Aula 8 adolescência e bullying

3,125 views

Published on

Published in: Career
  • Most schools have anti-bullying policies, yet most school-age children know who the bullies in their classrooms are. For most kids, bullying is painful and makes it difficult for them to learn and play, but once they are away from the bully they are able to recover fairly quickly.So parents need to guide and help our kids in order to begin the healing process because bullying is kind a sensitive especially if a child experienced extreme bullying and they may find it difficult to bounce back. For parents out there I would like to share this Safety Service for you and for your family.With just a click of a button, you get conference with an emergency response agent, a list of people in your so called-safety network, and can even get escalated to the nearest 911. #SafekidZone, Check out here: http://bit.ly/ZjYchC
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Aula 8 adolescência e bullying

  1. 1. Adolescência e bullying
  2. 2. Conceito “ É o conjunto de atitudes de violência física e/ou psicológica, de caráter intencional e repetitivo, praticado por um ‘bully’ contra uma ou mais vítimas que se encontram impossibilitadas de se defender” (Ana Beatriz Barbosa Silva – Bullying: Mentes Perigosas nas Escolas, Rio de Janeiro, Fontanar).
  3. 3. Sinônimos Desmoralizar Assediar Oprimir Dominar Constranger Injuriar Desvalorizar Depreciar Hostilizar Atormentar Perseguir Intimidar Abusar Excluir Ridicularizar Fragilizar Estigmatizar Aterrorizar Provocar Ameaçar Ofender Atormentar Tiranizar
  4. 4. Histórico Os primeiros trabalhos sobre bullying nas escolas vieram dos países nórdicos, a partir dos anos 60, por Dan Olweus, na Noruega, e Heinz Leymann, na Suécia.
  5. 5. Nomenclatura Agression in School: Bullies and Whipping Boys - Dan Olweus, 1978 (Scapegoat - Bode Expiatório) Mobbing in the School (anos 60) Mobbing in the Worplace (anos 80) Bullying in the School Harassment - assédio Harcèlement psicologique (Canadá) Harcèlement sexuel (1989) Intimidation par les pairs Ijime (asédio) Agresionen unter Schülern Mobbing bei Kinder in der Schule
  6. 6. Características Atos de violência, de natureza diversa; Prática repetitiva, num período longo de tempo; Embora aparentemente não se possa encontrar uma justificativa para a escolha da vítima específica, é possível apontar que há um perfil mais suscetível ao bullying (vulnerabilidade); Não há motivação específica ou justificável; Direção horizontal ou vertical.
  7. 7. Formas de Bullying <ul><li>Verbal </li></ul><ul><li>Físico e material </li></ul><ul><li>Psicológico e moral </li></ul><ul><li>Sexual </li></ul><ul><li>Cyberbullying </li></ul>
  8. 8. Ações • Ações diretas contra os alvos • Ações indiretas • Utilização de instrumentos de comunicação
  9. 9. Atores <ul><li>Agressor ( Bully ) </li></ul><ul><li>Pode ser homem ou mulher </li></ul><ul><li>Comportamento agressivo, hostil e arrogante (ar de superioridade) </li></ul><ul><li>Auto-afirmação </li></ul><ul><li>Normalmente é popular </li></ul><ul><li>Presenciou atos de agressão anteriormente e pode inclusive já ter sofrido bullying </li></ul><ul><li>É manipulador (mentira/negação) </li></ul>
  10. 10. Atores <ul><li>Alvos típicos </li></ul><ul><li>Possui alguma característica que a diferencia dos demais, chamando a atenção do agressor - vulnerabilidade </li></ul><ul><li>É introvertido e passivo </li></ul><ul><li>Impossibilidade de defesa, que pode ser circunstancial ou momentânea </li></ul><ul><li>Tem receio em pedir ajuda </li></ul><ul><li>Tende ao isolamento. </li></ul>
  11. 11. Atores <ul><li>Testemunhas - observadores; incentivadores; defensores. </li></ul><ul><li>Geralmente, não concorda com os atos de agressão </li></ul><ul><li>Tem receio de ser a próxima vítima </li></ul><ul><li>Não denuncia a prática do bullying para não sofrer as consequências da delação </li></ul><ul><li>Acaba se tornando cúmplice da situação e sente culpa culpa. </li></ul>
  12. 12. Os pais e a escola Devem estar atentos para identificar casos de bullying e intervir assim que houver qualquer suspeita. Os pais não devem transferir integralmente à escola a missão de educar os filhos. Cada um tem uma parcela de responsabilidade. Capacitação dos professores e funcionários para que possam identificar e intervir em situações de ocorrência de bullying, com aviso imediato aos pais.
  13. 13. Consequências do Bullying Baixa autoestima Dificuldade de relacionamento social e no desenvolvimento escolar Ansiedade, estresse Evasão escolar Autoagressão, Alterações de humor Apatia Perturbações do sono Fobia escolar
  14. 14. Consequências do Bullying Anorexia, bulimia Tristeza Medo Dores não especificadas Depressão Pânico Abuso de drogas e álcool Pode chegar ao suicídio e até atos de violência extrema contra a escola
  15. 15. Fatores ligados à escola 1)A escola com uma política de “não bullying” faz a diferença. 2)A política da escola deve ser para prevenir e não apenas para controlar o bullying.
  16. 16. Fatores ligados à escola 3)Pais, alunos e toda a escola devem sempre estar envolvidos nessa prática. 4)A qualidade da relação professor-aluno, baseada no respeito e confiança mútuos, é importante.
  17. 17. Fatores ligados à escola 5)Conhecimentos sobre bullying pelos professores e demais funcionários é indispensável. 6)O bullying ocorre onde não há supervisão.

×