Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Sermão de Santo António aos Peixes - estrutura

3,149 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Sermão de Santo António aos Peixes - estrutura

  1. 1. Colégio do Amor de Deus – Cascais Português – 11º ano Ficha informativa Texto Argumentativo O texto argumentativo é tão antigo como o próprio Homem, uma vez que argumentar, ou seja, construir um texto (oral ou escrito) com base em argumentos logicamente encadeados está indissociavelmente ligado à actividade humana. Argumentar, persuadir, convencer empregando o rigor e a objectividade sempre fizeram parte do discurso humano. Sócrates e Aristóteles (filósofos gregos dos sécs.V e VI a.C.) constituem talvez os “argumentadores” mais famosos da História da Humanidade. Tradicionalmente alia-se ao texto argumentativo uma estrutura tripartida: - introdução – onde se apresenta a tese a desenvolver; - desenvolvimento – organizado em vários parágrafos e onde se exploram os argumentos e os contra-argumentos; - conclusão – constituída por um único parágrafo, onde se retoma a tese inicial reforçada pela “operação” lógica do desenvolvimento. A linguagem utilizada deve ser clara e objectiva, revelando coerência e rigor semânticos e sintácticos. O sermão religioso, e em particular o da época barroca, integra a chamada oratória (a arte de discursar em público), cujas regras o próprio Vieira codificou no famoso Sermão da Sexagésima: . centrar-se no essencial e não no acessório; . apoiar os argumentos na razão e em exemplos da Sagrada Escritura; . afastar-se da linguagem obscura dos pregadores gongorizantes; . exortar à aplicação da conclusão final. A estrutura do sermão corresponde à estrutura-tipo do texto argumentativo, podendo o desenvolvimento apresentar ainda uma divisão tripartida. Assim, o plano do sermão será composto por: - Exórdio ou Introdução – geralmente concluído por uma invocação a Maria; - Desenvolvimento – Argumentação, Demonstração e Confirmação; - Peroração ou Conclusão. O esquema mais comum dos sermões de Vieira parte geralmente de um passo das Escrituras, como conceito predicável, que depois demonstra como irrefutavelmente aplicável às condições da sua época; um dos aspectos mais válidos, pois, dos seus Sermões podemos dizer que consiste na actualização da Sagrada Escritura, cujas verdades, para Vieira, são eternas e intemporais: conceitos predicáveis. BUESCU, Maria Leonor Carvalhão, “Estudo do Sermão de S.to António aos Peixes” in Apontamentos da Literatura Portuguesa
  2. 2. Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes

×