Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Selos Mágicos

6,656 views

Published on

Apresentado no V EBDRC (Recife/PE, abril/2014)

  • Be the first to comment

Selos Mágicos

  1. 1. Bellouesus Isarnos Selos Mágicos Ophiel Och Bethor
  2. 2. Selos Etimologia: latim tardio sigillum (singular neutro, plural sigilla), “estatueta, pequena imagem, selo”, diminutivo de signum, “marca de identificação, indicação, prova; estandarte militar, insígnia; presságio, constelação; sinal”. Esotericamente, selo (ou sigilo) é qualquer sinal ou imagem considerado possuidor de poderes mágicos. Exemplos
  3. 3. Hipocephalus Selos na História Monogramas, selos da Goécia, símbolos profissionais, brasões familiares, símbolos alquímicos e astrológicos, ícones, logotipos/marcas. Se um sinal ou imagem causa mudança em seu estado mental/emocional, pode então ser considerado uma ferramenta mágica e, assim, ser tido como um selo/sigilo.
  4. 4. O que são os selos? • Focos visuais para ritual e/ou meditação. Símbolos auditivos e cinéticos operam conforme os mesmos princípios, mas não serão objeto deste estudo. • Meios de contornar a mente consciente, pois todo o trabalho intelectual é realizado durante sua criação, não no momento de seu uso. • Há dois tipos: rótulos e metas. Hen to Pán (o Um é o Todo) Cleópatra de Alexandria, Chrysopoeia, séc. III/IV d. C.) Como são usados? • Criação: intenção consciente - esquecimento • Carregamento: contexto ritual • Uso: liberação / destruição; foco meditativo • Destruição: pós-ritual / objetivo alcançado; nem sempre aplicável Entalhe egípcio do período romano (séc. I d. C.); escaravelho cercado por palavras mágicas (uoces magicae) e ouroboros.
  5. 5. Técnicas de Sigilização (Princípios) 1 Gerais  Clássica: envolve um só operador.  Magia é uma busca individual. Nesse caminho, o indivíduo tem precedência sobre a coletividade. É sábio ouvir o que outros têm a dizer, mas quaisquer decisões devem ser tomadas com base no conforto, satisfação e experiência do indivíduo.  O indivíduo é o centro da sua prática mágica. O dogma alheio nunca deve ser colocado no lugar da verdade pessoal.  Crenças não são conceitos permanentes, mas produtos intercambiáveis que podem ser dirigidos pelo magista e manipulados em seu benefício. Ele pode adotá-las e descartá-las conforme lhe pareça adequado.  Gnose (γνῶσις): conhecimento, meio pelo qual se pode conhecer alguma coisa; 1, pura investigação intelectual; 2, qualquer paradigma de modificação da consciência ou de experiência/apreensão direta de um dado objeto. A gnose pode ser inibitória ou excitatória.  O magista deve experimentar todas as técnicas que puder, descartando as que, por qualquer motivo, não lhe servirem e esforçando-se para obter a excelência nas demais. Somente técnicas perfeitamente dominadas podem ter uso ritual.
  6. 6. Técnicas de Sigilização (Princípios) 2 Específicos  Clássica: envolve um só operador.  Magia é uma busca individual. Nesse caminho, o indivíduo tem precedência sobre a coletividade. É sábio ouvir o que outros têm a dizer, mas quaisquer decisões devem ser tomadas com base no conforto, satisfação e experiência do indivíduo.  O indivíduo é o centro da sua prática mágica. O dogma alheio nunca deve ser colocado no lugar da verdade pessoal.  Crenças não são conceitos permanentes, mas produtos intercambiáveis que podem ser dirigidos pelo magista e manipulados em seu benefício. Ele pode adotá-las e descartá-las conforme lhe pareça adequado.  Gnose (γνῶσις): conhecimento, meio pelo qual se pode conhecer alguma coisa; 1, pura investigação intelectual; 2, qualquer paradigma de modificação da consciência ou de experiência/apreensão direta de um dado objeto. A gnose pode ser inibitória ou excitatória.  O magista deve experimentar todas as técnicas que puder, descartando as que, por qualquer motivo, não lhe servirem e esforçando-se para obter a excelência nas demais. Somente técnicas perfeitamente dominadas podem ter uso ritual.
  7. 7. I Beithe, a letra B: um fid de começos e purificação, simbolizados pela bétula. Potencial para renovação e renascimento a cada instante. II Luis, a letra L: um fid de proteção, discernimento e clareza interna, simbolizados pela sorveira. A escolha entre a percepção e a ignorância. III Nuin, a letra N: um fid de conexão, comunicação e magia, simbolizados pelo freixo. Palavras e significados que compõem a trama dos fios da vida. IV Fern, a letra F: um fid de orientação oracular, proteção e transições de um reino a outro, simbolizados pelo amieiro. Uma ponte sobre águas profundas, a presença do espírito. V Sail, a letra S: um fid de graça, fluidez, receptividade e reação, simbolizados pelo salgueiro. O movimento que flui com o curso dos acontecimentos, liberando formas imobilizadas. VI Uath, a letra H: um fid de paciência, contenção e desejos ainda não concretizados, simbolizados pelo espinheiro branco. Um tempo de espera, a presença do perigo. VII Dur, a letra D: um fid de poder, proteção e a mudança para melhor, simbolizados pelo carvalho. A abertura de uma porta e o despertar da força. VIII Tinne, a letra T: um fid de coragem, conflito e oposição, simbolizados pelo azevinho. Desafios que devem ser enfrentados com destemor, um momento de ação decisiva. IX Coll, a letra C: um fid de conhecimento, criatividade e inspiração, simbolizados pela aveleira. Um novo estágio da vida, o despertar do intelecto.
  8. 8. EA: ē, éo, ea OI: ói, oi, th UI: úa, ui, ph, y IO: ía, ia, io; original P AE: ae; original CC ou /x/
  9. 9. Generalidades Selos podem ser: • Pictográficos • Sonoros • Cinéticos INSEGURANÇA Numerologia IN - 2+5=7 SE - 4+1=5 GU - 3+9=11/2 RAN - 6+7+5=18/9 ÇA - 4+7=11/2 7+5+2+9+2=25/7=5x5 Quadrado mágico 7+5+2+9+2 H-N-L-C-L Ameaça Eixo (oráculo) Discernimento Conhecimento Discernimento Transposição ogâmica: Bran SANUGERI
  10. 10. Fége Find – A Janela de Fionn Livro de Ballymote – Irlanda, séc. XIV
  11. 11. Triaig Sruth Ferchertne – Cabo da Correnteza de Ferchertne Livro de Ballymote – Irlanda, séc. XIV
  12. 12. Prayer to Ðīronā at night Learn this by heart: Of Belenos Ðīronā holyest, Healer, mother of constellations, Loved by Grannos and by men’s kindred, The lady who nourishes the great serpent. Let the light of the star now strengthen My heart’s desire with power. May the darkness of the night now raise My prayer in clouds of magic. Say it three times. Ṷedyā Ðīronāy in noχtī Sin kridyū ṷoglende: Ðīronā Belenī noybisamā, Yakkobenā konđēromātīr, Grannū kenetloṷirū karatā, Banonā alaṷnā ṷernatrikos. Loṷkon đēros nu nertātū Aṷillon kridyī mon komoχtī Noχtos temellos nu maketū Mon ṷedyā in nebesbi soytī. Ṷedeid ṷo trīs. Arkimā Đīronās ape ṷīndan ṷrānkan Ūχsumī meṷe pēnnon brōkkon Ēskos tāṷos ṷer kānkan lōnχtos Nāntus mōni srutā subrītis A Riddle Around Sirona's white arm I raise my pointed head. A silent fish that waits on a branch, My valley's a pleasant torrent.

×