O mercado de embalagens

2,891 views

Published on

O 5º “P” do Mix de Maketing

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,891
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
102
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O mercado de embalagens

  1. 1. O mercado de embalagens O 5º “P” do Mix de Maketing
  2. 2. Atenção !!! Esta apresentação faz parte de minhas aulas e seu conteúdo foi elaborado com base na minha experiência profissional que, em algum momento, pode contradizer o que é explicado na maioria dos livros. Suas informações são limitadas e superficiais, sendo que o conteúdo completo é dano durante a aula. Fique a vontade para utilizá-lo se precisa, mas tome cuidado para não copiar conteúdo incompleto. Odair Cavichioli Júnior http://www.odaircavichioli.com.br
  3. 3. Ditado popular francês <ul><li>&quot;Cherchez le créneau.” (Olhe para o nicho) </li></ul>
  4. 4. Problemas reais <ul><li>Estudo do SEBRAE sobre as empresas paulistanas revela: </li></ul><ul><ul><li>29% das empresas fecham logo no primeiro ano; </li></ul></ul><ul><ul><li>56% não completam 5 anos de atividade. </li></ul></ul><ul><li>Das empresas que fecham: </li></ul><ul><ul><li>53% desconheciam os hábitos de consumo e tamanho do mercado; </li></ul></ul><ul><ul><li>49% não conheciam o número de concorrentes. </li></ul></ul>
  5. 5. Desejo e necessidade <ul><li>No mercado, um design precisa atender a expectativa dos desejos e necessidades das pessoas. </li></ul><ul><ul><li>Necessidades e desejos são carências de satisfação fisiológicas ou psicológicas. </li></ul></ul><ul><li>Elabora-se uma solução criativa visando a troca de valores. </li></ul><ul><ul><li>Oferta de um produto ou serviço que fornece aquilo que uma pessoa procura. </li></ul></ul>
  6. 6. Identificando o problema <ul><li>A principal função do designer é identificar o verdadeiro problema que precisa ser solucionado antes de criar a estratégia. </li></ul><ul><li>O mercado possui necessidades diferentes, sendo preciso criar uma ação estratégica específica para atender cada um de forma eficaz. </li></ul>
  7. 7. Tipos de demando de mercado <ul><li>Negativa: produtos evitados pelos clientes </li></ul><ul><ul><li>Ex: produtos e serviços de saúde </li></ul></ul><ul><ul><li>Ação: tornar mais prático; diminuir preço; promoção </li></ul></ul><ul><li>Inexistente: produtos com pouco interesse </li></ul><ul><ul><li>Ex: cursos de idiomas ou profissões não convencionais </li></ul></ul><ul><ul><li>Ação: evidenciar os benefícios; oferecer kits para atrair a atenção </li></ul></ul><ul><li>Latente: produtos inexistentes mas muito procurados </li></ul><ul><ul><li>Ex: cigarros menos prejudiciais, carros super econômicos </li></ul></ul><ul><ul><li>Ação: mensurar o potencial de mercado; análise do retorno de investimento; evidenciar na embalagem seu benefício </li></ul></ul>
  8. 8. Tipos de demando de mercado <ul><li>Declinante: queda das vendas </li></ul><ul><ul><li>Ex: chapéu; guarda-chuva; fralda de tecido </li></ul></ul><ul><ul><li>Ação: verificar o motivo e criar uma ação para reverter </li></ul></ul><ul><li>Irregular: procura sazonal </li></ul><ul><ul><li>Ex: sorvete; casaco de lã; biquíni </li></ul></ul><ul><ul><li>Ação: sincronizar calendário; preços flexíveis; promoções </li></ul></ul><ul><li>Plena: vende completamente o que é capaz de produzir </li></ul><ul><ul><li>Ex: bebidas destiladas; carros artesanais </li></ul></ul><ul><ul><li>Ação: realizar frequentemente pesquisas de mercado; reforçar a imagem da marca; segmentar melhor o público alvo </li></ul></ul>
  9. 9. Tipos de demando de mercado <ul><li>Excessiva: a procura é maior do que a capacidade de atender </li></ul><ul><ul><li>Ex: Pedágio em feriados; estacionamentos; estádios </li></ul></ul><ul><ul><li>Ação: desencorajar o consumo (demarketing) </li></ul></ul><ul><li>Indesejada: produtos em que o consumo é desencorajado </li></ul><ul><ul><li>Ex: cigarro; álcool; drogas; pornografia; armas </li></ul></ul><ul><ul><li>Ação: contrapropaganda; impostos; leis </li></ul></ul>
  10. 10. Ambientes de Marketing <ul><li>Devemos levar em conta as mudanças no ambiente, oportunidades e possíveis tendências. </li></ul><ul><ul><li>Interno: ambiente corporativo </li></ul></ul><ul><ul><li>Externo: mercado </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Macroambiente: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ambiente cultural </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ambiente político </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ambiente econômico </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ambiente tecnológico </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ambiente econômico </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Microambiente: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ambiente de fornecimento </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ambiente logístico </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ambiente concorrencial </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ambiente organizacional </li></ul></ul></ul></ul>
  11. 11. Quem é o consumidor final ? <ul><li>Qualquer pessoa que compre, consuma ou utilize os produtos ou serviços oferecidos. </li></ul><ul><ul><li>É a pessoa mais importante para a empresa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Alguém que não deve ser desconsiderado; </li></ul></ul><ul><ul><li>Deve ter a liberdade de optar. </li></ul></ul><ul><li>No mercado, há dois tipos de clientes: </li></ul><ul><ul><li>Comprador: quem está interessado em adquirir; </li></ul></ul><ul><ul><li>Consumidor: quem vai utilizar. </li></ul></ul>
  12. 12. Necessidades do consumidor <ul><li>Segundo o psicólogo Abraham Maslow (1954), as necessidades e desejos humanos seguem um modelo hierárquico. </li></ul><ul><ul><li>Fisiológicas (fome, sede, descanso) </li></ul></ul><ul><ul><li>Segurança (proteção, estabilidade financeira) </li></ul></ul><ul><ul><li>Sociais (amizade, amor, sentimento de posse) </li></ul></ul><ul><ul><li>Estima e ego (reconhecimento, status, respeito) </li></ul></ul><ul><ul><li>Realização (autodesenvolvimento, férias, cursos, caridade) </li></ul></ul>
  13. 13. Consumidor e o consumo <ul><li>Segundo pesquisa da associação POPAI Brasil em 2004, os olhos do consumidor percorrem as gôndolas a 100 km/h. </li></ul><ul><ul><li>A leitura de uma embalagem ocorrem aproximadamente 20 décimos de segundo. </li></ul></ul><ul><li>20% das compras são realmente necessárias; </li></ul><ul><li>80% são por </li></ul><ul><ul><li>Impulso; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ingenuidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Influência da mídia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Problemas comportamentais (compulsão) </li></ul></ul><ul><li>81% da decisão de compra são tomadas no local de venda. </li></ul>
  14. 14. Verificando a persuasão da embalagem <ul><li>Qual é a mensagem que se deve transmitir ? </li></ul><ul><li>Quais os códigos existentes na mensagem ? </li></ul><ul><li>Qual é o canal de comunicação ? </li></ul><ul><li>Qual é o apelo utilizado ? </li></ul><ul><li>Quais são os filtros e ruídos do processo ? </li></ul>
  15. 15. Outras peças para aumentar a persuasão <ul><li>Materiais promocionais </li></ul><ul><ul><li>Displays, banners, cartazes, adesivos, etc. </li></ul></ul><ul><li>Móbiles e faixas de gôndolas </li></ul><ul><li>Freezers adesivados </li></ul><ul><li>Luminosos e totens </li></ul>
  16. 16. Processo de decisão de compra <ul><li>Reconhecimento do problema </li></ul><ul><li>Busca de informações sobre o produto </li></ul><ul><li>Avaliação das alternativas </li></ul><ul><li>Decisão de compra </li></ul><ul><li>Satisfação do consumidor </li></ul>
  17. 17. Processo de decisão na compra <ul><li>Segundo o consultor de marketing americano Philip Kotler, o estímulo provocado nas pessoas age no consciente que, somado com valores, desejos e necessidades, afeta a decisão. </li></ul><ul><li>As pessoas não tem consciência plena de suas decisões. </li></ul>
  18. 18. Processo de decisão na compra
  19. 19. Modelo AIDA <ul><li>Criado por E. St. Elmo Lewis em 1898, foi o primeiro modelo visando a forma de persuasão. </li></ul><ul><ul><li>Atenção: a embalagem deve chamar a atenção; </li></ul></ul><ul><ul><li>Interesse: a embalagem deve transmitir as características do produto e seus benefícios; </li></ul></ul><ul><ul><li>Desejo: a embalagem deve gerar um desejo de necessidade no consumidor ao vê-la na prateleira; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ação: finalização do ciclo de troca, quando o consumidor compra o produto. </li></ul></ul>
  20. 20. Modelo AIDAS <ul><li>Antigo modelo de marketing de ocasião. </li></ul><ul><li>Novas teorias indicam que a simples troca não existe mais e a finalização do processo só ocorre quando o consumidor se satisfaz. </li></ul><ul><li>É preciso ter uma percepção positiva sobre o produto para comprar novamente. </li></ul><ul><li>O marketing de relação acrescentou a sigla “S” de satisfação ao modelo. </li></ul>
  21. 21. Modelo DAGMAR <ul><li>Criado por Russell H. Colley em 1961, visava dimensionar o investimento da comunicação, mapeando os passos do consumidor antes da compra. </li></ul><ul><ul><li>Prévio conhecimento do produto; </li></ul></ul><ul><ul><li>Compreensão do produto, suas características e qualidades; </li></ul></ul><ul><ul><li>Convicção sobre os reais benefícios do produto; </li></ul></ul><ul><ul><li>Poder de persuasão para gerar a ação de compra. </li></ul></ul>
  22. 22. Modelos psicológicos <ul><li>Modelos que relacionam o perfil psicológico das pessoas com seus comportamentos enquanto consumidores. </li></ul><ul><ul><li>Modelos baseados nas teorias de Jung indicam que as preferências de um consumidor expressam alguns padrões comportamentais. </li></ul></ul><ul><ul><li>Modelos VALS (valor do estilo de vida) baseados em arquétipos psicológicos e comportamentais. </li></ul></ul><ul><ul><li>Modelo PNL (programação neurolinguística) que trabalha a comunicação a partir das preferências dos canais perceptivos (visão, audição, tato, olfato e paladar). </li></ul></ul>
  23. 23. Para pesquisa <ul><li>Conceitos </li></ul><ul><ul><li>Imagem Societal </li></ul></ul><ul><ul><li>Marketing de ocasião </li></ul></ul><ul><ul><li>Marketing de relação </li></ul></ul><ul><li>Profissionais </li></ul><ul><ul><li>Abraham Maslow </li></ul></ul><ul><ul><li>Philip Kotler </li></ul></ul><ul><ul><li>E. St. Elmo Lewis </li></ul></ul><ul><ul><li>Russell H. Colley </li></ul></ul><ul><ul><li>Carl Gustav Jung </li></ul></ul><ul><ul><li>Richard Blander </li></ul></ul><ul><ul><li>John Grinder </li></ul></ul>
  24. 24. Referência bibliográfica <ul><li>Existem algumas informações que são encontradas na Wikipédia. Porém, como seu conteúdo pode ser alterado por qualquer pessoa, sua credibilidade é questionável. Só utilize informações da Wikipédia se você já conhece o assunto e concorda com as definições. </li></ul><ul><li>Design de Embalagem: do marketing à produção </li></ul><ul><ul><li>Celso Negrão e Eleida Camargo </li></ul></ul><ul><ul><li>Editora Novatex </li></ul></ul><ul><ul><li>2008 </li></ul></ul>
  25. 25. O mercado de embalagens O 5º “P” do Mix de Maketing Odair Cavichioli Júnior www.odaircavichioli.com.br

×