Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

RevoluçAo Industrial

100,732 views

Published on

Revolução agrícola e industrial

Published in: Education

RevoluçAo Industrial

  1. 1. REVOLUCAO INDUSTRIAL
  2. 2. O que é a revolução industrial? <ul><li>É o conjunto de </li></ul><ul><li>transformações técnicas, </li></ul><ul><li>económicas e sociais </li></ul><ul><li>caracterizadas pela </li></ul><ul><li>substituição da energia </li></ul><ul><li>física pela mecânica, </li></ul><ul><li>da ferramenta pela </li></ul><ul><li>máquina e da </li></ul><ul><li>manufactura pela fábrica. </li></ul>
  3. 3. Localização temporal e espacial <ul><li>Inglaterra, no inicio do séc. XVIII alargando-se gradualmente a vários países da Europa e da América do Norte na </li></ul><ul><li>segunda metade do </li></ul><ul><li>séc. XIX. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Início: ING, séc XVIII . </li></ul><ul><li>Fases: </li></ul>1ª REV. INDUSTRIAL 2ª REV. INDUSTRIAL 1760 - 1860 1860 – 1914 ING, FRA e BEL ALE, ITA, RUS, EUA, JAP FERRO – CARVÃO - VAPOR AÇO – PETRÓLEO - ELETRICIDADE CAPITALISMO LIBERAL E INDUSTRIAL CAPITALISMO FINANCEIRO E MONOPOLISTA
  5. 5. Revolução agrícola <ul><li>Melhorias técnicas: </li></ul><ul><li>- Introdução de novas culturas. </li></ul><ul><li>- Selecção de sementes e de </li></ul><ul><li>animais reprodutores </li></ul><ul><li>- Enriquecimento dos solos . </li></ul><ul><li>- Sistema de rotação quadrienal. </li></ul><ul><li>Aumento da área cultivada: </li></ul><ul><li>- Formação de grandes propriedades (enclosures) </li></ul><ul><li>- Drenagem de pântanos </li></ul>
  6. 6. Consequências <ul><li>Aumento da produtividade </li></ul><ul><li>Melhoria na alimentação </li></ul><ul><li>Aumento demográfico </li></ul><ul><li>Aumento da mão de obra </li></ul><ul><li>Crescimento urbano </li></ul>
  7. 7. Condições da prioridade inglesa: <ul><li>Abundância de matérias primas </li></ul><ul><li>Muita mão de obra disponível </li></ul><ul><li>Desenvolvimento das manufacturas </li></ul><ul><li>(como a lançadeira volante; o tear </li></ul><ul><li>mecânico e a maquina a vapor) </li></ul><ul><li>Vasto mercado de escoamento dos produtos. (metrópole e colónias) </li></ul><ul><li>Boas vias de comunicação </li></ul><ul><li>Burguesia e nobreza dinâmicas e empreendedoras </li></ul><ul><li>Existência de capitais para investir </li></ul>
  8. 8. Sectores de arranque <ul><li>Finais do séc. XVIII e meados do séc. XIX </li></ul><ul><li>Industria Têxtil ( algodão) junto aos cursos de água e próxima dos portos. </li></ul><ul><li>A partir de 1830 </li></ul><ul><li>Industria metalúrgica e </li></ul><ul><li>mineira </li></ul><ul><li>Segunda metade do séc. XIX </li></ul><ul><li>Industria química </li></ul><ul><li>Electricidade </li></ul>
  9. 9. Alterações no regime de produção <ul><li>Manufactura ( trabalho manual ) foi substituída pela maquinofactura (trabalho com recurso a maquina) </li></ul><ul><li>As oficinas foram </li></ul><ul><li>substituídas pelas </li></ul><ul><li>fábricas </li></ul><ul><li>O artesão deu lugar </li></ul><ul><li>ao operário </li></ul>
  10. 10. Consequências das alterações no regime de produção <ul><li>Desvalorização do trabalho </li></ul><ul><li>- Repetitivo e mecanizado </li></ul><ul><li>- Mulheres e crianças utilizadas </li></ul><ul><li>como mão de obra barata </li></ul><ul><li>Degradação das condições de </li></ul><ul><li>trabalho e de vida </li></ul><ul><li>As cidades tornaram-se sujas, </li></ul><ul><li>desordenadas e poluídas </li></ul>
  11. 11. O Mundo industrializado do séc.XIX
  12. 12. A hegemonia inglesa <ul><li>Até meados do séc. XIX a </li></ul><ul><li>Inglaterra liderou o processo </li></ul><ul><li>de industrialização. </li></ul><ul><li>Era o país que mais produzia </li></ul><ul><li>( têxteis, maquinas locomotivas, </li></ul><ul><li>etc.) e exportava . </li></ul><ul><li>Os lucros eram reinvestidos </li></ul><ul><li>em novos negócios </li></ul>
  13. 13. Novas potencias industriais <ul><li>A partir de 1870 a Revolução Industrial alastrou-se </li></ul><ul><li>a outros países da Europa - aos Estados Unidos e ao </li></ul><ul><li>Japão. </li></ul>
  14. 14. Alemanha <ul><li>Dedicou-se as industrias metalúrgicas </li></ul><ul><li>No sector industrial apresentou um grande desenvolvimento sobretudo: </li></ul><ul><li>a industria do algodão </li></ul><ul><li>dos produtos químicos </li></ul>
  15. 15. França <ul><li>Dedicou-se a construção da rede de caminhos de ferro </li></ul><ul><li>Desenvolveu os sectores </li></ul><ul><li>da exploração mineira </li></ul><ul><li>e da metalurgia </li></ul>
  16. 16. Estados Unidos da América <ul><li>Aparecimento de novas industrias sobretudo: </li></ul><ul><li>sectores da metalurgia; e </li></ul><ul><li>sectores do têxtil algodoeiro </li></ul><ul><li>Inovações na ciência e </li></ul><ul><li>nas técnicas </li></ul>
  17. 17. Japão <ul><li>Começou a industrialização nos finais do séc. XIX </li></ul><ul><li>Quando pela força foi obrigado a abrir os seus </li></ul><ul><li>portos ao comercio o imperador resolveu iniciar </li></ul><ul><li>uma revolução para modernizar o país. </li></ul><ul><li>Iniciou-se assim a era Meiji </li></ul><ul><li>(do progresso) com: </li></ul><ul><li>construção de fabricas </li></ul><ul><li>caminhos de ferro </li></ul><ul><li>construção naval </li></ul><ul><li>industria têxtil algodoeira </li></ul>
  18. 18. Revolução dos transportes <ul><li>Iniciou-se com: </li></ul><ul><li>a aplicação da maquina a vapor ao barco (invenção de Fulton em 1803) e a locomotiva ( invenção de Stephenson em 1816). </li></ul><ul><li>A navegação a vapor com </li></ul><ul><li>a construção de grandes </li></ul><ul><li>paquetes em metal. </li></ul><ul><li>Nos transportes terrestres destacou-se o comboio. </li></ul>
  19. 19. Sua importância <ul><li>A formação de companhias de navegação de longo curso – Great western; </li></ul><ul><li>Deslocação de milhões de pessoas da Europa para a América – emigração europeia; </li></ul><ul><li>Deslocação de </li></ul><ul><li>pessoas e bens mais </li></ul><ul><li>rápida e mais segura </li></ul>
  20. 20. Novas fontes de energia novos inventos técnicos novas industrias <ul><li>Avanços na ciência e técnica: </li></ul><ul><li>invenção da turbina e do dínamo </li></ul><ul><li>descoberta de poços de petróleo </li></ul><ul><li>invenção do motor de combustão </li></ul><ul><li>Permitiram a utilização de novas </li></ul><ul><li>fontes de energia: </li></ul><ul><li>a electricidade e o petróleo. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Surgiram novas industrias como: </li></ul><ul><li>A industria química ( medicamentos, fertilizantes, explosivos, etc.) </li></ul><ul><li>A industria de materiais eléctricos que produzia aparelhos eléctricos. </li></ul><ul><li>A industria do aço devido </li></ul><ul><li>a construção de maquinas, </li></ul><ul><li>pontes e caminhos de ferro. </li></ul>Continuação
  22. 22. Capitalismo financeiro <ul><li>O liberalismo económico que defendia a liberdade de iniciativa e de concorrência e a não intervenção do Estado na economia levou ao desenvolvimento de grandes empresas. </li></ul><ul><li>Levou também a um desenvolvimento da Banca: </li></ul><ul><li>- os empresários recorriam a empréstimos </li></ul><ul><li>para comprar maquinas e matérias primas, </li></ul><ul><li>- o grande comercio exigia novas formas </li></ul><ul><li>de pagamento ( notas bancárias, letras, </li></ul><ul><li>cheques) </li></ul><ul><li>A Bolsa e as sociedades anónimas </li></ul><ul><li>também se desenvolveram . </li></ul>
  23. 23. Continuação <ul><li>Empresas atingiram um poderio forte que passaram a controlar a produção e a venda de determinados produtos. </li></ul><ul><li>Aquelas que não conseguiram </li></ul><ul><li>competir faliram ou foram </li></ul><ul><li>compradas pelas grandes empresas. </li></ul><ul><li>Formaram-se grandes </li></ul><ul><li>concentrações empresariais </li></ul><ul><li>ou monopólios. </li></ul>
  24. 24. Uma sociedade em mudança A revolução agrícola e industrialização levaram ao crescimento das cidades. O êxodo rural em busca de melhores condições de vida e melhores salários foi facilitado pelo desenvolvimento dos transportes.
  25. 25. Continuação <ul><li>Todavia, o crescimento urbano trouxe problemas como: </li></ul><ul><li>desenraizamento e insegurança </li></ul><ul><li>das populações, </li></ul><ul><li>aumento da delinquência, do </li></ul><ul><li>alcoolismo e da mendicidade, </li></ul><ul><li>emigração pois nas cidades não </li></ul><ul><li>havia emprego para todos. </li></ul>
  26. 26. Sociedade e mentalidade burguesas <ul><li>E uma sociedade de classes onde a importância de cada um dependia da sua profissão do que fazia e do que possuía. </li></ul><ul><li>A burguesia ocupava lugar de destaque e </li></ul><ul><li>dividia-se em: </li></ul><ul><li>Alta burguesia ( industrial e financeira) </li></ul><ul><li>- liderava a economia </li></ul><ul><li>- influenciava o poder politico </li></ul><ul><li>- ditava as modas </li></ul><ul><li>- impunha um modelo de vida </li></ul><ul><li>- formas de diversão </li></ul>
  27. 27. Continuação <ul><li>Media e baixa burguesia ( classe media) composta por: </li></ul><ul><li>- pequenos e médios empresários e profissionais liberais como médicos, engenheiros, advogados, etc. </li></ul><ul><li>No estrato mais baixo estava </li></ul><ul><li>o proletariado composto pela </li></ul><ul><li>grande massa de operários que </li></ul><ul><li>enchia as cidades </li></ul>
  28. 28. O operariado industrial <ul><li>A industrialização e o crescimento </li></ul><ul><li>das cidades foram acompanhadas </li></ul><ul><li>pelo aumento do operariado. </li></ul><ul><li>A vida dos operários era difícil, </li></ul><ul><li>os salários eram baixos trabalhavam </li></ul><ul><li>em mas condições durante 15 ou </li></ul><ul><li>mais horas por dia. </li></ul><ul><li>A mão de obra infantil e feminina </li></ul><ul><li>era mais barata. </li></ul>
  29. 29. Continuação <ul><li>O proletariado trabalhava em fabricas com mas condições de higiene e segurança, e vivia em casas insalubres e mal iluminadas. </li></ul><ul><li>Eram pequenos espaços onde viviam famílias numerosas. </li></ul>
  30. 30. Continuação <ul><li>Estas condições de vida favoreceram: </li></ul><ul><li>- o aparecimento e a propagação </li></ul><ul><li>de graves doenças; </li></ul><ul><li>- a degradação de vida e a </li></ul><ul><li>miséria moral; </li></ul><ul><li>- descontentamento; </li></ul><ul><li>- revoltas e agitação social. </li></ul><ul><li>Foi neste ambiente que nasceu e se desenvolveu o movimento operário e sindical e se desenvolveram as ideias do socialismo. </li></ul>
  31. 31. Movimento sindical Surgiram em Inglaterra no inicio do sec. XIX as primeiras associações de operários algumas das quais deram origem a sindicatos. Em 1825 os primeiros sindicatos uniram-se formando as “ Trade Unions” Em 1864 foi fundada a associação internacional dos trabalhadores pelos sindicatos ingleses e franceses sobre a orientação de Karl Marx
  32. 32. Continuação <ul><li>Funções das associações: </li></ul><ul><li>- chamar a atenção dos governos e da população para as difíceis condições em que viviam os operários; </li></ul><ul><li>- lutar para conseguir que os patrões melhorassem as condições de trabalho; </li></ul><ul><li>- lutar para que o governo apoiasse mais a população dando melhores condições de vida. </li></ul>
  33. 33. Países de difícil industrialização O caso português Em Portugal a industrialização arrancou mais tarde. Enquanto ao longo do sec.XIX países como a Inglaterra, Estados Unidos, Alemanha e o Japão tiveram um grande desenvolvimento na agricultura, industria e nos transportes em Portugal, as inovações chegaram mais tarde.
  34. 34. O atraso na agricultura <ul><li>Factores: </li></ul><ul><li>instabilidade politica </li></ul><ul><li>distribuição desigual da população activa do país </li></ul><ul><li>atraso das técnicas agrícolas e dos sistemas de irrigação </li></ul><ul><li>analfabetismo das populações rurais </li></ul><ul><li>debilidade do mercado </li></ul><ul><li>interno </li></ul>
  35. 35. Tentativas de modernização <ul><li>Foi no período conhecido por </li></ul><ul><li>Regeneração ou Fontismo que </li></ul><ul><li>Portugal arrancou para a sua </li></ul><ul><li>modernização. </li></ul><ul><li>A acção mais notável deste </li></ul><ul><li>período foi a revolução dos </li></ul><ul><li>transportes. </li></ul>
  36. 36. Continuação <ul><li>Principais medidas criadas por Fontes Pereira de Melo: </li></ul><ul><li>inicio da construção da rede de caminhos de ferro; </li></ul><ul><li>abertura de novas estradas e a construção de pontes. </li></ul><ul><li>instalação da primeira linha de telegrafo </li></ul><ul><li>instalação dos primeiros telefones </li></ul><ul><li>alargamento dos serviços postais </li></ul><ul><li>arranco das primeiras carreira regulares </li></ul><ul><li>de barcos a vapor. </li></ul>
  37. 37. A Tímida Industrialização <ul><li>A revolução industrial só se iniciou em Portugal na segunda metade do sec. XIX apresentando assim um razoável atraso face a muitos países europeus. </li></ul><ul><li>Todavia, neste século Portugal apresentou uma evolução face ao passado. </li></ul>
  38. 38. Continuação <ul><li>Causas do fraco desenvolvimento industrial: </li></ul><ul><li>a instabilidade politica; </li></ul><ul><li>o atraso das técnicas agrícolas </li></ul><ul><li>e dos sistemas de irrigação; </li></ul><ul><li>o analfabetismo das populações </li></ul><ul><li>rurais; </li></ul><ul><li>a debilidade do mercado interno; </li></ul><ul><li>a forte imigração para o Brasil; </li></ul><ul><li>concorrência difícil face a industria </li></ul><ul><li>dos outros países da Europa. </li></ul>
  39. 39. Continuação <ul><li>Só a partir de meados do séc. XIX se assistiu ao desenvolvimento da industria </li></ul><ul><li>portuguesa devido: </li></ul><ul><li>ao aumento do número de </li></ul><ul><li>máquinas; </li></ul><ul><li>crescimento do número de </li></ul><ul><li>patentes de invenções; </li></ul><ul><li>aumento da produtividade; </li></ul>
  40. 40. Continuação <ul><li>Principais sectores industriais: </li></ul><ul><li>têxtil </li></ul><ul><li>tabaco </li></ul><ul><li>moagem </li></ul><ul><li>cerâmica </li></ul><ul><li>vidro </li></ul><ul><li>industrias corticeiras </li></ul><ul><li>industria química </li></ul><ul><li>fósforos </li></ul><ul><li>etc. </li></ul>
  41. 41. Dependência face ao estrangeiro <ul><li>Causas: </li></ul><ul><li>a produção artesanal continuava a prevalecer sobre a produção manufactureira e fabril; </li></ul><ul><li>a população continuava ligada a uma agricultura pouco produtiva; </li></ul><ul><li>A dependência económica de Portugal, sobretudo em relação a Inglaterra, aumentou com a revolução dos transportes e com a industrialização pois tínhamos de importar os materiais a empregar nestes sectores. </li></ul>
  42. 42. Trabalho elaborado por: Guilherme Mouta Ramos n.º 11, 8º B
  43. 43. FIM

×