SlideShare a Scribd company logo
1 of 32
Download to read offline
OLIVEIRA
OliveiraOliveira
(Fichas de caracterização )(Fichas de caracterização )
•• 11 variedades da colecção instalada no11 variedades da colecção instalada no
Centro de Experimentação Agrária de TaviraCentro de Experimentação Agrária de Tavira
•• 2 tipos de Maçanilha da região2 tipos de Maçanilha da região
João M. G. CostaJoão M. G. Costa
Armindo J. G. RosaArmindo J. G. Rosa
(2013/2014)(2013/2014)
Nota introdutória
A oliveira (Olea europaea L.), árvore de longa vida da família Oleaceae, pode
considerar-se originária da área do mediterrâneo oriental. Componente
insubstituível de todas as paisagens de influência marcadamente mediterrânica, em
Portugal a sua cultura estende-se do Minho ao Algarve com produções viradas
quer para a produção de azeitona para consumo em fresco ou conserva, quer para a
produção de azeite. No Algarve é uma das espécies que compõem o pomar
tradicional de sequeiro, sistema cultural que ao longo de tempos remotos assumiu
importância primordial na manutenção do rendimento dos agregados familiares
dos agricultores do litoral, barrocal e beira serra.
Desde sempre a Maçanilha foi a variedade mas representativa e cultivada no
Algarve. No sentido de dar resposta a questões colocadas por algumas
organizações de desenvolvimento local e observar o comportamento de outras
variedades quer adaptadas à produção de azeitona para fresco, quer para dupla
aptidão, foi instalado no ano de 2005, no Centro de Experimentação Agrária de
Tavira (CEAT), um ensaio com onze variedades segundo o compasso de 7 x 4, 5
m.
O documento que ora se apresenta, resultado de observações e registos efectuados
e corolário de objectivos propostos para os anos de 2013 e 2014, procura divulgar
e dar a conhecer no que respeita à caracterização das plantas, frutos e caroços, e
tendo como referência as normas da UPOV, as características das variedades
componentes da colecção do CEAT, bem como as de dois tipos de Maçanilha
bastante vulgares e com grande importância por toda a região algarvia
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Carrasquenha
Frutos
Folhas Flores
Caroços
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade de produção regular, médio vigor e ramos abertos, com folhas elíptico lanceoladas, verdes na face, acinzentadas no invés.
Fruto grande, ovóide, violeta escuro, de maturação tardia.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Carrasquenha
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – médio 5
Porte dos ramos – abertos 5
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1
Comprimento dos entrenós – curtos 3
Razão comprimento / largura – longa e larga 4
Forma – elíptico lanceolada 2
Brilho – presente 9
Cor da página superior – verde 1
Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2
Torcimento da folha (torção) – presente 9
Folhas anormais – presente 9
Forma (posição A) – elíptico 2
Forma (posição B) – elíptico 2
Simetria (posição A) – muito assimétrico 3
Simetria (posição B) – simétrico 1
Forma em secção transversal – circular 1
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – marcados 7
Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – presente 9
Base (posição A) – truncado 3
Base (posição B) – arredondado 2
Nitidez da sutura – média 5
Curvatura da sutura – presente 9
Tamanho – médio 5
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – tardia 7
Estrutura (comprimento / nº de flores) – longa e compacta 3
Ramificações – fracas 3
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5
Fruto
Época de maturação – tardia 7
Tamanho – grande (4.5 a 7.5g) 7
Forma – ovóide 4
Cor – violeta escuro 1
Nitidez do manchado – média 5
Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2
Simetria (posição B) – simétrico 1
Posição da largura máxima – central 2
Forma do ápice (posição A) – agudo 1
Forma do ápice (posição B) – agudo 1
Mucrão – presente 9
Forma da base (posição A) – truncada 2
Forma da base (posição B) – truncada 2
Largura da cavidade peduncular – média 5
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – média 5
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Cornuzuelo
Frutos
Folhas Flores
Caroços
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade de média produção, fraco vigor e ramos erectos, com folhas elíptico lanceoladas, verdes na face , acinzentadas no invés.
Fruto muito grande, alongado, violeta escuro, de maturação média.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Cornuzuelo
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – fraco 3
Porte dos ramos – erectos 3
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1
Comprimento dos entrenós – curtos 3
Razão comprimento / largura – longa e estreita 3
Forma – elíptico lanceolada 2
Brilho – ausente 1
Cor da página superior – verde 1
Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2
Torcimento da folha (torção) – ausente 1
Folhas anormais – ausente 1
Forma (posição A) – alongado 1
Forma (posição B) – alongado 1
Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2
Simetria (posição B) – muito assimétrico 3
Forma em secção transversal – circular 1
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – ausentes ou muito fracos 1
Distribuição dos sulcos – abaixo do ápice 2
Distribuição dos sulcos na base – irregulares 2
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – presente 9
Base (posição A) – agudo 1
Base (posição B) – agudo 1
Nitidez da sutura – fraca 3
Curvatura da sutura – presente 9
Tamanho – grande 7
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – média 5
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – fracas 3
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – pequenos 3
Fruto
Época de maturação – média 5
Tamanho – muito grande (>7.5g) 9
Forma – alongado 1
Cor – violeta escuro 1
Nitidez do manchado – fraca 3
Simetria (posição A) – fortemente assimétrico 3
Simetria (posição B) – simétrico 1
Posição da largura máxima – central 2
Forma do ápice (posição A) – agudo 1
Forma do ápice (posição B) – agudo 1
Mucrão – presente 9
Forma da base (posição A) – truncada 2
Forma da base (posição B) – truncada 2
Largura da cavidade peduncular – larga 7
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Redondil
Frutos
Folhas Flores
Caroços
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade de regular produção, forte vigor e ramos abertos, com folhas elíptico lanceoladas, verdes na face, cinzento esverdeadas no
invés. Fruto grande, esférico, negro, de maturação média.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Redondil
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – forte 7
Porte dos ramos – abertos 5
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – cinzento claro 2
Comprimento dos entrenós – médios 5
Razão comprimento / largura – curta e estreita 1
Forma – elíptico lanceolada 2
Brilho – ausente 1
Cor da página superior – verde 1
Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2
Torcimento da folha (torção) – ausente 1
Folhas anormais – ausente 1
Forma (posição A) – obovado 3
Forma (posição B) – obovado 3
Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2
Simetria (posição B) – simétrico 1
Forma em secção transversal – elíptico 2
Posição da maior largura – junto ao ápice 3
Sulcos no caroço – médios 5
Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – presente 9
Base (posição A) – agudo 1
Base (posição B) – agudo 1
Nitidez da sutura – fraca 3
Curvatura da sutura – ausente 1
Tamanho – pequeno 3
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – precoce 3
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – forte 7
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5
Fruto
Época de maturação – média 5
Tamanho – grande (4.5 a 7.5g) 7
Forma – esférica 5
Cor – negro 2
Nitidez do manchado – fraca 3
Simetria (posição A) – simétrico 1
Simetria (posição B) – simétrico 1
Posição da largura máxima – central 2
Forma do ápice (posição A) – arredondado 2
Forma do ápice (posição B) – arredondado 2
Mucrão – ausente 1
Forma da base (posição A) – truncada 2
Forma da base (posição B) – truncada 2
Largura da cavidade peduncular – larga 7
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Azeiteira
Frutos
Folhas Flores
Caroços
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade de regular produção, fraco vigor e ramos erectos, com folhagem lanceolada, verde na face, acinzentada no invés. Fruto
grande, com tendência a rachar, ovóide, violeta escuro, negro quando completamente maduro, de média maturação.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Azeiteira
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – fraco 3
Porte dos ramos – erectos 3
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – cinzento claro 2
Comprimento dos entrenós – curtos 3
Razão comprimento / largura – curta e estreita 1
Forma – lanceolada 1
Brilho – ausente 1
Cor da página superior – verde 1
Cor da página inferior – verde acinzentado 1
Torcimento da folha (torção) – ausente 1
Folhas anormais – ausente 1
Forma (posição A) – elíptico 2
Forma (posição B) – elíptico 2
Simetria (posição A) – muito assimétrico 3
Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2
Forma em secção transversal – elíptico 2
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – médios 5
Distribuição dos sulcos – abaixo do ápice 2
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – presente 9
Base (posição A) – truncado 3
Base (posição B) – truncado 3
Nitidez da sutura – média 5
Curvatura da sutura – ausente 1
Tamanho – pequeno 3
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – média 5
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – médias 5
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5
Fruto
Época de maturação – média 5
Tamanho – grande (4.5 a 7.5g) 7
Forma – ovóide 4
Cor – negro 2
Nitidez do manchado – fraca 3
Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2
Simetria (posição B) – simétrico 1
Posição da largura máxima – junto à base 1
Forma do ápice (posição A) – agudo 1
Forma do ápice (posição B) – agudo 1
Mucrão – presente 9
Forma da base (posição A) – truncada 2
Forma da base (posição B) – truncada 2
Largura da cavidade peduncular – média 5
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Galega
Frutos
Folhas Flores
Caroços
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade produtiva, de forte vigor e ramos abertos, com folhagem de forma elíptica lanceolada, verde na face , acinzentada no invés.
Fruto de tamanho médio, elíptico, negro, de média maturação.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Galega
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – forte 7
Porte dos ramos – abertos 5
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – cinzento claro 2
Comprimento dos entrenós – médios 5
Razão comprimento / largura – longa e larga 4
Forma – elíptica 3
Brilho – presente 9
Cor da página superior – verde 1
Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2
Torcimento da folha (torção) – presente 9
Folhas anormais – presente 9
Forma (posição A) – elíptico 2
Forma (posição B) – elíptico 2
Simetria (posição A) – muito assimétrico 3
Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2
Forma em secção transversal – circular 1
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – fracos 3
Distribuição dos sulcos – abaixo do ápice 2
Distribuição dos sulcos na base – irregulares 2
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – ausente 1
Base (posição A) – agudo 1
Base (posição B) – agudo 1
Nitidez da sutura – fraca 3
Curvatura da sutura – ausente 1
Tamanho – pequeno 3
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – média 5
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e compacta 1
Ramificações – médias 5
Flores axilares (flores supranumerárias) – presentes 9
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – pequenos 3
Fruto
Época de maturação – média 5
Tamanho – médio (2.5 a 4.5 g) 5
Forma – elíptico 2
Cor – negro 2
Nitidez do manchado – fraca 3
Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2
Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2
Posição da largura máxima – central 2
Forma do ápice (posição A) – agudo 1
Forma do ápice (posição B) – agudo 1
Mucrão – presente 9
Forma da base (posição A) – truncada 2
Forma da base (posição B) – truncada 2
Largura da cavidade peduncular – média 5
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – pouco profunda 3
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Conserva de Elvas
Folhas Flores
Caroços
Frutos
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade de regular produção, médio vigor e ramos abertos, com folhas elípticas, verde escuras na face , acinzentadas no invés. Fruto
muito grande, ovóide, violeta escuro, de maturação média.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Conserva de Elvas
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – médio 5
Porte dos ramos – abertos 5
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1
Comprimento dos entrenós – curtos 3
Razão comprimento / largura – curta e estreita 1
Forma – elíptico lanceolada 2
Brilho – presente 9
Cor da página superior – verde 1
Cor da página inferior – verde acinzentado 1
Torcimento da folha (torção) – ausente 1
Folhas anormais – ausente 1
Forma (posição A) – alongado 1
Forma (posição B) – alongado 1
Simetria (posição A) – muito assimétrico 3
Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2
Forma em secção transversal – circular 1
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – muito marcados 9
Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – presente 1
Base (posição A) – agudo 1
Base (posição B) – agudo 1
Nitidez da sutura – média 5
Curvatura da sutura – ausente 1
Tamanho – grande 7
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – média 5
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – médias 5
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5
Fruto
Época de maturação – média 5
Tamanho – muito grande (> 7.5 g) 9
Forma – ovoide 4
Cor – violeta escuro 1
Nitidez do manchado – média 5
Simetria (posição A) – fortemente assimétrico 3
Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2
Posição da largura máxima – junto ao ápice 3
Forma do ápice (posição A) – agudo 1
Forma do ápice (posição B) – agudo 1
Mucrão – presente 9
Forma da base (posição A) – arredondada 1
Forma da base (posição B) – arredondada 1
Largura da cavidade peduncular – média 5
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – elíptica 2
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Maçanilha
Folhas Flores
Caroços
Frutos
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade produtiva, de médio vigor e ramos abertos, com folhas elípticas, verdes na face, acinzentadas no invés. Fruto grande,
ovóide, negro, de maturação média.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Maçanilha
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – médio 5
Porte dos ramos – abertos 5
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1
Comprimento dos entrenós – médios 5
Razão comprimento / largura – longa e larga 4
Forma – elíptica 3
Brilho – presente 9
Cor da página superior – verde escuro 2
Cor da página inferior – verde esverdeado 2
Torcimento da folha (torção) – ausente 1
Folhas anormais – ausente 1
Forma (posição A) – obovado 3
Forma (posição B) – obovado 3
Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2
Simetria (posição B) – simétrico 1
Forma em secção transversal – circular 1
Posição da maior largura – junto ao ápice 3
Sulcos no caroço – médios 5
Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – ausente 1
Base (posição A) – arredondado 2
Base (posição B) – truncado 3
Nitidez da sutura – média 5
Curvatura da sutura – ausente 1
Tamanho – pequeno 3
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – média 5
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – forte 7
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5
Fruto
Época de maturação – média 5
Tamanho – grande (4.5 a 7.5 g) 7
Forma – ovóide 4
Cor – negra 2
Nitidez do manchado – fraca 3
Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2
Simetria (posição B) – simétrico 1
Posição da largura máxima – central 2
Forma do ápice (posição A) – arredondado 2
Forma do ápice (posição B) – arredondado 2
Mucrão – ausente 1
Forma da base (posição A) – truncada 2
Forma da base (posição B) – truncada 2
Largura da cavidade peduncular – média 5
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Cobrançosa
Frutos
Folhas Flores
Caroços
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade muito produtiva, de médio vigor e ramos erectos, com folhas elíptico lanceoladas, verde escuras na face , acinzentadas no
invés. Fruto grande, globoso, negro, de maturação média.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Cobrançosa
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – médio 5
Porte dos ramos – erectos 3
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1
Comprimento dos entrenós – longos 7
Razão comprimento / largura – curta e estreita 1
Forma – elíptico lanceolada 2
Brilho – presente 9
Cor da página superior – verde escuro 2
Cor da página inferior – verde acinzentado 1
Torcimento da folha (torção) – ausente 1
Folhas anormais – presente 9
Forma (posição A) – alongado 1
Forma (posição B) – alongado 1
Simetria (posição A) – muito assimétrico 3
Simetria (posição B) – simétrico 1
Forma em secção transversal – circular 1
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – médios 5
Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – ausente 1
Base (posição A) – agudo 1
Base (posição B) – agudo 1
Nitidez da sutura – média 5
Curvatura da sutura – ausente 1
Tamanho – médio 5
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – média 5
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – fracas 3
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – pequenos 3
Fruto
Época de maturação – média 5
Tamanho – grande ( 4.5 a 7.5 g) 7
Forma – globoso 3
Cor – negro 2
Nitidez do manchado – fraca 3
Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2
Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2
Posição da largura máxima – central 2
Forma do ápice (posição A) – agudo 1
Forma do ápice (posição B) – agudo 1
Mucrão – presente 9
Forma da base (posição A) – truncada 2
Forma da base (posição B) – truncada 2
Largura da cavidade peduncular – média 5
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Maçanilha de Tavira
Frutos
Folhas Flores
Caroços
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade muito produtiva, de médio vigor e ramos caídos, com folhas lanceoladas, verde escuras na face , acinzentadas no invés.
Fruto muito grande, esférico, verde, de maturação média.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Maçanilha de Tavira
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – médio 5
Porte dos ramos – caídos 7
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1
Comprimento dos entrenós – curtos 3
Razão comprimento / largura – curta e estreita 1
Forma – lanceolada 1
Brilho – presente 9
Cor da página superior – verde escuro 2
Cor da página inferior – verde esverdeado 2
Torcimento da folha (torção) – presente 9
Folhas anormais – presente 9
Forma (posição A) – obovado 3
Forma (posição B) – elítico 2
Simetria (posição A) – simétrico 1
Simetria (posição B) – simétrico 1
Forma em secção transversal – circular 1
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – marcados 7
Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – ausente 1
Base (posição A) – arredondado 2
Base (posição B) – arredondado 2
Nitidez da sutura – média 5
Curvatura da sutura – ausente 1
Tamanho – grande 7
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – precoce 3
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – fracas 3
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – grandes 7
Fruto
Época de maturação – média 5
Tamanho – muito grande (> 7.5 g) 9
Forma – esférica 5
Cor – verde 3
Nitidez do manchado – fraca 3
Simetria (posição A) – simétrico 1
Simetria (posição B) – simétrico 1
Posição da largura máxima – central 2
Forma do ápice (posição A) – arredondado 2
Forma do ápice (posição B) – arredondado 2
Mucrão – ausente 1
Forma da base (posição A) – truncada 2
Forma da base (posição B) – truncada 2
Largura da cavidade peduncular – larga 7
Forma da cavidade peduncular – elíptica 2
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Picual
Frutos
Folhas Flores
Caroços
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade produtiva, de fraco vigor e ramos abertos, com folhas lanceoladas, verdes na face , cinzento esverdeadas no invés. Fruto
grande, alongado, violeta escuro, de maturação média.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Picual
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – fraco 3
Porte dos ramos – abertos 5
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – cinzento claro 2
Comprimento dos entrenós – curtos 3
Razão comprimento / largura – curta e estreita 1
Forma – elíptico lanceolada 2
Brilho – presente 9
Cor da página superior – verde escuro 2
Cor da página inferior – verde esverdeado 2
Torcimento da folha (torção) – presente 9
Folhas anormais – presente 9
Forma (posição A) – alongado 1
Forma (posição B) – alongado 1
Simetria (posição A) – muito assimétrico 3
Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2
Forma em secção transversal – elíptico 2
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – médios 5
Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – ausente 1
Base (posição A) – truncado 3
Base (posição B) – truncado 3
Nitidez da sutura – média 5
Curvatura da sutura – ausente 1
Tamanho – médio 5
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – média 5
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – fracas 3
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – pequenos 3
Fruto
Época de maturação – precoce 3
Tamanho – grande (4.5 a 7.5 g) 7
Forma – alongado 1
Cor – negro 2
Nitidez do manchado – forte 7
Simetria (posição A) – fortemente assimétrico 3
Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2
Posição da largura máxima – central 2
Forma do ápice (posição A) – agudo 1
Forma do ápice (posição B) – agudo 1
Mucrão – presente 9
Forma da base (posição A) – truncada 2
Forma da base (posição B) – truncada 2
Largura da cavidade peduncular – média 5
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Cordovil
Frutos
Folhas Flores
Caroços
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade produtiva, de fraco vigor e ramos erectos, com folhas elíptico lanceoladas, verde escuras, na face e acinzentada no invés.
Fruto grande, ovóide, violeta escuro a negro, de maturação média.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Cordovil
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – fraco 3
Porte dos ramos – erectos 3
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – cinzento claro 2
Comprimento dos entrenós – curtos 3
Razão comprimento / largura – curta e estreita 1
Forma – elíptica 3
Brilho – presente 9
Cor da página superior – verde escuro 2
Cor da página inferior – verde esverdeado 2
Torcimento da folha (torção) – ausente 1
Folhas anormais – ausente 1
Forma (posição A) – obovado 3
Forma (posição B) – obovado 3
Simetria (posição A) – muito assimétrico 3
Simetria (posição B) – simétrico 1
Forma em secção transversal – circular 1
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – médios 5
Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – ausente 1
Base (posição A) – truncado 3
Base (posição B) – truncado 3
Nitidez da sutura – média 5
Curvatura da sutura – ausente 1
Tamanho – médio 5
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – precoce 3
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – médias 5
Flores axilares (flores supranumerárias) – presentes 9
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5
Fruto
Época de maturação – precoce 3
Tamanho – grande (4.5 a 7.5 g) 7
Forma – ovoide 4
Cor – negro 2
Nitidez do manchado – fraca 3
Simetria (posição A) – fortemente assimétrico 3
Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2
Posição da largura máxima – junto ao ápice 3
Forma do ápice (posição A) – arredondado 2
Forma do ápice (posição B) – arredondado 2
Mucrão – ausente 1
Forma da base (posição A) – truncada 2
Forma da base (posição B) – truncada 2
Largura da cavidade peduncular – média 5
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Maçanilha encarnada
Frutos
Folhas Flores
Caroços
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade muito produtiva, de médio vigor e ramos abertos, com folhas lanceoladas, verde escuras na face , acinzentadas no invés.
Fruto muito grande, esférico, violeta escuro, de maturação média.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Nave dos Cordeiros / Benafim
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Maçanilha encarnada
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – médio 5
Porte dos ramos – abertos 5
Densidade de ramos – médios 5
Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1
Comprimento dos entrenós – médios 5
Razão comprimento / largura – curta e estreita 1
Forma – lanceolada 1
Brilho – presente 9
Cor da página superior – verde escuro 2
Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2
Torcimento da folha (torção) – presente 9
Folhas anormais – presente 9
Forma (posição A) – obovado 3
Forma (posição B) – obovado 3
Simetria (posição A) – simétrico 1
Simetria (posição B) – muito assimétrico 3
Forma em secção transversal – elíptico 2
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – marcados 7
Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – presente 9
Base (posição A) – arredondado 2
Base (posição B) – arredondado 2
Nitidez da sutura – média 5
Curvatura da sutura – presente 9
Tamanho – grande 7
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – média 5
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – fracas 3
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5
Fruto
Época de maturação – média 5
Tamanho – muito grande (>7.5g) 9
Forma – esférica 5
Cor – violeta escuro 1
Nitidez do manchado – média 5
Simetria (posição A) – simétrico 1
Simetria (posição B) – simétrico 1
Posição da largura máxima – central 2
Forma do ápice (posição A) – arredondado 2
Forma do ápice (posição B) – arredondado 2
Mucrão – ausente 1
Forma da base (posição A) – arredondada 1
Forma da base (posição B) – com depressão 3
Largura da cavidade peduncular – média 5
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Ficha de Caracterização – Oliveira Maçanilha branca
Frutos
Folhas
Caroços
Flores
OLIVEIRA
Árvore
DGPC
Caroço
DGPC
Folha
APRECIAÇÃO GLOBAL
Variedade muito produtiva, de forte vigor e ramos caídos, com folhas elíptico lanceoladas, verde escuras na face, acinzentadas no
invés. Fruto grande, esférico, verde, de média maturação.
Caracterização realizada com base nos seguintes documentos:
Descritores adoptados pela DGPC
Origem do material – Nave dos Cordeiros / Benafim
Período de Caracterização – 2013 / 2014
Maçanilha branca
Quadro de Caracteres Morfológicos
Vigor – forte 7
Porte dos ramos – caídos 7
Densidade de ramos – compactos 7
Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1
Comprimento dos entrenós – médios 5
Razão comprimento / largura – longa e estreita 3
Forma – elíptico lanceolada 2
Brilho – presente 9
Cor da página superior – verde escuro 2
Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2
Torcimento da folha (torção) – presente 9
Folhas anormais – presente 9
Forma (posição A) – obovado 3
Forma (posição B) – obovado 3
Simetria (posição A) – simétrico 1
Simetria (posição B) – muito assimétrico 3
Forma em secção transversal – elíptico 2
Posição da maior largura – central 2
Sulcos no caroço – marcados 7
Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1
Distribuição dos sulcos na base – regulares 1
Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1
Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1
Mucrão – presente 9
Base (posição A) – arredondado 2
Base (posição B) – arredondado 2
Nitidez da sutura – média 5
Curvatura da sutura – presente 9
Tamanho – grande 7
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa
Inflorescência
Época de floração – média 5
Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2
Ramificações – fracas 3
Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1
Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – grandes 7
Fruto
Época de maturação – média 5
Tamanho – grande (4.5 a 7.5g) 7
Forma – esférica 5
Cor – verde 3
Nitidez do manchado – fraca 3
Simetria (posição A) – simétrico 1
Simetria (posição B) – simétrico 1
Posição da largura máxima – central 2
Forma do ápice (posição A) – arredondado 2
Forma do ápice (posição B) – arredondado 2
Mucrão – ausente 1
Forma da base (posição A) – arredondada 1
Forma da base (posição B) – arredondada 1
Largura da cavidade peduncular – média 5
Forma da cavidade peduncular – circular 1
Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7
Forma em secção transversal – circular 1
Ano - 2014
Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e
para o caroço, sendo a posição A aquela em que se
verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando
virada para o observado, e a posição B deriva da A
por uma rotação de 90º ao longo do eixo
longitudinal.
OLIVEIRA
Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG)
Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa
Ano - 2013 / 2014

More Related Content

What's hot

What's hot (20)

Oliveira
OliveiraOliveira
Oliveira
 
aulas de friticultura
aulas de friticulturaaulas de friticultura
aulas de friticultura
 
Folhas
FolhasFolhas
Folhas
 
Poda de fruteiras pdf
Poda de fruteiras pdfPoda de fruteiras pdf
Poda de fruteiras pdf
 
Poda de árvores frutíferas
Poda  de árvores frutíferasPoda  de árvores frutíferas
Poda de árvores frutíferas
 
Doenças de aliáceas
Doenças de aliáceasDoenças de aliáceas
Doenças de aliáceas
 
Cultura do Amendoim
Cultura do AmendoimCultura do Amendoim
Cultura do Amendoim
 
Plantas Daninhas na cultura do Algodoeiro
Plantas Daninhas na cultura do AlgodoeiroPlantas Daninhas na cultura do Algodoeiro
Plantas Daninhas na cultura do Algodoeiro
 
cultura do arroz slide simplificado
cultura do arroz slide simplificadocultura do arroz slide simplificado
cultura do arroz slide simplificado
 
Aula 1 curvas_de_nível
Aula 1 curvas_de_nívelAula 1 curvas_de_nível
Aula 1 curvas_de_nível
 
31929444 primeira-aula-de-fruticultura
31929444 primeira-aula-de-fruticultura31929444 primeira-aula-de-fruticultura
31929444 primeira-aula-de-fruticultura
 
Frutas De Caroço (1)
Frutas De Caroço (1)Frutas De Caroço (1)
Frutas De Caroço (1)
 
Cana de açúcar!
Cana de açúcar!Cana de açúcar!
Cana de açúcar!
 
FOLHAS
FOLHASFOLHAS
FOLHAS
 
Frutos e sementes
Frutos e sementesFrutos e sementes
Frutos e sementes
 
Aula_Cultura da manga.pdf
Aula_Cultura da manga.pdfAula_Cultura da manga.pdf
Aula_Cultura da manga.pdf
 
Apostila de enxertia
Apostila de enxertiaApostila de enxertia
Apostila de enxertia
 
Citrus de mesa
Citrus de mesaCitrus de mesa
Citrus de mesa
 
Enxertia
EnxertiaEnxertia
Enxertia
 
Técnica de propagação
Técnica de propagaçãoTécnica de propagação
Técnica de propagação
 

Viewers also liked

Rega das figueiras 1
Rega das figueiras 1Rega das figueiras 1
Rega das figueiras 1Armindo Rosa
 
CULTURA DO TOMATEIRO, EM PLACAS DE LÃ DE ROCHA, COM AQUECIMENTO DO SUBSTRATO
CULTURA DO TOMATEIRO, EM PLACAS DE LÃ DE ROCHA, COM AQUECIMENTO   DO SUBSTRATOCULTURA DO TOMATEIRO, EM PLACAS DE LÃ DE ROCHA, COM AQUECIMENTO   DO SUBSTRATO
CULTURA DO TOMATEIRO, EM PLACAS DE LÃ DE ROCHA, COM AQUECIMENTO DO SUBSTRATOArmindo Rosa
 
Cultura sem solo tomate
Cultura sem solo   tomateCultura sem solo   tomate
Cultura sem solo tomateArmindo Rosa
 
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...Armindo Rosa
 
Comparação da qualidade do tomate obtido segundo o modo de produção biológico...
Comparação da qualidade do tomate obtido segundo o modo de produção biológico...Comparação da qualidade do tomate obtido segundo o modo de produção biológico...
Comparação da qualidade do tomate obtido segundo o modo de produção biológico...Armindo Rosa
 
ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...Armindo Rosa
 
Folheto elementos climáticos nas estufa.
Folheto   elementos climáticos nas estufa.Folheto   elementos climáticos nas estufa.
Folheto elementos climáticos nas estufa.Armindo Rosa
 
Melancia em substrato de lã de rocha
Melancia em substrato de lã de rochaMelancia em substrato de lã de rocha
Melancia em substrato de lã de rochaArmindo Rosa
 
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...Armindo Rosa
 
Principais características das sete Coleções de fruteiras (Alfarrobeiras, Ame...
Principais características das sete Coleções de fruteiras (Alfarrobeiras, Ame...Principais características das sete Coleções de fruteiras (Alfarrobeiras, Ame...
Principais características das sete Coleções de fruteiras (Alfarrobeiras, Ame...Armindo Rosa
 
A cultura do figo
A cultura do figoA cultura do figo
A cultura do figoMagno Abreu
 
A cultura da figueira no algarve
A cultura da figueira no algarveA cultura da figueira no algarve
A cultura da figueira no algarveArmindo Rosa
 
GEADAS (Algumas práticas de luta contra as geadas)
GEADAS (Algumas práticas de luta contra as geadas)GEADAS (Algumas práticas de luta contra as geadas)
GEADAS (Algumas práticas de luta contra as geadas)Armindo Rosa
 
Estimativa de rega e fertilização para um pomar de alfarro…
Estimativa de rega e fertilização para um pomar de alfarro…Estimativa de rega e fertilização para um pomar de alfarro…
Estimativa de rega e fertilização para um pomar de alfarro…Armindo Rosa
 
Plano para recuperação de drenados
Plano para recuperação de drenadosPlano para recuperação de drenados
Plano para recuperação de drenadosArmindo Rosa
 
Estimativa de resíduos plásticos em agricultura na região do Algarve
Estimativa de resíduos plásticos em agricultura na região do AlgarveEstimativa de resíduos plásticos em agricultura na região do Algarve
Estimativa de resíduos plásticos em agricultura na região do AlgarveArmindo Rosa
 
CARACTERIZAÇÃO de ABÓBORA MENINA
CARACTERIZAÇÃO de ABÓBORA MENINACARACTERIZAÇÃO de ABÓBORA MENINA
CARACTERIZAÇÃO de ABÓBORA MENINAArmindo Rosa
 
Castas de Vinho e Mesa Existentes no CEAT
Castas de Vinho e Mesa Existentes no CEATCastas de Vinho e Mesa Existentes no CEAT
Castas de Vinho e Mesa Existentes no CEATArmindo Rosa
 
Preparação de compostos agro 282 j
Preparação de compostos agro 282 jPreparação de compostos agro 282 j
Preparação de compostos agro 282 jArmindo Rosa
 

Viewers also liked (20)

Rega das figueiras 1
Rega das figueiras 1Rega das figueiras 1
Rega das figueiras 1
 
Figueiras
Figueiras Figueiras
Figueiras
 
CULTURA DO TOMATEIRO, EM PLACAS DE LÃ DE ROCHA, COM AQUECIMENTO DO SUBSTRATO
CULTURA DO TOMATEIRO, EM PLACAS DE LÃ DE ROCHA, COM AQUECIMENTO   DO SUBSTRATOCULTURA DO TOMATEIRO, EM PLACAS DE LÃ DE ROCHA, COM AQUECIMENTO   DO SUBSTRATO
CULTURA DO TOMATEIRO, EM PLACAS DE LÃ DE ROCHA, COM AQUECIMENTO DO SUBSTRATO
 
Cultura sem solo tomate
Cultura sem solo   tomateCultura sem solo   tomate
Cultura sem solo tomate
 
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
 
Comparação da qualidade do tomate obtido segundo o modo de produção biológico...
Comparação da qualidade do tomate obtido segundo o modo de produção biológico...Comparação da qualidade do tomate obtido segundo o modo de produção biológico...
Comparação da qualidade do tomate obtido segundo o modo de produção biológico...
 
ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
 
Folheto elementos climáticos nas estufa.
Folheto   elementos climáticos nas estufa.Folheto   elementos climáticos nas estufa.
Folheto elementos climáticos nas estufa.
 
Melancia em substrato de lã de rocha
Melancia em substrato de lã de rochaMelancia em substrato de lã de rocha
Melancia em substrato de lã de rocha
 
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
 
Principais características das sete Coleções de fruteiras (Alfarrobeiras, Ame...
Principais características das sete Coleções de fruteiras (Alfarrobeiras, Ame...Principais características das sete Coleções de fruteiras (Alfarrobeiras, Ame...
Principais características das sete Coleções de fruteiras (Alfarrobeiras, Ame...
 
A cultura do figo
A cultura do figoA cultura do figo
A cultura do figo
 
A cultura da figueira no algarve
A cultura da figueira no algarveA cultura da figueira no algarve
A cultura da figueira no algarve
 
GEADAS (Algumas práticas de luta contra as geadas)
GEADAS (Algumas práticas de luta contra as geadas)GEADAS (Algumas práticas de luta contra as geadas)
GEADAS (Algumas práticas de luta contra as geadas)
 
Estimativa de rega e fertilização para um pomar de alfarro…
Estimativa de rega e fertilização para um pomar de alfarro…Estimativa de rega e fertilização para um pomar de alfarro…
Estimativa de rega e fertilização para um pomar de alfarro…
 
Plano para recuperação de drenados
Plano para recuperação de drenadosPlano para recuperação de drenados
Plano para recuperação de drenados
 
Estimativa de resíduos plásticos em agricultura na região do Algarve
Estimativa de resíduos plásticos em agricultura na região do AlgarveEstimativa de resíduos plásticos em agricultura na região do Algarve
Estimativa de resíduos plásticos em agricultura na região do Algarve
 
CARACTERIZAÇÃO de ABÓBORA MENINA
CARACTERIZAÇÃO de ABÓBORA MENINACARACTERIZAÇÃO de ABÓBORA MENINA
CARACTERIZAÇÃO de ABÓBORA MENINA
 
Castas de Vinho e Mesa Existentes no CEAT
Castas de Vinho e Mesa Existentes no CEATCastas de Vinho e Mesa Existentes no CEAT
Castas de Vinho e Mesa Existentes no CEAT
 
Preparação de compostos agro 282 j
Preparação de compostos agro 282 jPreparação de compostos agro 282 j
Preparação de compostos agro 282 j
 

Similar to Oliveiras fichas de caracterização

Aula Nativas do Brasil frutas naturais do pais
Aula Nativas do Brasil frutas naturais do paisAula Nativas do Brasil frutas naturais do pais
Aula Nativas do Brasil frutas naturais do paisGilsonRibeiroNachtig
 
Colecção de Figueiras do Algarve
Colecção de Figueiras do AlgarveColecção de Figueiras do Algarve
Colecção de Figueiras do AlgarveArmindo Rosa
 
Manual ident mudas_florestais
Manual ident mudas_florestaisManual ident mudas_florestais
Manual ident mudas_florestaisGustavo Moncorvo
 
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)Hawston Pedrosa
 
dendrologia Folha.pptx
dendrologia Folha.pptxdendrologia Folha.pptx
dendrologia Folha.pptxssuser6126cd
 
Apresentação agrofloresta
Apresentação agrofloresta Apresentação agrofloresta
Apresentação agrofloresta giovanamorais_
 
1 a planta_de_framboesa_morfologia_e_fisiologia_1369128264
1 a planta_de_framboesa_morfologia_e_fisiologia_13691282641 a planta_de_framboesa_morfologia_e_fisiologia_1369128264
1 a planta_de_framboesa_morfologia_e_fisiologia_1369128264Peças E Minas
 
aula_capitulo_2_aao_cv.pptx
aula_capitulo_2_aao_cv.pptxaula_capitulo_2_aao_cv.pptx
aula_capitulo_2_aao_cv.pptxAntonioSimoes25
 
Morfologia da flor agronomia
Morfologia da flor agronomiaMorfologia da flor agronomia
Morfologia da flor agronomiaHenrique Zini
 
1 - A planta de Framboesa - Morfologia e fisiologia.pdf
1 - A planta de  Framboesa - Morfologia e fisiologia.pdf1 - A planta de  Framboesa - Morfologia e fisiologia.pdf
1 - A planta de Framboesa - Morfologia e fisiologia.pdfPedroSilva845276
 

Similar to Oliveiras fichas de caracterização (13)

Aula Nativas do Brasil frutas naturais do pais
Aula Nativas do Brasil frutas naturais do paisAula Nativas do Brasil frutas naturais do pais
Aula Nativas do Brasil frutas naturais do pais
 
Colecção de Figueiras do Algarve
Colecção de Figueiras do AlgarveColecção de Figueiras do Algarve
Colecção de Figueiras do Algarve
 
Manual ident mudas_florestais
Manual ident mudas_florestaisManual ident mudas_florestais
Manual ident mudas_florestais
 
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
 
dendrologia Folha.pptx
dendrologia Folha.pptxdendrologia Folha.pptx
dendrologia Folha.pptx
 
Apresentação agrofloresta
Apresentação agrofloresta Apresentação agrofloresta
Apresentação agrofloresta
 
1 a planta_de_framboesa_morfologia_e_fisiologia_1369128264
1 a planta_de_framboesa_morfologia_e_fisiologia_13691282641 a planta_de_framboesa_morfologia_e_fisiologia_1369128264
1 a planta_de_framboesa_morfologia_e_fisiologia_1369128264
 
aula_capitulo_2_aao_cv.pptx
aula_capitulo_2_aao_cv.pptxaula_capitulo_2_aao_cv.pptx
aula_capitulo_2_aao_cv.pptx
 
Morfologia da flor agronomia
Morfologia da flor agronomiaMorfologia da flor agronomia
Morfologia da flor agronomia
 
Flores da caatinga
Flores da caatingaFlores da caatinga
Flores da caatinga
 
1 - A planta de Framboesa - Morfologia e fisiologia.pdf
1 - A planta de  Framboesa - Morfologia e fisiologia.pdf1 - A planta de  Framboesa - Morfologia e fisiologia.pdf
1 - A planta de Framboesa - Morfologia e fisiologia.pdf
 
Doc5
Doc5Doc5
Doc5
 
B.i. das plantas final
B.i. das plantas   finalB.i. das plantas   final
B.i. das plantas final
 

More from Armindo Rosa

Património varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do AlgarvePatrimónio varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do AlgarveArmindo Rosa
 
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...Armindo Rosa
 
Curiosidades - O Rendimento da Água na Rega das Culturas
Curiosidades - O Rendimento da Água na Rega das CulturasCuriosidades - O Rendimento da Água na Rega das Culturas
Curiosidades - O Rendimento da Água na Rega das CulturasArmindo Rosa
 
Colecções do CEAT em Tavira
Colecções do CEAT em TaviraColecções do CEAT em Tavira
Colecções do CEAT em TaviraArmindo Rosa
 
Contributo para o estudo taxonómico da espécie - FICUS CARICA, L.
Contributo para o estudo taxonómico da espécie - FICUS CARICA, L.Contributo para o estudo taxonómico da espécie - FICUS CARICA, L.
Contributo para o estudo taxonómico da espécie - FICUS CARICA, L.Armindo Rosa
 
Vinha - Colecção Ampelográfica do CEAT
Vinha - Colecção Ampelográfica do CEATVinha - Colecção Ampelográfica do CEAT
Vinha - Colecção Ampelográfica do CEATArmindo Rosa
 
Colecção de Amendoeiras do Algarve
Colecção de Amendoeiras do AlgarveColecção de Amendoeiras do Algarve
Colecção de Amendoeiras do AlgarveArmindo Rosa
 
Colecção de Alfarrobeiras do Algarve
Colecção de Alfarrobeiras do AlgarveColecção de Alfarrobeiras do Algarve
Colecção de Alfarrobeiras do AlgarveArmindo Rosa
 
Rega das Culturas / Uso <eficiente da Água
Rega das Culturas / Uso <eficiente da ÁguaRega das Culturas / Uso <eficiente da Água
Rega das Culturas / Uso <eficiente da ÁguaArmindo Rosa
 
Percurso sete fontes
Percurso sete fontesPercurso sete fontes
Percurso sete fontesArmindo Rosa
 
Percurso serra e montes
Percurso serra e montesPercurso serra e montes
Percurso serra e montesArmindo Rosa
 
Percurso amendoeira
Percurso amendoeiraPercurso amendoeira
Percurso amendoeiraArmindo Rosa
 
Relação Carbono / Azoto
Relação Carbono / AzotoRelação Carbono / Azoto
Relação Carbono / AzotoArmindo Rosa
 
Breve História Sobre a Evolução e Situação Actual da Cultura do Abacateiro no...
Breve História Sobre a Evolução e Situação Actual da Cultura do Abacateiro no...Breve História Sobre a Evolução e Situação Actual da Cultura do Abacateiro no...
Breve História Sobre a Evolução e Situação Actual da Cultura do Abacateiro no...Armindo Rosa
 
Mangas de Água na Produção de Melão Precoce
Mangas de Água na Produção de Melão PrecoceMangas de Água na Produção de Melão Precoce
Mangas de Água na Produção de Melão PrecoceArmindo Rosa
 
Folheto analise foliar no abacateiro
Folheto analise foliar no abacateiroFolheto analise foliar no abacateiro
Folheto analise foliar no abacateiroArmindo Rosa
 
Culturas sem solo com reutilização dos efluentes em estufa com controlo ambie...
Culturas sem solo com reutilização dos efluentes em estufa com controlo ambie...Culturas sem solo com reutilização dos efluentes em estufa com controlo ambie...
Culturas sem solo com reutilização dos efluentes em estufa com controlo ambie...Armindo Rosa
 
Reutilização dos efluentes e substratos alternativos em cultura sem solo de t...
Reutilização dos efluentes e substratos alternativos em cultura sem solo de t...Reutilização dos efluentes e substratos alternativos em cultura sem solo de t...
Reutilização dos efluentes e substratos alternativos em cultura sem solo de t...Armindo Rosa
 

More from Armindo Rosa (20)

Património varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do AlgarvePatrimónio varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do Algarve
 
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
 
Curiosidades - O Rendimento da Água na Rega das Culturas
Curiosidades - O Rendimento da Água na Rega das CulturasCuriosidades - O Rendimento da Água na Rega das Culturas
Curiosidades - O Rendimento da Água na Rega das Culturas
 
Colecções do CEAT em Tavira
Colecções do CEAT em TaviraColecções do CEAT em Tavira
Colecções do CEAT em Tavira
 
Contributo para o estudo taxonómico da espécie - FICUS CARICA, L.
Contributo para o estudo taxonómico da espécie - FICUS CARICA, L.Contributo para o estudo taxonómico da espécie - FICUS CARICA, L.
Contributo para o estudo taxonómico da espécie - FICUS CARICA, L.
 
Norte / Sul
Norte  /  SulNorte  /  Sul
Norte / Sul
 
Vinha - Colecção Ampelográfica do CEAT
Vinha - Colecção Ampelográfica do CEATVinha - Colecção Ampelográfica do CEAT
Vinha - Colecção Ampelográfica do CEAT
 
Colecção de Amendoeiras do Algarve
Colecção de Amendoeiras do AlgarveColecção de Amendoeiras do Algarve
Colecção de Amendoeiras do Algarve
 
Colecção de Alfarrobeiras do Algarve
Colecção de Alfarrobeiras do AlgarveColecção de Alfarrobeiras do Algarve
Colecção de Alfarrobeiras do Algarve
 
Rega das Culturas / Uso <eficiente da Água
Rega das Culturas / Uso <eficiente da ÁguaRega das Culturas / Uso <eficiente da Água
Rega das Culturas / Uso <eficiente da Água
 
Percurso sete fontes
Percurso sete fontesPercurso sete fontes
Percurso sete fontes
 
Percurso serra e montes
Percurso serra e montesPercurso serra e montes
Percurso serra e montes
 
Percurso amendoeira
Percurso amendoeiraPercurso amendoeira
Percurso amendoeira
 
Relação Carbono / Azoto
Relação Carbono / AzotoRelação Carbono / Azoto
Relação Carbono / Azoto
 
Breve História Sobre a Evolução e Situação Actual da Cultura do Abacateiro no...
Breve História Sobre a Evolução e Situação Actual da Cultura do Abacateiro no...Breve História Sobre a Evolução e Situação Actual da Cultura do Abacateiro no...
Breve História Sobre a Evolução e Situação Actual da Cultura do Abacateiro no...
 
Mangas de Água na Produção de Melão Precoce
Mangas de Água na Produção de Melão PrecoceMangas de Água na Produção de Melão Precoce
Mangas de Água na Produção de Melão Precoce
 
Fertirrega
Fertirrega Fertirrega
Fertirrega
 
Folheto analise foliar no abacateiro
Folheto analise foliar no abacateiroFolheto analise foliar no abacateiro
Folheto analise foliar no abacateiro
 
Culturas sem solo com reutilização dos efluentes em estufa com controlo ambie...
Culturas sem solo com reutilização dos efluentes em estufa com controlo ambie...Culturas sem solo com reutilização dos efluentes em estufa com controlo ambie...
Culturas sem solo com reutilização dos efluentes em estufa com controlo ambie...
 
Reutilização dos efluentes e substratos alternativos em cultura sem solo de t...
Reutilização dos efluentes e substratos alternativos em cultura sem solo de t...Reutilização dos efluentes e substratos alternativos em cultura sem solo de t...
Reutilização dos efluentes e substratos alternativos em cultura sem solo de t...
 

Oliveiras fichas de caracterização

  • 1. OLIVEIRA OliveiraOliveira (Fichas de caracterização )(Fichas de caracterização ) •• 11 variedades da colecção instalada no11 variedades da colecção instalada no Centro de Experimentação Agrária de TaviraCentro de Experimentação Agrária de Tavira •• 2 tipos de Maçanilha da região2 tipos de Maçanilha da região João M. G. CostaJoão M. G. Costa Armindo J. G. RosaArmindo J. G. Rosa (2013/2014)(2013/2014)
  • 2.
  • 3. Nota introdutória A oliveira (Olea europaea L.), árvore de longa vida da família Oleaceae, pode considerar-se originária da área do mediterrâneo oriental. Componente insubstituível de todas as paisagens de influência marcadamente mediterrânica, em Portugal a sua cultura estende-se do Minho ao Algarve com produções viradas quer para a produção de azeitona para consumo em fresco ou conserva, quer para a produção de azeite. No Algarve é uma das espécies que compõem o pomar tradicional de sequeiro, sistema cultural que ao longo de tempos remotos assumiu importância primordial na manutenção do rendimento dos agregados familiares dos agricultores do litoral, barrocal e beira serra. Desde sempre a Maçanilha foi a variedade mas representativa e cultivada no Algarve. No sentido de dar resposta a questões colocadas por algumas organizações de desenvolvimento local e observar o comportamento de outras variedades quer adaptadas à produção de azeitona para fresco, quer para dupla aptidão, foi instalado no ano de 2005, no Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT), um ensaio com onze variedades segundo o compasso de 7 x 4, 5 m. O documento que ora se apresenta, resultado de observações e registos efectuados e corolário de objectivos propostos para os anos de 2013 e 2014, procura divulgar e dar a conhecer no que respeita à caracterização das plantas, frutos e caroços, e tendo como referência as normas da UPOV, as características das variedades componentes da colecção do CEAT, bem como as de dois tipos de Maçanilha bastante vulgares e com grande importância por toda a região algarvia
  • 4.
  • 5. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Carrasquenha Frutos Folhas Flores Caroços
  • 6. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade de produção regular, médio vigor e ramos abertos, com folhas elíptico lanceoladas, verdes na face, acinzentadas no invés. Fruto grande, ovóide, violeta escuro, de maturação tardia. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Carrasquenha Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – médio 5 Porte dos ramos – abertos 5 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1 Comprimento dos entrenós – curtos 3 Razão comprimento / largura – longa e larga 4 Forma – elíptico lanceolada 2 Brilho – presente 9 Cor da página superior – verde 1 Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2 Torcimento da folha (torção) – presente 9 Folhas anormais – presente 9 Forma (posição A) – elíptico 2 Forma (posição B) – elíptico 2 Simetria (posição A) – muito assimétrico 3 Simetria (posição B) – simétrico 1 Forma em secção transversal – circular 1 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – marcados 7 Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – presente 9 Base (posição A) – truncado 3 Base (posição B) – arredondado 2 Nitidez da sutura – média 5 Curvatura da sutura – presente 9 Tamanho – médio 5 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – tardia 7 Estrutura (comprimento / nº de flores) – longa e compacta 3 Ramificações – fracas 3 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5 Fruto Época de maturação – tardia 7 Tamanho – grande (4.5 a 7.5g) 7 Forma – ovóide 4 Cor – violeta escuro 1 Nitidez do manchado – média 5 Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2 Simetria (posição B) – simétrico 1 Posição da largura máxima – central 2 Forma do ápice (posição A) – agudo 1 Forma do ápice (posição B) – agudo 1 Mucrão – presente 9 Forma da base (posição A) – truncada 2 Forma da base (posição B) – truncada 2 Largura da cavidade peduncular – média 5 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – média 5 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 7. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Cornuzuelo Frutos Folhas Flores Caroços
  • 8. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade de média produção, fraco vigor e ramos erectos, com folhas elíptico lanceoladas, verdes na face , acinzentadas no invés. Fruto muito grande, alongado, violeta escuro, de maturação média. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Cornuzuelo Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – fraco 3 Porte dos ramos – erectos 3 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1 Comprimento dos entrenós – curtos 3 Razão comprimento / largura – longa e estreita 3 Forma – elíptico lanceolada 2 Brilho – ausente 1 Cor da página superior – verde 1 Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2 Torcimento da folha (torção) – ausente 1 Folhas anormais – ausente 1 Forma (posição A) – alongado 1 Forma (posição B) – alongado 1 Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2 Simetria (posição B) – muito assimétrico 3 Forma em secção transversal – circular 1 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – ausentes ou muito fracos 1 Distribuição dos sulcos – abaixo do ápice 2 Distribuição dos sulcos na base – irregulares 2 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – presente 9 Base (posição A) – agudo 1 Base (posição B) – agudo 1 Nitidez da sutura – fraca 3 Curvatura da sutura – presente 9 Tamanho – grande 7 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – média 5 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – fracas 3 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – pequenos 3 Fruto Época de maturação – média 5 Tamanho – muito grande (>7.5g) 9 Forma – alongado 1 Cor – violeta escuro 1 Nitidez do manchado – fraca 3 Simetria (posição A) – fortemente assimétrico 3 Simetria (posição B) – simétrico 1 Posição da largura máxima – central 2 Forma do ápice (posição A) – agudo 1 Forma do ápice (posição B) – agudo 1 Mucrão – presente 9 Forma da base (posição A) – truncada 2 Forma da base (posição B) – truncada 2 Largura da cavidade peduncular – larga 7 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 9. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Redondil Frutos Folhas Flores Caroços
  • 10. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade de regular produção, forte vigor e ramos abertos, com folhas elíptico lanceoladas, verdes na face, cinzento esverdeadas no invés. Fruto grande, esférico, negro, de maturação média. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Redondil Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – forte 7 Porte dos ramos – abertos 5 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – cinzento claro 2 Comprimento dos entrenós – médios 5 Razão comprimento / largura – curta e estreita 1 Forma – elíptico lanceolada 2 Brilho – ausente 1 Cor da página superior – verde 1 Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2 Torcimento da folha (torção) – ausente 1 Folhas anormais – ausente 1 Forma (posição A) – obovado 3 Forma (posição B) – obovado 3 Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2 Simetria (posição B) – simétrico 1 Forma em secção transversal – elíptico 2 Posição da maior largura – junto ao ápice 3 Sulcos no caroço – médios 5 Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – presente 9 Base (posição A) – agudo 1 Base (posição B) – agudo 1 Nitidez da sutura – fraca 3 Curvatura da sutura – ausente 1 Tamanho – pequeno 3 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – precoce 3 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – forte 7 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5 Fruto Época de maturação – média 5 Tamanho – grande (4.5 a 7.5g) 7 Forma – esférica 5 Cor – negro 2 Nitidez do manchado – fraca 3 Simetria (posição A) – simétrico 1 Simetria (posição B) – simétrico 1 Posição da largura máxima – central 2 Forma do ápice (posição A) – arredondado 2 Forma do ápice (posição B) – arredondado 2 Mucrão – ausente 1 Forma da base (posição A) – truncada 2 Forma da base (posição B) – truncada 2 Largura da cavidade peduncular – larga 7 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 11. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Azeiteira Frutos Folhas Flores Caroços
  • 12. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade de regular produção, fraco vigor e ramos erectos, com folhagem lanceolada, verde na face, acinzentada no invés. Fruto grande, com tendência a rachar, ovóide, violeta escuro, negro quando completamente maduro, de média maturação. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Azeiteira Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – fraco 3 Porte dos ramos – erectos 3 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – cinzento claro 2 Comprimento dos entrenós – curtos 3 Razão comprimento / largura – curta e estreita 1 Forma – lanceolada 1 Brilho – ausente 1 Cor da página superior – verde 1 Cor da página inferior – verde acinzentado 1 Torcimento da folha (torção) – ausente 1 Folhas anormais – ausente 1 Forma (posição A) – elíptico 2 Forma (posição B) – elíptico 2 Simetria (posição A) – muito assimétrico 3 Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2 Forma em secção transversal – elíptico 2 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – médios 5 Distribuição dos sulcos – abaixo do ápice 2 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – presente 9 Base (posição A) – truncado 3 Base (posição B) – truncado 3 Nitidez da sutura – média 5 Curvatura da sutura – ausente 1 Tamanho – pequeno 3 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – média 5 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – médias 5 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5 Fruto Época de maturação – média 5 Tamanho – grande (4.5 a 7.5g) 7 Forma – ovóide 4 Cor – negro 2 Nitidez do manchado – fraca 3 Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2 Simetria (posição B) – simétrico 1 Posição da largura máxima – junto à base 1 Forma do ápice (posição A) – agudo 1 Forma do ápice (posição B) – agudo 1 Mucrão – presente 9 Forma da base (posição A) – truncada 2 Forma da base (posição B) – truncada 2 Largura da cavidade peduncular – média 5 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 13. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Galega Frutos Folhas Flores Caroços
  • 14. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade produtiva, de forte vigor e ramos abertos, com folhagem de forma elíptica lanceolada, verde na face , acinzentada no invés. Fruto de tamanho médio, elíptico, negro, de média maturação. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Galega Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – forte 7 Porte dos ramos – abertos 5 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – cinzento claro 2 Comprimento dos entrenós – médios 5 Razão comprimento / largura – longa e larga 4 Forma – elíptica 3 Brilho – presente 9 Cor da página superior – verde 1 Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2 Torcimento da folha (torção) – presente 9 Folhas anormais – presente 9 Forma (posição A) – elíptico 2 Forma (posição B) – elíptico 2 Simetria (posição A) – muito assimétrico 3 Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2 Forma em secção transversal – circular 1 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – fracos 3 Distribuição dos sulcos – abaixo do ápice 2 Distribuição dos sulcos na base – irregulares 2 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – ausente 1 Base (posição A) – agudo 1 Base (posição B) – agudo 1 Nitidez da sutura – fraca 3 Curvatura da sutura – ausente 1 Tamanho – pequeno 3 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – média 5 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e compacta 1 Ramificações – médias 5 Flores axilares (flores supranumerárias) – presentes 9 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – pequenos 3 Fruto Época de maturação – média 5 Tamanho – médio (2.5 a 4.5 g) 5 Forma – elíptico 2 Cor – negro 2 Nitidez do manchado – fraca 3 Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2 Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2 Posição da largura máxima – central 2 Forma do ápice (posição A) – agudo 1 Forma do ápice (posição B) – agudo 1 Mucrão – presente 9 Forma da base (posição A) – truncada 2 Forma da base (posição B) – truncada 2 Largura da cavidade peduncular – média 5 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – pouco profunda 3 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 15. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Conserva de Elvas Folhas Flores Caroços Frutos
  • 16. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade de regular produção, médio vigor e ramos abertos, com folhas elípticas, verde escuras na face , acinzentadas no invés. Fruto muito grande, ovóide, violeta escuro, de maturação média. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Conserva de Elvas Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – médio 5 Porte dos ramos – abertos 5 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1 Comprimento dos entrenós – curtos 3 Razão comprimento / largura – curta e estreita 1 Forma – elíptico lanceolada 2 Brilho – presente 9 Cor da página superior – verde 1 Cor da página inferior – verde acinzentado 1 Torcimento da folha (torção) – ausente 1 Folhas anormais – ausente 1 Forma (posição A) – alongado 1 Forma (posição B) – alongado 1 Simetria (posição A) – muito assimétrico 3 Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2 Forma em secção transversal – circular 1 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – muito marcados 9 Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – presente 1 Base (posição A) – agudo 1 Base (posição B) – agudo 1 Nitidez da sutura – média 5 Curvatura da sutura – ausente 1 Tamanho – grande 7 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa, e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – média 5 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – médias 5 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5 Fruto Época de maturação – média 5 Tamanho – muito grande (> 7.5 g) 9 Forma – ovoide 4 Cor – violeta escuro 1 Nitidez do manchado – média 5 Simetria (posição A) – fortemente assimétrico 3 Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2 Posição da largura máxima – junto ao ápice 3 Forma do ápice (posição A) – agudo 1 Forma do ápice (posição B) – agudo 1 Mucrão – presente 9 Forma da base (posição A) – arredondada 1 Forma da base (posição B) – arredondada 1 Largura da cavidade peduncular – média 5 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – elíptica 2 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 17. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Maçanilha Folhas Flores Caroços Frutos
  • 18. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade produtiva, de médio vigor e ramos abertos, com folhas elípticas, verdes na face, acinzentadas no invés. Fruto grande, ovóide, negro, de maturação média. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Maçanilha Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – médio 5 Porte dos ramos – abertos 5 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1 Comprimento dos entrenós – médios 5 Razão comprimento / largura – longa e larga 4 Forma – elíptica 3 Brilho – presente 9 Cor da página superior – verde escuro 2 Cor da página inferior – verde esverdeado 2 Torcimento da folha (torção) – ausente 1 Folhas anormais – ausente 1 Forma (posição A) – obovado 3 Forma (posição B) – obovado 3 Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2 Simetria (posição B) – simétrico 1 Forma em secção transversal – circular 1 Posição da maior largura – junto ao ápice 3 Sulcos no caroço – médios 5 Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – ausente 1 Base (posição A) – arredondado 2 Base (posição B) – truncado 3 Nitidez da sutura – média 5 Curvatura da sutura – ausente 1 Tamanho – pequeno 3 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – média 5 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – forte 7 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5 Fruto Época de maturação – média 5 Tamanho – grande (4.5 a 7.5 g) 7 Forma – ovóide 4 Cor – negra 2 Nitidez do manchado – fraca 3 Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2 Simetria (posição B) – simétrico 1 Posição da largura máxima – central 2 Forma do ápice (posição A) – arredondado 2 Forma do ápice (posição B) – arredondado 2 Mucrão – ausente 1 Forma da base (posição A) – truncada 2 Forma da base (posição B) – truncada 2 Largura da cavidade peduncular – média 5 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 19. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Cobrançosa Frutos Folhas Flores Caroços
  • 20. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade muito produtiva, de médio vigor e ramos erectos, com folhas elíptico lanceoladas, verde escuras na face , acinzentadas no invés. Fruto grande, globoso, negro, de maturação média. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Cobrançosa Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – médio 5 Porte dos ramos – erectos 3 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1 Comprimento dos entrenós – longos 7 Razão comprimento / largura – curta e estreita 1 Forma – elíptico lanceolada 2 Brilho – presente 9 Cor da página superior – verde escuro 2 Cor da página inferior – verde acinzentado 1 Torcimento da folha (torção) – ausente 1 Folhas anormais – presente 9 Forma (posição A) – alongado 1 Forma (posição B) – alongado 1 Simetria (posição A) – muito assimétrico 3 Simetria (posição B) – simétrico 1 Forma em secção transversal – circular 1 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – médios 5 Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – ausente 1 Base (posição A) – agudo 1 Base (posição B) – agudo 1 Nitidez da sutura – média 5 Curvatura da sutura – ausente 1 Tamanho – médio 5 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – média 5 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – fracas 3 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – pequenos 3 Fruto Época de maturação – média 5 Tamanho – grande ( 4.5 a 7.5 g) 7 Forma – globoso 3 Cor – negro 2 Nitidez do manchado – fraca 3 Simetria (posição A) – ligeiramente assimétrico 2 Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2 Posição da largura máxima – central 2 Forma do ápice (posição A) – agudo 1 Forma do ápice (posição B) – agudo 1 Mucrão – presente 9 Forma da base (posição A) – truncada 2 Forma da base (posição B) – truncada 2 Largura da cavidade peduncular – média 5 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 21. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Maçanilha de Tavira Frutos Folhas Flores Caroços
  • 22. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade muito produtiva, de médio vigor e ramos caídos, com folhas lanceoladas, verde escuras na face , acinzentadas no invés. Fruto muito grande, esférico, verde, de maturação média. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Maçanilha de Tavira Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – médio 5 Porte dos ramos – caídos 7 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1 Comprimento dos entrenós – curtos 3 Razão comprimento / largura – curta e estreita 1 Forma – lanceolada 1 Brilho – presente 9 Cor da página superior – verde escuro 2 Cor da página inferior – verde esverdeado 2 Torcimento da folha (torção) – presente 9 Folhas anormais – presente 9 Forma (posição A) – obovado 3 Forma (posição B) – elítico 2 Simetria (posição A) – simétrico 1 Simetria (posição B) – simétrico 1 Forma em secção transversal – circular 1 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – marcados 7 Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – ausente 1 Base (posição A) – arredondado 2 Base (posição B) – arredondado 2 Nitidez da sutura – média 5 Curvatura da sutura – ausente 1 Tamanho – grande 7 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – precoce 3 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – fracas 3 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – grandes 7 Fruto Época de maturação – média 5 Tamanho – muito grande (> 7.5 g) 9 Forma – esférica 5 Cor – verde 3 Nitidez do manchado – fraca 3 Simetria (posição A) – simétrico 1 Simetria (posição B) – simétrico 1 Posição da largura máxima – central 2 Forma do ápice (posição A) – arredondado 2 Forma do ápice (posição B) – arredondado 2 Mucrão – ausente 1 Forma da base (posição A) – truncada 2 Forma da base (posição B) – truncada 2 Largura da cavidade peduncular – larga 7 Forma da cavidade peduncular – elíptica 2 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 23. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Picual Frutos Folhas Flores Caroços
  • 24. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade produtiva, de fraco vigor e ramos abertos, com folhas lanceoladas, verdes na face , cinzento esverdeadas no invés. Fruto grande, alongado, violeta escuro, de maturação média. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Picual Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – fraco 3 Porte dos ramos – abertos 5 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – cinzento claro 2 Comprimento dos entrenós – curtos 3 Razão comprimento / largura – curta e estreita 1 Forma – elíptico lanceolada 2 Brilho – presente 9 Cor da página superior – verde escuro 2 Cor da página inferior – verde esverdeado 2 Torcimento da folha (torção) – presente 9 Folhas anormais – presente 9 Forma (posição A) – alongado 1 Forma (posição B) – alongado 1 Simetria (posição A) – muito assimétrico 3 Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2 Forma em secção transversal – elíptico 2 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – médios 5 Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – ausente 1 Base (posição A) – truncado 3 Base (posição B) – truncado 3 Nitidez da sutura – média 5 Curvatura da sutura – ausente 1 Tamanho – médio 5 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – média 5 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – fracas 3 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – pequenos 3 Fruto Época de maturação – precoce 3 Tamanho – grande (4.5 a 7.5 g) 7 Forma – alongado 1 Cor – negro 2 Nitidez do manchado – forte 7 Simetria (posição A) – fortemente assimétrico 3 Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2 Posição da largura máxima – central 2 Forma do ápice (posição A) – agudo 1 Forma do ápice (posição B) – agudo 1 Mucrão – presente 9 Forma da base (posição A) – truncada 2 Forma da base (posição B) – truncada 2 Largura da cavidade peduncular – média 5 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 25. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Cordovil Frutos Folhas Flores Caroços
  • 26. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade produtiva, de fraco vigor e ramos erectos, com folhas elíptico lanceoladas, verde escuras, na face e acinzentada no invés. Fruto grande, ovóide, violeta escuro a negro, de maturação média. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) Período de Caracterização – 2013 / 2014 Cordovil Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – fraco 3 Porte dos ramos – erectos 3 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – cinzento claro 2 Comprimento dos entrenós – curtos 3 Razão comprimento / largura – curta e estreita 1 Forma – elíptica 3 Brilho – presente 9 Cor da página superior – verde escuro 2 Cor da página inferior – verde esverdeado 2 Torcimento da folha (torção) – ausente 1 Folhas anormais – ausente 1 Forma (posição A) – obovado 3 Forma (posição B) – obovado 3 Simetria (posição A) – muito assimétrico 3 Simetria (posição B) – simétrico 1 Forma em secção transversal – circular 1 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – médios 5 Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – ausente 1 Base (posição A) – truncado 3 Base (posição B) – truncado 3 Nitidez da sutura – média 5 Curvatura da sutura – ausente 1 Tamanho – médio 5 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – precoce 3 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – médias 5 Flores axilares (flores supranumerárias) – presentes 9 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5 Fruto Época de maturação – precoce 3 Tamanho – grande (4.5 a 7.5 g) 7 Forma – ovoide 4 Cor – negro 2 Nitidez do manchado – fraca 3 Simetria (posição A) – fortemente assimétrico 3 Simetria (posição B) – ligeiramente assimétrico 2 Posição da largura máxima – junto ao ápice 3 Forma do ápice (posição A) – arredondado 2 Forma do ápice (posição B) – arredondado 2 Mucrão – ausente 1 Forma da base (posição A) – truncada 2 Forma da base (posição B) – truncada 2 Largura da cavidade peduncular – média 5 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 27. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Maçanilha encarnada Frutos Folhas Flores Caroços
  • 28. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade muito produtiva, de médio vigor e ramos abertos, com folhas lanceoladas, verde escuras na face , acinzentadas no invés. Fruto muito grande, esférico, violeta escuro, de maturação média. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Nave dos Cordeiros / Benafim Período de Caracterização – 2013 / 2014 Maçanilha encarnada Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – médio 5 Porte dos ramos – abertos 5 Densidade de ramos – médios 5 Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1 Comprimento dos entrenós – médios 5 Razão comprimento / largura – curta e estreita 1 Forma – lanceolada 1 Brilho – presente 9 Cor da página superior – verde escuro 2 Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2 Torcimento da folha (torção) – presente 9 Folhas anormais – presente 9 Forma (posição A) – obovado 3 Forma (posição B) – obovado 3 Simetria (posição A) – simétrico 1 Simetria (posição B) – muito assimétrico 3 Forma em secção transversal – elíptico 2 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – marcados 7 Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – presente 9 Base (posição A) – arredondado 2 Base (posição B) – arredondado 2 Nitidez da sutura – média 5 Curvatura da sutura – presente 9 Tamanho – grande 7 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – média 5 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – fracas 3 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – médios 5 Fruto Época de maturação – média 5 Tamanho – muito grande (>7.5g) 9 Forma – esférica 5 Cor – violeta escuro 1 Nitidez do manchado – média 5 Simetria (posição A) – simétrico 1 Simetria (posição B) – simétrico 1 Posição da largura máxima – central 2 Forma do ápice (posição A) – arredondado 2 Forma do ápice (posição B) – arredondado 2 Mucrão – ausente 1 Forma da base (posição A) – arredondada 1 Forma da base (posição B) – com depressão 3 Largura da cavidade peduncular – média 5 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 29. OLIVEIRA Ficha de Caracterização – Oliveira Maçanilha branca Frutos Folhas Caroços Flores
  • 30. OLIVEIRA Árvore DGPC Caroço DGPC Folha APRECIAÇÃO GLOBAL Variedade muito produtiva, de forte vigor e ramos caídos, com folhas elíptico lanceoladas, verde escuras na face, acinzentadas no invés. Fruto grande, esférico, verde, de média maturação. Caracterização realizada com base nos seguintes documentos: Descritores adoptados pela DGPC Origem do material – Nave dos Cordeiros / Benafim Período de Caracterização – 2013 / 2014 Maçanilha branca Quadro de Caracteres Morfológicos Vigor – forte 7 Porte dos ramos – caídos 7 Densidade de ramos – compactos 7 Cor do ramo frutífero – verde acinzentado 1 Comprimento dos entrenós – médios 5 Razão comprimento / largura – longa e estreita 3 Forma – elíptico lanceolada 2 Brilho – presente 9 Cor da página superior – verde escuro 2 Cor da página inferior – cinzento esverdeado 2 Torcimento da folha (torção) – presente 9 Folhas anormais – presente 9 Forma (posição A) – obovado 3 Forma (posição B) – obovado 3 Simetria (posição A) – simétrico 1 Simetria (posição B) – muito assimétrico 3 Forma em secção transversal – elíptico 2 Posição da maior largura – central 2 Sulcos no caroço – marcados 7 Distribuição dos sulcos – até ao ápice 1 Distribuição dos sulcos na base – regulares 1 Forma da ponta distal (posição A) – aguda 1 Forma da ponta distal (posição B) – aguda 1 Mucrão – presente 9 Base (posição A) – arredondado 2 Base (posição B) – arredondado 2 Nitidez da sutura – média 5 Curvatura da sutura – presente 9 Tamanho – grande 7 Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa Inflorescência Época de floração – média 5 Estrutura (comprimento / nº de flores) – curta e esparsa 2 Ramificações – fracas 3 Flores axilares (flores supranumerárias) – ausentes 1 Tamanho dos botões (antes da abertura da flor) – grandes 7 Fruto Época de maturação – média 5 Tamanho – grande (4.5 a 7.5g) 7 Forma – esférica 5 Cor – verde 3 Nitidez do manchado – fraca 3 Simetria (posição A) – simétrico 1 Simetria (posição B) – simétrico 1 Posição da largura máxima – central 2 Forma do ápice (posição A) – arredondado 2 Forma do ápice (posição B) – arredondado 2 Mucrão – ausente 1 Forma da base (posição A) – arredondada 1 Forma da base (posição B) – arredondada 1 Largura da cavidade peduncular – média 5 Forma da cavidade peduncular – circular 1 Profundidade da cavidade peduncular – profunda 7 Forma em secção transversal – circular 1 Ano - 2014 Nota: - A posição A e B são definidas para o fruto e para o caroço, sendo a posição A aquela em que se verifica maior assimetria do fruto ou caroço, estando virada para o observado, e a posição B deriva da A por uma rotação de 90º ao longo do eixo longitudinal.
  • 31.
  • 32. OLIVEIRA Entidades Responsáveis pela Caracterização – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPALG) Técnicos responsáveis pela caracterização e elaboração de fichas: João Costa e Armindo Rosa Ano - 2013 / 2014