2premio a bruxa esmeralda carla_6_b

757 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
757
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
407
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

2premio a bruxa esmeralda carla_6_b

  1. 1. Sessão de escrita criativa Orientada pelo jornalista Rui Barbosa Batista março de 20122º Prémio: A bruxa Esmeralda Num reino distante, existia uma bruxa chamada Esmeralda. Ela era uma bruxinha simpática einteligente, só que era feia. A bruxa Esmeralda era aluna do colégio das fadas. A sua professora preferida era Irina, a únicaprofessora bruxa de todo o colégio. Irina era professora de feitiços e como a Esmeralda era estudiosa,todos os períodos tirava cinco. Para além da fada Ivete, Esmeralda não tinha amigas, por isso quando Ivete brincava com asoutras meninas, ela ficava sozinha. - A Esmeralda pode vir brincar connosco? – perguntava Ivete. - Não! Ainda não reparaste que ela é feia e além disso é uma bruxa?! – replicava Verónica. Verónica era uma fada da claque do clube de futebol do colégio, «os huskys», mas era muitoconvencida e bonita. Só andava com raparigas que fossem como ela: elegantes, bem vestidas e semprena moda. Achava-se a rapariga mais popular do colégio. Ela desprezava todos os colegas que nãoseguiam a moda dela. Além de não os deixar brincar com ela, torturava-os a ponto de os obrigar acarregar os seus livros e acessórios. Esmeralda pertencia ao grupo dos que Verónica maltratava. No entanto, recusava-se a ser suacriada. Talvez por isso, Verónica a espezinhasse ainda mais, ridicularizando-a à frente de todos. Numa manhã de muito calor, depois da aula de educação física, enquanto se encontravam nosbalneários, Verónica aproveitou mais uma vez para troçar de Esmeralda: - Vejam só os sapatos de pele de crocodilo da Esmeraldinha. És mesmo sem graça, ó bruxinha! Esmeralda nem era muito de choros, mas aquela semana fora particularmente difícil: trabalhos emais trabalhos e as piadas de Verónica que eram cada vez mais frequentes. Fechada na casa de banho,Esmeralda limpou as lágrimas do seu choro silencioso. Quando a amiga Ivete a foi chamar, saíram asduas apressadamente dos balneários. Verónica, que se encontrava a retocar a maquiagem, fez umsorriso trocista. Passados alguns minutos, quando se encontravam a passear no recreio, um som agudo começoua ouvir-se. Era o alarme de incêndio. De seguida, vários professores começaram a encaminhar os alunospara o campo desportivo exterior. As informações não eram muito claras. Só se ouviam os alunos arepetirem:
  2. 2. - O ginásio está a arder! Esmeralda e Ivete ficaram preocupadas, porque sabiam que Verónica estava no balneário. Aindatentaram encontrá-la, mas ela não estava junto dos colegas da turma. Esmeralda podia não gostar muito dela, mas, como tinha bom coração, decidiu que deviaprocurá-la, pois podia estar em perigo. - A Verónica ainda deve estar no balneário. Vou lá ver! – afirmou decidida Esmeralda. - Não vás! – suplicou Ivete, tentando impedi-la. Mas a bruxa Esmeralda não lhe deu ouvidos e correu em direção ao ginásio. Escondendo-se dosprofessores, Esmeralda conseguiu entrar no ginásio. Não se viam chamas, mas o fumo parecia nevoeirocerrado. À medida que se aproximava do balneário feminino, Esmeralda teve a impressão que ouviutossir. Depois de tropeçar e cair várias vezes, acabou por encontrar Verónica que, debaixo de um banco,respirava com muita dificuldade. Esmeralda ajudou-a a levantar-se e saíram as duas a tossir e acambalear. Os bombeiros socorreram-nas ainda dentro do edifício, porque tinham sido avisados pelaIvete. Por razões de segurança, as duas alunas foram levadas para o hospital. Depois do tratamento, Esmeralda e Verónica esperaram que os seus pais as fossem buscar.Verónica estava de cabeça baixa, o seu olhar era envergonhado. Quando ganhou coragem, aproximou-se de Esmeralda e disse-lhe: - Obrigada por me teres salvo. Eu nem sequer merecia. Tenho-me portado como uma meninamimada e mal educada. Prometo que não volta a acontecer. Esmeralda sorriu e as duas meninas apertaram as mãos. Após esta ação de salvamento, toda a escola passou a ver Esmeralda como uma heroína.Esmeralda sentia-se muito mais confiante e não se cansava de repetir: - Sou a bruxa Esmeralda e estou muito orgulhosa por ser quem sou! Carla Pinto, 6ºB

×