Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

SubdomíNio A2 A23 A24

359 views

Published on

Published in: Education, Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

SubdomíNio A2 A23 A24

  1. 1. Quarta tarefa Formanda: Isabel Martins O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte I) • Escolha do subdomínio A.2. - Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital A escolha deste subdomínio prende-se com o facto de o domínio já ter sido avaliado na BE, na fase de testagem do modelo, e por isso ser desejável verificar possíveis evoluções. Por outro lado, é cada vez mais imprescindível que a BE tenha um papel activo na preparação dos alunos para a sociedade de informação em que vivemos. Assim, se bem que a BE tenha vindo a afirmar uma postura de relevo nesta área, em especial nos processos, importa aferir o impacto que esse trabalho tem nas aprendizagens dos alunos. • Escolha dos indicadores: o Processo: A.2.3. Promoção do ensino em contexto de competências tecnológicas e digitais na escola / agrupamento. o Impacto / Outcome: A. 2. 4. Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunos na escola / agrupamento. • Plano de Avaliação em profundidade dos dois indicadores escolhidos: o Análise prévia / diagnóstico A preparação do plano de avaliação, bem como a escolha do domínio a trabalhar, além de outras iniciativas já referidas nas tarefas anteriores (envolvimento da equipa da BE, dos órgãos de direcção, Conselho Pedagógico) deve ser apoiada por uma análise prévia dos indicadores que o desenvolvem. É importante fazer uma espécie de diagnóstico que orientará o trabalho que se segue, identificando à partida pontos fortes, aspectos a necessitar de desenvolvimento, aspectos ainda não implementados ou sobre os quais não se tem informação. (MAABE)
  2. 2. Exemplificação: Pontos em que ainda Pontos fracos a Pontos fortes actuais não se pensou / sem desenvolver informação A.2.3 Promoção do ensino em Postura activa da BE Falta maior envolvimento Estratégias conjuntas contexto de neste campo dos professores TIC com a entre a BE e o grupo de competências Integração da BE no Plano BE neste âmbito; informática tecnológicas e Tecnológico digitais A.2.4 Impacto da/s BE nas A BE disponibiliza guiões competências e outros materiais de Adopção de um modelo Falta de um projecto tecnológicas, apoio à pesquisa e de pesquisa uniforme transversal na escola. digitais e de utilização da informação para toda a escola. informação dos pelos alunos alunos o Outros aspectos implicados na avaliação do domínio seleccionado Aspectos implicados Exemplo Coordenador PTE Coordenadores de departamento Delegado de grupo de Docentes e departamentos Informática mais envolvidos Professores que dinamizem aulas na BE Turmas que usam a BE em Antecipar certas necessidades contexto de aula com alguma e preparar atempadamente regularidade; Actividades e alunos mais certas medidas a tomar Alunos envolvidos em projectos; directamente associados Alunos que usam a BE de forma autónoma para realização de trabalhos escolares Plano de actividades da BE Plano de actividades PTE Documentos a analisar Planificações de unidade / módulo de várias disciplinas Heterogénea e abrangendo: Definição da amostra 20% do n.º total de docentes 14 docentes 10% do número total de 30 alunos alunos
  3. 3. o Recolha de evidências de acordo com o domínio, subdomínio e Factores críticos de sucesso A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A. 2. Promoção das Literaturas da Informação, Tecnológica e Digital A. 2. 3. Promoção do ensino em contexto de competências tecnológicas e digitais na escola / agrupamento Factores Críticos de Sucesso Evidências - Os projectos escolares de iniciativa da BE ou apoiados por ela, incluem actividades de Proposta do MAABE e outras: consulta e produção de informação e de intercâmbio e comunicação através das TIC: - Plano de actividades da BE actividades de pesquisa, utilização de serviços web, recurso a utilitários, software - Referência à BE nos projectos curriculares educativo e outros objectos multimédia, das turmas. manipulação de ferramentas de tratamento de dados e de imagem, de apresentação, - Materiais de apoio produzidos e editados outros. (ex.: secção da BE no Moodle; dossiê do aluno, participação no Blog da BE, guiões de - A BE organiza e participa em actividades de pesquisa, …) formação para docentes e alunos no domínio da literacia tecnológica e digital. - Registos de projectos / actividades (ex.: registos de utilização da área - A equipa da BE apoia os utilizadores na multimédia da BE, workshops dinamizados selecção e utilização de recursos pela equipa da BE ou com a sua colaboração, electrónicos e media, de acordo com as suas …) necessidades. - Referência à BE nas planificações das - A BE colabora na concepção e dinamização disciplinas de actividades de educação para e com os media. - Ficha de levantamento de oportunidades entre a BE e os grupos disciplinares - A BE produz, em colaboração com os docentes, materiais informativos e de apoio à adequada utilização da Internet: guiões de pesquisa, grelhas de avaliação de sites, listas de apontadores, guias de procedimentos, outros.
  4. 4. A.2.4 Impacto da/s BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunos Factores Críticos de Sucesso Evidências - Os alunos utilizam, de acordo com o seu ano/ciclo de escolaridade, linguagens, suportes, modalidades de recepção e de - Observação de utilização da BE (O1) produção de informação e formas de - Trabalhos dos alunos (T1). comunicação variados, entre os quais se - Estatísticas de utilização da BE destaca o uso de ferramentas e media - Questionário aos docentes (QD1) digitais. - Questionário aos alunos (QA1) - Análise diacrónica das avaliações dos - Os alunos incorporam no seu trabalho, de alunos acordo com o ano/ciclo de escolaridade que frequentam, as diferentes fases do processo de pesquisa e tratamento de informação: identificam fontes de informação e seleccionam informação, recorrendo quer a obras de referência e materiais impressos, quer a motores de pesquisa, directórios, bibliotecas digitais ou outras fontes de informação electrónicas, organizam, sintetizam e comunicam a informação tratada e avaliam os resultados do trabalho realizado. - Os alunos demonstram, de acordo com o seu ano/ciclo de escolaridade, compreensão sobre os problemas éticos, legais e de responsabilidade social associados ao acesso, avaliação e uso da informação e das novas tecnologias. - Os alunos revelam em cada ano e ao longo de cada ciclo de escolaridade, progressos no uso de competências tecnológicas, digitais e de informação nas diferentes disciplinas e áreas curriculares.
  5. 5. o Etapas do processo Etapas do processo Calendarização Equipa BE: análise prévia e selecção do domínio a avaliar Professora Bibliotecária: comunicação à Directora e envolvimento da mesma no processo Dezembro 2009 Equipa da BE: Elaboração do Plano de Auto-avaliação para o domínio seleccionado Professora Bibliotecária: Divulgação do Plano de Janeiro 2010 Avaliação ao Conselho Pedagógico Equipa BE: Recolha de evidências (checklists, questionários, grelhas de observação, estatísticas de Janeiro a Maio 2010 utilização, consulta de documentos…) Equipa da BE: Tratamento e análise dos dados (identificação dos pontos fortes e fracos, definição de Maio / Junho 2010 níveis de desempenho e perfil da BE) Professora Bibliotecária: Elaboração do relatório Professora Bibliotecária / Directora da Escola: apreciação dos resultados obtidos e definição de acções para a melhoria Julho 2010 Professora Bibliotecária: Comunicação dos resultados ao Conselho Pedagógico e definição de acções para a melhoria Equipa da BE: elaboração do plano de melhoria Setembro 2010 Constrangimentos Prevejo como possíveis constrangimentos os seguintes aspectos: o Resistência de alguns docentes à colaboração neste processo; o Dificuldade na gestão do tempo da equipa da BE (PB em tempo parcial e um elemento com 90 minutos); o Dificuldade em proceder ao tratamento dos dados obtidos, devido à inexperiência da equipa da BE. Isabel Martins

×