Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Reforçamento diferencial de comportamentos verbais alternativos de um esquizofrênico (Brito et al., 2006)

5,684 views

Published on

Conheça meu CD: http://www.cdbaby.com/cd/marciotheapplegadgets
Conheça meu livro: http://www.grupoa.com.br/autor/marcio-borges-moreira.aspx
Visite meu canal do youtube: https://www.youtube.com/user/borgesmoreirayt

Slides didáticos sobre o artigo:

Britto, I. G., Rodrigues, M. C. A., Santos, D. C. O., & Ribeiro, M. A. (2006). Reforçamento diferencial de comportamentos verbais alternativos de um esquizofrênico. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, 8, 73-84.

Há slides que se repetem mostrando diferentes alternativas de se apresentar o mesmo tópico (incluindo alguns que mostram a forma errada).

Published in: Education
  • Be the first to comment

Reforçamento diferencial de comportamentos verbais alternativos de um esquizofrênico (Brito et al., 2006)

  1. 1. Prof. Dr. Márcio Borges Moreira Centro Universitário de Brasília Reforç amento diferencial de comportamentos verbais alternativos de um esquizofrê nico (Brito et al., 2006) Agosto/2015
  2. 2. Prof. Dr. Márcio Borges Moreira Centro Universitário de Brasília, Agosto de 2015 Reforç amento diferencial de comportamentos verbais alternativos de um esquizofrê nico (Brito et al., 2006)
  3. 3. Introdução ● Objetivo: ○ DRA & Fala psicótica ● Justificativa: ○ Clínica ○ Replicação
  4. 4. Introdução ● Objetivo: ○ Investigar os efeitos do DRA sobre a fala psicótica ● Justificativa: ○ Relevância clínica - caso real de esquizofrenia ○ Replicação com um participante de língua portuguesa
  5. 5. Introdução ● Objetivo: ○ O objetivo da pesquisa foi investigar os efeitos do DRA sobre a fala psicótica em uma pessoa diagnosticada com esquizofrenia há 30 anos. ● Justificativa: ○ O trabalho tem relevância clínica, por se tratar de um caso real de esquizofrenia e fornecer evidências empíricas da eficácia de um tratamento. ○ Trata-se da replicação de uma pesquisa com um participante de língua portuguesa
  6. 6. Introdução Clínica e replicação DRA & Fala psicótica
  7. 7. Introdução Clínica e replicação DRA & Fala psicótica
  8. 8. ● Comportamento operante (Skinner, 1953): ○ "the behavior operates upon the environment to generate consequences" (p. 65) ● humanos versus não-humanos (e.g., Skinner, Solomon & Lindsley, 1954 apud Brito et al., 2006) ● Psiquiatria e análise do comportamento (Rutherford, 2003). Introdução
  9. 9. ● O comportamento operante foi definido por Skinner como "the behavior operates upon the environment to generate consequences" (p. 65). ● Skinner, Solomon & Lindsley (1954 apud Brito et al., 2006) foram um dos primeiros pesquisadores a utilizar o princípios do comportamento operante com seres humanos em um hospital. ● Rutherford (2003) ressalta que o trabalho de Skinner, Solomon & Lindsley (1954) foi pioneiro no uso de princípios do comportamento operante para o tratamento de transtornos psiquiátricos. Introdução
  10. 10. Introdução Comportamento operante (Skinner, 1953):
  11. 11. Introdução Comportamento operante (Skinner, 1953): Skinner, Solomon & Lindsley (1954 apud Brito et al., 2006) Rutherford (2003)
  12. 12. Introdução Ayllon e Haugthton (1964) Reforço positivo, fala psicótica, fala neutra
  13. 13. Introdução Ayllon e Haugthton (1964) Reforço positivo, fala psicótica, fala neutra
  14. 14. Introdução Ayllon e Haugthton (1964) Esquizofrenia crônica Procedimento "Eu soa a rainha da Inglaterra". "Hoje fiz as compras do mês".
  15. 15. Introdução Ayllon e Haugthton (1964) Esquizofrenia crônica Procedimento "Eu soa a rainha da Inglaterra". "Hoje fiz as compras do mês".
  16. 16. Introdução Ayllon e Haugthton (1964) Esquizofrenia crônica Resultados: seleção pelas consequências "Eu soa a rainha da Inglaterra". "Hoje fiz as compras do mês". "Eu soa a rainha da Inglaterra". "Hoje fiz as compras do mês". Reforço ReforçoExtinção Extinção
  17. 17. Introdução Ayllon e Haugthton (1964) Esquizofrenia crônica Resultados: seleção pelas consequências "Eu soa a rainha da Inglaterra". "Hoje fiz as compras do mês". "Eu soa a rainha da Inglaterra". "Hoje fiz as compras do mês". Reforço ReforçoExtinção Extinção
  18. 18. Introdução Ayllon e Michael (1964): extinção (entrar na sala de enfermagem) Isaacs, Thomas e Goldiamond (1964): modelagem (movimentos) Ayllon e Azrin (1978): economia de fichas (participação em atividades) Dixon, Benedict e Larson (2001): análise funcional Delirar e alucinar: comportamentos operantes
  19. 19. "(...) demonstrar o efeito de contingê ncias tais como o reforç amento diferencial de comportamentos alternativos e extinç ão sobre o repertório verbal de um indivı́duo com diagnóstico de esquizofrenia crô nica por quase 30 anos." (Brito et al., 2006, p. 77) Objetivo da pesquisa
  20. 20. Método Esquizofrenia crônica, 49 anos Ambiente e materiais
  21. 21. Método Procedimento Linha de base I (LB-I) Intervenção I (INT-I) Linha de base II (LB-II) Intervenção II (INT-II)
  22. 22. Método Procedimento Linha de base I (LB-I) Intervenção I (INT-I) Linha de base II (LB-II) Intervenção II (INT-II) Delineamento ABAB
  23. 23. Método Linha de base I (LB-I) Sem manipulação experimental
  24. 24. Método Intervenção I (INT-I) (extinção) (reforço) "O diabo e a prostituta captam até pensamentos meus". "Hoje o dia está quente".
  25. 25. Método Linha de base II (LB-II) Intervenção II (INT-II) = LB-I = INT-I
  26. 26. Método Linha de base II (LB-II) Intervenção II (INT-II) = LB-I = INT-I Follow-up
  27. 27. Resultados
  28. 28. Resultados
  29. 29. Resultados
  30. 30. Resultados
  31. 31. Resultados
  32. 32. Resultados
  33. 33. Resultados
  34. 34. Resultados
  35. 35. Resultados
  36. 36. Resultados
  37. 37. Resultados
  38. 38. Resultados
  39. 39. Discussão/Conclusões Aprendizagem de falas apropriadas (contingências) Aprendizagem de falas psicóticas (contingências) Falas psicóticas = comportamento verbal = comportamento operante
  40. 40. Discussão/Conclusões Pesquisas futuras? Follow-up? (LB ou INT) Generalização de estímulos?
  41. 41. Ayllon, T., & Haughton., E. (1964). Modification of symptomatic verbal behavior of mental patients. Behavior Research Therapy, 2, 87-97. Ayllon, T., & Michael, J. (1964). The psychiatric nurse as a behavioral engineer. In A. W. Staats (Ed). Human Learning. Studies extending conditioning principles to complex behavior, pp. 445-457. New York: Holt, Rinehart and Winton, Inc. Britto, I. G., Rodrigues, M. C. A., Santos, D. C. O., & Ribeiro, M. A. (2006). Reforçamento diferencial de comportamentos verbais alternativos de um esquizofrênico. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, 8, 73-84. Dixon, M., Benedict, H. & Larson, T. (2001). Funtional analysis and treatment of inappropriate verbal behavior. Jounal of Applied Behavior Analysis, 34, 361-363. Isaacs, W.; Thomas.; J. & Goldiamond, I. (1964). Application of operant conditioning to reinstate verbal behavior in psychotics. In A. W. Staats (Ed). Human Learning. Studies extending conditioning principles to complex behavior, pp. 466-471. New York: Holt, Rinehart and Winton, Inc. Rutherford, A. (2003). Skinner boxes for psychotics: operant conditioning at Metropolitan State Hospital. The Behavior Analyst, 26 (2), 267-279. Skinner, B. F. (1953). Science and human behavior. New York: Free Press. Referências bibliográficas

×