TÓPICOS DE INTERVENÇÃO1. Leixões2. As origens3. O que se fez4. A nossa actual oferta5. O que nos distingue em relação a   ...
Leixões: um pólo de negócios
Leixões: um espaço comvalor cénico e ambiental
Leixões: um exemplo de inovação em SI / TI
Leixões: um domínio partilhado
Leixões: um território de saberes Porque acreditamos que a partilha de  conhecimentos faz parte da responsabilidade socia...
II – AS ORIGENSReferência – Ano 2000Concessões em Leixões(Contentores e Carga Geral)Algumas consequências …
II – AS ORIGENS1.   Novas responsabilidades / atribuições para a     Autoridade Portuária …Disponibilizar para o porto for...
II – AS ORIGENS2.   Libertação de instalações       Construção de um Centro de Formação de raiz
II – AS ORIGENSAcrescia … Tradição, já então muito positiva, de Leixões na  formação profissional Know how específico e ...
II – AS ORIGENSJunho 2002… Inauguração do Centro de Formação do Porto de  Leixões
II – AS ORIGENSAlguns objectivos então fixados:• Mais e melhor formação• Assegurar as necessidades formativas da APDL• For...
III – O QUE SE FEZ                     1.293      Acções2003-2011      8.252     Participantes                       47.88...
O Caso Específico PALOP e Timor Leste              2003-2011                      1.165                  PARTICIPANTES    ...
Palop e Timor Leste                         2003 - 2011                                                     Horas         ...
Outros Países Africanos                             2003 / 2010          Pais    nº participantes    Acções    Horas forma...
O CASO CABO VERDEFormação em               Formandos   Horas   Acções  Leixões 2003 - 2011      81       1.431    30Formaç...
TOTAL DE FORMAÇÃO COM CABO VERDE          2.153           Horas de Formação59Acções           554         Participantes
O caso específico dos Cursos de GestãoPortuária 7 Cursos 159 Participantes 785 Horas de Formação
Em 2011 Pós Graduação em Gestão e Estratégia Portuária (Parceria com a ENIDH)• 5 Módulos  170 Horas de Formação• 20 Formad...
35 Participantes:• 12 PALOP (6 Porto Luanda, 3 Enapor, 2 CFM e 1 Enaport)• 7 da APDL• 14 de Empresas Privadas  e outras en...
A partir de 2009Alargamento do âmbito de actividade
CertificaçõesPela DGERT – Direcção Geral do Emprego e dasRelações de Trabalho: Organização, promoção e execução de activi...
Pelo IPTM – Instituto Portuário e dos Transportes   Marítimos: Curso de OPIP’s – Oficial de Protecção de Instalações  Por...
Certificação (SGQ) do “Meio de Transporte Navio”– a Formação como processo de suporte   (auditorias; indicadores...)Na ava...
A NOSSA ACTUAL OFERTA1.       Formação Profissional:     •   Em Leixões ou, localmente, no país de destino     •   Cursos ...
ALGUMAS ÁREAS DE INTERVENÇÃO• Gestão e Estratégia Portuária (Pós-Graduação)• Concessões Portuárias (Diagnóstico, cadernos ...
• Operações Portuárias  (organização e gestão, serviços ao navio e à carga, processos e lay-out)• Projectos e Empreitadas ...
V - O QUE NOS DISTINGUE EM RELAÇÃO A OUTRASOFERTAS NO MERCADO•   Formadores não profissionalizados, preferencialmente recr...
Colaboração de toda a empresa num projecto que não sendo exclusivo do Centro de Formação, envolve toda a APDL• Formação de...
•   E ainda …•   A actividade desenvolvida não tem natureza comercial - não    temos nem nunca teremos qualquer lucro mone...
Sem esquecer que…• Temos hoje um relacionamento privilegiado de proximidade, de  conhecimento e de amizade com pessoas, em...
Numa palavra,A experiência do porto, o envolvimento da APDL,o conhecimento e disponibilidade dos principaisstakeholders co...
VI – O Porto de Leixões e a APLOP Leixões tem instalações Leixões tem experiência Leixões julga ter algum conhecimento...
Leixões coloca-se ao dispor da Associação de Portos de Língua Portuguesapara colaborar em qualquer iniciativa, projecto ou...
Obrigado pela vossa atenção
EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA

1,114 views

Published on

A segunda sessão plenária do IV Encontro de Portos da CPLP, que decorreu na cidade cabo-verdiana do Mindelo, a 17 e 18 de Novembro de 2011, teve como tema central “A IMPORTÂNCIA DA COOPERAÇÃO E FORMAÇÃO NO ESPAÇO CPLP”.
Nesta sessão, o Eng. Matos Fernandes, Presidente do Conselho de Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL), apresentou aos participantes a primeira parte da comunicação “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”. A segunda parte desta comunicação foi apresentada pelo Dr. Lima Torres.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,114
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA

  1. 1. TÓPICOS DE INTERVENÇÃO1. Leixões2. As origens3. O que se fez4. A nossa actual oferta5. O que nos distingue em relação a outras ofertas de mercado6. O porto de Leixões e a APLOP
  2. 2. Leixões: um pólo de negócios
  3. 3. Leixões: um espaço comvalor cénico e ambiental
  4. 4. Leixões: um exemplo de inovação em SI / TI
  5. 5. Leixões: um domínio partilhado
  6. 6. Leixões: um território de saberes Porque acreditamos que a partilha de conhecimentos faz parte da responsabilidade social de uma empresa; Porque o negócio portuário beneficia com a sua divulgação alargada junto dos sectores da sociedade e da economia Porque aprendemos sempre que nos confrontamos com realidades e problemas diferentes dos nossos
  7. 7. II – AS ORIGENSReferência – Ano 2000Concessões em Leixões(Contentores e Carga Geral)Algumas consequências …
  8. 8. II – AS ORIGENS1. Novas responsabilidades / atribuições para a Autoridade Portuária …Disponibilizar para o porto formaçãoqualificada à medida das áreas eagentes com actividade em Leixões
  9. 9. II – AS ORIGENS2. Libertação de instalações Construção de um Centro de Formação de raiz
  10. 10. II – AS ORIGENSAcrescia … Tradição, já então muito positiva, de Leixões na formação profissional Know how específico e de largos anos de actividade envolvendo quadros e chefias da APDL
  11. 11. II – AS ORIGENSJunho 2002… Inauguração do Centro de Formação do Porto de Leixões
  12. 12. II – AS ORIGENSAlguns objectivos então fixados:• Mais e melhor formação• Assegurar as necessidades formativas da APDL• Formação para o porto e outras entidades• Arranque de projectos na área da Cooperação com outros portos• Privilegiar a intervenção de quadros da APDL (conhecimento/motivação)
  13. 13. III – O QUE SE FEZ 1.293 Acções2003-2011 8.252 Participantes 47.889 Horas de Formação
  14. 14. O Caso Específico PALOP e Timor Leste 2003-2011 1.165 PARTICIPANTES 8.639 HORAS DE FORMAÇÃO 224 ACÇÕES
  15. 15. Palop e Timor Leste 2003 - 2011 Horas Pais nº participantes Acções formaçãoAngola 369 76 2.447Guiné - Bissau 136 49 2.132Moçambique 42 6 447Cabo Verde 554 59 2.153S. Tomé e Príncipe 48 27 1.156Timor Leste 16 7 306Total Global: 1.165 224 8.639
  16. 16. Outros Países Africanos 2003 / 2010 Pais nº participantes Acções Horas formaçãoBenin 5 2 91Camarões 4 2 91Guiné - Conakri 2 1 70Senegal 2 2 91Togo 8 2 91Tunísia 6 2 91Total 27 11 525
  17. 17. O CASO CABO VERDEFormação em Formandos Horas Acções Leixões 2003 - 2011 81 1.431 30Formação em Formandos Horas Acções Cabo Verde 2007 141 220 8 2008 299 474 19 2009 33 28 2 Total: 473 722 29
  18. 18. TOTAL DE FORMAÇÃO COM CABO VERDE 2.153 Horas de Formação59Acções 554 Participantes
  19. 19. O caso específico dos Cursos de GestãoPortuária 7 Cursos 159 Participantes 785 Horas de Formação
  20. 20. Em 2011 Pós Graduação em Gestão e Estratégia Portuária (Parceria com a ENIDH)• 5 Módulos 170 Horas de Formação• 20 Formadores• 3 Seminários• 2 Visitas técnicas
  21. 21. 35 Participantes:• 12 PALOP (6 Porto Luanda, 3 Enapor, 2 CFM e 1 Enaport)• 7 da APDL• 14 de Empresas Privadas e outras entidades• 2 inscritos individualmente
  22. 22. A partir de 2009Alargamento do âmbito de actividade
  23. 23. CertificaçõesPela DGERT – Direcção Geral do Emprego e dasRelações de Trabalho: Organização, promoção e execução de actividades formativas
  24. 24. Pelo IPTM – Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos: Curso de OPIP’s – Oficial de Protecção de Instalações Portuárias (Código ISPS)
  25. 25. Certificação (SGQ) do “Meio de Transporte Navio”– a Formação como processo de suporte (auditorias; indicadores...)Na avaliação (anónima) de cada curso, a percentagem derespostas de “Bom” e “Muito Bom”, não poderá ser inferiora 65%.
  26. 26. A NOSSA ACTUAL OFERTA1. Formação Profissional: • Em Leixões ou, localmente, no país de destino • Cursos avulso ou programas multidisciplinares • Conteúdos e calendarização por medida • integral ou em parceria2. Estágios e visitas técnicas3. Consultoria4. Prestação de serviços (12 contratos no último ano e meio)
  27. 27. ALGUMAS ÁREAS DE INTERVENÇÃO• Gestão e Estratégia Portuária (Pós-Graduação)• Concessões Portuárias (Diagnóstico, cadernos de encargos, concurso, contrato, follow-up)• Controlo de Gestão• Estatísticas e indicadores de performance portuária• Tarifários
  28. 28. • Operações Portuárias (organização e gestão, serviços ao navio e à carga, processos e lay-out)• Projectos e Empreitadas (Processo de concurso, apreciação de propostas,assessoria e fiscalização)• Logística• Segurança (ISPS)• Higiene e segurança no trabalho• ………………
  29. 29. V - O QUE NOS DISTINGUE EM RELAÇÃO A OUTRASOFERTAS NO MERCADO• Formadores não profissionalizados, preferencialmente recrutados entre os melhores quadros do sector• Colaboração de outras entidades em projectos formativos ou de prestação de serviços -Universidade do Porto, Universidade Portucalense, Escola Náutica, Escola de Gestão do Porto, UNCTAD,etc• Apoio da Comunidade Portuária de Leixões, designadamente dos Concessionários, em acções onde a sua experiência e conhecimento são relevantes
  30. 30. Colaboração de toda a empresa num projecto que não sendo exclusivo do Centro de Formação, envolve toda a APDL• Formação decorrente em ambiente portuário – Visitas técnicas, – Acompanhamento das operações – Relacionamento com os principais intervenientes da actividade portuária• Possibilidade de realização de Estágios• Excelentes condições de apoio e logística aos Formandos – Cantina – Utilização hoteleira em condições privilegiadas – Instalações sociais da APDL – Gabinete médico
  31. 31. • E ainda …• A actividade desenvolvida não tem natureza comercial - não temos nem nunca teremos qualquer lucro monetário• Privilegiamos a qualidade - limitamo-nos a tentar cobrir os custos (e nem sempre o conseguimos …)• Partilhamos de um desígnio nacional de cooperação com outros países• Contribuímos para o prestígio da Empresa e para a afirmação da marca Leixões
  32. 32. Sem esquecer que…• Temos hoje um relacionamento privilegiado de proximidade, de conhecimento e de amizade com pessoas, empresas e instituições das mais variadas nacionalidades• Muitos dos aqui presentes compreendem bem o alcance desta afirmação…
  33. 33. Numa palavra,A experiência do porto, o envolvimento da APDL,o conhecimento e disponibilidade dos principaisstakeholders colocandoLeixões ao serviço de um projecto global emulticultural de intercâmbio, cooperação etransmissão de conhecimento.
  34. 34. VI – O Porto de Leixões e a APLOP Leixões tem instalações Leixões tem experiência Leixões julga ter algum conhecimento...
  35. 35. Leixões coloca-se ao dispor da Associação de Portos de Língua Portuguesapara colaborar em qualquer iniciativa, projecto ouprograma no quadro do que acabamos de expôr
  36. 36. Obrigado pela vossa atenção

×