Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Gestão do conhecimento (Knowledge Management)

5,729 views

Published on

This Paper is about Knowledge Management, we based our reserch on David Weinbergs, Clippinger and Nonaka`s Book.

Published in: Business
  • Be the first to comment

Gestão do conhecimento (Knowledge Management)

  1. 1. Gestão do conhecimento<br />Thiago G. Arbulu n• 12110587-8<br />Evelyn Petrângelo n• 12110591-0<br />Priscila Y. Seguiura n• 12110586-0<br />
  2. 2. Gestão do conhecimento<br />AGENDA<br />Gestão do conhecimento <br />Gestão de conhecimento na Internet<br />Gestão do conhecimento Organizacional<br />
  3. 3. Gestão do conhecimento<br />INFORMAÇÃO vs CONHECIMENTO<br /><ul><li>Conhecimento – Crença verdadeira justificada</li></ul>“ (...) um processo humano dinâmico de justificar a crença pessoal com relação à verdade” <br /><ul><li> Informação– “ proporciona um novo ponto de vista para a interpretação de eventos ou objetos (...). Por isso, a informação é um meio ou material necessário para extrair e construir o conhecimento.
  4. 4. NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />COMPONENTES DO CONHECIMENTO<br /><ul><li>NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />TIPOS DE CONHECIMENTO<br />Conhecimento da experiência (corpo)<br />Conhecimento simultâneo (aqui e agora)<br />Conhecimento análogo (prática)<br /><ul><li>Conhecimento Tácito
  5. 5. Conhecimento Explícito</li></ul>Conhecimento da racionalidade (mente)<br />Conhecimento sequencial (lá e então)<br />Conhecimento digital (teoria)<br /><ul><li>NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />CONVERSÃO DE CONHECIMENTO<br /><ul><li>NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />CONVERSÃO DE CONHECIMENTO<br />Conhecimento Compartilhado (Brainstorming)<br /><ul><li>NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />CONVERSÃO DE CONHECIMENTO<br />Conhecimento Conceitual (Honda City – Tall Boy)<br /><ul><li>NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />CONVERSÃO DE CONHECIMENTO<br />Conhecimento Operacional (Kraft General Foods)<br /><ul><li>NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />CONVERSÃO DE CONHECIMENTO<br />Conhecimento Sistêmico (Aprender fazendo)<br /><ul><li>NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />COMO FUNCIONA A COMUNICAÇÃO<br />É Formada por redes constituídas de Nós (Imagens, sons, textos, informações...) e Ligações, deste modo a partir de uma palavra um NÓ é acionado dando origem a outra rede.<br /><ul><li>LEVY.Pierre. As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição. </li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />COMO FUNCIONA A COMUNICAÇÃO<br /> A forma de comunicação humana serviria como base para idealizar modelos de gestão do conhecimento e manipulação de informações.<br />MEMEX (Van Bush 1945): Modelo idealizado para mecanizar a classificação e seleção por associação. Seria constituído por um pequeno deposito capaz de armazenar inúmeras informações e seu acesso seria por intermédio de um monitor.<br />XANADU ( Theodore Nelson 1960): Idealizou uma rede com acesso em tempo real contendo inúmeros tesouros da literatura<br /><ul><li>LEVY.Pierre. As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição. </li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />HYPERTEXTO<br />Conjunto de Nós (Palavras, páginas, imagens, sons, gráficos...) ligados por conexões (Reticular “estrela”, e não linear). Navegar em um hipertexto pode significar um percurso em uma rede extremamente complicada, em que cada nó pode conter uma rede .<br /> <br />Tipo de programa para organização do conhecimento, dados e aquisição de informações e comunicações.<br /><ul><li>LEVY.Pierre. As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição. </li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />PRINCÍPIOS HYPERTEXTO <br /><ul><li>LEVY.Pierre. As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição. </li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />BENEFICIOS DO HIPERTEXTO<br /><ul><li>LEVY.Pierre. As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição. </li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br /><ul><li>WIKIPEDIA HIPERTEXTO. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Hipertexto</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />GROUPWARE<br />Ferramenta eficaz para INTELIGÊNCIA COLETIVA. A partir de um texto comum a todos, e a elaboração de comentários e anotações, funcionários trocam conhecimento sobre determinado assunto.<br />Integração e difusão do conhecimento entre membros com experiências diferentes. Senso comum<br /><ul><li>LEVY.Pierre. As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição. </li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />Inteligência Artificial<br />Será que as máquinas terão o mesmo raciocínio do Homem?<br /><ul><li>WEINBERGER,D. Small pieces loosely joined. 1.ed.New Yorl: Basic. 2002</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />Inteligência Artificial<br />John R Searle’s – Chinese Room (1980) – Comportamento dos Computadores;<br />Ray Kurzweil – The Age of Spiritual Machines – Até 2020 um computador pessoal de USD 1.000 terá a mesma capacidade da mente Humana.<br /> Seremos Software e Não mais Hardware – ( Com a constante evolução é inevitável que os computadores atinjam a capacidade de raciocínio Humano.)<br /><ul><li>WEINBERGER,D. Small pieces loosely joined. 1.ed.New Yorl: Basic. 2002</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />Inteligência Artificial<br />3. Andrew Clark – Being There - Conhecimento exige um corpo e um mundo e não somente um cérebro.<br /> Experiência os símbolos<br /> Nos importamos com os símbolos<br /> O processo de tomada de decisão não segue regras assim como os computadores.<br /><ul><li>WEINBERGER,D. Small pieces loosely joined. 1.ed.New Yorl: Basic. 2002</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />WEB 2.0<br />
  6. 6. Gestão do conhecimento<br />WEB 2.0<br /> Segunda geração da internet, fortemente marcada pela interatividade, pelos conteúdos gerados por usuários e pela personalização de serviços. <br /> Brainstorming : análise de empresas como Google e Amazon.com<br />“Entender Web 2.0 é entender a Internet como uma plataforma e desta forma as regras para negócio são diferentes,..., além disso o mais importante para as empresas saber é que os usuários agregam valor e quanto mais usuários melhor para desenvolvimento de novos conteúdos.” (Tim O´Reilly)<br /><ul><li>Oreilly. Web2.0.Disponível em :<http://oreilly.com/web2/archieve/what-is-web-20.html> </li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />WEB 2.0<br />A Web é uma Plataforma<br />Os Usuários também são os Produtores<br />Quanto mais Usuários mais conteúdo produzido.<br />Inteligência Coletiva ≈ Cérebro Global<br /><ul><li>Oreilly. Web2.0.Disponível em :<http://oreilly.com/web2/archieve/what-is-web-20.html> </li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />WEB 2.0<br /><ul><li>Oreilly. Web2.0.Disponível em :<http://oreilly.com/web2/archieve/what-is-web-20.html> </li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />WEB 2.0<br />
  7. 7. Gestão do conhecimento<br />MUNDO REAL<br />vs<br />WEB<br /><ul><li>WEINBERGER,D. Small pieces loosely joined. 1.ed.New Yorl: Basic. 2002</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />A Web não ocupa espaço. A sua distância é determinada por Links.<br /> O Mundo Real é determinado por distâncias mensuráveis, que não consideram as necessidades do Homem.<br />Espaço<br />No Mundo Real o tempo é implacável e determinado.<br />O tempo na Web é determinado pelo usuário.<br />Tempo<br />Ser<br />Na Web é possível adotar inúmeras Identidades.<br />Adquirir conhecimento na Web é algo extremamente simples, proporcionada pela diversidade de usuários que colaboram com a internet . <br />Conhecimento<br /><ul><li>WEINBERGER,D. Small pieces loosely joined. 1.ed.New Yorl: Basic. 2002</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />IDENTIDADE<br />“ Identidade não é necessariamente derivada de um indivíduo, mas relacionada a indivíduos de uma sociedade, grupo ou rede.”<br />Senso de Identidade é dada pelos outros (ambiente, pessoas, trabalho, etc..)<br />Exemplo: <br /><ul><li>CLIPPINGER.J. A crowd of one. 1.ed.New Yorl: Public Affairs 2007</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />VALOR DO CONHECIMENTO<br />Atividade Social – Participação ativa de inumeros usuarios<br />Desenvolvimento do Conhecimento<br />Não é verdade absoluta: <br />Há divergência, ambiguidade e argumentativa.<br /><ul><li>WEINBERGER,D. Small pieces loosely joined. 1.ed.New Yorl: Basic. 2002</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />O QUE É RELEVANTE?<br />Quem escreve? <br />Qual a sua Capacitação? <br />
  8. 8. Gestão do conhecimento<br />MERCADO DO CONHECIMENTO<br />Autoridades de Web<br />Exemplo –Empresa de barcoRaymarine<br /><ul><li>WEINBERGER,D. Small pieces loosely joined. 1.ed.New Yorl: Basic. 2002</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />UTILIZAÇÃO CONHECIMENTO<br /><ul><li>CLIPPINGER.J. A crowd of one. 1.ed.New Yorl: Public Affairs 2007</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />GOOD OR BAD<br />General Curtis Lemay<br />Questão de perspectiva e ponto de vista<br /><ul><li>CLIPPINGER.J. A crowd of one. 1.ed.New Yorl: Public Affairs 2007</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />GESTÃO DO CONHECIMENTO ORGANIZACIONAL<br />
  9. 9. Gestão do conhecimento<br />CONDIÇÕES CAPACITADORAS DA CRIAÇÃO DO CONHECIMENTO<br /><ul><li>NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />CINCO FASES DO PROCESSO DE CRIAÇÃO DO CONHECIMENTO ORGANIZACIONAL<br /><ul><li>NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />EXEMPLO<br /><ul><li>NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />VALOR DO CONHECIMENTO<br />Valorização do conhecimento:<br />Até que ponto as empresas investem em conhecimento.<br />Exemplo:<br />20% dos funcionários tem receio de difundir o conhecimento.<br /><ul><li>LUCAS,Henry. Tecnologia da informação1.ed.Rio de Janeiro: LTC. 2005</li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />COMEÇANDO A GERIR O CONHECIMENTO<br />Começando pela tecnologia<br />Começando pelas melhores práticas<br />Começando o aprendizado organizacional<br />É necessário que a empresa propicie um ambiente que incentive o Aprendizado.<br />Comprometimento com o Aprendizado.<br />Aprendizado ≈ Melhoria Continua<br />Disseminação do Conhecimento<br />Harvard Business Review. Gestao do Conhecimento, Editora Campos. 2001.<br />
  10. 10. Gestão do conhecimento<br />
  11. 11. Gestão do conhecimento<br />“Nós nos encontramos de frente a desafios que nós não estávamos preparados, num ambiente de contínua e grande mudança. Mudança não é mais uma exceção, é uma regra. Cada canto do mundo está mudando constantemente de uma forma nunca vista antes, desde a forma de governar e operar negócios, até a forma de nos vestir e o que comemos. Muitas dessas mudanças ocorrem sem o nosso entendimento ou completo controle.” – John H. Clippinger<br />
  12. 12. Gestão do conhecimento<br />BIBLIOGRAFIA<br />Harvard Business Review. Gestao do Conhecimento, Editora Campos. 2001.<br />NONAKA,I.; TAKEUCHI,N. Criação de conhecimento na empresa. 1.ed.Rio de Janeiro: Campus. 1997<br /><ul><li>LUCAS,Henry. Tecnologia da informação1.ed.Rio de Janeiro: LTC. 2005
  13. 13. CLIPPINGER.J. A crowd of one. 1.ed.New Yorl: Public Affairs 2007
  14. 14. WEINBERGER,D. Small pieces loosely joined. 1.ed.New Yorl: Basic. 2002
  15. 15. Oreilly. Web2.0.Disponível em :<http://oreilly.com/web2/archieve/what-is-web-20.html>
  16. 16. LEVY.Pierre. As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição. </li></li></ul><li>Gestão do conhecimento<br />

×