Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Esquemas sintese cantigas_amigo

32,339 views

Published on

.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Esquemas sintese cantigas_amigo

  1. 1. Esquemas-síntese das cantigas de amigo
  2. 2. I. «Sedia-m’eu na ermida de San Simon», Meendinho (p. 24)
  3. 3. Cantiga de amigo narrativa: a ida à ermida. Personagens • A amiga • O amigo (ausente) Ação A amiga aguarda a chegada do amigo. Ele não chega, e a maré sobe Tempo A duração da subida da maré Espaço • A ermida de San Simon, situada numa ilha • Ondas do mar
  4. 4. Estado de espírito do sujeito poético: a donzela em progressivo sofrimento. Ansiosa Aguarda o seu amigo, que não aparece O mar sobe; não há barqueiro para a ajudar; não sabe remar Desesperada Morrerá «fremosa» no alto mar Nervosa
  5. 5. Papel da Natureza: o perigoso cenário das ondas do mar que rodeiam a amiga. • Põe a vida da amiga em risco • Impede o encontro do par amoroso • Propicia a «morte» da amiga Mar Cenário: os elementos contribuem para o isolamento da donzela. Mar Ilhéu Ermida Donzela
  6. 6. Tempos verbais: Pretérito Causas da situação atual Problema enfrentado no momento de enunciação Futuro Desenlace da situação: morte Presente/gerúndio
  7. 7. II. «Ai flores, ai flores do verde pino», D. Dinis (p. 28)
  8. 8. Cantiga de amigo dialogada: pedido angustiado às flores do verde pino. Personagens • A amiga • A Natureza (flores do verde pino) Ação A amiga questiona as flores sobre o estado e o paradeiro do seu amigo. As flores asseguram-na de que o amigo está bem e que chegará no prazo combinado Estrutura Cantiga paralelística perfeita: unidade central — dístico • último verso de cada estrofe é repetido no primeiro verso da estrofe correspondente no dístico seguinte • técnica de leixa-pren: repetição parcial ou integral de versos
  9. 9. Ai flores, ai flores do verde pino, se sabedes novas do meu amigo! Ai Deus, e u é? Ai flores, ai flores do verde ramo, se sabedes novas do meu amado! Ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amigo, aquel que mentiu do que pôs comigo! Ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amado, aquel que mentiu do que mi á jurado! Ai Deus, e u é? Ai flores, ai flores do verde pino, se sabedes novas do meu amigo! Ai Deus, e u é? Ai flores, ai flores do verde ramo, se sabedes novas do meu amado! Ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amigo, aquel que mentiu do que pôs comigo! Ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amado, aquel que mentiu do que mi á jurado! Ai Deus, e u é? A donzela dirige-se às flores do verde pinho: • pede-lhes notícias do seu amigo • acusa o amigo de lhe ter mentido e de não cumprir a promessa de se encontrar com ela Resposta das flores do verde pinho: • confirmam que o amigo está bem • asseguram-lhe que o amigo cumprirá a sua promessa e estará com ela como combinou
  10. 10. Estado de espírito do sujeito poético: a donzela sofrimento por não ter notícias do seu amigo. Ansiosa/insegura Refrão interrogativo Apóstrofe à Natureza com uso da interjeição «Ai» repetida ao longo da cantiga Furiosa Frases de tipo exclamativo Angustiada/saudosa
  11. 11. Refrão da cantiga «Ai Deus, e u é?» — apóstrofe interrogativa à divindade. • Demonstra a ansiedade da donzela. • Intensifica as emoções da donzela. • Tempo primaveril; fertilidade • Juventude • Sentimento entre a donzela e o amigo Simbologia das flores do verde pino Papel da Natureza: confidente da donzela/tranquiliza a donzela/confirma a lealdade do amigo junto da donzela.
  12. 12. III. «Bailemos nós já todas três, ai amigas», Airas Nunes (p. 30)
  13. 13. Ambiente primaveril Árvores em flor Relação de proximidade: Amigas Irmanas Cantiga de amigo (bailia): convite às amigas; desejo de ir dançar. Personagens Três amigas A donzela incita as amigas a bailar Espaço Campestre: • Debaixo das avelaneiras • Debaixo das avelãs • Debaixo do ramo florido Ação Simbologia do número 3: Perfeição Harmonia Consequência: as donzelas belas e apaixonadas dançarão como elas
  14. 14. Estado de espírito do sujeito poético: a donzela tenta convencer as suas amigas a dançarem com ela. Alegre ConfianteSegura Discurso persuasivo Participar no ritual da dança Convencer as amigas a dançar 1. Ser bela como as três amigas 2. Amar alguém Outras donzelas bailarão: o ritual cumprir-se-á Intenção Ação Condição Consequência
  15. 15. Caracterização das três amigas no discurso do sujeito poético: autoelogio. Repetição das expressões positivas: beleza e formosura «quem for velida como nós» «quem for louçana como nós» «quem bem parecer como nós parecemos» Características formais: estrutura paralelística com refrão intercalado.
  16. 16. IV. «Levad’, amigo, que dormides as manhanas frias», Nuno Fernandes Torneol (p. 34)
  17. 17. Cantiga de amigo, de temática semelhante à do género alba: a separação dos amantes. Personagens • Locutor: a amiga • Destinatário: o amigo • Testemunha: as aves 1. A donzela alerta o amigo para a chegada da manhã 2. As aves celebram o seu amor 3. O amigo partiu os ramos em que as aves celebrantes pousavam 4. O amigo secou as fontes que as aves celebrantes usavam Espaço Cenário do idílio amoroso: • Manhã • Canto dos pássaros • Ramos das árvores • Fontes Ação • A donzela alerta o amigo para a chegada da manhã. • A separação dos amantes é acompanhada por mudanças na Natureza.
  18. 18. Transformação na Natureza == evolução da relação amorosa Estrutura da cantiga: Coplas 1-4 Ambiente idílico, afetivo: a donzela acorda o amigo / a certeza de ser amada Tempo presente: verbos no presente e no imperfeito do modo indicativo; modo imperativo 1.ª parte Harmonia Mensageiro da manhã Assunto do canto: amor Canto das aves Coplas 5-8 Ambiente desagradável, penoso Destruição dos símbolos da harmonia amorosa pelo amigo Situação passada e que já não existe: verbos no perfeito do indicativo2.ª parte Rutura O amigo corta os ramos em que as aves pousavam O amigo seca as fontes em que as aves bebiam Canto das aves termina porque
  19. 19. Simbologia do refrão: Características formais: cantiga paralelística perfeita. • Coplas 1 a 4: alegria da donzela. • Coplas 5 a 8: antítese entre a tristeza descrita nos versos e a alegria apresentada no refrão. São idênticos, em intervalos de cinco, os versos 2/7, 8/13, 11/16, 14/19 e 17/22.
  20. 20. V. «Ondas do mar de Vigo», Martim Codax (p. 36)
  21. 21. Cantiga de amigo, de temática semelhante à do género marinha ou barcarola: a presença do mar. Situação inicial: amigo ausente. O sujeito poético e os elementos da Natureza: EU Donzela TU Ondas do mar de Vigo Apóstrofe Confidentes Mensageiras
  22. 22. Sentimentos pelo amigo Paradeiro do amigo Estado de espírito do sujeito poético: a donzela em progressivo sofrimento. Coplas 1 e 2 Coplas 3 e 4 Refrão «se vistes meu amigo?» «se vistes meu amado?» «o por que eu suspiro?» «por que ei gram cuidado?» Ansiosa Duvidosa Aflita Preocupada Desejo de rever o amigo; desejo de união «E ai se verra cedo!» virá — futuro do modo indicativo Angústia e receio constantes devido à ausência do amado Inquieta Emotiva Repetição Frases interrogativas Frase exclamativa
  23. 23. • Cantiga de refrão. • Cantiga paralelística perfeita, com emprego da técnica de leixa-pren. Características formais:
  24. 24. VI. «Digades, filha, mha filha velida», Pero Meogo (p. 40)
  25. 25. Cantiga de amigo dialogada: conversa entre uma mãe e a sua filha. Texto lírico Texto dramático Texto narrativo
  26. 26. Veados ==símbolo do amigo Situação inicial: a mãe interroga a filha acerca do seu atraso na fonte. Percebe que a filha está apaixonada. Recusa a mentira Discurso da filha: veados revolviam a água Personagens • A mãe — madre vigilante e protetora • A donzela — filha apaixonada • Coplas 1 e 2 : a mãe interroga a filha • Coplas 3 e 4: a filha justifica o seu atraso • Coplas 5 e 6 : a mãe não aceita a explicação da donzela Espaço Campestre: • a fonte • outros elementos da Natureza (referência ao rio, ao mar e aos cervos do monte) Ação «mentir por amigo», «mentir por amado» — encontro com o namorado Discurso da mãe: os veados não revolvem as águas A filha mente para esconder a verdadeira razão do seu atraso
  27. 27. Refrão: entre parênteses / aparte — expressa o pensamento da donzela e confirma a suspeita da mãe de que o amor domina a donzela. • Cantiga de refrão. • Cantiga paralelística perfeita, com emprego da técnica de leixa-pren. Características formais:

×