Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora1
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | ...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora2
Marca APLOP
Agenda de Trabalhos
APS | Eduardo ...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora3
Marca APLOP
PRINCÍPIOS
ORIENTADORES
AUTONOMIA
...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora4
Marca APLOP
Critérios de Certificação
PRINCÍPI...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora5
Marca APLOP
SISTEMA DE
CERTIFICAÇÃO
CRITÉRIOS
...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora6
Marca APLOP
Critérios de Certificação
DOCUMENT...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora7
Marca APLOP
Critérios de Certificação
PARTILHA...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora8
Marca APLOP
Critérios de Certificação
PARTILHA...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora9
Marca APLOP
Critérios de Certificação
REDUÇÃO ...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora10
Marca APLOP
Critérios de Certificação
EXPRESS...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora11
Marca APLOP
Critérios de Certificação
FORMULÁ...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora12
Marca APLOP
Níveis de Marca
SISTEMA DE
CERTIF...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora13
Marca APLOP
Metodologia da Certificação
Porto...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora14
Marca APLOP
Caracterização das Auditorias
 O...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora15
Marca APLOP
Comité de Qualidade APLOP
Para es...
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora16
APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL |...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Marca APLOP

218 views

Published on

Powerpoint de suporte à apresentação “MARCA APLOP”, da responsabilidade de Grupo de Trabalho constituído no âmbito da APLOP.
Apresentação da autoria de Eduardo Bandeira (Administrador APS) e de Raquel Maia (Administradora APDL), no IX Congresso da Associação dos Portos de Língua Oficial Portuguesa, que decorreu na cidade brasileira de Itajaí a 11 e 12 de Abril de 2016.

Visite o portal da APLOP: http://aplop.org

Estamos no Twitter: http://twitter.com/aploppress
Estamos no Slideshare: http://www.slideshare.net/aplop/

Published in: Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Marca APLOP

  1. 1. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora1 APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora Marca APLOP IX Congresso dos Portos de Língua Portuguesa Itajaí, 12 de abril de 2016
  2. 2. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora2 Marca APLOP Agenda de Trabalhos APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora • O Grupo de Trabalho APLOP concebeu um conjunto de princípios orientadores e de critérios que objetivaram a criação da “Marca APLOP”, aprovados na reunião intercalar do Mindelo, em novembro de 2015; • Esses princípios e critérios foram incorporados no referencial de certificação, o Sistema GIMA – Guia Interpretativo da Marca APLOP, no qual é definida a metodologia de atribuição da Marca; • É este referencial que agora se apresenta, no IX Congresso da APLOP, como corolário das ações realizadas pelo Grupo de Trabalho.
  3. 3. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora3 Marca APLOP PRINCÍPIOS ORIENTADORES AUTONOMIA INDEPENDENTE DA IMPLEMENTAÇÃO Este princípio determina que não há interdependência entre os 6 critérios, muito embora da coexistência de vários critérios advenha benefícios acrescidos Este princípio determina que o modus operandi dos critérios não depende nem do nível tecnológico nem dos meios disponíveis no porto associado, sendo o seu cumprimento independente do caminho adotado SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO
  4. 4. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora4 Marca APLOP Critérios de Certificação PRINCÍPIOS ORIENTADORES  Autonomia • Cada critério é válido por si só e não depende do cumprimento de outro critério • Tal não invalida o facto de, o cumprimento simultâneo de vários critérios, poder trazer benefícios acrescidos  Independente da implementação • Sendo, no tempo atual, o recurso à tecnologia uma obrigatoriedade, procurou-se que os critérios fossem válidos por si próprios, o que significa que, no limite, até podem ser cumpridos sem recurso a tecnologias, nomeadamente tecnologias da informação • O cumprimento do critério não deverá depender do caminho adotado para chegar a esse cumprimento • Isto permite que cada porto associado possa cumprir um critério de forma adequada à sua realidade local, considerando os recursos disponíveis • Também permite que cada porto associado possa prosseguir um caminho progressivo em termos tecnológicos, sem por em causa o cumprimento de um critério
  5. 5. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora5 Marca APLOP SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO CRITÉRIOS DA MARCA 1. Documento em formato eletrónico 2. Partilha de informação entre quem a utiliza 3. Partilha de informação entre portos associados 4. Redução do tempo de antecedência para a prestação de informação 5. Expressão de decisões por via eletrónica 6. Formulários comuns Permitir uma rápida disseminação da informação Minimizar redundâncias e melhorar a integridade da informação Permitir maior flexibilidade e desempenho operacional aos operadores económicos Potenciar a rapidez de comunicação da decisão Fomentar a simplificação e celeridade processual entre portos associados Facilitar a prestação de informação entre portos associados Facilitar a leitura das decisões das autoridades em diferentes países
  6. 6. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora6 Marca APLOP Critérios de Certificação DOCUMENTOS EM FORMATO ELETRÓNICO1  Propósito • Permitir uma rápida disseminação dos documentos  Descrição • Usar ficheiros eletrónicos contendo documentos  Caracterização • É necessária a existência de meios tenológicos básicos (computador pessoal, impressora e digitalizador) e aplicações gerais de escritório (editor de texto) nas instalações de cada interveniente (agente, operador, autoridade, outros) • Disponibilidade de energia elétrica estável  Ideias chave • Facilidade de concretização (maior eficiência) • Rápida disseminação (ganhos de eficiência) • Progressiva eliminação de papel (menores custos) • Diminuição dos espaços de arquivo (menores custos)
  7. 7. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora7 Marca APLOP Critérios de Certificação PARTILHA DE INFORMAÇÃO ENTRE QUEM A UTILIZA2  Propósito • Minimizar redundâncias e melhorar a integridade da informação  Descrição • A partilha de informação, entre as várias entidades, públicas e privadas, presentes no porto, ou entre portos, evita duplicação de cópias do mesmo documento e garante melhor atualização dos dados  Caracterização • Repositórios de documentos (em papel ou eletrónico, este com vantagens evidentes) onde qualquer interessado credenciado pode ter acesso • Encaminhamento de documentos entre os vários interessados, preferencialmente por via eletrónica  Ideias chave • Rapidez no acesso à informação (maior eficiência e maior flexibilidade) • Eliminação de cópias do mesmo documento (menores custos e maior flexibilidade) • Maior garantia de integridade dos dados (maior segurança)
  8. 8. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora8 Marca APLOP Critérios de Certificação PARTILHA DE INFORMAÇÃO ENTRE OS PORTOS ASSOCIADOS3  Propósito • Fomentar a simplificação e a celeridade processual entre portos associados  Descrição • Antecipação do início da análise de risco no país de destino do navio • Antecipação das decisões de despacho • Facilitação dos processos e atos declarativos a prestar pelos utentes do porto  Caracterização • Definição das regras de cooperação entre portos e, se possível, países associados • Utilização de sistemas informáticos (simples ou mais sofisticados)  Ideias chave • Simplificação processual entre os portos e países associados (maior eficiência e menores custos) • Antecipação de início da análise de risco e do despacho (ganho de eficiência e maior segurança) • Facilitação aos operadores económicos com operações em países associados (menores custos)
  9. 9. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora9 Marca APLOP Critérios de Certificação REDUÇÃO DO TEMPO DE ANTECEDÊNCIA PARA A PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÃO4  Propósito • Permitir maior flexibilidade e desempenho operacional aos operadores económicos  Descrição • Prestação de serviços mais flexíveis aos clientes • Captação de mais clientes em cadeias de abastecimento “tensas”  Caracterização • Eventual necessidade de revisão da legislação • Reformulação de procedimentos operacionais • Formação de recursos humanos e modernização de recursos materiais • Definição de objetivos mensuráveis  Ideias chave • Condições de maior flexibilidade (melhor desempenho) • Captação de clientes, particularmente exportadores (ganhos de mercado) • Aumento do nível de competitividade do porto (acréscimo de desempenho) • Reforços das capacidades dos recursos humanos (maior eficiência)
  10. 10. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora10 Marca APLOP Critérios de Certificação EXPRESSÃO DE DECISÕES POR VIA ELECTRÓNICA5  Propósito • Potenciar a rapidez de comunicação da decisão  Descrição • Usar a via eletrónica para a comunicação de respostas, despachos ou decisões • Maior celeridade e facilitação acrescida na comunicação entre as partes  Caracterização • Eventual necessidade de enquadramentos legal • Utilização de plataforma tecnológica comum a todos os interessados ou por envio eletrónico  Ideias chave • Aumento de eficiência da administração pública • Aumento da flexibilidade oferecida aos agentes económicos • Progressiva eliminação de papel (menores custos) • Simplificação processual
  11. 11. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora11 Marca APLOP Critérios de Certificação FORMULÁRIOS COMUNS6  Propósito • Facilitar a prestação de informação entre portos e países associados • Facilitar a leitura das decisões das autoridades em diferentes países  Descrição • Uniformização dos documentos que circulam entre os vários intervenientes de países diferentes • Mais rápida aprendizagem dos processos e regras aplicáveis em portos distintos  Caracterização • Adoção de formulários comuns (ponto de partida: convenção FAL) • Definição do conjunto de formulários a usar e clarificação das possíveis diferenças de interpretação • Eventual necessidade de revisão da legislação aplicável  Ideias chave • Redução da curva de aprendizagem (maior eficiência e menores custos) • Redução das diferenças de interpretação (ganhos de eficiência e maior segurança) • Significativa facilitação na troca de informação (maior eficiência e maior segurança)
  12. 12. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora12 Marca APLOP Níveis de Marca SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO Marca APLOP BRONZE Marca APLOP PRATA Marca APLOP OURO 1. Nível bronze 2. Nível prata 3. Nível ouro CERTIFICAÇÃO DE 2 CRITÉRIOS CERTIFICAÇÃO DE 4 CRITÉRIOS CERTIFICAÇÃO DOS 6 CRITÉRIOS (TOTALIDADE)
  13. 13. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora13 Marca APLOP Metodologia da Certificação Porto solicita auditoria Porto considera estar em condições para requerer a certificação Auditoria Realizada por Organismo Internacional independente Com auditores coordenadores ISO 9001 com aprovação no setor dos portos Emissão do Certificado Marca APLOP Certificado válido por 2 anos, com auditoria de acompanhamento ao fim de um ano Obtida a conformidade com os requisitos do Sistema GIMA
  14. 14. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora14 Marca APLOP Caracterização das Auditorias  Organismo Internacional independente  Auditores coordenadores ISO 9001 com aprovação no setor dos portos  Duração • 0,5 dia / critério + 1 dia de viagem (caso não haja auditor local) • Bronze (2 critérios) = 1 dia • Prata (4 critérios) = 2 dias • Ouro (6 critérios) = 3 dias  Periocidade • Anual, alternadamente de certificação/recertificação e acompanhamento • O ciclo da auditorias é bianual  Custo • O custo das auditorias é um encargo do porto que se candidata à obtenção da certificação
  15. 15. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora15 Marca APLOP Comité de Qualidade APLOP Para esclarecimento de dúvidas e resolução de questões que surjam da aplicação do Sistema GIMA, será criado o Comité de Qualidade APLOP • Composto por representantes dos portos associados • Empossado pela direção da APLOP • Com Regulamento próprio definidor das suas atribuições, composição e modo de funcionamento • Regulamento elaborado e proposto pelo Comité, para aprovação pela Direção da APLOP • Todas as despesas de funcionamento do Comité são asseguradas pelos portos a que pertencem os seus membros • Os membros do Comité, na função de observadores, podem assistir às auditorias realizadas pelo organismo internacional independente
  16. 16. APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora16 APS | Eduardo Bandeira | Administrador APDL | Raquel Maia | Administradora OBRIGADO

×