Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Partido arquitetônico

61,578 views

Published on

Published in: Education

Partido arquitetônico

  1. 1. Partido ArquitetônicoProjeto de Arquitetura e Urbanismo 3 – PR Prof. Dra Adriana Mara Vaz de Oliveira Prof. Gustavo Garcia do Amaral
  2. 2. Projeto de arquitetura enquanto processoO projeto de arquitetura não é um processolinear, em que uma tarefa específica conduza uma única solução. É um processo emque todos os aspectos relevantes sãosubmetidos a um rigoroso juízo crítico(LEUPEN, 2004).Inicia-se com um programa (que sedesdobra em múltiplas necessidades) e umsítio (contexto, na sua mais ampla acepção).Considerando todas as exigênciascolocadas, o arquiteto interpreta-as e dá umpasso preliminar do processo de projeto: INTERPRETAÇÃO. Museu de Arte de São Paulo (MASP), Lina Bo Bardi, 1957-1969
  3. 3. O ConceitoNa continuação, o arquiteto define um conceito. Oconceito expressa a idéia subjacente no desenho eorienta as decisões de projeto em uma determinadadireção, organizando e excluindo as variantes (LEUPEN,2004). Milwaukee Art Museum – Santiago Calatrava, 2001
  4. 4. Conceito•Alinha-se com uma Idéia original e genérica sobre a maneira de resolver espacialmenteum tema de arquitetura•Revela o julgamento,o entendimento, a opinião do arquiteto sobre o tema esuas intenções sobre seu trabalho, que se manifestará como obra construída•Fundamenta a concepção do projeto arquitetônico > formulação primeira da sua proposta desolução espacial e técnica•Encaminha a definição do partido arquitetônico•No entanto, a mente humana não trabalha sobre o vazio, mas sobre conhecimentos préviosdevidamente amadurecidos e armazenados na memória – estudos de caso.•O conceito é o resultado de associações de qualquer natureza, gerado para criar aproposição do partido arquitetônico, necessita dos conhecimentos assimilados pelo arquiteto.O conceito pode adotar múltiplas formas:•Esboços de forma (tradição, invenção)•Esquemas de planta•Cortes esquemáticos•Diagramas•Metáforas
  5. 5. Conceito•Com o conhecimento o arquiteto desenvolve o seu processo conceitual Uma arquitetura adequada à “dinâmica da contemporaneidade”•Arquitetura contemporânea: a relação equilibrada entre conhecimento racional e conhecimentosensível, ou seja, o resultado físico e espacial do equilíbrio harmonioso entre o mundo racional e omundo sensível. A arquitetura encontra-se no meio disso. Perceber que não pode resolver aarquitetura sem uma base estrutural tecnológica fortíssima, mas também sensível e extremamentebem resolvida, conseguindo equilibrar isso de maneira harmoniosa e eficaz, bem como RenzoPiano, Richard Rogers e Helmut Jahn, entre outros, que também trabalham esses aspectos.
  6. 6. ConceitoEste estudo deve ser complementado ainda pelos dados do projeto, formados por:1.Análise do programa arquitetônico estabelecido2. Estimativa de dimensões, área construída, configuração geral do(s) volume (s) resultantes doprograma3. Estudo das características do terreno > formato, dimensões, relevo4. Estudo das limitações impostas pela legislação pertinente5. Avaliação dos recursos materiais, ambientais6. Identificação dos demais condicionantes significativos > acessos, insolação, fonte de ruídos,edificações vizinhas, vegetação, etc. ( SILVA, 1991) O conceito situa-se num plano A concepção do projeto não deve violar as abstrato,pode-se admitir várias idéias assumidas pelo arquiteto, e sim soluções espaciais e formais atender as condicionantes e qualidades viáveis, que devem ser testadas locais geradoras da síntese, que resulta no quanto às suas qualidades formais, PARTIDO ARQUITETÔNICO construtivas ou funcionais para a definição do melhor partido, porém
  7. 7. Conceito“A industria exuberante como uma rio que rola para seudestino, nos traz os novos instrumentos adaptados a estaépoca nova animada de espírito novo.A grande industria deve se ocupar da construção eestabelecer em serie os elementos da casa.E preciso criar o estado de espírito da serie.O estado de espírito de construir casas em serie.O estado de espírito de residir em casas em serie.O estado de espírito de conceber casas em serie.” L. Corbusier, 1923. Maison Citrohan – Le Corbusier, 1927
  8. 8. Residencia Schroeder – Gerry Rietveld - 1927 Piet Mondrian– 1921 Red and Blue Chair– Gerry Rietveld - 1927
  9. 9. Casa Farnsworth– Mies Van der Rohe, 1946
  10. 10. Palazo Dello Esporte– Pier Luigi Nervi, 1956
  11. 11. Catedral de Brasília – Oscar Niemeyer, 1960Não é o ângulo reto que me atrai,nem a linha reta, dura, inflexível,criada pelo homem. O que me atraié a curva livre e sensual, a curva queencontro nas montanhas do meupaís, no curso sinuoso dos seus rios,nas ondas do mar, no corpo damulher preferida. De curvas é feitotodo o universo, o universo curvo deEinstein.
  12. 12. Tjibaou Cultural Centre, New Caledonia. Renzo Piano, 1998
  13. 13. O partido arquitetônicoProjetar é muito mais que escolher umaforma.Preparar uma comida não é uma meraquestão de unir ingredientes, mas percebercomo se elaboram, mesclam e cozinham(LEUPEN, 2004).Partido arquitetônico = contexto objetivo do Casa Gerassi – Paulo Mendes da Rocha (1990programa (interpretação dos condicionantes)+ intenção plástica do projetista (SILVA,1991). Pavilhão do Brasil em Osaka – Paulo Mendes da Rocha (1970
  14. 14. O partido arquitetônico....“enquanto satisfaz apenas às exigênciastécnicas e funcionais - não é aindaarquitetura; mas quando - popular ou erudita -aquele que a ideou pára e hesita ante asimples escolha de um espaçamento de pilarou de relação entre altura e largura de um vãoe se detém na procura obstinada da justamedida entre cheios e vazios, na fixação dosvolumes e subordinação deles a uma lei e sedemora atento ao jogo de materiais ao seuvalor expressivo - quando tudo isso vai apouco somando, obedecendo aos maisseveros preceitos técnicos e funcionais, mastambém àquela intenção superior queseleciona, coordena e orienta emdeterminados sentido toda essa massaconfusa e contraditória de detalhes,transmitindo assim ao conjunto ritmo,expressão, unidade e clareza - o que confereà obra o seu caráter de permanência. Isto simé arquitetura" Lúcio Costa Clube Atletico Paulistano – Paulo Mendes da Rocha (1956)
  15. 15. O partido arquitetônicoO Partido arquitetônico pode surgir:1- Da análise do terreno- Localização / Fotos do local / Entorno / Visitas / Ligações / Acessos.2- Do programa de necessidades – Setorizarização/ Arranjo vertical / horizontal3- Dos Aspectos da implantação-Orientação / Insolação / Luz natural / Privilegiar o meioambiente existente.4- Dos Aspectos Construtivos - Materiais / Partido estrutural5- Do Volume pretendido - Forma / Fachadas / Movimento / Transparência / Cor / Linhas curvasou retas6- Dos Fluxos - Distribuição espacial das funções / Circulação principal / Integração espacial /Eixo norteador.7- Da Identidade - Imagem do lugar8- Dos Aspectos conceituais - Tema / História...9- Dos Critérios de viabilidade do Projeto - Econômica / Tecnico-construtiva / Respeito ao MeioAmbiente10- Da Posição Arquitetônica - determinado Arquiteto e/ou Tendência Contemporânea11- De Teorias / Idéias (Fruto de leituras, análises de projeto e reflexão sobre o tema).12- Da necessidade de Flexibilidade do projeto ( para crescimento futuro e/ou adaptaçõespossíveis)13- Da legislação regulamentadora ( Código de obras, Leis de uso do solo, Ambiental,etc..)

×