Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Excertos importantes
Os Maias, edição Livros do Brasil

Cap.I
 Análise comparativa da descrição do jardim do Ramalhete - ...
o

p. 68-69 – caracterização de Eusebiozinho – parágrafo “D. Ana Silveira, a solteira e mais velha...”
até, p. 69, final d...
Cap. VI
 Vila Balzac
Início do capítulo até, p. 146, final do parágrafo “-Eu – dizia o Ega, passeando pela sala...”
 Rea...
P. 205-211 – parágrafo “Ao fim dessa semana...” até, p. 211, final do parágrafo “O Ega desta vez não
fantasiara...”
 Carl...
p. 343 – parágrafo “Era apenas um doente...”

Cap. XI
 Carlos conhece Mª Eduarda, numa consulta em casa dela
Início do ca...
 Carlos termina a relação com a Gouvarinho
P. 441- final do capítulo – parágrafo “Abriu a portinhola...” até ao final do ...
 Carta de Maria Monforte
p. 636 – Parágrafo “Como a Maria teve a pequena...”
 Revelações de Ega a Carlos
p. 642-643 – pa...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Excertos importantes

16,119 views

Published on

Os Maias - Eça de Queirós

Published in: Education
  • Be the first to comment

Excertos importantes

  1. 1. Excertos importantes Os Maias, edição Livros do Brasil Cap.I  Análise comparativa da descrição do jardim do Ramalhete - Simbologia. p. 6 – “... o Ramalhete possuía apenas...” até “... enegrecendo a um canto na lenta humidade das ramagens silvestres.”; p.10 – (final do parágrafo “A casa, depois de arranjada...”) “Não era decerto o jardim de Santa Olávia...” até “... gota a gota na bacia de mármore.”; p. 710 – (parágrafo “Ega sentara-se...”) “Em baixo o jardim...” até “...numa face que se anuvia.”.  Afonso da Maia: p.12 até 17 – parágrafo “Afonso era um pouco baixo, maciço...” (p.12) até final do parágrafo “Teve relações; estudou a nobre e rica literatura...” (p.17) Cap.I e II  Pedro da Maia e Maria Monforte: Caracterização de Pedro: o p.17 a 22 – parágrafo “Odiando tudo o que era inglês...” (p. 17) até final do parágrafo “E havia agora uma ideia que, a seu pesar...” Relação entre Pedro e Maria Monforte: o p. 22 – primeira vez que Pedro vê Maria Monforte – parágrafo “Mas um dia, excessos e crises findaram...” até p. 23, final do parágrafo “Havia dois anos, justamente quando Pedro perdera a mamã...”:  confrontar com o primeiro encontro de Carlos e Maria Eduarda, p. 156, parágrafo “Estavam então no peristilo do Hotel Central...”; o p. 26-27 – o início do amor – parágrafo “Nunca Maria Monforte aparecera mais bela...” (p.26) até p. 27, final do parágrafo “Os velhos amigos de Afonso da Maia...”; o p. 29 - final do capítulo – relacionamento, primeira vez que Afonso vê Maria Monforte e confronto entre Pedro e Afonso – parágrafo “No Verão, Pedro partiu para Sintra...” (p. 29) até final do capítulo I; o p. 35-37 – a vida social do casal – parágrafo “Começara então uma existência festiva...” (p. 35) até p. 37, final do parágrafo “Colava o seu belo seio contra o peito dele...”; o p. 38 - origem do nome Carlos Eduardo – parágrafo “Para abrandar desde já o papá...” o p. 44 – final do capítulo – fuga de Maria Monforte e suicídio do Pedro – parágrafo “Uma sombria tarde de Dezembro...2 até ao final do capítulo. Cap. III  Educação de Carlos (sistema inglês) Vs. Educação de Pedro e Eusebiozinho (tradicional portuguesa) p. 57-58 – parágrafo “Mas o Teixeira, muito grave, muito sério...” até , p. 58, final do parágrafo “-Sabe Vossa Senhoria, apenas veio o mestre inglês...”; p. 61-69; - parágrafo “Então Carlos, estendendo o braço por cima da mesa...” até, p. 69, final do parágrafo “Assim na família tinha a sua carreira destinada...”
  2. 2. o p. 68-69 – caracterização de Eusebiozinho – parágrafo “D. Ana Silveira, a solteira e mais velha...” até, p. 69, final do parágrafo “Assim na família tinha a sua carreira destinada...” p. 73 – brincadeira de Carlos com Eusebiozinho – parágrafo “De repente, porém, de um salto...” até final do parágrafo “O Eusebiozinho foi então preciosamente...”; p. 75-76 – parágrafo “Uma porta fechando-se abafou-lhe o clamor...” até, p. 76, final do parágrafo “Como ao outro dia era domingo...”; p. 78 – parágrafo “Afonso da Maia, no entanto, com as pernas estiradas...” Cap.IV  Final da analepse inicial – p. 95 – parágrafo “E então Carlos Eduardo partira...”  Intriga central - Caracterização de Carlos: p. 96-98 – parágrafo “Era decerto um formoso e magnífico moço, alto...” até, p. 98, final do parágrafo “As semanas foram passando nestes planos...”  Planos de Carlos p. 97-98 – parágrafo “Carlos pensara em arranjar um vasto...” até, p. 98, final do parágrafo “-E o consultório, meu senhor...”  Decoração do consultório de Carlos p. 99 – parágrafo “Carlos mobilou-o com luxo...”  A ociosidade de Carlos p. 102-103 – parágrafo “O seu gabinete, no consultório...” até, p. 103, “-Dia perdido!”  Proposta de Ega em organizar um cenáculo p. 108 – parágrafo “-É necessário reorganizar essa vida...” até, p. 109, final do parágrafo “E imediatamente voltou à sua ideia...”  Crítica ao país p. 109 – parágrafo “-Enfim – exclamou o Ega – se não aparecerem...”  O livro do Ega p. 111 – parágrafo “O livro do Ega! Fora em Coimbra...” até ao final do capítulo. Cap. V – início da vida social de Carlos  O ócio na vida de Carlos p. 128-129 – parágrafo “O laboratório de Carlos estava pronto...” até, p. 129, final do parágrafo “”Carlos realmente não tinha tempo...”  Livro do Ega – As memórias de um Átomo p. 132-134 – parágrafo “Dias depois, Carlos, no consultório...” até, p. 133, final do parágrafo “E foi grunhindo impropérios...”  “Gouvarinhar” p. 135 – parágrafo “-Ouve cá. Tinha-me esquecido...” até ao final do parágrafo “Depois daquele dia tristonho de aguaceiros...” p. 141- final do capítulo – parágrafo “Na terça-feira prometida Ega...” até final do capítulo
  3. 3. Cap. VI  Vila Balzac Início do capítulo até, p. 146, final do parágrafo “-Eu – dizia o Ega, passeando pela sala...”  Reação de Carlos à Gouvarinho p.150-151 – parágrafo “Depois de pé, com os olhos no tapete...” até, p. 151, final do parágrafo “Carlos, no entanto, fumando preguiçosamente...”  1ª visão de Maria Eduarda à entrada do Hotel central p.156-157 - parágrafo “Estavam então no peristilo do Hotel Central...” até, p. 157, final do parágrafo “-Bem sei! Os Castro Gomes...”  Jantar no Hotel Central Dâmaso Salcede – p. 157-158 – parágrafo “O sr. Dâmaso Salcede, que não despregava...” até, p.158, final do parágrafo “-Ah, lá isso influência tem...” Alencar – p. 159-160 – parágrafo “E apareceu um indivíduo muito alto...” até, p. 160, final do parágrafo “Teu pai – dizia ele – o meu Pedro...” Cohen – p. 161 – parágrafo “Cohen, um homem baixo...” Típico ser português – p. 162 – parágrafo “Falou-se logo do crime da Mouraria...” até “Esse mundo de fadistas, de faias, parecia a Carlos merecer um estudo, um romance...” Realismo vs Romantismo – p. 162-164 – parágrafo “Esse mundo de fadistas, de faias, parecia a Carlos merecer um estudo, um romance...” até, p. 164, final do parágrafo “-Vocês estão gastando cera com ruins defuntos...” Finanças – p. 165-166 – parágrafo “-Então, Cohen, diga-nos você, conte-nos cá...” até, p. 166, final do parágrafo “E, lembrando-se que algumas dessas...” Crítica ao país – invasão espanhola – p. 167-170 – parágrafo “-Portugal não necessita de reformas...” até, p.169, final do parágrafo “O Cohen queria dizer...” Realismo vs Romantismo – p. 172-176 – parágrafo “Mas ambos se voltaram ouvindo...” até, p. 176, final do parágrafo “Abraçaram-se. Alencar jurou...” Dâmaso – p. 176-178 – parágrafo “-Que tipo! – exclamou Dâmaso...” até, p. 178, final do parágrafo “Bom meu rapaz, este Dâmaso...” Descrição do momento em que Carlos soube da verdade em relação a sua mãe – p. 182-184 – parágrafo “E isto fê-lo insensivelmente...” até, p. 184, final do parágrafo “Carlos recordava-se...” Cap. VII  Dâmaso p. 190-193 – “Este dia pareceu belo a Dâmaso...” até, p.193, final do parágrafo “E foi realmente com um ar blasé...”  Steinbroken p. 201 – parágrafo “Chegara ao fim da Rua do Alecrim...”  2ª visão de Maria Eduarda – desperta a sua vontade de a conhecer p.202-205 – parágrafo “Mas Carlos não escutava, nem sorria já...” até, o. 205, final do parágrafo “E pensar que toda essa semana...”  Condessa de Gouvarinho visita Carlos no consultório
  4. 4. P. 205-211 – parágrafo “Ao fim dessa semana...” até, p. 211, final do parágrafo “O Ega desta vez não fantasiara...”  Carlos quer conhecer Maria Eduarda e convida Cruges para ir a Sintra p. 216- final do capítulo – parágrafo “Carlos ficou ainda um momento...” até final do capítulo. Cap. XVIII  Carlos vai para Sintra Real motivo da ida a Sintra - p. 222 - parágrafo “Carlos, no entanto, pensava no motivo...” Encontro de Carlos com Eusebiozinho – p. 225-231 – parágrafo “O cocheiro levou o break...” até, p. 231, final do parágrafo “E, logo atrás dele...” Encontro de Carlos e Alencar – p. 234- até ao final do capítulo – parágrafo “Um som de rodas interrompeu-os...” Cap. IX  Dâmaso chama Carlos para ir a casa dela ver Rosicler (a filha), mas não se encontra com Mª Eduarda p.257 – parágrafo “Carlos ainda se demorou...”  Descrição simbólica do interior da sua casa p. 260-261 – parágrafo “Carlos ficou só, na intimidade...” até final do parágrafo “Mas o olhar de Carlos...”  Ega é descoberto p. 269-272 – parágrafo “Então Carlos, curioso...” até, p. 272, final do parágrafo “-Não faço ideia nenhuma...”  Carlos envolve-se com a Condessa de Gouvarinho em casa dela p.297 – parágrafo “Mas a flor que ela lhe queria...” até final do parágrafo “Insensivelmente, irresistivelmente...” Cap. X  3ª visão de Mª Eduarda em frente ao Grémio p-305 – parágrafo “Foram seguindo pelo meio da rua...”  O verdadeiro patriotismo p. 308-310 – parágrafo “O velho sorriu, amaciando o seu gato...” até, p. 310, final do parágrafo “-Mandei fazer para o dia...”  Corrida de cavalos p. 312-341 – parágrafo “No domingo seguinte, pelas duas horas...” até, p. 341, final do parágrafo “Daí a pouco, a trote...” p. 313-315 – caracterização do espaço – parágrafo “À entrada para o hipódromo...” até, p.315, final do parágrafo “Defronte a pista estava deserta...” p. 323 – desinteresse – parágrafo “Enquanto a si estava contente...” p. 324-326 – momento de desordem – parágrafo “De repente, fora, houve rebuliço...” até, p. 326, final do parágrafo “Ao lado dele, Clifford...”  Bilhete de Maria Eduarda
  5. 5. p. 343 – parágrafo “Era apenas um doente...” Cap. XI  Carlos conhece Mª Eduarda, numa consulta em casa dela Início do capítulo até p.358 – “-Até amanhã, Niniche!” Presságios – pág. 346  Similitude dos nomes – presságio p. 346 – parágrafo “Maria Eduarda! Era a primeira vez...”  Simbologia – as três gerações Maia p. 347 – parágrafo “Quando ele finalmente...”, especificamente “... onde murchavam três lírios brancos...”  Presságios Parecenças entre Mª Eduarda e Afonso - p. 368 – parágrafo “Foi um encanto para Carlos...” Mª Eduarda conhece Mr. Guimarães - p.369 – parágrafo “Carlos fez-se escarlate...” até ao final do parágrafo “Ela encolheu mudamente os ombros...” Cap. XII  Jantar dos Gouvarinho Discussões em torno de Portugal, escravatura, estrangeiro, educação das mulheres - p. 390, parágrafo “De repente ouviu o seu nome...” até, p. 400, final do parágrafo “E penetraram na sala...” Exposição da falta de cultura de Sousa Neto (durante as discussões anteriores) – p. 402, parágrafo “Carlos e Ega foram os derradeiros a sair...” até “-Ora de qual! De qual há-de ser?... Da Instrução Pública!”  Maria Eduarda pergunta a Carlos se conhece alguma casa para alugar p. 406-407 - parágrafo “E com uma súbita ideia...” até, p. 407, final do parágrafo “O Domingos entrara com o tabuleiro...” casa de Craft;  Declaração de amor de Carlos e início do romance p. 408-412 – parágrafo “Calou-se; mas os seus belos olhos ficaram...” até, p. 412, “Ele tomou o chapéu, e saiu.”  Carlos revela a Ega o seu amor por Mª Eduarda e os seus planos para fugir com ela p. 417- final do capítulo – parágrafo “e contou-lhe tudo miudamente...”, até, p. 419, final do capítulo Cap. XIII  Dâmaso difama o amor de Carlos e Mª Eduarda p.422-423 – parágrafo “-Tu não tens visto o Dâmaso’” até, p. 423, final do parágrafo “Mas depois, ao regressar...”  Descrição da TOCA - Simbologia p. 431-437 – parágrafo “Começaram pelo segundo andar...” até, p. 437, final do parágrafo “Sentaram-se ao pé da janela...”  Consumação do incesto p. 438 – parágrafo “Maria Eduarda deixou-se...” até ao final do parágrafo “Carlos arrancou a coberta do leito...”
  6. 6.  Carlos termina a relação com a Gouvarinho P. 441- final do capítulo – parágrafo “Abriu a portinhola...” até ao final do capítulo Cap. XIV  Presságio – Parecença de Carlos com a mãe p. 471 – parágrafo “-Sabes tu com quem te pareces...” até final do parágrafo “-Tens razão – disse ela...”  Castro Gomes revela a Carlos que Mª Eduarda não é sua mulher, nem Rosa sua filha. p. 480-482 – parágrafo “-O meu caso é este, sr. Carlos da Maia...” até, p. 482, final do parágrafo “Parto esta noite...” Reação de Carlos a esta notícia – p. 483-489 – parágrafo “Carlos ficara caído numa cadeira...” até, p. 489, final do parágrafo “Imediatamente dada esta ordem...” Mª Eduarda confessa o seu passado a Carlos – p.497 até ao final do capítulo – parágrafo “Ele cedeu à suplicação humilde...” até ao final do capítulo. Cap. XV  Projetos para o casamento  Artigo da Corneta do Diabo p.530-544 – parágrafo “Caminhando sobre as acácias...” até, p. 544, final do parágrafo “-E agora salta...” Carlos pretende desafiar Dâmaso para um duelo ou uma declaração pública – p. 551-563 – parágrafo “A casa do Dâmaso, velha...” até, p. 563, final do parágrafo “E não se conteve mais...” Publicação no jornal “A Tarde” – p.571-573 – parágrafo “Subitamente, com uma ideia...” até, p.573, final do parágrafo “-Vai depois! Gritou o Neves...” Cap. XVI  Sarau da Trindade Rufino – p. 586-591 – parágrafo “E com efeito, quando pela escada...” até. P. 591, final do parágrafo “Apoiado! – mugiu na coxia...” Cruges – p.595-597 – parágrafo “O velho democrata desaparecera...” até, p. 597, final do parágrafo “Começou então uma debandada...” Alencar – p. 607-612 – parágrafo “Já o Alencar estaria...” até, p.612, final do parágrafo “E ao longo da coxia...”  Carlos confronta Eusebiozinho – p. 603-606 – parágrafo “Em torno correram risos...” até, p. 606, final do parágrafo “Ele mesmo lhe apanhou...”  Revelação de Mr. Guimarães a Ega – p. 615-623 – parágrafo “-Muito agradecido a Vossa Excelência...” até, p.623, final do parágrafo” Felizmente um trem avançava...”Revelações de Guimarães a Ega  Dúvidas de Ega – p. 623-final do capítulo – parágrafo “Na carruagem, através do Aterro...” até ao final do capítulo – pp.615-616 Cap. XVII  Ega conta a Vilaça p.631-633 – parágrafo “Uma senhora brasileira...” até, p. 633, “-E você, Vilaça, é que tem de lho dizer.”
  7. 7.  Carta de Maria Monforte p. 636 – Parágrafo “Como a Maria teve a pequena...”  Revelações de Ega a Carlos p. 642-643 – parágrafo “E Ega, miudamente, contou a sua longa...” até, p.643, final do parágrafo “-Já ia sucedendo...”  Revelações de Carlos a Afonso p. 643-645 – parágrafo “Então Carlos, no ardente...” até, p. 645, final do parágrafo “E Carlos diante dele vergava...”  Sofrimento de Afonso – indício de morte P. 645-646 – parágrafo “Por fim Afonso ergueu-se...” até, p. 646, final do parágrafo “Ega ainda balbuciou...”  Dúvidas de Carlos p. 652-654 – parágrafo “Ia à Rua de S. Francisco...” até, p. 654, final do parágrafo “Por isso ia – e ao longo do Aterro...”  Incesto consciente p. 657-658 – parágrafo “Então Carlos deu um passo...2 até, p. 658, final do parágrafo “Ele tenteava, procurando...”  Morte de Afonso p. 668-672 – parágrafo “O sol ia alto, um barulho passou...” até, p. 672, final do parágrafo “De novo as lágrimas lhe correram...”  Revelações de Ega a Maria Eduarda p. 683-684 – parágrafo “Então Ega teve só um desejo...” até, p.684, final do parágrafo “-Tudo é uma fatalidade...”  Partida de Maria Eduarda p. 686 –até ao final do capítulo – parágrafo “No dia seguinte...” até ao final do capítulo Cap. XVIII  Partida de Carlos e Ega para uma viagem pelo mundo – início do capítulo  Após dez anos nada mudara em Portugal  O Chiado representa Portugal do presente, o país decadente da regeneração p. 697-698 – parágrafo “estavam no Loreto...” até ao final do parágrafo “Era o Dâmaso...”  Avenida – Passeio público – a decadência p. 701-702 – parágrafo “Num claro espaço...”  Jardim do Ramalhete p. 710 – (parágrafo “Ega sentara-se...”) “Em baixo o jardim...” até “...numa face que se anuvia.”.  “Falhámos a vida, menino!” p.713-714 – parágrafo “Carlos considerou Ega com espanto...”até, p.714, final do parágrafo “-E que somos nós?...”

×