USO DE BASES DE DADOS PARA UM SERVIÇO AVANÇADO EM INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NA EQ/UFRJ

1,414 views

Published on

Apresentação no SNBU 2010

Published in: Technology, Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,414
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
163
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

USO DE BASES DE DADOS PARA UM SERVIÇO AVANÇADO EM INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NA EQ/UFRJ

  1. 1. USO DE BASES DE DADOS PARA UM SERVIÇO AVANÇADO EM INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NA ESCOLA DE QUÍMICA DA UFRJ Camila Belo T. Ferreira Cássia C. R. D. de Deus Lídia M. S. S. Mendes XVI Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias | II Seminário Internacional de Bibliotecas Digitais - 2010
  2. 2. Procure não se esconder
  3. 3. Prepare-se para ouvir do usuário necessidades diferentes e desafiadoras.
  4. 4. • A função básica da biblioteca universitária é prover o suporte informacional para apoiar as atividades de ensino, pesquisa e extensão. • A biblioteca universitária é caracterizada como uma organização prestadora de serviços de informação. Os mesmos são fundamentais, pois, proporcionam o arcabouço teórico e dados estratégicos para o desenvolvimento das pesquisas científicas e tecnológicas nas universidades.
  5. 5. • Uso limitado à recuperação de referências. • Seu uso para monitoramento e prospecção tecnológica são desconhecidos ou pouco explorados no ambiente acadêmico.
  6. 6. • Aproximar a biblioteca universitária das atividades de pesquisa acadêmica, através da implantação de um serviço avançado em informação científica e tecnológica. • Produzir indicadores com as informações técnico- científicas sobre nanoestruturas em células a combustível do tipo SOFC, tecnologia de interesse dos pesquisadores da EQ/UFRJ. • Estimular o uso de bases de dados em atividades de interesse da comunidade científica.
  7. 7. Estudos que têm por objetivo antecipar e entender as potencialidades, evolução, características e efeitos das mudanças tecnológicas, particularmente a sua invenção, inovação, adoção ou uso, sendo essencial ao tomador de decisão, pois estabelece quadros futuros importantes de serem conhecidos em momentos decisivos (COATES et al., 2001).
  8. 8. prospecção de áreas de conhecimento e tecnologias emergentes; identificação de tecnologias críticas para cadeias produtivas; prospecção voltada para problemas sociais ou ambientais; identificação de competências essenciais; definição de prioridades e a formação de redes de pesquisa voltadas para problemas. Delphi, cenários, painéis de atores (plataformas), mineração de dados, evolução de mapas de conhecimento e monitoramento tecnológico, etc. ZACKIEWICZ, 2005 TEMAS TÉCNICAS
  9. 9. • O monitoramento tecnológico é o processo de monitorar o ambiente em busca de informações sobre o tema da prospecção. As informações são identificadas, coletadas, analisadas e estruturadas para uso.
  10. 10. • A vantagem do uso de bases de dados está na capacidade de responder perguntas multifacetadas e permitir uma busca por limites, sendo de grande auxílio para o pesquisador que conhece os recursos oferecidos (CENDÓN, 2002). • Para busca, análise e síntese de informações empregam-se metodologias e ferramentas baseadas em bibliometria, estatística e sistemas de informação, imprescindíveis ao mapeamento e síntese da informação disponível.
  11. 11. Atributos (Perfil de P&D) Indicadores Pesquisa fundamental Número de itens em base de dados sobre artigos científicos Pesquisa aplicada Número de itens em base de dados sobre artigos de engenharia Desenvolvimento Número de itens em base de dados sobre patentes Aplicação comercial Número de itens em base de dados de aplicação comercial Quadro 1: Indicadores de posição no ciclo de vida da tecnologia de Watts & Porter (1997) • Pesquisa fundamental • Pesquisa aplicada
  12. 12. ESTRATÉGIA: Topic=(nano*) AND Topic=(fuel cell*) AND Topic=(Solid Oxide Fuel Cell*) AND Document Type=(ARTICLE) TOTAL DE ARTIGOS: 512 TRATAMENTO AUTOMÁTICO: ANALIZER (WoS) + EXCEL CAMPOS ANALISADOS: autoria, países de vínculo institucional dos autores, ano de publicação e afiliação.
  13. 13. Gráfico 1: Dispersão de artigos públicos por autor com 2 artigos ou mais. 1479 autores, os três mais produtivos são: Jiang, SP (21), Gauckler, LJ (14) e Xia, CR (13)
  14. 14. Gráfico 2: Produção de artigos por país de afiliação dos autores com freqüência igual ou superior a 5 artigos. Ressalta-se a produção de artigos de autores de origem asiática entre os 12 países que mais publicam na área, sendo os três principais: Estados Unidos, China e Japão.
  15. 15. Gráfico 3: Artigos científicos publicados por ano.
  16. 16. Entre as 242 instituições registradas, a Universidade Tecnológica Nanyang concentra maior parte dos artigos publicados sobre a tecnologia em tela, assim como outras instituições de origem asiática.
  17. 17. ESTRATÉGIA: (((nano* AND "fuel cell*") WN KY) AND ((SOFC OR "Solid Oxide Fuel Cell*") WN KY)) + {ja} WN DT TOTAL DE ARTIGOS: 325 TRATAMENTO AUTOMÁTICO: Refine (Compendex) + EXCEL CAMPOS ANALISADOS: autoria, ano de publicação, afiliação e periódicos.
  18. 18. Gráfico 5: Dispersão de artigos publicados por autor. Entre os primeiros 60 autores, os mais produtivos são Xia, Changrong e Zhu, Bin
  19. 19. Gráfico 6: Distribuição de artigos publicados por ano. Artigos publicados desde 1999 até o primeiro semestre de 2010, com destaque para o ano de 2008. A publicação do primeiro artigo relativo à pesquisa aplicada em 1999, posterior a pesquisa básica (1995), pode ser explicada pela cobertura das bases de dados consultadas ou pela ordem natural do desenvolvimento da pesquisa pelo seu perfil.
  20. 20. Gráfico 8: Produção de artigos por país de afiliação dos autores com freqüência maior ou igual a 5. Presença dos autores de origem asiática Três principais países: Estados Unidos, China e Japão.
  21. 21. • Demonstrou como promover as atividades de monitoramento e prospecção tecnológica, utilizando as bases de dados em uma linha de pesquisa específica. • Outras abordagens metodológicas como análise de patentes, análise de redes sociais, análises bibliométricas e elaboração de guias de fontes de informação também serão incluídas. • O modelo pode ser adotado por bibliotecários em outras áreas do conhecimento com o objetivo de viabilizar a criação de um serviço estratégico informacional, que pretende agregar valor ao desenvolvimento das pesquisas científicas nas Universidades.
  22. 22. cassia@eq.ufrj.br belocamila@gmail.com lidia.mendes@int.gov.br

×