Demografia 2012

6,938 views

Published on

Published in: Education

Demografia 2012

  1. 1. Demografia: Professor Aroldo S. Tavares.
  2. 2. Definição: <ul><li>A Demografia é uma área da ciência geográfica que estuda a dinâmica populacional humana . O seu objeto de estudo engloba as dimensões, estatísticas, estrutura e distribuição das diversas populações humanas. Estas não são estáticas, variando devido à natalidade, mortalidade, migrações e envelhecimento. </li></ul>
  3. 3. Teorias demográficas: <ul><li>Malthusiana: </li></ul><ul><li>criada por Tomas Malthus crescimento populacional em progressão geométrica, crescimento da oferta de alimentos em progressão aritmética. </li></ul><ul><li>Solução: casamentos tardios e abstinência </li></ul><ul><li>Neomalthusiana </li></ul><ul><li>subdesenvolvimento e a pobreza vem do crescimento populacional, que estaria provocando a elevação dos gastos governamentais com os serviços de educação e saúde. Isso comprometeria a realização de investimentos nos setores produtivos e dificultaria o desenvolvimento econômico. </li></ul><ul><li>Solução: Controle de natalidade </li></ul>Malthus 1798
  4. 4. Marxista ou reformista : O elevado número de filhos é uma conseqüência da situação de pobreza e exclusão social. Solução: Acabar com a desigualdade social. Ecomalthusianos: É uma corrente gerada a partir da teoria neomalthusiana que relata os prejuízos nos recursos naturais a partir do grande crescimento populacional. De acordo com os seguidores dessa teoria, o rápido crescimento populacional provoca a remoção de recursos naturais de seu devido lugar, trazendo em curto e em longo prazo grandes problemas ambientais. Solução: Planejamento e controle populacional . Marx 1850
  5. 5. Elementos básicos: <ul><li>POPULAÇÃO ABSOLUTA= Número total de habitantes; </li></ul><ul><li>Ex: China é um país muito populoso com 1,31 bilhão de habitantes </li></ul><ul><li>POPULAÇÃO RELATIVA= Número total / área; </li></ul><ul><li>Ex: Mônaco é o país mais povoado do mundo. (16.620 hab./km² ) </li></ul><ul><li>CRESCIMETO VEGETATIVO: </li></ul><ul><li>nascimentos - mortes </li></ul>Taxa de Natalidade: Taxa de mortalidade:
  6. 6. Taxa de fecundidade. Crescimento vegetativo.
  7. 7. Estrutura da população. Pirâmide demográfica Na primeira fase ou fase “pré-industrial”, haveria um índice de crescimento vegetativo baixo devido aos altos índices de mortalidade e natalidade que iriam se equilibrar principalmente pelas baixas condições higiênico-sanitárias, por causa das guerras, epidemias, e etc. Na segunda fase ou fase transicional, podemos identificar dois períodos distintos que até podem ser considerados como fases distintas. No primeiro período nota-se um crescimento populacional elevado devido a queda na taxa de mortalidade ocasionada pela melhora nas condições sanitárias e de segurança (fim das guerras, avanços tecnológicos). No segundo período (ou terceira fase, de acordo com a classificação), notar-se-ia a diminuição da taxa de natalidade ocasionada por medidas de controle como planejamento familiar e métodos anticoncepcionais, fazendo com que o crescimento vegetativo volta aos níveis mais baixos. Numa terceira fase, a fase evoluída, tanto a taxa de natalidade quanto a de mortalidade voltam a se estabilizar, ocasionando uma taxa de crescimento vegetativo bastante pequena, ou negativo.
  8. 9. Explosão demográfica. <ul><li>É o aumento elevado e repentino da população de um local. </li></ul><ul><li>As explosões demográficas são observadas em duas situações: </li></ul><ul><li>a introdução de novas tecnologias que reduzam a mortalidade (aumento na produção de alimentos ou cura de doenças importantes); </li></ul><ul><li>em períodos de guerra ou grandes calamidades, em que a sobrevivência da sociedade está ameaçada, registra-se importantes aumentos das taxas de natalidade. Neste caso, a &quot;explosão&quot; também é chamada de baby boom. </li></ul>
  9. 10. <ul><li>População Economicamente Ativa (PEA): </li></ul><ul><li>composta por pessoas desocupadas, mas dispostas a trabalhar (desempregados) e trabalhadores ocupados, sejam empregados (registrados ou não), autônomos, empregadores ou não-remunerados. </li></ul><ul><li>setor primário engloba as atividades que estão diretamente relacionadas à natureza: a agricultura, a pecuária, a caça, a pesca e a silvicultura.  </li></ul><ul><li>O setor secundário abrange as atividades diretamente relacionadas com a atividade industrial, e é composto pelas indústrias de transformação, extrativas e de construção.  </li></ul><ul><li>O setor terciário reúne os serviços e as trocas comerciais. </li></ul><ul><li>* Desemprego estrutural. </li></ul><ul><li>* hipertrofia (inchaço) do setor terciário. </li></ul>
  10. 11. MIGRAÇÕES: <ul><li>Deslocamentos populacionais. </li></ul><ul><li>Imigrante: Entra no local. </li></ul><ul><li>Emigrante: Sai do local. </li></ul><ul><li>Fatores: Naturais, econômicos, culturais, etc... </li></ul><ul><li>Tipos: Pendular, sazonal, definitiva. </li></ul><ul><li>Exemplo: </li></ul>
  11. 12. Êxodo rural
  12. 14. IMIGRAÇÃO: ITALIANOS
  13. 15. IMIGRAÇÃO: ALEMÃES
  14. 16. <ul><li>Distribuição da população. </li></ul>
  15. 17. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) <ul><li>É uma medida comparativa usada para classificar os países pelo seu grau de &quot;desenvolvimento humano&quot; e para separar os países desenvolvidos (muito alto desenvolvimento humano), em desenvolvimento (desenvolvimento humano médio e alto) e subdesenvolvidos (desenvolvimento humano baixo). A partir do relatório de 2010, o IDH combina três dimensões: </li></ul><ul><li>Uma vida longa e saudável: Expectativa de vida ao nascer </li></ul><ul><li>O acesso ao conhecimento: Anos Médios de Estudo e Anos Esperados de Escolaridade </li></ul><ul><li>Um padrão de vida decente: PIB (PPC) per capita </li></ul>
  16. 18. <ul><li>( FGV-SP) Analise a distribuição da PEA (População Economicamente Ativa) por setor de atividade e assinale a alternativa que melhor explique seu significado. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>a) Com maior contingente de trabalhadores no setor primário do que no secundário, pode-se afirmar que o Brasil, a despeito do crescimento econômico, ainda se mantém como uma economia agroexportadora. </li></ul><ul><li>b) O setor secundário emprega cerca de um terço do que emprega o setor terciário, o que indica </li></ul><ul><li>que a economia brasileira é assentada mais pelo capital especulativo do que pelo capital produtivo. </li></ul><ul><li>c) O grande contingente de trabalhadores no setor terciário é típico de um país urbanizado, dado que as atividades deste setor são mais intensas em cidades. </li></ul><ul><li>d) O setor primário emprega 20,9% da PEA, o que indica que seu desenvolvimento é orientado por uma estrutura agrícola tradicional que demanda mão de obra numerosa. </li></ul><ul><li>e) Os setores primário e secundário empregam percentuais bem inferiores da PEA, em relação ao terciário, o que é um indicador de déficit na balança comercial, na medida em que demonstra que o país não produz a maior parte dos produtos industriais e agrícolas para atender à demanda interna. </li></ul>
  17. 19. <ul><li>(PUC) &quot;O governo francês irá pagar uma licença de 750 euros (cerca de R$ 2.050,00) por mês, durante um ano, a famílias que decidirem ter um terceiro filho, anunciou ontem o primeiro-ministro do país, Dominique de Villepin.&quot; (&quot;Folha de S. Paulo&quot;, 23.09.2005) </li></ul><ul><li>A reportagem acima ilustra uma política cada vez mais comum entre os países europeus. As alternativas abaixo contém possíveis causas que motivam a adoção de tais medidas, EXCETO: </li></ul><ul><li>a) as baixas taxas de natalidade de muitos países europeus. </li></ul><ul><li>b) as altas taxas de mortalidade européias, que resultam na diminuição da PEA - população economicamente ativa. </li></ul><ul><li>c) a tentativa de evitar que num futuro a médio prazo a população nativa possa tornar-se minoritáriadiante da população imigrante - cujas taxas decrescimento vegetativo são bem mais altas. </li></ul><ul><li>d) o impacto que a diminuição da mão de obra ativa está causando ao sistema previdenciário europeu. </li></ul><ul><li>e) a difícil tarefa dos dirigentes da União Européia em administrar a necessidade de manuntenção de um fluxo controlado de movimentos populacionais horizontais ao mesmo tempo em que tenta reprimir o aumento da xenofobia. </li></ul>
  18. 20. Bibliografia: Nazareth, J. Manuel (2004), Demografia. A Ciência da População , Lisboa, Presença Bandeira, Mário Leston (2004), Demografia – Objecto, Teorias e Métodos , Lisboa, Escolar Editora

×