Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

IMPLANTAÇÃO DA TÉCNICA DE RECUPERAÇÃO INTRAOPERATÓRIA DE SANGUE EM SERVIÇO PÚBLICO DE ATENDIMENTO AO TRAUMA

IMPLANTAÇÃO DA TÉCNICA DE RECUPERAÇÃO INTRAOPERATÓRIA DE SANGUE EM SERVIÇO PÚBLICO DE ATENDIMENTO AO TRAUMA

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

IMPLANTAÇÃO DA TÉCNICA DE RECUPERAÇÃO INTRAOPERATÓRIA DE SANGUE EM SERVIÇO PÚBLICO DE ATENDIMENTO AO TRAUMA

  1. 1. IMPLANTAÇÃO DA TÉCNICA DE RECUPERAÇÃO INTRAOPERATÓRIA DE SANGUE EM SERVIÇO PÚBLICO DE ATENDIMENTO AO TRAUMA Ve lma Dias do Nascimento
  2. 2. AMPLIAÇÃO DO ESCOPO DE PRÁTICAS Maior adesão ao tratamento, gestão de sintomas e utilização dos serviços e efetividade clínica na atenção aos usuários/pacientes.
  3. 3. Recuperação Intraoperatória de Sangue Técnica que envolve a coletae reinfusão de sangue autólogo obtido da aspiração do campo cirúrgico, através de equipamento apropriado, apresentando- se como uma alternativa eficaz à transfusão de sangue homólogo. CE P IJ F : n° 3.101.044 TÉCNICA RIOS
  4. 4. PROCEDIMENTO - RIOS Aspiração e coleta de sangue Processamento e lavagem Infusão de hemácias recuperadas
  5. 5. O uso da RIOS é recomendado quando pode ser esperada a redução da probabilidade de transfusão alogênica (doadores) e / ou anemia severa no pós-operatório (KLEIN et al., 2018).
  6. 6. Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará - Serviço de referência responsável pela coordenação e promoção da política estadual do sangue no estado do Ceará. - Conta com serviço especializado de RIOS atuando em 7 hospitais de referência.
  7. 7. IJF 1 e 2 Perfil predominantemente cirúrgico Instituto Dr. José Frota Referência no trauma e alta complexidade no estado do Ceará
  8. 8. Junho/2015 IMPLANTAÇÃO DA TÉCNICA RIOS NO IJF No segundo semestre de 2015 o HEMOCE viabilizou o equipamento e os materiais necessários para sua realização, além do treinamento de profissional para manuseio e realização dos procedimentos.
  9. 9. Hemocentro Coordenador Implantação da técnica com disponibilização do equipamento, materiais e profissional capacitado para sua realização Desenvolvimento da Experiência Perfil de cirurgias Identificação de cirurgias com benefício potencial Capacitação com Anestesistas Aulas e palestras para o corpo clínico e residentes de anestesiologia Centro Cirúrgico Abordagem direta aos cirurgiões no centro cirúrgico pela Enfermagem do HEMOCE Nú c le o Tr an sf us io n al , 20 15
  10. 10. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS METODOLOGIA Divulgação sistemática do método com apoio da chefia da unidade cirúrgica Criação de estratégia de comunicação para interface dos Enfermeiros do Núcleo Transfusional (NUTRAN) com Cirurgiões e Anestesistas Ampliação da Equipe de Enfermeiros para atendimento 24 horas
  11. 11. Equipe Cirúrgica O desinteresse e resistência das equipes foram trabalhados a partir da sensibilização do corpo clínico e de cirurgiões formadores de opinião no serviço. Comitê Transfusional Hospitalar O CTH passou a realizar campanha anual com o tema “Transfusão eu levo a sério” para divulgação dos protocolos institucionais de transfusão. Hemocentro Coordenador Disponibilizou equipamentos, materiais e capacitação dos profissionais sem custos para o hospital, o que facilitou a adesão por parte de sua diretoria. Campanha do Comitê Transfusional Hospitaar
  12. 12. Campanha COMITÊ TRANSFUSIONAL HOSPITALAR Transfusão Eu Levo a Sério!!!
  13. 13. DESAFIOS ENFRENTADOS USO DA TÉCNICA RIOS NO IJF Resistência da equipe médica Resistência por parte da Equipe Médica e desconhecimento das vantagens e benefícios de sua utilização Uso da técnica RIOS Falta de entendimento e familiaridade com os conceitos de preservação do sangue no intraoperatório Qualificação Profissional Ausência de formação dos profissionais de Enfermagem para utilização do método
  14. 14. Benefícios da RIOS Diminuição de transfusões homólogas e suas complicações, como risco de transmissão de doenças infectocontagiosas, edema pulmonar, hemólises ou anafilaxia Redução na demanda de bolsas de sangue para transfusão Evita alterações imunológicas induzidas
  15. 15. ELETIVO As cirurgias que mais se beneficiaram da implantação do método nessa experiência foram correção de Fratura de Fêmur, Artroplastia Total de Quadril (ATQ), Fratura de Acetábulo e Epifisiólise de Fêmur na pediatria. EMERGÊNCIA No Trauma Toracoabdominal houve grande impacto na redução de transfusões e melhoria da evolução clínica de pacientes com lesão hepática e esplênica, além do trauma torácico.
  16. 16. O QUE FOI TRANSFORMADO IMPLANTAÇÃO DA TÉCNICA RIOS NO TRAUMA Critérios para uso da técnica - Permitiu identificar critérios para sua utilização e disponibilizar essa estratégia de conservação de sangue para todos os procedimentos com benefício potencial Uso em pacientes com recusa a transfusão de sangue - Ampliando o uso para pacientes sem recusa religiosa à transfusão, de forma sistemática Mudança no perfil transfusional - Redução do número de transfusão de hemácias em procedimentos Eletivos e de Emergência, com uma média de recuperação de 1 - 2 e 3 - 4 bolsas, respectivamente
  17. 17. 2011-2014 12 Procedimentos de RIOS em apenas 4 anos (3 RIOS/ano). 2015-2017 176 Procedimentos incluindo o cenário Emergencial (58 RIOS/ano) 10/2018 - 2020 Formação da Equipe de Enfermeiros do Trauma (12 RIOS/mês)
  18. 18. CRESCIMENTO DE 248% APÓS IMPLANTAÇÃO DA EQUIPE DE ENFERMEIROS COM COBERTURA 24X7
  19. 19. RESULTADOS APÓS IMPLANTAÇÃO DA EQUIPE PROTOCOLO Protocolo estruturado e validado pelo CTH para Indicação da RIOS no cenário eletivo e no trauma toracoabdominal TÉCNICA RIOS Nenhum procedimento com complicação e expansão para uso em Drenagem de Tórax ENFERMEIRO Participação ativa do Enfermeiro como membro da Equipe Cirúrgica
  20. 20. USO DA TÉCNICA RIOS REAPROVEITAMENTO DE SANGUE AUTÓLOGO NO TRAUMA Redução da exposição transfusional no cenário da urgência e em procedimentos eletivos específicos Permitiu o aproveitamento de sangue autólogo em cirurgias eletivas e de urgência de grande porte Beneficiou os pacientes com indicação formal de autotransfusão por recusa religiosa ao uso do sangue homólogo
  21. 21. USO DA TÉCNICA RIOS REAPROVEITAMENTO DE SANGUE AUTÓLOGO NO TRAUMA Maior integração entre as equipes do serviço de transfusão e o corpo clínico e cirúrgico do hospital Oportunidade de sensibilização da equipe médica quanto ao uso racional e manuseio do sangue no intraoperatório Permitiu maior envolvimento do Enfermeiro em sala operatória melhorando a interface com as equipes médicas
  22. 22. PROTAGONISM ODA ENFERMAGEM O Protagonismo da Enfermagem no manuseio do paciente com hemorragia grave foi potencializado a partir dessa da experiência de implantação da RIOS no Centro Cirúrgico
  23. 23. COMUNICAÇÃO Várias estratégias de comunicação foram usadas para sensibilização dos profissionais INTEGRAÇÃO Integração com as coordenações Médicas, de Enfermagem, plantonistas e residentes foi fundamental
  24. 24. Vídeo de apoio Esse material foi usado para sensibilização das equipes de cirurgiões e anestesiologistas
  25. 25. Vídeo de apoio Esse material foi usado para sensibilização das equipes de cirurgiões e anestesiologistas.
  26. 26. O uso da RIOS no Manejo da Hemorragia Grave contribuiu para a validação de um Protocolo Pioneiro no Brasil desenvolvido durante o Mestrado. PROTOCOLO MHEG teve o apoio: CAPES/COFEN/UNIFOR
  27. 27. Obrigada! velma dias@yahoo.com.br

    Be the first to comment

IMPLANTAÇÃO DA TÉCNICA DE RECUPERAÇÃO INTRAOPERATÓRIA DE SANGUE EM SERVIÇO PÚBLICO DE ATENDIMENTO AO TRAUMA

Views

Total views

424

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

384

Actions

Downloads

0

Shares

0

Comments

0

Likes

0

×