7° Congresso Centro-Oeste de Nutrição

1,098 views

Published on

Palestra apresentada pro Arícia Motta, nutricionista, no dia 07/05, no 7° Congresso Centro-Oeste de Nutrição

Published in: Health & Medicine, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,098
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
225
Actions
Shares
0
Downloads
38
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

7° Congresso Centro-Oeste de Nutrição

  1. 1. Arícia Motta Arantes Lustosa Nutricionista CRN1 1408
  2. 2.  homem, 1.78m, 67kg, solteiro e mora só, refeições fora de casa, praticamente não janta, baixa ingestão hídrica, intestino normal, dieta rica em carboidratos simples, recordatório 24h dietético: CHO=65%, PROT=8% E GORD=27%, inadequação negativa para cálcio -32% e fibras -40%, sedentário, exames bioquímicos normais com exceto aumento triglicérides e diminuição do hdl, deseja condicionar e ganhar massa muscular, além de perder uma "barriguinha", percentual de gordura 15% trabalha das 8 as 17h, estuda das 19 as 22h, final de semana livre, bebidas alcóolicas esporádicas.
  3. 3.  IMC atual – 21kg/m2 Peso ideal ? Peso sugerido 73-76kg – em geral IMC 23 a 24 agrada a homens que desejam hipertrofia Refeições fora de casa:  Evitar gordura aparente dos alimentos  Preparações fritas e com molhos cremosos  Dar preferência aos vegetais sem tempero. Temperar no prato com limão Em casa:  Vegetais e frutas de maior durabilidade  Laticínios com teores reduzidos de gordura e pães integrais  Alimentos congelados com baixos teores de gorduras
  4. 4.  Orientarquanto a estratégias para melhorar ingestão hídrica:  Estabelecer horários fixos para ingestão de água  Utilizar squeeze ou “moringa” para monitorar a ingestão final de água Fibras:  Aumentar a ingestão de frutas e vegetais  Dar preferência a alimentos integrais: pães, cereais, arroz Reduzir o consumo de carboidratos simples
  5. 5.  Aumentar o consumo de cálcio
  6. 6.  Prescrição nutricional depende do treino: Cálculo das necessidades energéticas depende de:  Frequência e duração da musculação e das atividades aeróbias prescritas Distribuição das refeições e dos macronutrientes também devem acompanhar o treino:  Para otimizar a queima de gorduras:  Antes de depois do treino  Macronutrientes e micronutrientes  Para otimizar a hipertrofia:  Antes e depois do treino  Macro e micronutrientes
  7. 7.  Macronutrientes:  CHO – 45-65% VET  Barriguinha  Hipertrigliceridemia  ↓ HDL  PTN – 10-35% VET – 1.2 a 2.4g/kg  LIP – para completar o VET, não ultrapassar 30%  Tipos de óleos: azeite…
  8. 8.  Micronutrientes:  Cálcio –  contração muscular,  emagrecimento,  controle da pressão arterial  Zinco –  mais de 200 metaloenzimas entre elas várias antioxidantes  Papel no apetite  Importante para o metabolismo
  9. 9.  Micronutrientes:  Ferro  Transporte de oxigênio  Estresse oxidativo  Cromo  Controle do metabolismo glicídico e lipídico  Caimbras  Sódio  Potássio  Magnésio  cálcio
  10. 10.  Suplementos:  Fitoterápicos possíveis:  Garcinia  Ciwuja (?)  QUERCITINA  Micronutrientes:  Cromo  Cálcio  Suplementação geral:  L-carnitina  Whey protein
  11. 11.  mulher, 1.56m, 76kg, 48% de gordura corporal, obesidade ginecóide, intestino preso, ingestão hídrica abaixo do normal, dieta rica em gordura (frituras, pizza, pamonha), recordatório 24h: CHO=45%, PROT=15%, GORD=40%, Inadequação negativa de fibra (-60%) e positiva para sódio (+38%), colesterol (+52%), faz caminhada 3x/semana irregularmente e 1 hora por dia, exames normais exceto: colesterol, ldl, triglicérides aumentados, deseja perder 25kg para fazer cirurgia plástica e "ganhar panturrilha e glúteo", trabalha das 10 as 18h, refeições em casa, na rua e trabalho, não ingere bebida alcóolica.
  12. 12.  IMC – 31 Peso desejado 51kg, IMC 21 Sugestão de peso mais próximo da realidade, especialmente em caso de obesidade ginecóide Refeições fora de casa:  Evitar gordura aparente dos alimentos  Preparações fritas e com molhos cremosos  Dar preferência aos vegetais sem tempero. Temperar no prato com limão Em casa:  Vegetais e frutas de maior durabilidade  Laticínios com teores reduzidos de gordura e pães integrais
  13. 13.  Orientarquanto a estratégias para melhorar ingestão hídrica:  Estabelecer horários fixos para ingestão de água  Utilizar squeeze ou “moringa” para monitorar a ingestão final de água Fibras:  Aumentar a ingestão de frutas e vegetais  Dar preferência a alimentos integrais: pães, cereais, arroz  Acrescentar suplemento de fibras até que o processo de educação nutricional tenha atingido suficiência neste aspecto
  14. 14.  Prescrição nutricional depende do treino: Cálculo das necessidades energéticas depende de:  Frequência e duração das atividades prescritas Distribuição das refeições e dos macronutrientes também devem acompanhar o treino:  Para otimizar a queima de gorduras:  Antes de depois do treino  Macronutrientes e micronutrientes  Para otimizar a hipertrofia:  Antes e depois do treino  Macro e micronutrientes
  15. 15.  Macronutrientes:  CHO – 45-65% VET  Hipertrigliceridemia  PTN – 10-35% VET – 1.2 a 2.4g/kg  LIP – para completar o VET, não ultrapassar 30%  Hipercolesterolemia:  Ingestão controlada de gordura animal  Reduzir consumo de pizza, frituras, pamonha e quitandas  Tipos de óleos: azeite…
  16. 16.  Micronutrientes:  Cálcio –  contração muscular,  emagrecimento,  controle da pressão arterial  Zinco –  mais de 200 metaloenzimas entre elas várias antioxidantes  Papel no apetite  Importante para o metabolismo
  17. 17.  Micronutrientes:  Ferro  Transporte de oxigênio  Estresse oxidativo  Cromo  Controle do metabolismo glicídico e lipídico  Sódio  Controle da pressão arterial  Retenção hídrica  Sobrecarga renal
  18. 18.  Suplementos:  Fitoterápicos possíveis:  Garcinia  QUERCITINA  Micronutrientes:  Cromo  Cálcio  Suplementação geral:  L-carnitina  CLA
  19. 19. DimethylamylaminePatenteado em 1950 comodescongestionante nasal,pouco se conhece sobre a suafarmacologia via oral.Estudo neo zelandes descreveuum caso de um jovem de 21anos que sofreu hemorragiacerebral logo após ter ingeridoa substância. N Z Med J. 2010 Dec 17;123(1327):124-7. Another bitter pill: a case of toxicity from DMAA party pills. Gee P, Jackson S, Easton J.
  20. 20.  http://twitter.com/AriciaMotta http://facebook.com/AriciaMottaNutricao http://ariciamotta.blogspot.com http://www.ariciamotta.com.br Compartilhe!

×