Formacoes Vegetais B Rasil Bruno Aula 2

5,078 views

Published on

Powerpoint apresentado na EE Profº Mariano Barbosa de Souza.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
5,078
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
44
Actions
Shares
0
Downloads
51
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Formacoes Vegetais B Rasil Bruno Aula 2

  1. 1. Formações Vegetais do Brasil Características Gerais
  2. 2. Formações Vegetais - Mundo
  3. 3. Formações Vegetais – Brasil
  4. 4. Características Gerais das Formações Vegetais Brasileiras O Brasil é um país que grande parte do seu território se encontra na faixa dita como intertropical (entre os trópicos de câncer e capricórnio, daí sua caracterização como “país tropical”), com exceção da área do sul do estado de SP até o RS, que é conhecida como zona subtropical. As formações vegetais, em geral são adaptadas a temperaturas altas, com bastante umidade, e a grande amplitude térmica (mudança de temperatura) diária. São geralmente compostas por plantas de médio e grande porte, com formações extensas de florestas, e com grande biodiversidade de fauna e flora.
  5. 5. Florestas Tropicais - Amazônica A Floresta Equatorial Tropical Amazônica, é uma formação vegetal que transpassa as fronteiras do território brasileiro. É um domínio que compreende grande parte do território da região Norte do Brasil, norte de MT, e oeste do MA. É uma floresta densa, com árvores de grande porte, dossel alto, perenifólia (sempre verde), ombrófila (adaptada a chuva). Porém existem três tipos de formações diferentes na floresta amazônica: Floresta de Terra Firme; Floresta de Várzea; e a Floresta de Igapó – que são assim definidas pela sazonalidade (mudança) da altura de alagamento dos rios. A Floresta de Terra Firme é composta por uma formação mais densa, que não é alagada, em qualquer época do ano, com árvores de maior porte, que podem chegar a 60 metros de altura. A floresta de várzea, é a área onde os terrenos são mais baixos, existem inundações periódicas, e árvores com raízes respiratórias. A floresta de igapó é a formação permanentemente alagada, com solos extremamente pobre, e terrenos mais baixos. Hoje está no holofote das mídias por conta do desmatamento que aflige o sul desta formação vegetal, pela expansão de projetos agropecuários como a pecuária e o cultivo da soja, e do milho.
  6. 6. Extratos e Esquema da Floresta Amazônica Esta floresta sobrevive com um eficiente sistema de evapotranspiração da folhagem, e das águas provenientes dos grandes rios. Os solos são pobres, mas sustentados pelas constantes massas de folhas que despencam das árvores. A radiação solar atinge a toda a copa, com uma faixa de sob-bosque diminuta.
  7. 7. Florestas Tropicais - Mata dos Cocais A formação florestal predominante nos estados do MA, e do PI, que é uma subdivisão da Floresta Amazônica. Sua característica mais marcante é a presença de bosques de palmeiras, que fazem parte do extrato superior da Mata dos Cocais. Esta formação vegetal esta ameaçada pela extração do babaçu, do buriti, e da carnaúba para se fazer óleos, ceras, casas, e demais usos relacionados a indústria de cosméticos. Natura Ekos Buriti Sabonete de babaçu da ASSEMA (Associação em Áreas de Assentamento do Estado do Maranhão) Carnaubeira
  8. 8. Florestas Tropicais - CerradoA formação vegetal que abrange grande parte da porção do Centro- Oeste brasileiro, além de porções significativas do Sudeste brasileiro, e do oeste da BA, e sul e centro do TO. Árvores de médio porte, com galhos retorcidos, período de estiagem que varia de 3 a 6 meses, solos profundos, mas com média e baixa fertilidade (Latossolos Vermelho, e Vermelho-Amarelo), são algumas de suas características mais marcantes. Possuí diversos tipos de formações de florestas diferentes, bem como a Amazônia, porém definidos pela densidade: Cerradão; Cerrado; e Campestre – definidos pelo dossel, e sua densidade. Sua conservação está ameaçada pela expansão da agricultura mecanizada (soja, milho, e cana-de-açúcar), e da pecuária bovina extensiva. É muito comum nesta formação vegetal as queimadas, oriundas da queima de matéria orgânica, nos períodos de estiagem, porém a queimada vem sendo utilizada para destruir a vegetação para utilização na agricultura (coivara).
  9. 9. Imagens do Cerrado
  10. 10. Florestas Tropicais - Caatinga É a formação vegetal predominantes nas áreas do interior do Nordeste brasileiro, e norte de MG, região também conhecida como “Polígono das Secas”. Seu clima é o semi-árido, de folhas e galhos secos, retorcidos, com períodos de estiagem que beiram os 9 meses, e com presença de plantas xerófitas (cactos e suculentas), dependendo da região, são características marcantes deste ecossistema. Nesta região também marcada pelos rios intermitentes e pelo abastecimento da maior bacia hidrográfica perene, que nasce e deságua em território nacional (Rio S. Francisco). Os atuais projetos agropecuários e as tecnologias introduzidas no campo, têm mostrado o alto potencial para produção agrícola, para abastecimento de um mercado interno, que têm crescido em velocidade acima do que é observado em escala nacional, que têm devastado grandes porções da caatinga, em especial na BA e em MG.
  11. 11. Queimadas entre 15 e 21 de outubro de 2009 e de 2008 (com base em imagens do satélite NOAA) Note a grande concentração de queimadas nas Regiões da Caatinga, da Amazônia Oriental e do Cerrado. Quais zonas foram alvo de maiores queimadas?
  12. 12. Floresta Semidecidual (Semicaducifólia) É a formação vegetal predominante nas áreas serranas e planálticas do Sudeste brasileiro, bem como do Sul da BA, e leste de MS. É a formação de transição entre a Mata Atlântica, o Cerrado, e a Caatinga. Têm características comuns às três formações, desde plantas arbustivas, até árvores de grande porte. Seu clima varia entre o tropical e o tropical de altitude, com período de estiagem que varia de 2 a 4 meses, e nestes períodos perde parte de sua folhagem, como forma de reter energia. É composto por árvores de grande, e médio porte, bem como de plantas arbustivas, características do cerrado e da caatinga. Atualmente sua área de ocupação está ocupada por grandes aglomerações urbanas, e extensas áreas agrícolas mecanizadas, e de pecuária extensiva.
  13. 13. Floresta Tropical - Complexo do Pantanal O complexo do Pantanal, é composto por plantas que compreendem as árvores de grande porte, até gramíneas, e plantas xerófitas. Porém a características principal são suas planícies susceptíveis a alagamentos, das grandes cheias do Rio Paraguai. É importante ressaltar a alta biodiversidade do local, devido aos diferenciados meios existentes neste complexo. Apesar da introdução de atividades econômicas, como a pecuária e a pesca, dos ecossistemas brasileiros, é o melhor preservado, e o que melhor oferece condições de conciliação com as atividades econômicas, caso implementado bons planos de manejo. É comum nos rios de sua bacia (Rio Paraguai), a presença de embarcações transportando pessoas e produtos oriundos do cerrado, como a soja.
  14. 14. Imagens do Pantanal
  15. 15. A Mata Atlântica é a formação vegetal predominante na faixa litorânea que se estende do RS ao RN. As floresta é densa, de dossel emergente e uniforme, com grandes índices de pluviosidade (chegando a picos de 3.000 mm ao ano), com uma estação seca irrisória, com máxima extensão de 3 meses ao ano. Sua conservação é a mais crítica dentre todos as formações vegetais, restando menos do que 8% de sua formação original, que ao longo dos séculos XVI até XX, sofreram com a ocupação e fixação desenfreada da população ao longo da faixa litorânea, que explorou seus recursos naturais, até quase a exaustão. Hoje restam alguns poucos trechos de matas conservadas que se estendem do RJ até o PR, passando por SP. Florestas Tropicais – Mata Atlântica
  16. 16. Imagens – Mata Atlântica
  17. 17. Florestas Subtropicais – Floresta de Araucária A Floresta de Araucárias é a formação vegetal predominante da região sul do Brasil, se estendendo desde o norte do PR e sul de SP, até o norte do RS. Esta vegetação já ocupou grandes extensões de terras no último período glacial, porém regrediu conforme o aumento de temperatura da terra (aquecimento global), restando somente alguns remanescentes nas serras da Mantiqueira e do Mar. Dentre suas características, estão a ocorrência da “Araucaria angustifolia”, que possuí folhas adaptadas a formação de gelo, com dossel alto , presença de arbustos e ervas. Na área de sua ocorrência existem modificações bruscas de temperatura, resultante da entrada de massas de ar frias, das áreas de média latitude, e de terrenos geralmente altos (Planalto Meridional). Sua conservação é débil, devido ao avanço das áreas urbanas, dos projetos agropecuários, e da extração de madeira para indústria moveleira.
  18. 18. Imagens - Araucárias
  19. 19. Florestas Subtropicais – Campos Sulinos A formação de campos sulinos é predominante no estado do RS, também conhecida como pradaria. Ocorre na Campanha Gaúcha (área de extensas planícies, e de coxilhas), com predominância de vegetação rasteira, e arbustiva, além de alguns bosques isolados, com dossel emergente. Seu clima é o subtropical, com pluviosidade mediana, sob forte influência da chegada das frentes frias. Suas terras são muito férteis, porém o horizonte fértil não é muito profundo, e se desgastado pode reavivar os “paleodesertos” (camadas arenosas aterradas por horizontes férteis). Atualmente esta paisagem está melhor preservada, por não haver grandes expansão de atividades agropecuárias, porém a introdução da silvicultura, têm destruído os horizontes férteis do solo, e retirado a umidade destes solos.
  20. 20. Bibliografia: - Manual Técnico do IBGE - Base de dados SPRING (Brasil) - www.frigoletto.com.br (Profº Eduardo Frigoletto). - Aula do Profº Fábio O. Sanches (Formações Vegetais: I; II; III) - www.embrapa.gov.br (site oficial da Embrapa) - Fotos – Arquivo Pessoal

×