Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Apostila 03 / Fundamentos: Branding e Marketing Digital

2,310 views

Published on

Terceiro módulo do curso Formação em Aprendiz de Mídias Digitais da United Way Brasil.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Apostila 03 / Fundamentos: Branding e Marketing Digital

  1. 1. Segundo o dicionário Oxford de marca ou o seu desenho gráfico. Por isso a difi- língua Inglesa, o temo brand (marca) culdade em se chegar a um consenso conceitu- deriva do inglês antigo burn, ou seja, queimar, al sobre uma única definição do termo.1.0 /FUNDAMENTOS marcar com fogo. Também pelo mesmo dicio- nário, temos uma definição mais contemporâ- Hoje o conceito de branding mais aceito tanto nea para o termo: 1 sm. uma marca que identifique pela indústria da comunição quanto pela acade- animais com um ferro aquecido. 2 nome de uma marca. mia diz que “branding é uma impressão de um 3. um tipo de produto fabricado por uma empresa com produto ou serviço deixada na mente do consu- um nome específico. midor. É a soma de todos elementos tangíveis e intangíveis, que faz daquele produto único.” 03 Ou seja, inicialmente o termo era usado para a (MOILANEN, 2009). Ou seja, brand não é apenas um identificação de animais à ferro quente, o que os símbolo ou uma marca que diferencia um pro- tornavam únicos dentro de uma certa criação. duto do outro e sim todos os valores, atributos e Foi apenas na década de 90 do século XX que conceitos que surgem na cabeça do consumidor POR Gustavo Santos a expressão passou ser usada na indústria de ao pensar sobre determinada marca. comunicação. Já Matthew Healy em seu What is a Branding, E, obviamente, ela ganhou muito mais signifi- resume de forma bastante clara e elucidativa cados e sentidos do que apenas o nome de uma que:
  2. 2. “Branding é uma promessa de satisfação. É um deira identidade deste produto e comunicá-la sinal, uma metáfora operando como um contra- de forma correta para que a imagem que se to não escrito entre o produtor e o consumidor, o vendedor e o comprador, o artista e a platéia, um crie na cabeça do consumidor seja a esperada. ambiente e todos aqueles que habitam nele, um Mas qual o processo correto para conseguir evento e aqueles que o experenciam”. (HEALEY, criar a imagem perfeita? 2008) Segundo o professor de Branding, Antônio Ro-Por brand ainda podemos identificar três gran- berto de Olveira, cordenador do curso de MBAdes idéias fundamentais. Segundo Moilanen, em Gestão de Marca da Universidade Rio Bran-“identidade, imagem e comunicação são os co, em São Paulo, o processo é formado pelas 04conceitos essenciais para a definição do que ébrand”. (MOILANEN, 2008), sendo que por identi- seguintes fases:dade entendemos aquilo que o produto ou ser-viço realmente é, enquanto imagem é a per- 1. Conhecimento ou investigaçãocepção desenvolvida na mente do consumidor 2. Diagnósticoe, por fim, a comunicção, que é o meio pelo 3. Estratégia da marca / Promessaqual esta identidade vai ser transmitida como 4. Expressão da Marcaimagem para o interlocutor. 5. Ativação / Entrega 6. Avaliação / ManutençãoPois bem, um dos grandes desafios de um pro-cesso de branding é como identificar a verda-
  3. 3. 1. CONHECIMENTO 2. DIAGNÓSTICOAntes de determinar qual estratégia seguir, Após o conhecimento da marca, são feitas aná-seja no mundo online ou offline, é fundamental lises dos resultados das pesquisas e definidosconhecermos os valores e a essência da marca os atributos que serão os pilares de sustenta-da qual vamos falar. Por isso o objetivo dessa ção da marca.fase nada mais é do que uma profunda imer-são no mundo da marca em questão para que a 3. ESTRATÉGIAestratégia de comunicação seja coerente com Posteriormente ao diagnostico da marca cons-tudo aquilo que a marca criou até então. truído a partir da imersão em seu universo, é nesta fase que se estabelece qual será a es- 05É preciso entender qual a relevância da marca tratégia de comunicação que a marca deverápara o seu público e, o mais importante, quais seguir para atingir seus objetivos e, conside-são os anseios, necessidades, desejos e ex- rando que a comunicação digital é apenas umpectativas desse público em relação a comuni- canal de contato com o consumidor da mar-cação que a marca vai difundir. ca mas um dos mais importantes nos dias de hoje, é fundamental que o porta-voz da marcaUma marca só existe se for desejada. E para para essa mídia tenha o pleno conhecimentotorná-la desejada, é preciso que ela tenha o da estratégia que foi desenhada.discurso e o tom de voz correto. E para isso,é necessário o profundo conhecimento de suaessência.
  4. 4. 4. EXPRESSÃO DA MARCA 5. ATIVAÇÃO / ENTREGAÉ nesta fase do processo de construção que a Antes de tudo, um processo de branding é ba-marca se torna tangível, ganha vida. É neste sicamente uma promessa. Hoje as marcas nãomomento em que a marca é definida pelo de- só vendem produtos ou serviços mas elas pro-sign e pelo seu sistema de identidade visual, metem algo mais intangível, como uma experi-composto basicamente pelo logo (símbolo grá- ência, uma estilo de vida, uma personalidade.fico), tipografia corporativa, grid estrutural edemais elementos gráficos. Essa promessa é feita durante a estratégia da marca e entregue em sua expressão. Se a mar-Com o protagonismo da tecnologia nos dias ca promete algo (como sabor, por exemplo) e 06atuais, a marca deve se expressar adequada- não entrega, ela fatalmente estará fadada amente em cada mídia na qual ela estiver in- ser jogada aos leões em praça pública.serida, mas sem perder nunca sua essência.Com os meios digitais, a marca precisa ser di- E é nesta fase em quem a entrega da promessanâmica tanto visualmente quanto verbalmen- da marca será vivenciada pelos públicos atra-te, através do diálogo com seus interlocutores. vés de todos os pontos de contato, que devemHoje a marca não pode mais simplesmente respeitar a sua essência. Somente assim a en-falar. Ela precisa escutar e se adaptar as mu- trega será uniforme e consistente, conformedanças desse rico ecossistema que é o mundo explica o professor Antônio Roberto de Olivei-digital. ra:
  5. 5. “Cada marca deve construir a sua história que a fase 1 e reinicia todo o processo. Esse ciclo é deve ser contada de maneira consistente para que chamada de gestão de marca. os vínculos emocionais entre ela e as pessoas se- jam estabelecidos. Essa história será transmitida através da narrativa da marca ou storytelling.” Já o Marketing digital são ações de comuni- (OLIVEIRA 2006) cação que as empresas utilizam, por meio da Internet, da telefonia celular e outras mídiasO fundamental nesta fase é que essas expres- digitais, para divulgar e comercializar seussões da marca estejam perfeitamente alinha- produtos, conquistar novos clientes e melhorardas em todos seus pontos, sem esquecer que a sua rede de relacionamentos. O marketingas pessoas são os principais pontos de conta- digital engloba a prática de promover produtos 07tos de uma marca. ou serviços através da utilização de canais de distribuição electônicos para chegar aos con-Por isso é importante que todos os envolvidos sumidores rapidamente, de forma relevante,nesse processo acreditem profundamente e se personalizada e com mais eficiência.comprometam com os valores e que sejam talcomo embaixadores da marca em todos os ca- O trabalho de gestão de marca, ou branding, énais onde ela se comunicar. fundamental mas muitas vezes o profissional responsável pela comunicação digital de uma6. AVALIAÇÃO / MANUTENÇÃO empresa não participa de todo esse ciclo. En- tão, por mais importante que seja a compreen-Após este momento, normalmente se retorna são de todo esse processo para que o discurso
  6. 6. da marca esteja perfeitamente alinhado com gajamento do público alvo, desde que a marcasua essência e seus objetivos, no dia a dia esse compreenda a linguagem desse novo universoprofissional irá lidar com metdologias próprias de possibilidadesdo marketing, mais especificamente do ma-rketing digital. Algumas características importantes para um bem sucedido plano de ações de marketing di-Então, por marketing digital entendemos por gital são:ações de Marketing (estratégicas, econômicase operacionais) adaptadas e pensadadas ex- 1.Efeito imediato – permite umaclusivamente aos meios digitais, para conse- enorme rapidez na implementação 08guir nestas mídias a mesma eficiência do cha- das campanhas promocionais e apre-mado marketing tradicional. sentação de novos produtos/serviços. 2. Personalização – é a chave paraAssim, podemos classificar o marketing digi- passar do tradicional marketing paratal como os esforços das marcas em informar, um marketing one-to-one.comunicar, promover e vender seus produtose serviços pela internet, nos mais diversos 3. Quantificação – a Internet permitecanais e ferramentas digitais. A utilização de mensurar as visitas, pesquisas, etc.ações de marketing digital se tornou uma es-tratégia altamente relevante, principalmente 4. Envolvimento do utilizador – no-pelo seu baixo custo – em comparação às mí- vas formas de envolvimento do clien-dias tradicionais – e pelo seu alto poder de en-
  7. 7. te uma vez que este é inevitavelmen- branding Martin Neumeier diz sobre a te interativo. relevância das marcas em um ambiente altamente competitivo. Para o autor, são 5. Efeito de rede – a comunicação en- 5 passos para a sobrevivência no mundo tre cliente é importante. Os clientes digital: 1. diferenciar - seja pelo discurso, tem maior capacidade de construir pela sua expressão ou pela relevância de ou destruir a reputação de empresas seu conteúdo -; 2. colaborar – o mundo ou marcas1. não é mais um monólogo e sim um diálo- go de milhões. É preciso escutar, partici-Ou seja, estamos em um caminho sem re- par e incorporar para fazer parte do jogo 09torno para difusão de ideias numa rede de -; 3. Inovar – se reinventar em cada mídia,bilhões de usuários ávidos por informa- em cada tecnologia como se fosse nativoções a cada segundo. Para se diferenciar dela -; 4. validar – absorver os feedbacksnessa constelação onde todos falam com de seus interlocutores e ser legitimadotodos num caos organizado, as marcas por eles – e, 5. cultivar - hoje as pessoasprecisam construir ‘pontes’ fortes e segu- não querem mais ser consumidoras dasras o suficiente para atender essa deman- marcas. Querem ser amigas, confidentes.da sem precedentes. Para Neumeier, sem esses 5 passos pro-É o que o estudioso norte-americano de fundamente encarnado no DNA da marca,1 http://pt.wikipedia.org/wiki/Marketing_de_Internet (acesso out. 2012)
  8. 8. ela provavelmente estará morta, virtual- sível, pois já vimos que o consumidor na-mente falando. tivo do ambiente digital não está disposto à receber informação passivamente comoMas, com todo esse conhecimento das nas mídias tradicionais.técnicas e metodologias de construção demarca e marketing digital adquirido, uma Então, a marca precisa TER o que falarferramenta específica dentre todo esse com esse publico extremamente critico earcabouço técnico é fundamental para o seletivo. No mundo digital, as marcas pre-profissional que irá trabalhar com mídias cisam se tornar relevantes para seus in-digitais, principalmente aquele responsá- terlocutores. E é exatamente esse o papel 10vel pelo tom que a marca irá ter no am- do branded content.biente digital: o branded content, ou co-municação por conteúdo. Em suma, branded content é quando se transforma a comunicação de uma mar-Com o fenômeno da comunicação digital, ca em atração, tornando-a útil, relevanteas marcas não só precisam estar pre- e/ou divertida. E é uma ferramenta tãosentes nessas novas mídias mas, prin- poderosa que, quando aplicada correta-cipalmente, conversar com seus con- mente, não se precebe mais as frontei-sumidores/públicos alvos, levando sua ras entre o que é comercial ou conteúdomensagem de maneira mais natural pos- e entretenimento. E esse é o cenário ideal
  9. 9. para qualquer marca ser desejada. audiência fragmentada, constituído por diversas plataformas e canais de comuni-Basicamente, branded content se sustenta cação.em uma outra técnica – essa mais antigamas bastante eficaz - que é o storytelling, E é nesse ponto que o profissional de mí-ou seja, a arte de contar histórias. Para dias sociais precisa entender profunda-que a mensagem das marcas se perpe- mente os valores e os pilares da marca,tuem em um universo saturado de infor- conhecer as linguagens de cada mídia e,mações é preciso que ela contem histó- principalmente, saber filtrar as informa-rias, pois são essas ficam na memória do ções disponíveis para transformá-las em 11consumidor. histórias que envolvam seus consmumi- dores/interlocutores.Mas para que a marca tenha repertório eque seja verdadeira e relevante para seus Com o branded content, as marcas tempúblicos, ela precisa entender profun- uma grande possibilidade de diferencia-damente a essência de cada mídia onde ção em um universo extremamente ba-ela irá transitar e com qual linguagem rulhento, onde todos falam muito e aoessa história será contada. Ela precisa mesmo tempo. Só aquelas com conteúdoser transmídia, ou seja, direcionar a sua relevantes, que saibam transitar com na-história e seu conteúdo em um mundo de turalmente entre as diversas mídias e que
  10. 10. consigam contar histórias que vão conse-guir se distinguir em mundo onde a audi-ência nunca foi tão difícil de ser cativada.Mas as marcas não falam por sí só. Ape-sar de toda a estrutura metodológica queas norteam, são pessoas que irão dar vo-zes à elas e, principalmente, serão ou-tras pessoas que estarão aptas à escutaressas vozes. Então, e, mais uma vez, não 12basta apenas conhecer a técnica das mí-dias sociais e sim quais os conteúdos elinguagens irão emocionar e envolver es-ses públicos.
  11. 11. Vivemos em mundo complexo. cultural, é preciso também se desconectar. Rico mas complexo. Quantidade de informação Desconectar significa refletir, característica não significa qualidade. Neste mundo de des- rara no mundo em alta velocidade. É preciso carte imediato, tornar-se relevante é uma ta- parar para entender o processo e não simples- mente embarcar em qualquer novidade consi-2.0 /CONCLUSÕES refa árdua que poucos conseguem em um ce- nário com bilhões de ‘concorrentes’. Prender a derando-a definitiva. Sabemos pouco ou nada atenção de uma pessoa por mais de 2 minutos do mundo digital, mas temos certeza que a im- em um úncio conteúdo não é um trabalho fácil, permanência é sua principal característica. por isso a necessidade da presença de profis- sionais que entendam profundamente o am- Então, as marcas enfrentam o grande desa- 13 biente digital, suas linguagem, seus atalhos fio de eliminar o abismo que existe entre a e suas características, é extremamente valo- administração tradicional e a forma como os rizada. Hoje a demanda do mercado por esse negócios são gerenciados no universo digital, tipo de profissional é muito maior que a ofer- que possuem dinâmicas essencialmente dife- POR Gustavo Santos ta oferecida pois, quem se diz especialista no rentes. Muitas marcas precisarão alterar pro- mundo digital muitas vezes não passa de um fundamente as bases que as consolidaram no generalista, com um conhecimento tal com um mercado consumidor, repensando seus con- rio: comprido e raso. ceitos e sobre sua participação no mundo di- gital. Não só as marcas, mas principalmente Para que esse rio se transforme em um oce- seus gestores. ano, com camadas de profundidade e riqueza
  12. 12. A revolução da comunicação digital está trans- acompanhar as mudanças a apontar o norteformando o mundo dos negócios e naquele no sem se perder no caminho.qual estamos acostumados a viver, obrigandoas empresas e pessoas esquecerem tudo queaprenderam até então para entrar em um uni-verso onde não existem mais fronteiras nemdistância entre as pessoas e as marcas, trans-mutando tudo em um mundo só.Hoje se consome informação corporativa junto 14com dicas de seus amigos.E quem vai guiar essas marcas, empresas,instituições, organizações, etc neste admirávelmundo novo é este profissional do século XXI,que possui as antenas captando as transfor-mações e que vivem profundamente o ‘espíritodo nosso tempo’ mas com um alicerce concei-tual, cultural e conhecimento histórico sólido,para que com senso crítico, discernimento,compreensão e alta carga de refllexão consiga
  13. 13. CASTELLS, Manuel. A Galáxia da Internet. Reflexões sobre a Internet, os negócios e a Sociedade. São Paulo: Jorge Zahar Editor, 2003 CHATFIELD, Tom. Como Viver na Era Digital. São Paulo: Objetiva, 2012 HEALEY, Matthew. What is Branding. Zurique: Rotovision, 2008 GIARDELLI, Gil. Você é o que Você Compartilha. São Paulo: Gente Editora, 2012BIBLIOGRAFIA LANGEFORDS, Börge. Os Computadores. Rio de Janeiro: Salvat Editora, 1979 15 LIPOVETSKY, Gilles. Os Tempos Hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004 LÉVY, Pierre. As Tecnologias da Inteligência: O Futuro do Pensamento na Era da Informática. São Paulo: Editora 34, 1993 NEGROPONTE, Nicholas. A Vida Digital. São Paulo: Companhia das Letras, 1995 NEUMEIER, Martin. O Abismo da Marca. São Paulo: Bookman, 2008 OLLINS, Wally. On Brand. Londres: Thames & Hudson, 2003 RADFAHRER, Luli. Enciclopédia da Nuvem. São Paulo: Campus Editora, 2012.

×