Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

O joio perverso e o trigo de luz

37 views

Published on

Palestra sobre texto de Até o fim dos tempos de Amélia Rodrigues. Passagem evangélica - parábola do joio e do trigo.

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

O joio perverso e o trigo de luz

  1. 1. O joio perverso e o trigo de luz Angelo – 17/08/2018 disponível em www.slideshare.net/angelojmb
  2. 2. O cenário  Cessada a algaravia da turbamulta ansiosa e insatisfeita, após as lições de sabedoria, Jesus foi para casa.  As casas eram abrigos e remansos tranquilos para seus habitantes  Intercâmbio de vibrações sutis entre o mundo físico e o transcendental  A presença de Jesus irradiava harmonia e toda uma sinfonia quase inaudível de incomum beleza permanecia vibrando onde Ele se encontrava. Até o fim dos tempos, cap. 5, §§ 1 a 5
  3. 3. O ensino por parábolas  “Para que não voltassem aos tumultos nem às insensatezes comprometedoras, o Mestre, dando cumprimento ao que estabelecera a Profecia, abriu a Sua boca em parábolas e proclamou coisas que estavam ocultas desde o princípio, e, por isso mesmo, ignoradas.”  “A partir daquele momento, ninguém se poderia considerar ignorante da verdade, deserdado do reino dos céus, esquecido da Divina Providência.” Até o fim dos tempos, cap. 5, §§ 7 a 8
  4. 4. A parábola do trigo e do joio 24 Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O Reino dos céus é semelhante ao homem que semeia boa semente no seu campo; 25 mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou o joio no meio do trigo, e retirou-se. 26 E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio. 27 E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu no teu campo boa semente? Por que tem, então, joio? 28 E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres, pois, que vamos arrancá-lo? 29 Porém ele lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele. 30 Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: colhei primeiro o joio e atai-o em molhos para o queimar; mas o trigo, ajuntai-o no meu celeiro. Mt 13:24-30
  5. 5. A explicação aos discípulos  “O mundo é o campo imenso e abençoado que aguarda a sementeira. Neutro, depende daquele que o vai utilizar...”  “Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem, que veio distribuí-la em toda parte...  A boa semente são os filhos do reino, como palavras renovadoras e diretrizes de segurança, para que tudo se faça de acordo com os desígnios do Pai, que deseja a felicidade dos Seus filhos e providencia para que nada lhes falte no cometimento da evolução.” Até o fim dos tempos, cap. 5, §§ 13 a 16
  6. 6. A explicação aos discípulos  “O joio são os filhos do maligno, que são os vícios e as perversões que se permitem as criaturas no trânsito de crescimento interior, sem a necessária coragem para vencê-los.  O inimigo que semeou o joio é a inferioridade moral do ser que nele predomina, retendo-o na retaguarda do processo de iluminação pessoal, a que se entrega sem resistência, porque lhe atende os desejos primários a que se encontra acostumado.” Até o fim dos tempos, cap. 5, §§ 17 e 18
  7. 7. A explicação aos discípulos  “A ceifa é o fim do mundo e os ceifeiros são os anjos. O mundo moral está em constante transformação, por causa da transitoriedade da existência física, das suas alternâncias e a seus processos degenerativos. Por mais longa, sempre se interrompe pelo fenômeno da morte e se encerra o capítulo existencial, chegando o momento da ceifa, que se apresenta na consciência, que refaz o caminho percorrido sob a inspiração dos seres angélicos encarregados de orientar os seres humanos.” Até o fim dos tempos, cap. 5, § 19
  8. 8. A explicação aos discípulos  “Assim, pois, como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será no fim do mundo, quando cessar as experiências carnais de cada criatura, que enfrentará a semeadura do mal realizada no próprio coração. Os erros, na condição de erva perniciosa, reaparecerão com todo o vigor ...” Até o fim dos tempos, cap. 5, § 20
  9. 9. A explicação aos discípulos  "O Filho do homem enviará os Seus anjos que hão de tirar do Seu reino todos os escandalosos ... haverá choro e ranger de dentes, porque a consciência quando desperta e avalia o mal que a si mesma se fez, sem oportunidade imediata de reparação, aflige-se ... por haver-se iludido sem qualquer necessidade.”  "Enquanto isso, os justos resplandecerão como o Sol, no reino do seu Pai, porque estarão em paz consigo mesmos, sintonizados com a imortalidade em triunfo, livres de paixões e vinculações com o crime, a hediondez, a sombra que antes neles predominavam." Até o fim dos tempos, cap. 5, §§ 21 a 23
  10. 10. Qual é o grande desafio?  O que esta parábola nos ensina sobre:  a discriminação  o preconceito  a intolerância  o perdão  o autoperdão  “... Vivei com os homens de vossa época, como devem viver os homens. ... Sois chamados a estar em contato com espíritos de naturezas diferentes, de caracteres opostos...” ESE, XVII, item 10
  11. 11. As responsabilidades crescentes...  “... as responsabilidades cresciam e delineavam com maior precisão os compromissos que firmariam com o suor do trabalho e o sangue do sacrifício.  Já não eram mais os mesmos, aqueles homens simples... O Amigo se encarregava de trabalhá-los a todos para as tarefas que teriam de executar até o fim dos milênios. Até o fim dos tempos, cap. 5, §§ 27 a 28

×