRO DE JANE AUSTENLady Susan Tradução de Bruna Tavares http://descobrindojaneausten.blogspot.com
  2. 2. Lady Susan – Jane AustenCarta 1De Lady Susan Vernon ao Sr. VernonLangford, dezembro.Caro irmão:Não posso me privar do prazer de aceitar o amável convite que mefez a última vez que nos despedimos, de passar algumas semanascom você em Churchill e, portanto, se for conveniente para você e aSra. Vernon me receberem no momento, espero dentro de poucosdias, ser apresentada a essa irmã que há tanto tempo desejoconhecer.Os bons amigos que tenho aqui imploram com muito carinho que euprolongue minha estadia com eles. Porém, seu caráter hospitaleiroe festivo, os faz levar uma vida social demasiado animada para asituação que atravesso no momento e meu atual estado mental.Espero com impaciência o momento em que serei admitida em suaagradável presença. Anseio ser apresentada aos seus queridosfilhos pequenos, em cujos corações eu estou muito ansiosa paragarantir um interesse.Em breve precisarei de toda a minha força já que estou a ponto deme separar de minha própria filha. A longa enfermidade de seuamado pai impediu-me de dar-lhe a atenção e afeto que lhe eramde direito, e eu tenho muitas razões para temer que a governanta aquem confiei sua educação não será capaz de fazê-lo.Então eu decidi enviá-la a uma das melhores escolas particularesda cidade, onde terei a oportunidade de deixá-la quando estiverindo ao seu encontro.Estou decidida, como vês, a não permitir que me negues a entradaem Churchill. Seria muito doloroso saber que estás impossibilitadode me receber.Sua agradecida e afetuosa irmã. 1
  3. 3. Lady Susan – Jane AustenS. VernonCarta 2De Lady Susan para Sra. JohnsonLangfordVocê estava enganada, minha querida Alícia, ao supor que eupassaria o inverno inteiro aqui: entristece-me dizer o quanto estavaenganada, pois eu raramente passei três meses mais agradáveis doque estes que passaram.Agora tudo é problema. As mulheres da família estão unidas contramim. Você predisse que seria assim quando cheguei a Langford.Mainwaring é tão extraordinariamente encantadora que eu nãopodia deixar de me sentir apreensiva. Lembro-me de dizer a mimmesma quando me dirigia para a casa: “Eu gosto deste homem,rezo aos céus para que isso não cause nenhum mal!” Mas euestava determinada a ser discreta e o mais silenciosa possível,tendo em mente minha situação de viúva à apenas quatro meses, efoi o que fiz minha querida criatura. Não tenho aceitado as atençõesde ninguém exceto as de Mainwaring. Eu tenho evitado todo oflerte, não distinguindo ninguém, exceto Sir James Martin, a quemeu dei um pouco de atenção a fim de afastá-lo da Sra. Mainwaring;No entanto, se o mundo soubesse quais eram as minhas intenções,teriam me elogiado.Tenho sido acusada de ser uma mãe cruel e desatenta, mas foi oimpulso sagrado do amor materno que me estimulou. E se minhafilha não fosse a maior tola do mundo, meus esforços teriam sidorecompensados como deveriam. Sir James fez-me propostas paraFrederica, mas Frederica, que nasceu para ser o tormento da minhavida, preferiu fixar-se tão violentamente contra o plano, que eupensei ser melhor esquece-lo por enquanto. Arrependi-me de nãoter casado com ele eu mesma; se eu não fosse tãodesprezivelmente fraca, eu o faria. Mas, me confesso bastante 2
  4. 4. Lady Susan – Jane Austenromântica neste respeito e as riquezas por si só, já não mesatisfazem.A consequência de tudo isso é: Sir James se foi, Maria estáaltamente irritada e a Sra. Mainwaring insuportavelmente ciumenta.Assim, é tanta inveja e raiva de mim, que em um acesso de ira, nãome surpreenderia se recorresse ao seu guardião, caso tivesseacesso livre a ele. Seu marido, porém, continua sendo meu amigo ea ação mais gentil e bondosa de sua vida é livrá-la para sempre docasamento. Meu único pedido é que mantenha seu ressentimento.Agora estamos muito angustiados. A casa nunca havia visto tantaalteração. A familia toda está em pé de guerra e Mainwaring malousa falar comigo.Chegou a hora de eu partir e estou determinada a sair daqui.Espero passar um dia agradável com você na cidade esta semana.Se o Sr. Johnson continuar a mostrar tão pouca simpatia paracomigo, como de costume, venha me visitar na rua wigmore número10, mas espero que não seja o caso, pois o Sr. Johnson, apesar detodos os seus defeitos, é um homem a quem a palavra “respeitável”é sempre aplicada, e sendo eu tão íntima de sua esposa, seudesprezo me é estranho.Passarei pela cidade em caminho para aquela insuportável vilarural, já que finalmente estou indo para Churchill. Perdoe-me minhacara amiga, este é meu último recurso. Se houvesse na Inglaterraoutra casa aberta a mim, me seria preferível. Tenho aversão aCharles Vernon, e medo de sua esposa. No entanto, devopermanecer lá até ter algo melhor em vista. Minha filha meacompanhará até a cidade, onde a deixarei aos cuidados daSrt.Summers, na rua Wigmore, até que ela tome um pouco mais dejuízo. Lá ela terá boas companhias, pois as meninas são todas dasmelhores famílias. O preço é muito alto, muito mais do que euposso pagar.Adeus. Enviarei um bilhete assim que chegar à cidade.Sempre suaS. Vernon 3
  5. 5. Lady Susan – Jane AustenCarta 3Sra. Vernon à Lady de CourcyChurchillQuerida mãe:Lamento dizer que não podemos cumprir a promessa de passar oNatal com você. O que impediu esta felicidade é uma circunstânciaque temo, não nos servirá de compensação. Lady Susan em umacarta a seu cunhado, declarou sua intenção de visitar-nos, quaseimediatamente, e como tal é uma visita apenas por questão deconveniência, é impossível conjeturar seu comprimento.Eu de modo algum estava preparada para isso. E não consigoentender o comportamento de Lady Susan. Langford parecia ser olugar ideal para ela, tanto no estilo luxuoso e caro de vida como emsua ligação particular com o Sr. Mainwaring, assim eu não esperavatal distinção, embora eu imaginasse por sua crescente amizade pornós desde a morte do marido, que seriamos obrigados a recebê-la.Eu acho que o Sr. Vernon foi extremamente agradável com elaquando ela estava em Staffordshire. Seu comportamento com ele,independentemente de seu caráter geral, foi tãoindesculpavelmente ardiloso e mesquinho desde o nossocasamento, que qualquer pessoa um pouco menos benevolente eindulgente que ele, não teria ignorado. Embora tenha sido corretoprestar-lhe ajuda financeira, já que é viúva de seu irmão e passavapor dificuldades, não posso deixar de considerar totalmentedesnecessário convidá-la tão insistentemente a visitar-nos emChurchill.Enfim, como ele sempre está disposto a pensar bem de todomundo, a sua manifestação de pesar, suas expressões dearrependimento e atitude geral de prudência foram suficientes paraamolecer seu coração e fazer com que confiasse em suasinceridade. Porém, eu ainda não me convenci e, como já estáescrito, não posso mudar a minha opinião até saber o real motivo 4
  6. 6. Lady Susan – Jane Austende sua vinda para cá. Portanto, você pode imaginar minha carasenhora, com que sentimentos estou aguardando sua chegada. Elaterá a oportunidade de conquistar meu respeito com o poder deatração que todos elogiam e eu, tentarei proteger-me de suainfluência caso não seja acompanhado de algo mais substancial.Em sua carta, ela expressou um sincero desejo de se familiarizarcomigo e faz menção muito gentil de minhas crianças, mas não souingênua a ponto de acreditar que alguém que se comportou demodo tão desatento, senão até cruel, com sua própria filha, possase apegar aos meus. A Srta. Vernon está para ser colocada emuma escola em Londres antes que sua mãe venha para cá. Estoufeliz por isso. A meu ver, é uma vantagem ser separada da mãe. Euma jovem de dezesseis anos com uma educação tão miserável,não poderia ser uma companhia desejável aqui. Sei que Reginaldhá muito deseja ver a cativante lady Susan e dependemos de suaadesão a nossa festa em breve.Fico feliz em saber que meu pai continua muito bem. Com amor.Catherine VernonCarta 4Sr. De Courcy à Sra. VernonParklands.Querida irmã:Quero parabenizar a você e ao Sr. Vernon, por estarem prestes areceber em sua família, a conquistadora mais realizada daInglaterra. Eu sempre fui ensinado a considerá-la umaconquistadora distinta, mas ultimamente têm caído aos meusouvidos, alguns pormenores de sua conduta em Langford, queprovam que ela não se confinou a esse tipo de flerte honesto quesatisfaça a maioria das pessoas, mas aspira a mais deliciosagratificação, de fazer toda uma família miserável. Seucomportamento com relação au Sr. Mainwaring, semeou inveja e 5
  7. 7. Lady Susan – Jane Austeninfelicidade a sua esposa. E suas atenções a um jovem prometidoda irmã do Sr. Mainwaring, privaram uma jovem amável de seuamante.Fiquei sabendo disso por meio do Sr. Smith, que está no bairro,(jantei com ele em Hurst e Wilford) e que chegou recentemente deLangford, onde passou uma quinzena com sua senhoria e, portanto,está qualificado para dar tais informações.Que mulher deve ser essa! Tenho o desejo de conhecê-la, ecertamente aceitarei seu amável convite, assim poderei formar umaideia desse seu feitiço tão poderoso, que é capaz de atrair aatenção, ao mesmo tempo e na mesma casa, de dois homens quenão estavam em condições de oferecer suas afeições livremente. Etudo isso sem o charme da juventude!Fico feliz que a Srta. Vernon não acompanhará a mãe até Churchilljá que não possui bons modos a serem recomendados e, segundoo relato do Sr. Smith, é igualmente maçante e orgulhosa. Quandoorgulho e estupidez se unem, não podem ser anuladas pela astúcia,e a Srta. Vernon será enviada ao mais completo desprezo. Noentanto, com tudo que se pode deduzir, Lady Susan possui um graude astúcia que deve ser interessante de testemunhar. Estarei comvocês em breve.Seu carinhoso irmão:R. de CourcyCarta 5De Lady Susan à Sra. Johnson.ChurchillRecebi sua carta, minha querida Alicia, pouco antes de sair dacidade, e alegro-me em ter certeza de que o Sr. Johnson nãosuspeitou nem um pouco do seu engajamento na noite anterior, ésem dúvida melhor para enganá-lo inteiramente, e já que ele éteimoso, ele deve ser enganado. 6
  8. 8. Lady Susan – Jane AustenEu cheguei aqui em segurança, e não tenho nenhuma razão parareclamar da minha recepção por parte do Sr. Vernon, mas confessonão estar igualmente satisfeita com o comportamento da sua dama.Ela é perfeitamente bem-educada, de fato, e tem o ar de umamulher da moda, mas seus modos não podem convencer-me deque ela estava predisposta a meu favor. Eu esperava que elaficasse feliz em me ver, fui tão amável quanto possível na ocasião,mas tudo em vão. Ela não gosta de mim. Obviamente, se levarmosem conta os esforços que fiz para evitar que o irmão de meu maridose casasse com ela, esta falta de cordialidade não é desurpreender. Ainda assim, mostra um espírito excessivamentevingativo ao ressentir-se por um plano que me influenciou, há seisanos, e que acabou fracassando.Às vezes quase me arrependo de não ter permitido que CharlesVernon comprasse a mansão Vernon quando tivemos de vendê-la.Porém foi uma situação difícil, especialmente porque a venda sedeu na mesma ocasião de seu casamento, todos deveriam suportara delicadeza de meus sentimentos, que não poderiam permitir quea dignidade de meu marido fosse rebaixada pelo fato de seu irmãomais novo ficar com as propriedades da família.Se tivéssemos chegado a um acordo que evitasse a obrigação dedeixar a mansão, se pudéssemos ter vivido com Charles sem queele tivesse se casado, eu jamais teria convencido meu marido avendê-la a outro. Mas Charles estava decidido a casar-se com aSrta. De Courcy e esse evento justificou-me.Aqui há muitas crianças, e que vantagem teria sido para mim suacompra por parte do Sr. Vernon? Ter evitado isso talvez tenhacausado uma má impressão em sua esposa, porém, quando háuma predisposição a empatia, é fácil encontrar uma razão. No quediz respeito a questões de dinheiro, o acontecido nunca foi umempecilho para que ele me ajudasse. Na verdade tenho muitaconsideração com ele. É tão fácil abusar dele! A casa é muito boa,os móveis todos na moda, e tudo anuncia abundância e elegância.Charles é muito rico tenho certeza, quando um homem consegueter seu nome em uma agência bancária, é porque tem rolos dedinheiro. Mas eles não sabem o que fazer com ele, recebem 7
  9. 9. Lady Susan – Jane Austenpouquíssima visita, e nunca vão para Londres a negócios. Serei tãoestúpida quanto possível, isto é, para conquistar o coração deminha cunhada por meio das crianças. Eu já sei os seus nomes eestou ganhando o seu carinho com a maior sensibilidade, um emespecial, o jovem Frederic, que se senta em meu colo enquantosuspiro por seu querido tio.Pobre Manwaring! Não é preciso dizer o quanto eu sinto falta dele ecomo está constantemente em minha mente. Encontrei uma cartatriste dele em minha chegada aqui, cheia de reclamações de suaesposa e irmã, e lamentações sobre a crueldade do seu destino.Ele assinou a carta como sendo sua esposa.E quando eu escrevo para ele, devo ser coberta por você.Sempre sua.S. VernonCarta 6Sra. Vernon ao Sr. De CourcyChurchillMeu querido Reginald, conheci aquela perigosa criatura, e devodar-lhe uma descrição, mas espero que em breve sejas capaz deformar seu próprio julgamento, ela é realmente muito bonita, masvocê talvez questione as seduções de uma mulher que já não émais jovem, eu da minha parte, declaro que raramente vi umamulher tão bonita como a senhora Susan. Ela é delicadamenteloura, com seus olhos cinzentos e cílios escuros. Por sua aparência,não parece ter mais de 25 anos, no entanto, deve ter uns dez amais.Eu certamente não estava disposta a admirá-la, embora sempretivesse ouvido que ela era bonita, porém, não posso evitar sentirque ela possui uma rara combinação de brilho, simetria e elegância.Ela se dirigiu a mim com tanta bondade, abertura e até mesmoamor, que se eu não soubesse o quanto desgostava de meucasamento com o Sr. Vernon, eu a consideraria uma amiga íntima. 8
  10. 10. Lady Susan – Jane AustenCostumamos associar a autoconfiança com o ar galanteador epretensioso, e espera-se que uma mente insolente, aja de maneirainsolente, pelo menos eu estava esperando de Lady Susan um grauindevido de confiança, mas seu semblante é doce e sua voz emaneiras cativantes. Lamento que seja assim, pois o que mais seriasenão uma farsa?Infelizmente, nós a conhecemos muito bem. Ela é inteligente eagradável, tem tanto conhecimento do mundo, que começa umaconversa fácilmente, e fala muito bem. Possui uma forma delinguagem alegre, que é muitas vezes utilizado, acredito eu, parafazer o preto parecer branco.Eu estava quase convencida de que ela sentia um afeto genuínopor sua filha, apesar de eu por tanto tempo, ter sido convencida docontrário. Ela fala dela com tanta ternura e ansiedade, e lamentatão amargamente a negligência de sua educação, embora afirmeser totalmente inevitável, que sou obrigada a lembrar-me de quãosucessivamente ela passou pela cidade enquanto sua filha foideixada em Staffordshire, aos cuidados de criados ou de umagovernanta pouco melhor, para evitar que eu acreditasse no que eladiz.Se suas maneiras tem uma grande influência no meu coraçãoressentido, você pode imaginar quanto mais elas operamfortemente no temperamento generoso Sr. Vernon. Gostaria deestar tão segura quanto ele de que foi escolha dela deixar Langforde vir para Churchill. Se não houvesse permanecido três meses láantes de descobrir que o estilo de vida de seus amigos não seadequava com sua situação e estado de espírito, eu teria acreditadoque a preocupação com a perda de um marido como o Sr. Vernon,a quem seu próprio comportamento foi pouco excepcional, a fizessedesejar uma temporada em reclusão. Mas,não posso esquecer a extensão de sua visita aos Mainwarings, equando reflito sobre os diferentes modos de vida que ela levou comeles, contrário da que ela submete-se agora, só posso supor que odesejo de reestabelecer sua reputação, seguindo emboratardiamente, o caminho da decência, foi o que a levou a separar-se 9
  11. 11. Lady Susan – Jane Austende uma família, onde ela deveria na verdade, ter sidoparticularmente feliz.A história de seu amigo, o Sr. Smith, no entanto, não pode estartotalmente correta já que ela corresponde-se regularmente com aSra. Mainwaring. Sem dúvida, deve ser exagerada. É quaseimpossível que dois homens sejam tão grandemente enganados porela ao mesmo tempo.Atenciosamente.Catherine VernonCarta 7Lady Susan a Sr. JohnsonChurchillMinha querida Alícia. Foi bondade sua mandar notícias deFrederica. Sou muito grata por esse sinal de sua amizade, mascomo não tenho dúvida do calor de sua amizade, estou longe deexigir um sacrifício tão pesado. É uma garota estúpida e nada tem arecomendá-la. Não é do meu direito, ordenar que você perca um sóminuto do seu tempo, mandando busca-la para Edward Street, jáque cada visita prejudicará suas horas de educação, algo queespero seja sua principal ocupação enquanto estiver com a Srta.Summers. Quero que cante e toque com o mínimo de bom gosto econsiga uma boa dose de confiança, já que herdou os meus dedose uma voz tolerável. Eu estava muito desejosa em meus anos deinfância, porém nunca fui forçada a aplicar-me a nada, sendo assim,faltam-me hoje as habilidades necessárias atualmente, paracompletar uma mulher bonita. Não que eu seja uma defensora daatual tendência de adquirir um conhecimento perfeito de todas aslínguas, artes e ciências.É uma perda de tempo ser amante de francês, italiano e alemão.Música, canto desenho etc. farão com que uma mulher ganhealguns aplausos, mas não adicionará um amante à sua lista. A 10
  12. 12. Lady Susan – Jane Austengraça e a forma, afinal, são de maior importância. Não tenho aintenção, portanto, que o conhecimento de Frederica vá além dosuperficial e me orgulho que fique na escola tempo suficiente paraaprender o necessário.Espero vê-la casada com Sir. James em um ano, e você sabe quecertamente minha esperança é bem fundamentada. Além disso, aescola deve ser algo humilhante para uma menina na idade deFrederica. É melhor não convidá-la mais, pois desejo que suasituação seja a mais desagradável possível, já que a qualquermomento Sir James poderá renovar seu pedido em poucas linhas.Enquanto isso, eu me preocupo para que você evite a aquisição dequalqueroutro compromisso, quando ele vier para a cidade. Convide-o parasua casa de vez em quando e converse sobre Frederica para queele não a esqueça.Ao todo, elogio meu próprio comportamento nesse assunto, e oconsidero uma elegante combinação de circunspeção e de ternura.Algumas mães teriam insistido para que suas filhas aceitassem umaoferta tão boa na primeira proposta, mas eu não ficaria satisfeita emque Frederica realizasse um casamento que seu coração rejeita. Em vez de adotar uma atitude tão grave, eu simplesmenteproponho fazer disso seu próprio desejo, através da criação detodos os tipos de desconfortos, até que ela o aceite.Mas, já falamos o suficiente desta menina cansativa.Você deve se perguntar como eu passo meu tempo aqui. Bem, aprimeira semana foi insuportavelmente chata. No entanto, as coisasmelhoram. O grupo aumentou com a presençairmão da Sra. Vernon, um belo rapaz que promete divertir. Há algonele que me interessa. Uma espécie de brincadeira e familiaridadeque vou ensiná-lo a corrigir. É animado e parece inteligente e,quando tiver conquistado maior respeito que os ofícios de sua irmãhaviam implantado, poderá ser um flerte agradável. Fazer com queum espírito insolente e predisposto a odiá-la reconheça suasuperioridade, proporsiona um prazer requintado. Eu já odesconcertei com minha reserva calma e me delicio em rebaixar oorgulho destes pretenciosos De Courcys, a fim de convencê-lo que 11
  13. 13. Lady Susan – Jane Austena cautela de sua irmã, a Sra Vernon, não tem fundamento, epersuadir Reginald a crer que tenho sido caluniada. Este projetoservirá, pelo menos, para divertir-me, e para evitar a terrível dor deestar longe de você e de todos os a quem amo.Atenciosamente,S. VernonCarta 8Sra. Vernon a Sra. De CourcyChurchillMinha querida mãe, você não deve esperar Reginald novamentepor um tempo. Ele deseja que eu lhe diga que o bom clima atual,levou-o a aceitar o convite do Sr. Vernon para prolongar a suaestadia em Sussex e, portanto, poderem ir caçar juntos. Ele desejaenviar seus cavalos imediatamente, e é impossível dizer quandovocê poderá vê-lo em Kent. Não vou tentar disfarçar meussentimentos sobre essa sua mudança, minha querida mãe, emboraeu ache melhor não comunicá-las a meu pai, cuja excessivaansiedade sobre Reginald poderia submetê-lo a um alarme quepode seriamente afetar sua saúde e espírito.Lady Susan tem agido de forma artificial, no espaço de umaquinzena, para fazer meu irmão gostar dela. Em suma, estouconvencida de que a sua continuação aqui, além do inicialmentefixado para o seu retorno, é ocasionado tanto por certa fascinaçãoem relação a ela, como pelo desejo de caça com o Sr. Vernon e,claro, não posso sentir prazer na duração de sua visita como acompanhia do meu irmão em outra circunstância me daria.Irritam-me os truques dessa mulher sem escrúpulos. Que provamais forte de suas habilidades perigosas poderia ser dado, do que aperversão do julgamento de Reginaldo que, quando entrou nessacasa, era decididamente contra ela! Na sua última carta, ele me deudetalhes de seu comportamento em Langford, conforme lhe contou 12
  14. 14. Lady Susan – Jane Austenum cavalheiro que a conhecia muito bem e, se for verdade, sópoderia levar à desaprovação. Reginaldo próprio estava dispostodar-lhe crédito. Sua opinião sobre ela, estou certa, era que ela seriaa pior mulher da Inglaterra, e quando chegou, estava claro que ele ajugava indigna de consideração e respeito, e que ele achou que elaficaria encantada com qualquer homem inclinado a flertar com ela.Seu comportamento, confesso, foi calculado para acabar com essaideia, e não detectei a menor impropriedade nela. Nada de vaidadeou ostentação, ou leviandade, e é, sem dúvida, tão atraente quenão me surpreenderia que ele ficasse encantado com ela, se eunão tivesse ouvido nada sobre ela antes de conhecê-lapessoalmente. No entanto, contra toda a razão, contra todaconvicção, estar ele tão satisfeito por ela, como eu tenho certezaque ele está, espanta-me muito.À princípio, a admiração era muito forte, mas nada além do naturale não me parecia incomum que se impressionasse com suasdistinções e suas maneiras, mas, ultimamente, quandomencionado, que faz condições extraordinárias de louvor. Porémultimamente, quando a menciona, o faz em termos de maisextraordinário elogio e ontem ele disse, que não seria surpresaqualquer efeito sobre o coração de um homem causado por seucharme e qualidades, e quando eu respondi lamentando a maldadede sua atitude, ele disse que os erros foram cometidos eramimputados a uma educação inadequada e casamento precoce, eque na verdade, era uma mulher extraordinária.Esta tendência para esquecer ou desculpar o seu comportamento,através da influência da admiração, me irrita muito. E se eu nãosoubesse que Reginaldo não precisa de convite para prolongar sueestadia em Churchill, lamentaria que o Sr. Vernon fez a proposta.As intenções de Lady Susan são sem dúvida, de uma conquistaabsoluta ou de uma admiração universal. Não posso imaginar porum momento, que ela planeje algo mais sério, embora me sintamortificada ao ver como engana um jovem sensato como Reginald.Sempre suaCatherine Vernon 13
  15. 15. Lady Susan – Jane AustenCarta 9Sra. Johnson à Lady SusanEdward StreetMinha querida amiga:Estou feliz com a chegada do Sr. De Courcy e recomendofortemente que você se case com ele. A propriedade de seu pai é,como sabemos, considerável, e eu acredito que ele certamente aacarretou. Sir Reginaldo é muito enfermo, e não ficará em seucaminho por muito tempo. Me falam muito bem desse jovem, eembora ninguém possa realmente merecer você, minha queridaSusan, o Sr. De Courcy pode valer a pena. Manwaring ficaráfurioso, é claro, mas você pode facilmente acalmá-lo, além disso,nem a mais escrupulosa honra, lhe permitiria esperar suaemancipação.Tenho visto Sir James, ele veio para cidade por alguns dias nasemana passada, e passou várias vezes em Edward Street.Conversei com ele sobre você e sua filha, e ele está tão longe deter esquecido de vocês, que eu tenho certeza que ele iria se casarcom qualquer uma das duas com prazer. Animei suas esperançassobre Frederica ceder, e conversamos sobre como ela evoluiu. Eu orepreendi por cortejar Maria Mainwaring. Ele protestou e disse quetinha sido apenas brincadeira e nós dois rimos da decepção damenina. Em suma, foi muito agradável. Ele continua tolo comonunca.Com os melhores cumprimentos, Alicia.Carta 10Lady Susan à Sra. JohnsonChurchill 14
  16. 16. Lady Susan – Jane AustenSou muito grata a você, minha querida amiga, por seus conselhosem relação ao Sr. De Courcy. Sei que foi dado com a plenaconvicção em sua conveniência, mesmo assim, não estou muitodeterminada a segui-lo. Não posso tomar uma decisão tão sériacomo o casamento. Atualmente, não estou precisando de dinheiroe, certamente, até a morte de seu pai, obteria pouco benefíciodessa união. É verdade que sou vaidosa o suficiente para acreditarque ele está ao meu alcance. Eu o fiz consciente do meu poder eagora posso desfrutar do prazer de triunfar sobre uma mentepredisposta a não gostar de mim e cheia de preconceitos contra asminhas ações passadas.Sua irmã também está convencida, espero eu, do quão mesquinhosão os comentários das pessoas em desvantagem de outros,quando contrariam a influência imediata do intelecto e boasmaneiras.Vejo claramente que está desconfortável com o meu progresso emrelação à boa opinião de seu irmão, e concluí que não pouparáesforços para me combater. Uma vez que tenho feito duvidá-la dajustiça de sua opinião sobre mim, acho que posso desafiá-la comêxito. Tem sido um prazer ver o seu progresso em direção a umamaior intimidade, especialmente observando suas reações afetadasem consequência da minha dignidade reservada e minha condutaante sua abordagem insolente de familiaridade direta.Meu comportamento tem sido, desde o começo, igualmente restrito,e nunca havia me comportado de maneira tão pouco sedutora emtoda minha vida, embora talvez, meu desejo de domínio nuncatenha sido tão forte. Eu o tenho conquistado totalmente, comsensibilidade e conversa séria, e o fiz, ouso dizer, pelo menos meioapaixonado por mim, sem parecer um simples flerte.A consciência da Sra. Vernon merece todo tipo de vingança queesteja ao meu alcance infligir por suas manobras perversas, issobastará para fazê-la perceber que atuo com um comportamentosuave e despretensioso. No entanto, deixe-a pensar o que quiser.Nunca vi o conselho de uma irmã impedir um jovem de apaixonar-se, se ele assim o quiser. Estamos avançando agora para algum 15
  17. 17. Lady Susan – Jane Austentipo de confiança, e em breve, seremos envolvidos em uma espéciede amizade platônica. Da minha parte, você pode ter certeza de quenão passará disso, porque se já não estivesse envolvida com outrohomem, recusaria de qualquer forma, conferir meu carinho aalguém que ousou pensar tão mal de mim em certa época.Reginald tem uma boa figura e não é indigno do louvor que, comovocê já ouviu, foi-lhe dado, mas ainda é muito inferior ao nossoamigo em Langford. É menos pólido e menos insinuante queMainwaring, e em comparação, é deficiente em dizer aquelas coisasencantadoras que o deixam de bom humor consigo mesmo e comtodo o mundo. No entanto, é bastante agradável e me dá diversãosuficiente para passar as horas de uma maneira prazerosa, de outromodo teria de me ocupar tentando superar a resistência de minhacunhada e ouvindo a conversa enfadonha de seu marido.Seu relato sobre Sir James é muito satisfatório e pretendo dar umaalusão de minhas intensões a Frederica de em breve.Sempre sua:Susan VernonCarta 11Sra. Vernon à Lady de CourcyChurchillSinto-me realmente bastante inquieta, minha querida mãe, aotestemunhar o rápido aumento da influência de Lady Susan sobreReginald. Eles agora estão em termos da mais particular amizade,frequentemente se envolvem em longas conversas e ela temconseguido, por meio de sedução sutil, subjugar seu juízo a seuspropósitos.É impossível ver a intimidade desenvolvida entre eles tãorapidamente, sem se alarmar. Embora eu dificilmente suponha queos planos de Lady Susan se estendam ao casamento. Desejo que 16
  18. 18. Lady Susan – Jane Austenfaça Reginald voltar para casa sob qualquer pretexto plausível. Elenão está em absoluto disposto a nos deixar e eu lhe tenho feitotantas insinuações sobre o precário estado de saúde de nosso pai,quanto a decência me permitem fazer estando em minha própriacasa.Seu poder sobre ele agora deve ser ilimitado, uma vez queconseguiu remover completamente a opinião anterior que ele tinhae convenceu-o não apenas a esquecer, mas a justificar suaconduta.As informações do Sr. Smith a respeito da conduta de Lady Susanem Langford, a qual a acusava de ter seduzido o Sr. Mainwaring eum jovem comprometido com a Srta. Mainwaring, e que Reginaldacreditava firmemente quando chegou aqui, é agora, estáconvencido, apenas uma escandalosa invenção.Ele me disse isso com um ardor, que revelava seu arrependimentopor ter pensado o contrário um dia. Como lamento que ela tenhavindo a minha casa! Eu sempre vi sua chegada com inquietação,mas estava longe de sentir esta ansiedade por Reginald. Euesperava uma má companhia para mim, mas não imaginava quemeu irmão corresse o menor risco de ser cativado por uma mulherpor cujos princípios ele foi tão bem informado, e cujo caráter ele tãosinceramente desprezava. Se você conseguir que ele saia daqui,será uma boa coisa.AtenciosamenteCatherine VernonCarta 12Sir Reginald de Courcy à seu filhoParklandsEu sei que os jovens não admitem qualquer investigação emassuntos do coração, mesmo por parte de seus parentes mais 17
  19. 19. Lady Susan – Jane Austenpróximos. Porém eu espero meu querido Reginald, que você semostre superior, por não causar a ansiedade de um pai e achar-seno direito de recusar sua confiança e conselho. Você deve ter emmente que, como filho único e representante de uma antiga família,suas escolhas na vida são de importância em suas relações,principalmente na questão do casamento. Há muito em jogo: suafelicidade, a felicidade de seus pais e a honra de seu nome.Não estou supondo que você aceitaria um compromisso dessanatureza, sem consultar sua mãe e eu, ou pelo menos, sem estarconvencido de que aprovaríamos sua escolha. Mas, não possodeixar de temer, que sejas induzido, pela dama que ultimamentetem-se aproximado de você, a um casamento que toda sua família,próxima ou distante, reprovaria.A idade de Lady Susan em si, já é uma objeção. Mas, sua falta decaráter é ainda mais grave e faz a diferença de doze anos, emcomparação, parecer muito pequena. Se você não estivessecegado pelo fascínio, seria ridículo relembrar os casos deimpropriedade por parte dela que já são de conhecimento geral.Sua negligência em relação ao marido, o encorajamento que deuaos outros homens, sua extravagância e devassidão, eram tãoevidentes, que ninguém poderia ignorar na época, nem poderia seresquecido agora. Para nossa família, ela sempre foi representadade forma suavisada pela benevolência do Sr. Charles Vernon, eainda, apesar de seus esforços para desculpá-la, sabemos que elafez, pelas razões mais egoistas, todos os esforços para impedir ocasamento dele com Catharine.Minha idade e o aumento de minha enfermidade, me fazemdesejoso de vê-lo estabelecido na vida. A fortuna de sua esposa,devido à bondade de minha inclinação, me é indiferente. Mas, suafamília e caráter devem ser irrepreensíveis.Se sua escolha estiver de acordo com essas exigências, prometo-lhe meu consentimento pronto e alegre. Mas, é meu dever opor-mea uma relação que é resultada de um engenho profundo e que sópoderia trazer um final infeliz. 18
  20. 20. Lady Susan – Jane AustenÉ provável que seu comportamento se deva apenas à vaidade ouao desejo de ganhar a admiração de um jovem que ela acreditavaestar predisposto contra ela. Mas, é mais provável que ela estejaprocurando algo mais. Ela é pobre e é natural que busque umaaliança vantajosa para si mesma. Você conhece seus direitos esabe que está fora de meu alcance impedir que herde apropriedade da família.A capacidade de afligi-lo durante toda minha vida, seria umavingança a qual eu jamais me rebaixaria, em qualquercircunstância. Eu lhe digo meus sentimentos e intençõeshonestamente. Não quero apelar a seus temores, e sim a seu juízoe afeto. Vê-lo casado com Lady Susan Vernon, destruiria toda aserenidade de minha vida. Seria o fim de todo o orgulho honesto,com a qual eu tenho considerado meu filho até agora. Envergonhar-me-ia vê-lo, saber dele e pensar nele.Talvez esta carta não resulte em nenhum bem, além de aliviarminha mente, mas achei que era meu dever dizer-lhe que seuinteresse por Lady Susan não é segredo para seus amigos e paraadverti-lo contra ela. Eu teria prazer em ouvir suas razões paradesacreditar a inteligência do Sr. Smith, você não tinha nenhumadúvida de sua autenticidade, há um mês.Se você puder me dar a sua garantia de não ter nenhum projetopara além de apreciar a conversa de uma mulher inteligente por umcurto período, e de ceder apenas admiração por sua beleza ehabilidades, sem se deixar cegar por eles para seus defeitos, vocêvai me restaurar a felicidade, mas, se você não puder fazer isso, meexplique, pelo menos, o que ocasionou uma alteração tão grandena sua opinião sobre ela.AtenciosamenteReginald de CourcyCarta 13 19
  21. 21. Lady Susan – Jane AustenSra. De Courcy à Sra. VernonParklandsMinha querida filha Catherine, infelizmente estava confinada emmeu quarto quando sua última carta chegou, devido a um resfriadoque afetou minha vista, não pude lê-la eu mesma, então não puderecusar a oferta de seu pai de lê-la para mim. Isto significa que eleficou sabendo de minha grande aflição e todos os meus temores emrelação a seu irmão.Eu pretendia escrever para Reginald eu mesma, assim que meusolhos deixassem, para adverti-lo, o quanto eu pudesse, o perigo deum relacionamento com uma mulher tão astuta quanto a Sra.Susan, para um jovem de sua idade e suas expectativas. Eu quis,aliás, lembrá-lo de que estamos completamente sós, e queprecisamos dele para animar nosso espírito nestas longas noites deinverno. Se isso teria feito algum bem não temos como saber agora,mas fico muito aborrecida por Sir. Reginald ficar sabendo de algoque previa, lhe deixaria tão preocupado.Ele percebeu todos os seus medos ao ler sua carta, e tenho certezaque não parou de pensar nisso desde então. Escreveuimediatamente a Reginald uma longa carta sobre o assunto, emespecial, pedindo que ele explicasse o que ele ouviu de LadySusan, que pudesse contradizer os anteriores relatórios chocantes.Sua resposta veio hoje de manhã, e vou anexar para você, poiscreio que lhe interessará ver.Eu gostaria que fosse mais satisfatório, mas parece escrito com adeterminação de dar-nos uma boa opinião de Lady Susan, e suasafirmações com respeito ao casamento e tudo o mais, não metranquilizam o coração. Eu digo tudo que posso para consolar seupai, e ele certamente está menos inquieto desde que Reginaldescreveu esta carta. Como provocação, minha querida Catherine,esta sua hospede indesejada não só nos privou de vê-los no natal,como também, nos causou aborrecimento e confusão.Beije seus queridos filhos por mim. Sua afetuosa mãe,C. de Courcy 20
  22. 22. Lady Susan – Jane AustenCarta 14Sr. De Courcy a Sir ReginaldMeu caro senhor:Tenho recebido sua carta neste momento, e senti um espanto tãogrande como nunca havia sentido antes. Devo agradecer a minhairmã, suponho, por ter me representado sob tal luz, a ponto deprejudicar sua opinião, e dar-lhe todo este alarme.Não entendo por que ela escolheu preocupar-se, e preocupar suafamília, ocupando-se com um evento que ninguém, exceto ela,posso afirmar, acharia possível. Imputar tal intenção à Lady Susan,seria tirar-lhe o crédito por uma excelente inteligência, que nemseus maiores inimigos negariam. Da mesma forma, muito baixasdevem ser minhas pretensões, para ser suspeito de ter propósitosmatrimonias em meu comportamento com ela.Nossa diferença de idade deve ser uma objeção insuperável, e vossuplico, meu querido pai, para tirar isso de sua mente, e não maisabrigar uma suspeita que possa prejudicar sua paz e nossa relação.Não posso ter outra intenção ao permanecer com Lady Susan, doque usufruir por um curto tempo (como você se expressou) aconversa com uma mulher com um intelectual poderoso.Se a Sra. Vernon admitisse o afeto que tenho por ela e por seumarido durante a extensão de minha visita, ela fariam mais justiça anós todos. Mas minha irmã está infelizmente, predisposta contraLady Susan. Devido à ligação que tem com seu marido, que em simesmo honra a ambos, não pode perdoar os esforços que a Sra.Susan fez para impedir seu casamento, o que tem atribuído aoegoísmo de Lady Susan. Porém nesse caso, como em muitosoutros, o mundo tem grosseiramente injuriado aquela senhora,supondo que as razões para seu comportamento são questionáveis.Lady Susan havia ouvido algo materialmente tão desvantajososobre minha irmã, que ficou convencida que a felicidade do Sr. 21
  23. 23. Lady Susan – Jane AustenVernon, com quem sempre foi muito unida, seria destruída pelocasamento. E nestas circunstâncias, enquanto se explica asverdadeiras motivações de Lady Susan e remove-se toda a culpaque tem sido lançada sobre ela, é que nos damos conta de quãopouco o relatório geral de qualquer pessoa deve ser creditado. Jáque nenhum personagem, por mais reto que seja, pode escapar dacalúnia.Se minha irmã, na segurança de seu retiro, com tão poucaoportunidade para se inclinar para o mal, não conseguiu evitar acensura, não devemos precipitadamente condenar aqueles que,vivendo num mundo cercados por tentações, são acusados porerros que se sabe, tem o poder para cometer. Eu me culposeriamente por ter acreditado tão facilmente, numa históriacaluniadora inventada pelo Sr. Smith contra Lady Susan, comoestou convencido agora de que ele tão fortemente a caluniou.Quanto ao ciúme da Sra. Mainwaring, foi totalmente invenção sua eo que nos contou sobre a associação dela com o prometido da Srta.Mainwaring, teve um fundamento pouco melhor. Sir James Martinstinha sido induzido por aquela jovem a dar-lhe um pouco mais deatenção, e sendo ele um homem rico, é fácil entender que seusplanos incluíam o casamento.É sabido que a Srta. Mainwaring está absolutamente a procura deum marido, e nada pode portanto, fazê-la perder, pelos atrativossuperiores de outra mulher, a chance de fazer um homem dignocompletamente miserável. Lady Susan estava longe de pretenderuma grande conquista e sabendo o quanto afetava a Srta.Mainwaring a deserção de seu amante, decidiu, apesar das súplicasdo Sr. e da Sra. Mainwaring, por deixar a família. Tenho razõespara imaginar que ela tenha recebido propostas sérias de SirJames, mas sua remoção para Langford imediatamente após adescoberta de seu compromisso deve absolvê-la no mesmoinstante por qualquer espírito de imparcialidade.Você vai, tenho certeza meu caro senhor, reconhecer esta verdadee saberá fazer justiça a uma mulher ferida.Tenho certeza que Lady Susan, ao decidir vir para Churchill, foitomada das melhores e mais amáveis intenções. Sua prudência e 22
  24. 24. Lady Susan – Jane Austeneconomia são exemplares, sua consideração para com o Sr.Vernon também. E seu desejo de obter uma opinião favorável deminha irmã deveria ter um retorna melhor do que tem recebido.Como mãe é irrepreensível. A sólida afeição por sua filha édemostrada por tê-la colocado nas mãos de alguém que vai atendersua educação devidamente. Mas, por ela não ter a parcialidadecega da maioria das mães, é acusada de falta de instinto maternal.Qualquer pessoal de bom senso saberá valorizar sua afeição bemdirigida, e concordará comigo que Frederica Vernon poderiamostrar-se mais digna do que é, dos afetos e cuidados de sua mãe.Tenho escrito agora, meu caro pai, meus verdadeiros sentimentosem relação a Lady Susan. Você saberá por meio desta carta, comoadmiro suas habilidades e estimo seu caráter. Mas se você nãoestá igualmente convencido pela minha plena e solene garantia queseus receios foram ociosamente criados, você vai mortificar-me eangustiar-me profundamente.CordialmenteR. de CourcyCarta 15Sra. Vernon à Lady de CourcyChurchillMinha querida mãe:Estou lhe devolvendo a carta de Reginald e me alegro de todocoração por meu pai ter se alegrado com ela. Dê-lhe os meusparabéns. Mas, entre nós, só estou convencida de que meu irmãonão tem a intenção de se casar com Lady Susan agora, não que elenão estará em perigo de ter esta intenção em três meses.Ele faz um relato muito plausível de seu comportamento emLangford, espero que seja verdade, porém a inteligência por trásdisso deve vir dela. Estou menos disposta a acreditar nisso, do que 23
  25. 25. Lady Susan – Jane Austena lamentar o grau de intimidade que existe entre eles para resultarna discussão desse assunto.Lamento ter causado seu desapontamento, mas não pode esperarnada melhor enquanto ele estiver tão ansioso para defender LadySusan. Ele foi muito severo comigo, e ainda assim, espero não tersido precipitada ao julgá-la. Pobre mulher! Apesar de eu ter razõessuficientes para meu desgosto, não posso deixar de ter pena delano momento, já que ela está realmente angustiada e por razõesjustificáveis.Ela recebeu esta manhã uma carta da senhora com quem deixousua filha, pedindo para que a senhorita Vernon seja removidaimediatamente, uma vez que foi detectada uma tentativa de fuga.Porque e para onde pretendia ir, não se sabe. E como a decisão demandá-la para lá parecia correta, é lamentável e é claro, muitoangustiante para Lady Susan.Frederica deve ter seus dezesseis anos e deveria ser mais sábia.Porém, pelo que sua mãe deu a entender, é uma garota perversa.Mas, ela foi tristemente negligenciada e sua mãe deve se lembrardisso.O Sr. Vernon partiu para Londres assim que ela determinou o quedeveria ser feito. Ele tentará se possível, convencer a Srta. Summera deixar Frederica continuar com ela, e caso não tenha êxito, irátrazê-la para Churchill até que se encontre outra solução para ela.Enquanto isso, sua senhoria se reconforta passeando ao longo dosarbustos com Reginald, ocupando todos os seus ternossentimentos, suponho, nesta ocasião angustiante. Ela tem faladomuito disso para mim. Ela se expressa muito bem e temo ser poucogenerosa quando digo muito bem, o que lamento profundamente.Mas, eu não vou olhar para seus defeitos, ela poderá tornar-se amulher de Reginald. E que os céus proíbam! Mas porque minhavisão seria melhor do que a dos outros? O Sr. Vernon disse quenunca viu maior sofrimento que o dela ao receber a carta. Será oseu julgamento inferior ao meu?Ela estava muito relutante quanto a Frederica ser autorizada aentrar em Churchill, e com justiça, pois parece uma espécie de 24
  26. 26. Lady Susan – Jane Austenrecompensa por seu comportamento, quando o que merecia eramuito diferente. Mas, era impossível mandá-la para outro lugar e elanão deverá permanecer por muito tempo."Será absolutamente necessário", disse ela, “como sabe, minhaquerida irmã, devo ser sensata, para tratar minha filha comseveridade enquanto estiver aqui. Uma necessidade dolorosa aqual tentarei submetê-la. Tenho medo de ter sido muitas vezesindulgente, mas o temperamento de minha pobre Frederica, nuncapoderia suportar a oposição. Você deve apoiar-me e encorajar-me.Deve instar a necessidade de repreensão caso note que estoumuito indulgente.”Tudo isso parece muito razoável. Reginald está muito indignadocom a pobre e tola menina. Certamente não é ao credito de LadySusan que ele deveria ser tão amargo com sua filha, a ideia quetem dela deve ser traçada a partir da descrição da mãe.Bem, seja qual for seu destino, temos o conforto de saber quefizemos o possível para salvá-la. Devemos confiar o evento a umpoder superior.Sempre suaCatherine VernonCarta 16Lady Susan a Sra. JohnsonChurchillNunca fiquei tão abalada em toda a minha vida, minha queridaAlícia, do que com a carta que recebi da Srta. Summer esta manhã.Aquela menina terrível tentou fugir. Eu não tinha noção de suanatureza perversa até então. Parecia ter toda a brandura dosVernon, mas ao receber a carta em que eu declarei minha intençãosobre Sir James, ela realmente tentou fugir, pelo menos, nãoencontro outro motivo para ela ter feito isso. 25
  27. 27. Lady Susan – Jane AustenEla pretendia, eu suponho, para ir para junto dos Clarkes emStaffordshire, pois ela não tem outros conhecidos. Mas ela deve serpunida, terá de aceitá-lo. Enviei Charles à cidade para resolver asituação se puder, pois eu não quero, de forma alguma, ela aqui. SeMiss Summers não quiser mantê-la, você deve me achar outraescola, a menos que possamos fazê-la casar imediatamente.A Srta. Summer escreveu dizendo que não conseguiu obternenhuma informação da jovem, para atribuir qualquer causa a seucomportamento extraordinário, o que confirma para mim, a minhaprévia explicação do assunto. Frederica é muito tímida eu acho, eme teme demais para contar algo. Mas a bondade de seu tio deveobter algo dela, e não tenho receio disso. Eu confio que sou capazde fazer minha história tão boa quanto à dela. Se sou vaidosa dealgo, é de minha eloquência. Consideração e estima, resultam dodomínio da linguagem assim como a admiração depende da beleza,e aqui tenho oportunidade suficiente para exercitar meu talento jáque a maior parte do meu tempo é gasto com conversas.Reginald não se sente confortável a menos que estejamos a sós, equando o tempo permite, caminhamos entre os arbustos por horasjuntos. Eu gosto muito dele no geral, ele é inteligente e tem muito adizer, mas ele é às vezes impertinente e incômodo. Há uma espéciede delicadeza ridícula nele, pois exige uma explicação completa detudo o que ouve a meu respeito e nunca está satisfeito até descobriro início e o fim de tudo. Isto é um tipo de amor, mas confesso quenão é recomendável particularmente a mim. Prefiro infinitamente oespírito liberal de Mainwaring, que se impressiona com a profundaconvicção de meus méritos e está convencido de que tudo o quefaço está certo, e vejo com certo grau de desprezo as fantasiasinquisidoras e indecisas desse coração que parece sempre debatera razoabilidade das suas emoções.Mainwaring é, de fato, além de toda comparação, superior àReginald. Superior em tudo, menos na possibilidade de estarcomigo. Pobre indivíduo! Ele é muito ciumento, o que não lamento,pois sei que não há base melhor para o amor.Ele tem insistido em vir para a região e alojar-se em um lugarsecreto, mas eu proibi qualquer coisa do gênero. Não há justificativa 26
  28. 28. Lady Susan – Jane Austenpara aquelas mulheres que esquecem o que é esperado delas enão levam em consideração o que o resto mundo pensa.Sempre suaSusan VernonCarta 17Sra. Vernon à Lady de CourcyChurchillMinha querida mãe. O senhor Vernon retornou na quinta-feira ànoite trazendo sua sobrinha com ele. Lady Susan recebeu umrecado dele pelo correio neste mesmo dia, informando que a Srta.Summer havia se recusado veemente a permitir que a Srta. Vernonpermaneça em sua academia. Estávamos, portanto, preparadospara sua chegada, e esperei com impaciência a noite inteira.Eles chegaram enquanto tomávamos chá, e nunca vi uma criaturatão assustada como Frederica ao entrar na sala. Lady Susan queantes havia se derramado em lágrimas e mostrado grande agitaçãocom a ideia da reunião, recebeu-a com perfeito domínio de simesma e sem trair-se com o menor espírito de ternura.Ela quase não falava com ela, e quando Frederica irrompeu emlágrimas assim que nos sentamos, levou-a para fora da sala, e nãoretornou por algum tempo. Quando assim o fez, seus olhospareciam muito vermelhos e estava tão agitada quanto antes. Nãovimos mais sua filha. O pobre Reginald estava tão preocupado porver sua leal amiga em tal aflição e lhe prestava assistência com tãoterno zelo, que eu, que ocasionalmente vi-a observando seu rostocom alegria, estava perdendo a paciência.Esta representação patética durou a noite inteira, e tamanhaostentação e exibição de sua astúcia, convenceu-me que ela defato não sentia nada. Desde que vi sua filha, estou tão irritada comela como nunca antes. A pobre moça parece tão infeliz que meu 27
  29. 29. Lady Susan – Jane Austencoração dói por ela. Lady Susan é certamente muito severa, já queFrederica não parece ter o temperamento que torne a severidadenecessária.Ela parece perfeitamente tímida, desanimada e arrependida. Ela émuito bonita, embora não tão bonita como a mãe e não se pareçacom ela em nada. Sua aparência é delicada, porém não tãoradiante nem tão bonita quanto a de Lady Susan. Ela tem muito dostraços do Sr. Vernon em seu rosto, o rosto oval e olhos levementeescuros, e há uma doçura peculiar em seu olhar quando ela fala,quer para seu tio quer para mim, pois, como nos comportamosgentilmente com ela, temos naturalmente engajado sua gratidão.Sua mãe tem insinuado que seu temperamento é intratável, mas eununca vi uma expressão menos indicativa de qualquer má índoleque a dela. E desde que pude comparar o comportamento de umapara a outra, a severidade invariável de Lady Susan e o desânimosilencioso de Frederica, sou levada a acreditar como antes, que aprimeira não tem verdadeiro amor por sua filha, e nunca fez justiçapor tratá-la carinhosamente.Eu não tenho sido capaz de ter qualquer conversa com a minhasobrinha, ela é tímida, e posso ver que alguns esforços foram feitospara impedi-la de passar muito tempo comigo. Nada de satisfatóriodeixa a transparecer quanto ao seu motivo para fugir. Seu bondosotio, tenho certeza, teve medo de fazer muitas perguntas enquantoviajavam. Eu gostaria que tivesse sido possível para mim ir buscá-lano lugar dele. Eu acho que teria descoberto a verdade no decursode uma viagem de trinta quilômetros.O pequeno pianoforte foi transferido para seu quarto a poucos dias,a pedido de Lady Susan, e Frederica passa a maior parte do tempoali, praticando, pelo que dizem. Mas eu raramente ouvi qualquerbarulho quando passava por lá. O que ela faz lá não sei. Há umaabundância de livros, mas não é qualquer garota, que tenha sidouma selvagem nos primeiros quinze anos de sua vida, que pode ouquer ler.Pobre criatura! A vista de sua janela não é muito instrutiva, pois avista desse cômodo dá para o gramado com os arbustos, você 28
  30. 30. Lady Susan – Jane Austensabe, para um lado, onde ela pode ver sua mãe caminhar por horasconversando seriamente com Reginald.Uma menina da idade de Frederica tem de ser muito infantil paranão ser afetada por essas coisas. Não é imperdoável dar talexemplo a uma filha? No entanto, Reginald ainda pensa que LadySusan é a melhor das mães, e ainda condena Frederica como umamenina inútil.Ele está convencido de que sua tentativa de fuga não teve causajusta, e não teve nenhuma instigação. Tenho certeza de que não sepode dizer que não teve. Como a Srta. Summers declarou que aSrta. Vernon não mostrou sinais de teimosia ou perversidadedurante sua estadia em Wigmore Street, até que foi descoberto oseu plano, não posso tão facilmente dar crédito ao que Lady Susano fez acreditar e quer que eu acredite; que era apenas umaimpaciência de contenção e um desejo de fugir da aula e de seusmestres que a fez planejar a fuga.Oh Reginald! Como seu julgamento é manipulado! Mal ousa nemmesmo admitir que ela seja bonita, e quando falo de sua beleza,responde apenas que seus olhos não têm brilho! Às vezes ele temcerteza de que ela é deficiente em compreender, e em outros queseu temperamento é totalmente deficiente. Em suma, quando umapessoa está sempre a enganar, é impossível que seja coerente.Lady Susan considera necessário, para justificar a si mesmo, queFrederica seja responsabilizada. E considera oportuno acusá-la deter uma natureza precária e às vezes a lamentar sua falta de juízo.Reginald apenas repete o que ela diz.AtenciosamenteCatherine VernonCarta 18Sra. Vernon à Lady de CourcyChurchill 29
  31. 31. Lady Susan – Jane AustenMinha querida Mãe:Fiquei muito feliz ao descobrir que minha descrição de FredericaVernon lhe interessou, pois acredito que ela realmente merece seurespeito, e quando lhe contar uma ideia que recentemente meimpressionou, a impressão que tem a seu favor, estou certa, seintensificará. Não posso deixar de fantasiar que a opinião que meuirmão tem a respeito dela está melhorando parcialmente. Eu tantasvezes o vi pensativo, olhando fixo para seu rosto com uma notávelexpressão de admiração. Ele é, sem dúvida, muito bonito, e aindamais, há uma franqueza em seus modos que é muito atraente, eestou certa de que ela também pensa assim.Séria e pensativa em geral, seu semblante ilumina-se num sorrisosempre que Reginald diz algo divertido, e se o assunto de que eleesteja falando for sério, estou muito enganada se ela deixar escaparuma única sílaba que ele pronunciar.Eu quero fazê-la ciente de tudo isso, pois sabemos o poder dagratidão de um coração como o seu, e se o afeto sincero deFrederica afastá-lo da mãe, poderemos abençoar o dia que atrouxemos para Churchill.Eu acho minha querida mãe, que você não irá desaprová-la comofilha. Ela é extremamente jovem com certeza. Teve uma educaçãomiserável e um péssimo exemplo de leviandade de sua mãe, mas,contudo, posso dizer que sua disposição é excelente, e suashabilidades naturais muito boas. Embora totalmente sem educação,ela não é de forma alguma tão ignorante quanto se esperaria quefosse, sendo amante dos livros e passando a maior parte de seutempo lendo. Sua mãe a deixa sozinha a maior parte do tempo, eeu fico com ela sempre que posso, tenho feito um enorme esforçopara vencer sua timidez.Nós somos boas amigas, e embora ela não abra a boca perantesua mãe, fala bastante quando está a sós comigo, deixando claroque se Lady Susan a tratasse adequadamente a vantagem seriamaior. 30
  32. 32. Lady Susan – Jane AustenNão poderia ser mais amável, afetuosa, ou mais cheia de gratidãoquando agi livre de repressão, e seus pequenos primos são todosmuito afeiçoados a ela.Sua filha afetuosa,C. VernonCarta 19De Lady Susan à Sra. JohnsonChurchillSei que está ansiosa para ouvir mais a respeito de Frederica, etalvez pense que sou negligente por não ter escrito antes. Elachegou com seu tio na quinta-feira da quinzena passada.Obviamente, não perdi tempo em exigir a causa de seucomportamento, e logo percebi ter sido perfeitamente correta ematribuí-la à minha carta.A perspectiva a assustou tão completamente, que com um misto deperversidade feminina e loucura, resolveu sair da casa diretamenteao encontro de seus amigos, os Clarkes, e tinha ido tão longequanto à distância de duas ruas quando se perdeu, felizmente, foiperseguida e alcançada.Essa foi a primeira grande façanha da Srta. Frederica Vernon. E seconsiderarmos que essa façanha foi alcançada na tenra idade dedezesseis anos, teremos espaço para as previsões mais lisonjeirasde sua fama futura. No entanto, eu me senti excessivamenteprovocada com a falta de decoro que impediu miss Summer demanter a menina. E isto pareceu ser algo tão insignificante, levandoem consideração as ligações familiares de minha filha, que sóposso supor que essa senhora foi movida pelo medo de nuncaconseguir o dinheiro dela.Seja como for, Frederica foi devolvida as minhas mãos, e, nãotendo mais nada para fazer, ocupou-se em continuar o plano 31
  33. 33. Lady Susan – Jane Austenromântico iniciado em Langford. Na verdade, está apaixonada porReginald de Courcy! Desobedecer a sua mãe, recusando umaoferta perfeita, não é suficiente, suas afeiçoes também devem serdadas sem a aprovação de sua mãe! Eu nunca vi uma moça daidade dela, expor-se tanto a ser o divertimento de um homem.Seus sentimentos são tão intensos e é tão encantadoramenteingênua em expor-se e em permitir-se a mais modesta esperança,que será ridicularizada e desprezada por todos os homens que aveem. Com sua candura, nunca vai conseguir nada em matéria deamor. Ou essa menina nasceu simplória e tem isso por natureza, oué fingimento.Ainda não estou certa de que Reginald percebeu suas intenções eisso não tem muita importância. Ela agora é um objeto deindiferença para com ele, e se ele entendeu suas emoções, apenasa despreza. A beleza dela é muito admirada pelos Vernons, masnão tem efeito sobre ele. Ela está em alta no favor de sua tia, issoporque se parece pouco comigo, é claro. Ela é a companhia perfeitapara a Sra. Vernon que gosta de ser firme e ter toda a razão esagacidade na conversa. Frederica nunca irá superá-la. Quando elachegou, eu tentei impedi-la de passar muito tempo com sua tia, masacabei relaxando, pois acho que posso confiar que ela observará asregras estabelecidas para seus relacionamentos.Mas, não imagine que com toda essa indulgência, eu tenha emalgum momento abandonado meu plano de casamento. Não, euestou inalteravelmente fixada neste objetivo, embora eu ainda nãoesteja completamente decidida sobre o modo de realizá-lo. Nãoseria conveniente tratar desse assunto aqui, exposta a opinião doSr. e Sra. Vernon, mas não posso me dar ao luxo de ir à cidade.Sendo assim, a Srta. Frederica terá de esperar um pouco.Atenciosamente:Lady Susan VernonCarta 20 32
  34. 34. Lady Susan – Jane AustenSra. Vernon à Lady de CourcyChurchillNós temos um convidado muito inesperado conosco no momento,minha querida Mãe. Ele chegou ontem. Ouvi um carro na porta,quando estava sentada com meus filhos enquanto jantavam, esupondo que seria procurada, deixei as crianças e desci asescadas, quando Frederica, pálidas como cinza, veio correndo epassou por mim indo para seu quarto.Eu imediatamente segui-a, e perguntei-lhe qual era o problema."Oh!" disse ela, "ele está vindo - Sir James está chegando, e o quedevo fazer?" Disse isso sem explicação, eu implorei a ela que medissesse o que ela queria dizer. Naquele momento, fomosinterrompidas por uma batida na porta: era Reginald, que veio apedido de Lady Susan, para chamar Frederica a baixo. “É o Sr. deCourcy” disse ela, corando visivelmente, “mamãe mandou chamar-me, eu devo ir”.Nós três descemos juntos, e eu vi meu irmão examinando o rostoaterrorizado de Frederica com surpresa. Na sala em que se serve ocafé da manhã, encontramos Lady Susan, e um jovem queaparentava ser um cavalheiro, a quem ela apresentou com o nomede Sir James Martin – a própria pessoa, que como pode se lembrar,foi dito que ela se preocupou em separar da Srta. Mainwaring. Masa conquista, ao que parece, não era para si mesma, mas transferiua sua filha. E Sir. James está agora perdidamente apaixonado porFrederica, e com total aprovação da mãe. No entanto, a pobremoça, estou certa, não gosta dele. E apesar de sua aparência ereferências serem muito boas, ele parece, tanto para o Sr. Vernonquanto para mim, um jovem muito fraco.Frederica parecia tão tímida, tão confusa, quando entramos na sala,que eu senti profundamente por ela. Lady Susan se comportoudando grande atenção a seu visitante, embora eu tenha percebidoque ela não sentiu um prazer especial em vê-lo.Sir. James falou muito e pediu sinceras desculpas por ter tomado aliberdade de vir para Churchill – muitas vezes ria por desculpar-se 33
  35. 35. Lady Susan – Jane Austenmais que o necessário – repetia a mesma coisa várias vezes edisse três vezes à Lady Susan que tinha visto a Sra. Johnsonalgumas noites antes.Ele uma hora ou outra se dirigia a Frederica, mas maisfrequentemente se dirigia a sua mãe. A pobre garota ficou todo otempo sem abrir a boca, com os olhos baixos, e sua cor variando acada instante, enquanto Reginald observava tudo que se passavaem perfeito silêncio.Finalmente Lady Susan, cansada da situação imagino, propôs quecaminhássemos, e saímos deixando os cavalheiros sozinhos paracolocarmos nossas peliças.* À medida que subíamos, Lady Susanpediu permissão para ajudar-me por alguns momentos no meuquarto de vestir, pois ela estava ansiosa para falar comigo emprivado. Eu a levei para lá com esse propósito, e assim que a portaestava fechada, ela disse: “Eu nunca fui mais surpreendida emminha vida do que com a chegada de Sir James, e a rapidez comque ele fez seu pedido de desculpas a você, minha querida irmã,embora para mim, como mãe, é altamente lisonjeiro. Ele é tãoextremamente apegado à minha filha que não podia passar maistempo sem vê-la. Sir James é um jovem de uma disposição amávele excelente caráter, um pouco barulhento demais, talvez, mas umano ou dois vai corrigir isso. E ele é em outros aspectos tão elegívele um par tão adequado a Frederica, que eu tenho sempreobservado essa união com o maior prazer, e estou convencida deque você e meu irmão vão dar sua aprovação entusiasta a essaaliança.“Eu nunca havia mencionado essa probabilidade a ninguém antes,pois achava que enquanto Frederica estivesse na escola, seriamelhor que isso não se tornasse conhecido. Mas agora que estouconvencida de que Frederica está velha demais para oconfinamento da escola, passei a considerar a união com Sir.James como algo não muito distante, e tinha a intenção defamiliarizar você e o Sr. Vernon com o assunto nos próximos dias.Tenho certeza minha querida irmã, que você me perdoará pormanter silêncio sobre o assunto por tanto tempo, e concordará 34
  36. 36. Lady Susan – Jane Austencomigo que nestas circunstâncias, quando se fica em incerteza porqualquer motivo, se requer muita cautela.“Quando você tiver a felicidade, dentro de alguns anos, de concedersua linda Catherine a um homem cuja família e caráter sãoigualmente irrepreensível, você saberá o que sinto agora, embora,graças a Deus, você não terá tantos motivos quanto eu tenho parame alegrar nesse caso. Catherine será uma mulher amplamentetalentosa, não como minha Frederica, que depende de um pouco desorte para estabelecer uma vida confortável.”Ela concluiu exigindo meus parabéns. Eu lhe dei meia sem graça,pois, na verdade, a revelação súbita de uma questão tão importantetirou de mim o poder de falar com qualquer clareza. Ela agradeceu-me muito carinhosamente por minha preocupação com e seu bem-estar e de sua filha. Então disse: “eu não sou boa para confissões,minha querida Sra. Vernon, e nunca tive o talento conveniente dedemonstrar os sentimentos de meu coração, e por isso confio quevocê vai acreditar em mim quando digo que apesar de tudo quetinha ouvido falar em seu louvor antes de te conhecer, eu não faziaideia de que viria a amar você tanto quanto amo agora. E devoainda dizer que sua amizade é para mim mais particularmentegratificante, pois tenho razões para crer que foram feitos esforçospara predispô-la contra mim.“Eu só desejo que estes, sejam eles quem for, a quem devo estetipo de intenções, pudessem ver as condições em que agoraestamos unidas, e compreendessem o verdadeiro afeto quesentimos uma pela outra. Mas, não a deterei por mais tempo. Deuslhe abençoe pela bondade que tem demonstrado por mim e minhamenina, e que continue a lhe dar a mesma felicidade que tem nopresente.”O que se pode dizer de uma mulher assim, minha querida mãe?Com tal solenidade e seriedade de expressão! E, no entanto nãoposso deixar de suspeitar da veracidade de tudo o que ela diz.E quanto a Reginald, acredito que ele não saiba o que fazer sobre oassunto. Quando Sir. James chegou, ele aparentou espanto eperplexidade. A insensatez do rapaz e as confusões de Frederica odeixaram completamente absorto, e apesar de um discurso privado 35
  37. 37. Lady Susan – Jane Austencom Lady Susan ter surtido algum efeito, ele ainda está magoado,estou certa, por ela ter permitido as atenções de tal homem a suafilha.Sir. James convidou-se com grande compostura para permaneceraqui por alguns dias. Esperava que não achássemos estranho,estava ciente de sua impertinência, mas tomou a liberdade de umarelação; e concluiu, desejando com uma risada, que possa serrealmente muito em breve.Mesmo Lady Susan parecia meio desconcertada em seu coraçãocom essa desenvoltura, estou convencida de que ela realmentedesejava que ele fosse embora. Mas, algo deve ser feito por essapobre moça, se seus sentimentos são realmente como tanto seu tiocomo eu, achamos que são. Ela não deve ser sacrificada peladiplomacia ou ambição. Não deve ser deixada sofrer de temor. Umamenina cujo coração sabe distinguir Reginald de Courcy merece umdestino melhor do que ser a esposa de Sir. James Martin.Tão logo consiga ficar sozinha com ela vou descobrir a verdade,mas ela parece me evitar. Espero que isso não proceda de nada deerrado e que eu não descubra que tenha julgado ela com excessivabondade. Seu comportamento com Sir. James certamentedemonstra muita sensatez e constrangimento, mas não vejo nadanele que sirva de encorajamento. Adeus, minha querida mãe.Atenciosamente:C. Vernon*Peliça - Cobertura ou vestimenta feita ou forrada de peles finas emacias.Carta 21Miss. Vernon à Lady de CourcyChurchill 36
  38. 38. Lady Susan – Jane AustenSenhora:Espero que me perdoe pela liberdade que estou tomando. Souforçada a isso por uma grande angústia. Caso contrário, meenvergonharia de importuná-la.Estou muito infeliz por causa de Sir James Martin, e não há outrasolução a não ser escrever para você, uma vez que fui proibida atémesmo de falar com meu tio e minha tia sobre o assunto.Sendo este o caso, temo que minha solicitação a você, não pareçanada mais que um equívoco, como se eu só atendesse as cartas enão ao espírito das ordens de mamãe.Mas se você não tomar meu partido e convencê-la a romper comele, ficarei muito perturbada, pois não posso suportá-lo. Nenhumser humano a não ser você, poderia ter alguma chance deprevalecer sobre ela.Se a senhora, portanto, tiver a indescritível bondade de tomar meupartido perante ela e convencê-la a mandar Sir James Martin paralonge, serei mais grata a você do que me é possível expressar.Eu sempre desgostei dele, desde o início, não é uma ideiarepentina eu lhe garanto senhora. Eu sempre o achei tolo,impertinente e desagradável e agora mais do que nunca. Prefiro terde trabalhar para ter o meu pão de cada dia a me casar com ele.Não sei como me desculpar o suficiente por essa carta, e sei queestou tomando uma liberdade muito grande. Estou consciente doquão terrivelmente irritada ficará mamãe por causa desta carta, masassumo os riscos.Eu sou, senhora, sua humilde serva.Frederica S. Vernon.Carta 22Lady Susan à Sra. JohnsonChurchill 37
  39. 39. Lady Susan – Jane AustenIsto é intolerável minha querida amiga! Nunca me senti tão irritadaantes, e devo desabafar escrevendo para você, sei que vai entrarem todos os meus sentimentos.Imagine quem chegou aqui na terça-feira, senão James Martins?!Imagine meu espanto e irritação - porque, como você bem sabe, eununca quis que ele fosse visto em Churchill. Que pena que vocênão tenha tido conhecimento prévio de suas intenções!Não contente com a vinda, ele realmente se convidou para ficaraqui alguns dias. Ele poderia ter estragado tudo! Eu fiz o melhorpossível, no entanto, e contei minha história com grande sucessopara a Sra. Vernon, que, sejam quais forem seus sentimentos reais,não disse nada em oposição a mim.Fiz questão também, de fazer com que Frederica se comportassecivilizadamente com Sir James e dei-lhe a entender que estouabsolutamente determinada em seu casamento com ele. Ela dissealguma coisa sobre sua desgraça, mas isso foi tudo.Nos últimos dias, fiquei ainda mais determinada em meu objetivo,principalmente ao ver o rápido avanço de sua afeição por Reginalde por não estar totalmente segura de que tal afeto não possa vir adespertar um retorno.Uma relação fundada apenas sobre a compaixão os tornadesprezíveis aos meus olhos. E eu não senti garantia nenhuma deque esse não possa ser o desfecho. É verdade que Reginald nãoesfriou, de forma alguma, em relação a mim. Mas, ultimamente, eletem mencionado Frederica espontaneamente e sem necessidade, euma vez, disse algo em louvor a sua pessoa.Ele era todo espanto com a chegada de meu visitante. A princípioobservou sir James com uma atenção, que tive o prazer de vermisturado com ciúme, mas infelizmente foi impossível para mimatormentá-lo com isso, uma vez que sir James, emboraextremamente galante comigo, logo deu a entender que seucoração foi dedicado a minha filha.Eu não tive muita dificuldade em convencer de Courcy, quandoestávamos sozinhos, de que eu estava perfeitamente justificada, 38
  40. 40. Lady Susan – Jane Austenconsiderando todas as coisas, em desejar seu casamento. E oassunto parecia resolvido comodamente.Qualquer um deles poderia perceber que sir James não é nenhumSalomão. Mas eu proibi terminantemente Frederica de se queixarcom Charles Vernon e sua esposa, e eles não tiveram, portanto,nenhuma pretensão de interferir. Embora minha filha impertinente,creio eu, aguardava uma única oportunidade para fazê-lo.Tudo, então, estava transcorrendo calma e tranquilamente, e,embora eu contasse as horas para a permanência de sir Jamesacabar, estava satisfeita com o estado das coisas.Adivinhe então, o que senti com a súbita perturbação de todos osmeus planos. E ainda mais, por parte da pessoa que eu menostinha motivo para esperar.Reginald chegou esta manhã em meus aposentos, com umasolenidade muito incomum em seu rosto, e depois de algumprefácio, informou-me em tantas palavras que desejava convencer-me da impropriedade e indelicadeza de permitir que sir JamesMartin se case com minha filha contra sua vontade. Fiquei surpresa!Quando percebi que não estava brincando, calmamente pedi umaexplicação. Quis saber o que o impeliu e quem o comissionou a merepreender. Ele então me disse, misturando em seu discurso algunselogios insolentes e inoportunas expressões de ternura, que ouvicom perfeita indiferença, que minha filha o informou de algumascircunstâncias, referentes a si mesma, sir James e eu, que lhehaviam deixado em grande inquietação.Em suma, descobri que ela tinha na verdade escrito uma carta parapedir sua interferência, e que, após o recebimento, ele tinhaconversado com ela sobre o conteúdo da mesma, a fim decompreender as informações e assegurar-se de seu real desejo.Não tenho dúvida de que a menina aproveitou a oportunidade parademonstrar seu amor por ele. Estou convencida disso pela maneiraque ele falou dela. Quanto bem fará um amor assim a ele! Eusempre desprezarei um homem que pode contentar-se com umamor que nunca quis inspirar, nem solicitou a confição. Sempredetestarei a ambos. 39
  41. 41. Lady Susan – Jane AustenEle não pode ter verdadeira estima para comigo, caso contrário,não teria dado ouvidos a ela. E ela, com seu coração rebelde eindelicados sentimentos, lançou-se sob a proteção de um jovemcom quem raramente havia trocado duas palavras antes disso!Estou igualmente confusa com seu descaramento e suacredulidade. E como ele ousa acreditar no que ela disse em meudesfavor? Não deveria ele, ter tido certeza de que eu tinha motivosincontestáveis para fazer o que fiz? Onde estava a sua confiança nomeu bom senso e bondade, então? Onde está o ressentimento queo amor verdadeiro teria ditado contra a pessoa que me difamou –sendo essa pessoa uma pirralha, uma criança, sem talento oueducação, a quem ele havia sido sempre ensinado o desprezar?Permaneci calma por um tempo, mas até o mais alto grau depaciência pode ser derrotado, e espero que depois tenha sidosuficientemente sagaz. Ele se esforçou, se esforçou muito, paraamolecer meu ressentimento, mas só uma mulher muito tola, apósser insultada com uma acusação, se deixa influenciar com elogios.Finalmente ele me deixou, mostrando-se tão profundamente irritadocomo eu própria. Eu me mantive bastante calma, mas ele deu lugara uma indignação mais violenta, o que me faz pensar que vaidiminuir rápido ou até desaparecer para sempre, enquanto a minhavai permanecer fresca e implacável.Ele agora está trancado em seu quarto, para onde o ouvi ir quandodeixou o meu. “Quão desagradáveis devem ser suas reflexões!”poderia pensar. Mas, os sentimentos de algumas pessoas sãoincompreensíveis. Ainda não me acalmei o suficiente para verFrederica.Ela não haverá de esquecer tão cedo os acontecimentos deste dia!Ela irá perceber que despejou sua proposta de amor em vão, e quese expôs para sempre ao desprezo de todos e ao ressentimentosevero de sua mãe ferida.Sua afetuosaSusan VernonCarta 23 40
  42. 42. Lady Susan – Jane AustenSra. Vernon à Lady de CourcyChurchillDeixe-me felicitá-la minha querida mãe! O caso que nos deu tantaansiedade está chegando a um desfecho feliz. Nossa perspectiva émais agradável agora, e uma vez que o assunto está tão favorável,fico triste por já ter transmitido minhas apreensões a você, pois oprazer de saber que o perigo passou, talvez tenha sido caramenteadquirido por tudo o que você já sofreu.Estou tão agitada pela alegria, que mal posso segurar uma caneta,mas estou determinada a enviar-lhe algumas linhas curtas porJames, para dar algumas explicações que vão surpreendê-lagrandemente, Reginald retornará a Parklands.Eu estava sentada com sir James na sala cerca de meia hora atrás,quando meu irmão me chamou para fora da sala. Imediatamentepercebi que algo estava acontecendo, sua aparência estavaalterada, e ele falou com grande emoção. Você conhece suamaneira ansiosa, minha querida mãe, quando fala de algo que lheinteressa.“Catherine” disse ele “estou indo para casa hoje. Sinto ter de deixá-la mas tenho de ir. Já faz muito tempo que não vejo meu pai eminha mãe. Estou enviando James a minha frente com meus cãesde caça. Se tiver alguma carta, portanto, ele pode levar. Não vouchegar em casa antes de quarta ou quinta-feira, já que vou passarpor Londres onde tenho negócios a tratar. Mas, antes de deixá-la”,continuou ele num tom mais baixo, “devo advertir-te de uma coisa:não deixe que Frederica seja infeliz por causa de sir James Martin.Ele quer se casar com ela, a mãe promove a aliança, mas ela nãopode suportar a ideia.“Tenha certeza que falo com a mais plena convicção da verdade doque digo, sei que Frederica está muito infeliz por Sir Jamescontinuar aqui. Ela é uma menina doce e merece um destino 41
  43. 43. Lady Susan – Jane Austenmelhor. Mande-o embora imediatamente! Ele é apenas um tolo, e oque a mãe dela achará disso só Deus sabe! Adeus” acrescentouele, apertando minha mão com sinceridade “não sei quando nosveremos de novo, mas lembre-se do que disse sobre Frederica,ocupa-te nesse assunto para que seja feita a justiça com ela. Ela éuma menina amável, e tem uma mente muito superior ao que temoslhe dado crédito.” Ele então me deixou e correu para cima. Nãotentei impedi-lo, pois sei o que devia estar sentindo.A natureza do que senti enquanto escutava não preciso tentardescrever, permaneci imóvel por um ou dois minutos, dominada porum espanto do tipo mais agradável, de fato, ainda é necessáriaalgumas considerações para ficar tranquilamente feliz.Cerca de dez minutos após meu retorno ao salão, Lady Susanentrou na sala. Cheguei à conclusão, claro, que ela e Reginaldhaviam brigado. E olhei com curiosidade ansiosa para seu rosto afim de ter a confirmação de minha suspeita.Senhora do engano, no entanto, ela parecia perfeitamentedespreocupada, e depois de conversar sobre assuntos indiferentespor um curto período de tempo, disse-me: “fiquei sabendo por meiode Wilson que vamos perder o Sr. de Coucy. É verdade que eledeixará Churchill esta manhã?” respondi que sim, “ele não nosdisse nada na noite passada” disse ela rindo, “nem mesmo no caféda manhã, mas talvez nem ele próprio soubesse. Os jovens sãomuitas vezes precipitados em suas resoluções, e não mais bruscosem fazê-lo do que inconstantes em mantê-los. Eu não ficariasurpresa se ele mudasse de ideia no último momento e não fosse.”Ela logo em seguida deixou a sala. Espero, no entanto, minhaquerida mãe, que não tenhamos razão para temer uma alteração doseu plano atual. As coisas foram longe demais. Eles devem terbrigado por causa de Frederica. Sua calma me espanta.Que alegria será para você vê-lo novamente, e ver que aindamerece sua estima e que ainda é capaz de proporcioná-lafelicidade! Quando voltar a escrever, poderei dizer-lhe que sirJames se foi, Lady Susan foi vencida e Frederica está em paz.Temos muito a fazer, mas será feito! Estou muito ansiosa para 42
  44. 44. Lady Susan – Jane Austensaber como esta mudança surpreendente aconteceu. Termino comocomecei, com as mais calorosas felicitações.Sempre sua:Cath. Vernon.Carta 24Sra. Vernon à Lady de CourcyChurchillMinha querida mãe, pouco podia imaginar quando enviei minhaúltima carta, que a deliciosa agitação de espírito que eu sentiaentão, passaria tão rápido, e que seria revertida em tantamelancolia. Eu nunca poderei lamentar o suficiente por tudo queescrevi para você. Mas, quem poderia ter previsto o queaconteceu?Minha querida mãe, toda a esperança que me fez tão feliz apenasduas horas atrás, desapareceu. A briga entre Lady Susan eReginald acabou, e todos nós estamos como estávamos antes.Ganhamos apenas em uma coisa: Sir James foi dispensado.O que podemos esperar agora? Estou realmente decepcionada,Reginald estava pronto para ir embora, seu cavalo foi encomendadoe tudo, só faltava ser trazido à porta, quem não teria se sentidoseguro? Durante meia hora fiquei na expectativa momentânea desua partida.Depois que eu tinha enviado minha carta para você, fui até oSr.Vernon, sentei-me com ele e conversamos sobre o assunto, e,em seguida, resolvi dar uma olhada em Frederica, a quem não tinhavisto desde o café da manhã.Eu a encontrei na escada e vi que estava chorando. “minha queridatia”, disse ela “ele está indo – o Sr. de Courcy está indo e é tudoculpa minha. Eu tenho medo que você fique muito zangada comigo,mas eu não fazia ideia de que acabaria assim.” “Meu amor”, eu 43
  45. 45. Lady Susan – Jane Austenrespondi, “não acho que seja necessário pedir desculpas a mim porconta disso. Me sentirei em dívida com qualquer um que seja oresponsável pela ida de meu irmão para casa. Porque” lembrei-me“meu pai quer muito vê-lo. Mas o que você fez para ocasionarisso?”Ela corou profundamente ao responder: “Eu estava tão infeliz porcausa de Sir James Martin que não pude evitar – eu fiz algo muitoerrado, eu sei, mas você não faz ideia da miséria que eu estava.Minha mãe me ordenou que eu nunca mais falasse sobre o assuntocom você ou meu tio.” “Você então falou com meu irmão para queele interferisse” disse eu para poupar sua explicação.“Não, mas eu escrevi a ele. Eu, de fato, levantei esta manhã antesque houvesse luz, quando faltavam umas duas horas paraamanhecer. E quando minha carta estava pronta, pensei que nuncateria coragem para entregá-la. Após o café da manhã, no entanto,quando estava indo para meu quarto, eu o encontrei no corredor, eem seguida, como eu sabia que tudo dependeria desse momento,eu me forcei a entregá-la.“Ele é tão bom que pegou-a imediatamente. Não ousei olhar paraele, e corri imediatamente. Eu estava tão assustada que mal podiarespirar. Minha tia querida, você não sabe quão miserável eu sou.”“Frederica”, eu disse, “você deveria ter me contado todas as suasangustias. Você teria encontrado em mim uma amiga semprepronta para ajudá-la. Você acha que seu tio ou eu não teríamosdefendido sua causa tão bem quanto meu irmão?” “na verdade, eunão tinha dúvidas de sua bondade”, disse ela corando de novo,“mas, eu pensei que o Sr. de Courcy pudesse influenciar minhamãe, porém eu estava enganada, eles tiveram uma briga terrívelsobre o assunto e agora ele está indo embora. Minha mãe nuncavai me perdoar e eu ficarei pior do que nunca.”“Não, você não vai”, respondi, “ nesta situação a proibição de suamãe não deveria ter impedido você de falar comigo sobre oassunto. Ela não tem o direito de fazê-la infeliz e não vai fazer. Suasolicitação a Reginald, no entanto, pode ser de benefício para todasas partes. Acredito que seja melhor assim. No que depender delevocê não ficará infeliz por muito tempo.” Naquele momento, qual foi 44
  46. 46. Lady Susan – Jane Austenminha surpresa ao ver Reginald sair do quarto de vestir de LadySusan. Meu coração receou naquele instante. Sua confusão ao mever era evidente. Frederica imediatamente desapareceu.“você está indo?”, perguntei, “você vai encontrar o Sr. Vernon emseu quarto.” “Não Catherine, eu não estou indo. Posso falar comvocê por um instante?” fomos até o meu quarto. “Eu acho”, falouele, sua confusão mental aumentava enquanto falava, “que eutenho agido com minha habitual e tola impetuosidade. Tenhoincompreendido totalmente Lady Susan, e estava a ponto de deixara casa sob uma falsa impressão de sua conduta. Tem havido umengano muito grande. Acredito que todos nós nos enganamos.“Frederica não conhece sua mãe. Lady Susan não quer nada alémdo bem de sua filha, mas ela não quer ser sua amiga. Sendo assim,Lady Susan nem sempre sabe o que fará sua filha feliz. Além disso,eu não tinha o direito de interferir. A Srta. Vernon cometeu umequívoco ao apelar para mim. Em suma Catherine, tudo deu errado,mas agora está tudo resolvido, felizmente. Creio que Lady Susanqueira falar com você sobre o assunto, se você tiver um tempolivre.”“Certamente”, eu respondi, suspirando profundamente pelo recitalde tão infame história. Eu não fiz nenhum comentário, no entanto,pois palavras teriam sido em vão. Reginald se alegrou por poderretirar-se, e eu fui até Lady Susan, curiosa, na verdade, para ouvirsua explicação. "Eu não disse a você", disse ela com um sorriso,"que seu irmão não iria deixar-nos, afinal?" “de fato”, respondigravemente, “mas eu ficaria lisonjeada se estivesse enganada”.“Eu não teria arriscado tal parecer”, informou ela, “se não tivesseme ocorrido naquele momento, que sua resolução de partir pudesseter sido ocasionada por uma conversa que tivemos esta manhã, eque terminou em sua insatisfação, e isso por não termos entendidoas intenções um do outro.“Esta ideia me ocorreu no momento e, imediatamente decidi queuma disputa acidental, no qual eu poderia provavelmente ser tãoculpada quanto ele, não deveria privá-la de seu irmão. Se você selembrar, eu saí da sala quase que imediatamente. Eu estavadecidida a esclarecer este equívoco tanto quanto possível. 45
  47. 47. Lady Susan – Jane Austen“O caso foi o seguinte: Frederica se opôs violentamente a casarcom Sir James.” “E posso perguntar a sua senhoria o que eladeveria ter feito?”, exclamei com certa excitação. "Frederica tem umexcelente intelecto, e Sir James não tem nenhum."“Eu estou longe de lamentar isso minha querida irmã”, replicou ela“ao contrário, sou muito grata por tão favorável atribuição de juízo aminha filha. Sir James é certamente inferior (seus modos de meninofazê-lo parecer pior). Se Frederica possuísse a penetração e ashabilidades que eu desejava em minha filha, ou se pelo menos eusoubesse que ela possuía, não teria ficado tão ansiosa por essaaliança”.“É estranho que você seja a única a ignorar a inteligência de suafilha” "Frederica nunca faz justiça a si mesma, suas maneiras sãotímidas e infantis, e, além disso, ela tem medo de mim. Durante avida de seu pobre pai ela foi uma menina mimada. A severidadeque desde então foi necessário que eu mostrasse, alienou suaafeição. Nem o brilho de sua inteligência, nem seu gênio ou o vigorde sua mente a farão progredir”."Diga sim que ela foi infeliz na sua educação!"“Deus sabe, minha querida Sra. Vernon, como estou plenamenteciente disso, mas eu gostaria de esquecer todas as circunstânciasque poderiam lançar a culpa sobre alguém cujo nome é sagradopara mim.” Neste ponto, fingiu chorar, e eu perdi a paciência comela. “Mas o que?”, disse eu, “você não ia me contar sobre seudesacordo com meu irmão?”.“Ela teve origem por uma ação de minha filha, o que também provasua falta de juízo e o temor infundado que tem de mim que eu haviamencionado – ela escreveu para o Sr. de Courcy.” “Eu sei que elafez. Você a proibiu de falar com o Sr. Vernon e comigo sobre suaaflição, o que poderia fazer, portanto, senão recorrer a meu irmão?”“Bom Deus!”, exclamou ela, “que opinião você têm sobre mim! Vocêsupõe ser possível que eu estivesse consciente de sua infelicidade?Que era meu objetivo tornar minha própria filha miserável, e que eua havia proibido de falar com você sobre o assunto por medo deque você interrompesse um esquema diabólico? Você me considera 46
  48. 48. Lady Susan – Jane Austentotalmente destituída de honestidade e de afeição natural? Seria eucapaz de condená-la a desgraça eterna, quando minha obrigaçãona terra é promover seu bem-estar? Esta ideia é horrível!”.“Qual era então sua intenção ao insistir em seu silêncio?” “De queadianta minha querida irmã, dar qualquer explicação a você,quando a questão continuará de pé? Por que eu deveria submetê-laa rogos que eu mesmo me recusei a atender? Nem para você, nempara ela e nem para mim própria poderia ser uma coisa desejável.Quando minha decisão foi tomada, não podia desejar ainterferência, mesmo que amigável, de outra pessoa. Eu estavaerrada, é verdade, mas acreditava que estava certa”.“Mas, que erro é esse que vossa senhoria tantas vezes alude? Deonde surgiu tão surpreendente equivoco sobre os sentimentos desua filha? Você não sabia que ela não gostava de Sir James?”"Eu sabia que não era absolutamente o homem que ela teriaescolhido, mas eu estava convencida de que suas objeções a elenão resultaram de qualquer percepção de sua deficiência. Você nãodeve questionar-me, porém, minha querida irmã, muitominuciosamente sobre este ponto”, continuou ela pegandocarinhosamente minhas mãos “Eu mesmo, admito honestamente,que há algo a esconder. Frederica me deixa muito infeliz! Seu apeloao Sr. de Courcy me machuca em particular”.“O que pretendes insinuar”, disse eu, “Com esse ar de mistério? Sevocê acha que sua filha sente-se afeiçoada a Reginald, suaoposição a Sir James não merece ser menos atendida do que se acausa de sua objeção fosse a consciência de sua tolice. E por quevocê, em qualquer caso, discute com meu irmão por causa de umainterferência que, deves saber, não é de sua natureza recusarquando instado dessa forma?”“Seu caráter, você sabe, é emotivo, e ele veio protestar comigo,cheio de compaixão por essa menina mimada. Essa heroína emperigo! Nós não compreendemos um ao outro. Ele acreditou que eufosse mais culpada do que realmente era, e eu achei suaintromissão menos desculpável do que considero agora. 47
  49. 49. Lady Susan – Jane Austen“Eu tenho uma estima real por ele, e me mortificou muito perceber,como pensava, que essa estima tinha sido tão mal aplicada. Nósdois estávamos alterados, e claro, os dois eram culpados. Suaresolução de deixar Churchill é compatível com sua impaciênciahabitual. “Quando entendi sua intenção, no entanto, e quando comecei apensar que talvez tivesse sido igualmente equivocado em seuentendimento, resolvi buscar um esclarecimento antes que fossetarde demais. Sempre sentirei certa afeição por qualquer membrode sua família, e eu teria me sentido sensivelmente machucada seminha familiaridade com o Sr. de Courcy tivesse acabado tãomelancolicamente.“Tudo que tenho para dizer ainda é que, já que estou convencida deque Frederica tem uma aversão razoável por Sir James, euinstantaneamente devo informá-lo que ele deve abandonar qualqueresperança por ela. Eu me censuro por ter, mesmo queinocentemente, feito-a infeliz por causa desse assunto. Ela terátodas as retribuições que estiverem ao meu alcance fazer. Se elavaloriza sua própria felicidade tanto quanto eu, se julgar comsabedoria e se dominar a si própria como deveria, ela pode agoraser mais fácil de lidar.“Desculpe minha querida irmã, por tomar assim o seu tempo, devoisso ao meu próprio caráter, e após essa explicação, espero nãoestar em perigo de afundar em sua opinião.” Eu poderia ter dito:"Não muito, certamente!" Mas deixei-a quase em silêncio. Foi omaior trecho de paciência que eu poderia praticar. Eu não teriaconseguido parar se tivesse começado. Sua confiança! Sua fraude!Mas não vou me permitir alongar-me sobre eles, pois lhe parecemsuficientes. Meu coração adoece dentro de mim. Assim que fiquei razoavelmente composta, voltei à sala. Acarruagem de Sir James estava na porta, e ele, alegre como decostume, logo em seguida se despediu. Com que facilidade suasenhoria promove ou demite um amante!Apesar desse livramento, Frederica ainda parece infeliz. Ainda commedo, talvez, da ira de sua mãe, e, embora temendo a partida demeu irmão, ciumenta de sua permanência. Eu vejo como ela 48
  50. 50. Lady Susan – Jane Austenobserva atentamente ele e Lady Susan, pobre garota! Já não vejoesperança para ela. Não há chance de seu afeto ser devolvido. Elepensa muito diferente dela do que costumava pensar, ele faz-lhealguma justiça, mas sua reconciliação com a mãe se opõe a todasas esperanças de afeto. Prepare-se, minha querida mãe, para opior!A probabilidade de eles se casarem com certeza aumentaram. Elaestá mais segura do que nunca. Quando esse evento terrívelocorrer, Frederica deverá pertencer inteiramente a nós.Estou grata que minha última carta só vai anteceder essa por poucotempo, já que a cada momento você pode ser salva de uma alegriaque só leva ao desapontamento.Sua sempreCatherine VernonCarta 25Lady Susan à Sra. JohnsonChurchillDirijo-me a você, minha querida Alicia, para ter suas felicitações.Voltei a ser eu mesma, alegre e triunfante! Quando escrevi paravocê no outro dia, estava em alta irritação, e por forte motivo.Não, eu não sei se deveria estar muito tranqüila agora, pois eu tivemais dificuldade em restabelecer a paz do que imaginei ter.Também, um espírito resultante de uma sensação de integridadeimaginada superior, é peculiarmente insolente. Não vou perdoá-lofacilmente, eu lhe garanto!Ele realmente estava a ponto de deixar Churchill! Eu mal tinhaterminado minha última carta quando Wilson trouxe-me a palavradele. Achei, portanto, que algo deveria ser feito, porque eu nãopoderia optar por deixar a minha reputação à mercê de um homemcujas paixões são tão violentas e tão vingativas. Teria sido 49
  51. 51. Lady Susan – Jane Austenarriscado para minha reputação, permitir sua partida com talimpressão a meu desfavor. Neste contexto, a condescendência eranecessária. Pedi para Wilson dizer a ele que eu desejava falar comele antes que partisse, ele veio imediatamente.Os sentimentos de raiva que marcavam seu rosto quando nosseparamos, foram parcialmente subjugados. Ele pareceu surpresocom a convocação e olhou como se metade dele desejasse e aoutra metade tivesse medo de ser amaciado com o que eu poderiadizer.Se meu rosto expressava minhas intenções, ele era composto edigno, e ainda, com um grau de melancolia que pudesse convencê-lo que eu nÀ>

×