ANOXVI RIO DE JANEIRO, 22 DE OUTUBRODE 1984 NQ 785
No 11 CONEC(Congresso Estadual dos Corretores de Seguros de São Paulo),...
Estultos e Opiniões
SrGURi~NÇA INDU~~TRIAL
A IMPORTANCIA DO 10NHECI ~F,JTO DE SEUS CONCEITOS
EngÇ Antônio F~nando de A. Nd...
Umadas mãximaspopulares diz que: "r olhando-se o passado que apren
de-se a caminhar no futuroll. Assim sendo, comas experi...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Fenaseg: Segurança Industrial - a importância do conhecimento de seus conceitos

144 views

Published on

Segurança Industrial - a importância do conhecimento de seus conceitos

Published in: Engineering
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
144
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Fenaseg: Segurança Industrial - a importância do conhecimento de seus conceitos

  1. 1. ANOXVI RIO DE JANEIRO, 22 DE OUTUBRODE 1984 NQ 785 No 11 CONEC(Congresso Estadual dos Corretores de Seguros de São Paulo), o Pre- 1 sidente da FENASEG,Victor Renault, fez de improviso umapalestra sobre a repri vatização do seguro de acidentes do trabalho, emque abordou os variados as7 pectos da questão. Desdeo ângulo jurídico ate o de ordem pratica e funcional, tudo demonstra que a volta daquele seguro ã iniciativa privada sera altamente vantajosa tanto para empregadose empregadores, quanto para a economia e o País. Dia 25 de outubro (quinta-feira) sera realizada na Sociedade Harmonia de Tênis, ~ na capital paulista, a solenidade de posse da nova Diretoria e Conselho Diretor da Associaçãodas Companhiasde Seguros. A Diretoria recem-eleita tem comopre sidente o Sr. clãudio Afif Domingos, que substitui o Sr. Caio Cardoso de Almeida. - O Presidente da Republica sancionou a Lei nQ 7 223, modificando a redação do pa :3ragrafo 4Qdo artigo 543, da Consolidação das Leis do Trabalho. Segundoa novã redação, "considera-se cargo de direção ou representação sindical aquele cujo exercício ou indicação decorre de eleição prevista emlei". O Departamento Nacional de Estradas de Rodageminforma que se desenvolvera no ~ Rio de Janeiro, no período de 21 a 26 de outubro, a 10QReunião Mundial da "1n- ternational ReadFederation". O certame, que reunira cerca de 5 mil participan tes, terã comoprincipal tema "A Eficiência na Administração Rodoviãria", abordandõ aspectos econômicos, políticos e sociais da estrada de rodagem, bemcomoitens relati vos ã utilização e segurança nas rodovias. Segundoo noticiario da imprensa, o Superintendente de Seguros do Estado de No- !) va Iorque pretende examinar (e revisar, se for o caso) a apólice comprada peloCITICORPpara cobrir o risco de perdas resultadas do inadimplemento da divida externa da Argentina, do Brasil, das Filipinas, do Mexico e da Venezuela. O objetivo e averiguar se a seguradora "possui reservas suficientes para cobrir possiveis recla- maçõesda instituição bancãria e capacidade de repassar a maior parte do risco a ou- tras seguradoras". O "Comitê de Riscos de Guerra" do Lloyd's (Londres) anunciou que os prêmios de E)seguros pa~a as embarcaçõe.sque trafegam pelQ Golfo Persico continuam em_queda. Emconformldade comfontes do lloyd's, os premios para quemembarca petroleo na ilha Kharg encontram-se em torno de 5%sobre o valor do casco e de 3 a 4%sobre o va- lor da carga. Emborapersistam os ataques a petroleiros -- acentuou a mesmafonte -, o numerode vítimas tem sido pequenoe as investidas commísseis não têm resultado em explosões ou incêndios de monta. Coma participação de representantes de diversos países, t~ve inicio ontem, e~ ~ Tegucigalpa (Honduras), o XCongresso de Seguradores da AméricaCentral, Panama e Caribe. Promovido pela CamaraHondurenade Aseguradores, o evento tem como finalidade o intercâmbio de experiências e o debate de problemas comuns do mercado. Dotemario, destacam-se:1) O Seguro de Vida; 2) O Segurode Danos;3) Aspectos Ge- rais.
  2. 2. Estultos e Opiniões SrGURi~NÇA INDU~~TRIAL A IMPORTANCIA DO 10NHECI ~F,JTO DE SEUS CONCEITOS EngÇ Antônio F~nando de A. NdV~O p~~~* Falar sobre a importância da Segurança Industrial nos dias de hoje e falar sobre o óbvio. O que nos conduz a este tipo de raciocinio e o fato de que a humanidade, desde os tempos idos, vemsofrendo continuados reveses comas perdas vc- rificadas quando da ocorrência de incêndios. Essas perdas, produzidas por variadas causas, foram responsáveis pela falência e dissolução de pequenos e grandes grupos de individuos. Emnossos dias, devido ã sofisticação verificada em todas as ãrea~ como aperfeiçoamento de maquinismos, equipamentos e processos, tem-se observado que as perdas, no que diz respeito a valores envolvidos, são cada vez maiores, e de repo sição mais lenta. - Após a conclusão de inumeros estudos acerca das causas dos inc~n - dios, verificou-se que alguns deles poderiam ter sido perfeitamente previstos e a~- sim sendo, sido evitados. De aperfeiçoamento da tecnica para evitar-se os ince" ir -surgiu a "Segurança Industrial". Posteriormente, essa tecnica foi evoluindo e S.'II aprimorada, de forma e tratar não somente do incêndio em si, mas tambem de todas conjugações de fatores que conduzem a um incêndio. Desta forma, verifica-se que f lar sobre Segurança Industrial e o mesmo que falar sobre uma gama de atividades, -0- das interrelacionadas. Dentre essas atividades podemoscitar: p roteç ~o contra incêndio atividades diversas . r I I , I " "... .-", BI.785*pãg.01*22.10.84
  3. 3. Umadas mãximaspopulares diz que: "r olhando-se o passado que apren de-se a caminhar no futuroll. Assim sendo, comas experiências adquiridas com as debe7 lações dos incêndios, foi-se aprimorando as técnicas de combate e de extinção. Umdos fatores que contribuiu para essa evolução foi a utilização de novos produtos, alguns com alto grau de inflamabilidade. Emnosso Pais, o trauma provocado pelas ocorrências de incêndios atin gindo grandes edificações, como os edificios Andraus e Joelma, ambos em são Paulo, e () edificio Astõria, no Rio de Janeiro, dentre outros, nos quais as perdas materiais e hu manas foram bem 9randes, vem motivando uma completa reformulação em nossos cõdigos _e regulamentos, visando adequã-los às novas necessidades. Esse trabalho de reformulaçao ainda estã insipiente, tendo como principal agravante o fato de que todo esse trabalho nã? visa a u~ificação dos mesmos. Quemquiser elaborar um projeto_d~ Se~ur~nça ~nd~s- trlal, devera observar os regulamentos existentes elaborados por varlOS orgaos dlstln- tos, tais como: Corpos de Bombeiros Estaduais; Regulamentos do Mercado Segurador; Regulamentos do Ministério do Trabalho; Normasda Associação Brasileira de NormasTécni~as; Regulamentos Municipais ~ Estaduais; Regulamentos Internacionais, na ausência de regulamentos nacionais especificos. Comopode-se observar, vãrios são os regulamentos que regem a mesma materia. Essa diversificação de regulamentos, alguns no mesmoõrgão, comono caso dos Co"rposde Bombeiros, somente prejudica a implantação de programas de Segurança Indus -trial. A Segurança Industrial pode ser definida comoo resultado da associa ção de umconjunto de técnicas, as quais, apõs sua aplicação, tornam uma instalaçãõ mais segura, não sõ quanto aos riscos de surgimento de incêndios, mas tambemquanto à segurança dos operários. Dessa forma, o universo de aplicação da Segurança Industrial e bastante abrangente, abordando desde a implantação da industria, ate a expedição dos produtos acabados. * AntôJÚo FeJtna.ndode A. Na.vaJVWPeJtwa. ê. EngwhÚltO Civil, pÓ.6-g~ duado em Seg~ça. do T~ba.iho, eom V~O.6 e~o.6 de e.6pe~za.ção em .6eg~ça. htd!LÓtJU..a.,te pltO:teção de -<-ttÓ:ta.ia.ÇÕe.6. -I BI.785*Pãg.02*22.10.84 .

×