Planejamento Estrategico

16,371 views

Published on

Descrição do que é vem a ser planejamento estratégico.

Planejamento Estrategico

  1. 1. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Uma abordagem prática Núcelo Interdisciplinar de Pesquisa em Estratégia e Mudança Organizacional - NIPEM Núcleo de Estudos Estratégicos - Nest Prof. Dr. Carlos Ricardo Rossetto
  2. 2. SUMÁRIO <ul><li>INTRODUÇÃO </li></ul><ul><li>CONCEITOS FUNDAMENTAIS </li></ul><ul><li>O PROCESSO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO </li></ul><ul><li>SENSIBILIZAÇÃO </li></ul><ul><li>MISSÃO EMPRESARIAL </li></ul><ul><li>FATORES CHAVES DE SUCESSO </li></ul><ul><li>ANÁLISE EXTERNA </li></ul><ul><li>ANÁLISE INTERNA </li></ul><ul><li>POLÍTICAS EMPRESARIAIS </li></ul><ul><li>OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS </li></ul>
  3. 3. INTRODUÇÃO
  4. 4. ORGANIZAÇÃO ORGANIZAÇÃO MEIO AMBIENTE MODERNA TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES Organização é um Sistema Aberto
  5. 5. ORGANIZAÇÃO ADAPTAÇÃO Pressões Internas Organização Pressões Externas
  6. 6. CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  7. 7. CONCEITOS FUNDAMENTAIS Criar um esquema para agir PLANEJAR Agir ao acaso IMPROVISAR Formulação sistemática de objetivos e ações alternativas e a escolha da melhor ação PLANEJAMENTO
  8. 8. <ul><li>Extrapolação do passado </li></ul><ul><li>Projeção do lucro </li></ul><ul><li>PRINCÍPIO DA DESCONTINUIDADE </li></ul><ul><li>TEMPORAL </li></ul><ul><li>PLANEJAMENTO A LONGO PRAZO </li></ul>Origem: Anos 50 (EUA) <ul><li>PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO </li></ul>Anos 60 (ANSOFF) HISTÓRICO
  9. 9. <ul><li>É um processo que consiste na análise sistemática dos pontos fortes e fracos da empresa, e das oportunidades e ameaças do meio ambiente com o intuito de estabelecer objetivos, estratégias e ações que possibilitem um aumento da competitividade empresarial. </li></ul>PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO RESULTADOS objetivos estratégias ações ELEMENTOS BÁSICOS MEIO AMBIENTE oportunidades ameaças EMPRESA pontos fortes pontos fracos
  10. 10. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Global Funcional
  11. 11. COMPORTAMENTO DA ORGANIZAÇÃO GRAUS DE INTERAÇÃO COMPORTAMENTO CONSEQÜÊNCIAS Não reagente Não adaptativo Não inovativo ( Dinossauro ) Reagente Adaptativo ( Camaleão ) Reagente Adaptativo Inovativo ( Homo Sapiens ) Sobrevivência a curto prazo Extinção Sobrevivência a longo prazo Estagnação Sobrevivência a longo prazo Desenvolvimento NEGATIVO NEUTRO POSITIVO
  12. 12. SEGMENTAÇÃO Grupo homogêneo de clientes que responde à estratégia competitiva, diferente de outros grupos. SEGMENTO <ul><li>Segmentos diferem quanto a determinadas </li></ul><ul><li>características mercadológicas </li></ul>
  13. 13. FORMAS DE SEGMENTAR UMA INDÚSTRIA <ul><li>Produto </li></ul><ul><li>Comprador / Consumidor </li></ul><ul><li>Canal de distribuição </li></ul><ul><li>Geografia </li></ul>QUAIS SEGMENTOS A EMPRESA DEVE DISPUTAR? QUESTÃO BÁSICA
  14. 14. MEIO AMBIENTE MACROAMBIENTE AMBIENTE OPERACIONAL AMBIENTE INTERNO
  15. 15. CONCEITOS FUNDAMENTAIS ESTRATÉGIA A estratégia empresarial expressa como uma empresa utiliza os seus pontos fortes, existentes e potenciais, para alcançar seus objetivos, levando em conta mudanças do meio ambiente.
  16. 16. O PROCESSO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
  17. 17. Sensibilização Negócio / Missão Fatores Chaves de Sucesso Análise Externa Análise Interna Definição de Objetivos e Metas Definição de Estratégias Implantação Controle Relações de Poder O PROCESSO Cultura e Valores
  18. 18. <ul><li>“ .. um processo contínuo e sistemático onde pessoas tomam decisões sobre resultados futuros desejados, sobre como estes resultados serão alcançados , e como o sucesso será mensurado e avaliado .” </li></ul>PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
  19. 19. <ul><li>O valor do Planejamento Estratégico reside mais no processo do que na destinação. Ele provém do trabalho em equipe, comprometimento e visão ganhos através do processo de formulação de estratégia que o plano contém. </li></ul>PROCESSO
  20. 20. <ul><li>O Planejamento Estratégico não termina com a publicação do plano, seu sucesso depende de ser um ciclo sem fim. </li></ul>CONTÍNUO O processo tem uma metodologia específica e deliberada e uma seqüência de eventos, não é acidental. SISTEMÁTICO
  21. 21. <ul><li>O processo deve envolver as pessoas certas, as que realmente podem contribuir para o sucesso do mesmo. </li></ul>PESSOAS As únicas organizações que estão preparadas para planejar estrategicamente são as que têm líderes preparados para tomar decisões. DECISÕES
  22. 22. “ Se você não sabe onde está indo, qualquer estrada poderá levá-lo até lá.” O Planejamento Estratégico está voltado para os resultados externos. RESULTADOS Não basta definir qual o futuro desejado, mas selecionar o caminho que levará a organização até ele. COMO ALCANÇAR
  23. 23. O Planejamento Estratégico tem relação direta com sucesso. O plano pode mensurar os resultados futuros pretendidos tanto quantitativa quanto qualitativamente e definir um critério para atingir este sucesso. MENSURAR E AVALIAR O SUCESSO
  24. 24. <ul><li>Promove: eficiência, eficácia, tomada de decisão, trabalho em equipe, auto controle e qualidade dentro da organização. </li></ul><ul><li>Unifica e harmoniza os procedimentos da organização. </li></ul><ul><li>Cria uma sinergia nos esforços individuais que impulsionam a .... organização mais rapidamente em direção a suas metas . </li></ul>PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO BENEFÍCIOS
  25. 25. PRINCIPAL BENEFÍCIO O PROCESSO <ul><li>Compele a organização a desenvolver uma visão consensual do futuro. </li></ul><ul><li>Favorece a participação aberta e construtiva de todos, até consumidores e fornecedores. </li></ul><ul><li>O processo é o fórum apropriado e a estrutura facilitadora para resolver conflitos e facilitar decisões. </li></ul>
  26. 26. Prof. Dr. Carlos Ricardo Rossetto PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PONTOS FUNDAMENTAIS <ul><li>Definição de foco: especialização, core competence , ponta do conhecimento na elaboração de estratégias. </li></ul><ul><li>Caminho para ouvir o cliente : ajuste mútuo, descobrir o desejo futuro. </li></ul><ul><li>Criar um ambiente de colaboração universal, quebrar a idéia de competição. </li></ul>Prof. Dr. Carlos Ricardo Rossetto - NIPEM/NEST
  27. 27. Prof. Dr. Carlos Ricardo Rossetto PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PONTOS FUNDAMENTAIS <ul><li>Gerar vantagens competitivas conscientes, através de características específicas e diferenciadas do produto. </li></ul><ul><li>Adotar liderança de contato: ... conceito de indivíduo, líder . próximo, que executa, que participa. </li></ul>Prof. Dr. Carlos Ricardo Rossetto - NEST/NIPEM QUALIDADE
  28. 28. BENEFÍCIOS POTENCIAIS <ul><li>Indica os problemas que podem surgir antes que eles ocorram. </li></ul><ul><li>Ajuda os administradores a serem genuinamente mais interessados na organização. </li></ul><ul><li>Alerta a organização para as mudanças e permite ações em resposta a mudanças . </li></ul>
  29. 29. <ul><li>Identifica qualquer necessidade de redefinição na natureza do negócio. </li></ul><ul><li>Melhora a canalização dos esforços para a realização de objetivos predeterminados. </li></ul><ul><li>Permite que os administradores tenham uma clara visão do negócio. </li></ul>BENEFÍCIOS POTENCIAIS
  30. 30. <ul><li>Facilita a identificação e exploração de futuras oportunidades de mercado. </li></ul><ul><li>Oferece uma visão objetiva dos problemas de administração. </li></ul><ul><li>Fornece uma estrutura para revisar a execução do plano e controlar as atividades. </li></ul>BENEFÍCIOS POTENCIAIS
  31. 31. <ul><li>Minimiza os efeitos indesejáveis de condições e mudanças adversas </li></ul><ul><li>Ajuda os administradores a relatar as principais decisões de forma mais efetiva e a estabelecer objetivos </li></ul><ul><li>Torna mais efetiva a alocação de tempo e recursos para a identificação de oportunidades </li></ul>BENEFÍCIOS POTENCIAIS
  32. 32. <ul><li>Coordena a execução das táticas que compõem o plano. </li></ul><ul><li>Permite a integração de todas as funções de marketing em um esforço combinado. </li></ul><ul><li>Minimiza os recursos e o tempo que devem ser dedicados a corrigir erros de decisão. </li></ul>BENEFÍCIOS POTENCIAIS
  33. 33. <ul><li>Cria uma estrutura para a comunicação interna entre as pessoas. </li></ul><ul><li>Permite ordenar as prioridades dentro do cronograma do plano. </li></ul>BENEFÍCIOS POTENCIAIS
  34. 34. RESPONSABILIDADES <ul><li>Definir a missão. </li></ul><ul><li>Formular a filosofia da companhia. </li></ul><ul><li>Estabelecer políticas. </li></ul><ul><li>Estabelecer objetivos. </li></ul><ul><li>Desenvolver a estratégia. </li></ul><ul><li>Planejar a estrutura da organização. </li></ul><ul><li>Providenciar pessoal. </li></ul><ul><li>Estabelecer procedimentos. </li></ul>
  35. 35. RESPONSABILIDADES <ul><li>Fornecer instalações. </li></ul><ul><li>Fornecer capital. </li></ul><ul><li>Estabelecer padrões. </li></ul><ul><li>Estabelecer programas de administração e planos operacionais. </li></ul><ul><li>Fornecer informação de controle. </li></ul><ul><li>Manter o pessoal ativo. </li></ul>
  36. 36. CULTURA EMPRESARIAL <ul><li>“ É o conjunto de normas e valores do sistema formal e sua reintegração no sistema informal.” (Katz & Kahn) </li></ul><ul><li> História da empresa </li></ul><ul><li> Tipos de pessoas que a empresa atrai </li></ul><ul><li> Processo de trabalho </li></ul><ul><li> Modalidades de comunicação </li></ul><ul><li> Exercício da autoridade </li></ul>
  37. 37. <ul><li>É o conjunto de pressupostos básicos que um grupo inventou, descobriu ou desenvolveu ao aprender como lidar com os problemas de adaptação externa e de integração interna e que funcionaram bem o suficiente para serem considerados válidos e ensinados a novos membros como a forma correta de perceber, pensar e sentir em relação a esses problemas. (Schein, 1986) </li></ul><ul><li>COMPONENTES DA CULTURA </li></ul><ul><ul><li>Artefatos visíveis </li></ul></ul><ul><ul><li>Valores </li></ul></ul><ul><ul><li>Pressupostos básicos </li></ul></ul>CULTURA EMPRESARIAL
  38. 38. VALOR <ul><li>“ É a constelação de preferências, aversões, pontos </li></ul><ul><li>de vista, deveres, inclinações internas, </li></ul><ul><li>julgamentos racionais e irracionais, preconceitos </li></ul><ul><li>e padrões de associação que determinam a visão de </li></ul><ul><li>mundo de uma pessoa.” (Spranger) </li></ul>
  39. 39. PODER <ul><li>É a capacidade de uma subunidade (ou indivíduo) </li></ul><ul><li>modificar a conduta de outras subunidades (ou </li></ul><ul><li>indivíduos) da organização de uma maneira desejada, e </li></ul><ul><li>previnir que uma subunidade (ou o próprio indivíduo) </li></ul><ul><li>adote uma conduta indesejável. (Tawney) </li></ul><ul><li>Poder é uma habilidade ou recurso, não um ato. </li></ul><ul><li>O grupo que deseja realizar o Planejamento Estratégico </li></ul><ul><li>detém o poder necessário para promover a mudança? </li></ul>
  40. 40. FILOSOFIA EMPRESARIAL <ul><li>“ São as crenças básicas que as pessoas da organização devem ter e pelas quais devem ser dirigidas.” (Bower) </li></ul>Ex. : Proporcionar aos funcionários bem-estar social, segurança, aprimoramento e oportunidade de desenvolvimento profissional, dentro de um clima de respeito mútuo.
  41. 41. SENSIBILIZAÇÃO
  42. 42. SENSIBILIZAÇÃO <ul><li>Todos devem ter uma visão global do P.E. </li></ul><ul><li>Todos devem se envolver com o P.E. </li></ul><ul><li>Todos devem estar motivados com o P.E. </li></ul><ul><li>Cada um deve entender o seu papel no P.E. </li></ul><ul><li>Cada um deve entender o papel do P.E. na sua atividade </li></ul><ul><li>Todos devem entender o papel do consultor no P.E. </li></ul><ul><li>Todos devem entender os conceitos envolvidos no P.E. </li></ul><ul><li>Caso haja um comitê, todos devem entender o seu papel no P.E. </li></ul>OS 8 MANDAMENTOS DO P.E.
  43. 43. POR QUE USAR PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO? <ul><li>Dinâmica do meio ambiente </li></ul><ul><li>Geração de flexibilidade </li></ul><ul><li>Interação dinâmica </li></ul><ul><li>Integração interna da empresa </li></ul><ul><li>Revitalização do “Espírito Empreendedor” </li></ul>empresa meio ambiente

×