Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Imperialismo do seculo XIX - Neocolonialismo

56,718 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Imperialismo do seculo XIX - Neocolonialismo

  1. 1. Imperialismo do Século XIX Ásia e África
  2. 3. ::: O Neocolonialismo ::: - O colonialismo do século XVI tinha como meta a obtenção de especiarias, gêneros tropicais e metais preciosos no continente americano; - O neocolonialismo do século XIX necessitava de mercados consumidores de manufaturados e fornecedores de matérias-primas (ferro, cobre, petróleo, manganês, trigo, algodão, etc);
  3. 5. ::: O Neocolonialismo ::: - As potências buscavam instalar parte de seu excedente populacional e novas áreas de investimentos de capitais; - Motivadas pelo capitalismo industrial e financeiro , sua intervenção ocorreu principalmente na África e na Ásia, sendo as empresas dessas potências, e não mais os Estados, seus principais agentes e beneficiários;
  4. 8. ::: O Neocolonialismo ::: - Os grandes monopólios criados com a união de banqueiros e industriais caracterizavam o capitalismo da fase financeira; - As atividades produtivas e comerciais estavam submetidas às instituições financeiras em razão de empréstimos e financiamentos, ou ainda do controle acionários; - Surgimento de conglomerados econômicos;
  5. 9. ::: O Neocolonialismo ::: - O neocolonialismo se apresentava sob a capa de altruísmo, pois diziam que os europeus levaram “melhores” condições de vida para onde se dirigiam – “ missão civilizadora ”; - De certa forma, o declarado ideal de “levar a fé ao infiéis” do século XVI foi substituído pela farsa da “missão civilizadora” do século XIX;
  6. 10. Missão civilizadora “ Os glorificadores da expansão conseguiram fazer triunfar a idéia, hoje ainda viva em vários setores da vida econômicas, de que a expansão ultramarina era o objetivo final da política, tendo sido os ingleses, entre outros, os primeiros a associar os benefícios do imperialismo ao triunfo da civilização, esse grande feito dos ‘povos superiores’. No momento em que os avanços da ciência e o sucesso do darwinismo asseguravam aos mais dotados a tarefa de espalhar pelo mundo os benefícios do progresso, os ingleses se julgavam necessariamente destinados, em essência, a realizar essa tarefa. ‘Eu acredito nessa raça’, dizia Joseph Chamberlain em 1895. Graças ao seu avanço, ao seu savoir-faire, os ingleses se encarregavam de civilizar o mundo, ‘este fardo do homem branco’” . (FERRO, Marc. O livro negro do colonialismo. RJ: Ediouro, 2004, pág. 22-3.
  7. 11. ::: O Neocolonialismo ::: - A dominação imperialista era realizada por meio da administração direta , com a ocupação dos principais cargos governamentais por agentes metropolitanos; - Ou por meio da administração indireta , por meio de alianças com as elites locais; - Em ambas as formas, o que se esperava e se obteve foi a exploração de terras e de mão-de-obra e o controle da produção e do consumo locais.
  8. 12. ::: O Neocolonialismo ::: - Embora sob a aparente independência política, as potências hegemônicas contaram com o apoio quase irrestrito das classes dirigentes locais; - Moldaram as estruturas econômicas e sociais dessas regiões de acordo com as necessidades externas, transformando a maior parte do planeta em áreas dependentes;
  9. 13. ::: O Neocolonialismo ::: - As disputas entre potências por áreas coloniais agravaram conflitos e estimularam o armamentismo, o que levou a formação de blocos de países rivais; - A conjuntura ficou tensa e propícia a uma confrontação em grande escala, a Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918);
  10. 15. ::: O Imperialismo na África ::: - A partilha do continente africano, iniciada na segunda metade do século XIX, atingiu seu ponto máximo na Conferência de Berlim (1884-1885); - Ingleses e franceses ocuparam a maior parte dos territórios do continente africano. O Canal de Suez , sob o controle dos ingleses, encurtava distâncias entre os centros industriais europeus e as áreas coloniais asiáticas;
  11. 16. ::: O Imperialismo na África ::: - Unificadas somente em 1870, Alemanha e Itália empenharam-se tardiamente na partilha colonial africana, restando-lhe regiões de menor expressão; - No início do século XX, apenas a Libéria , habitada por negros emigrados dos Estados Unidos, na costa noroeste da África, e a Abissínia (atual Etiópia), no nordeste, constituíam Estados africanos livres;
  12. 18. ::: O Imperialismo na Ásia e Oceania ::: - O controle sobre a Índia intensificou-se a partir de 1848, com a introdução de uma estrutura administrativa britânica, que construiu estradas e organizou missões políticas e religiosas; - O resultado afetou profundamente os costumes locais, destruindo a tradicional economia indiana , voltada para a subsistência e sustentada em manufaturas têxteis, incapazes de concorrer com a produção industrial inglesa.
  13. 20. ::: O Imperialismo na Ásia e Oceania ::: - Constituindo-se, em 1900, no maior império colonial do mundo, e temendo a emergência de outras potências imperialistas, colônias britânicas e Inglaterra estabeleceram um pacto, a British Commonwealth of Nations (Comunidade Britânica de Nações); - A Comunidade existe até hoje e compõe-se por países que, após suas autonomia política, continuaram unidos por interesses comerciais e diplomáticos comuns.
  14. 22. ::: O Imperialismo na Ásia e Oceania ::: - No século XIX, o Japão era dominado por uma aristocracia – os damios – que se apoiava numa classe de guerreiros profissionais, os samurais, numa estrutura similar ao feudalismo; - Apesar das disputas entre os senhores feudais, o comando político efetivo do reino cabia ao xogunato , titulo criado no século VIII para os comandantes militares.
  15. 23. ::: O Imperialismo na Ásia e Oceania ::: - Era Meiji – inaugurou uma nova fase da história japonesa, iniciando a partir de 1868 a era do industrialismo e da modernização; - Processou-se a partir daí a rápida industrialização do Japão, articulada a uma política imperialista sobre a China; - No início do século XX, o Japão havia se tornado um dos países mais avançados e poderosos do mundo, graças a sua dinâmica desenvolvimentista.
  16. 25. ::: O Imperialismo na Ásia e Oceania ::: - O grande crescimento demográfico da China , em meados do século XIX, representava um expressivo mercado consumidor; - A China era um país com uma cultura milenar e uma economia essenciamente agrícola, subordinada a um governo imperial, mergulhado em constantes crises e envolvido em sucessivas revoltas camponesas e disputas políticas.
  17. 27. ::: O Imperialismo na Ásia e Oceania ::: - A penetração dominadora da Europa, dos Estados Unidos e do Japão realizou-se por meio de várias guerras, dentre as quais a Guerra do Ópio (1841); - Produzindo em grandes quantidades em seus domínios na Índia, os ingleses forçaram mercado para a exportação desse produto, disseminando o vício entre os chineses; - Derrotada na guerra, a China teve que abrir cinco portos para Inglaterra e entregar Hong Kong (Tratado de Nanquim).
  18. 30. ::: O Imperialismo na Ásia e Oceania ::: - Tratado de Pequim (1860) – estabelecia a abertura de mais sete portos ao comércio internacional, além da instalação de embaixadas europeias e o direito de atuação de missões cristãs em território chinês; - No século XIX, o Japão invade a região da Manchúria, estabelecendo a sua influência sobre a China; - Guerra dos Boxers (1900) – novamente derrotados, os chineses tiveram que tolerar as concessões feitas aos estrangeiros.
  19. 31. ::: O Imperialismo na Ásia e Oceania ::: - 1911 – O Partido Nacional Chinês – Kuomintang – sob a liderança de Sun Yat-sen, promoveu o fim da monarquia milenar, proclamando a república; - Contudo, não conseguiu superar os entraves ao desenvolvimento autônomo chinês, principalmente pela presença imperialista internacional no país.
  20. 33. ::: O Imperialismo na Ásia e Oceania ::: - A penetração francesa no Sudeste Asiático, até então restrita à Conchinchina, região sul da Indochina , intensificou-se quando começou a ser realizada por iniciativa dos missionários franceses; - Seguiram-se os soldados de Napoleão III, que completaram a dominação; - Com a supremacia francesa na região, foi criada, em 1887, a União Indochinesa, que explorava carvão, chá e arroz. A dominação francesa na Indochina estendeu-se até o início da segunda metade do século XX;
  21. 35. ::: Consequências do Imperialismo ::: - Para os países imperialistas – enormes lucros e a solução parcial para suas crises de mercado e de superpopulação, intensificando seu desenvolvimento; - Para os países colonizados – gerou submissão, acompanhada de desestruturação socioeconômica, política e cultural, levando à miséria, à fome e às lutas nacionalistas; - Seguiam as raízes da segregação racial e social, que seriam as bases de muitas dificuldades, lutas e conflitos no século XX.

×