Reunião Geral CBAN 04

408 views

Published on

Ata da reunião geral do Comite Brasileiro de Avaliadores de Negocios, número 04, ocorrida em abril de 2013.

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Reunião Geral CBAN 04

  1. 1. 11 ANEFAC - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXECUTIVOS DE FINANÇAS, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADEATA REUNIÃO CBAN10 de abril de 2013PRESENTESAdriano Rodrigues FACC / COPPEAD - UFRJadriano@facc.ufrj.brAline Matos Landmark Propertiesam@landmarkproperties.com.brAna Cristina França de Souza Apsisana.souza@apsis.com.brAnibal Moreira dos Santos Valeelizabeth.pereira@vale.comCleber Santiago Valecleber.santiago@vale.comClodiana Brescovit Petrobrás Biocombustívelclodiana@petrobras.com.brEric Barreto Cinecorperic.barreto@cinecorp.com.brGabriela Morais Levingabriella.morais@levinglobal.comGiana Araújo Apsisgiana.araujo@apsis.com.brHelena Figueira Landmark Propertieshf@landmarkproperties.com.brJoão Garcia M/Legatejoao.garcia@mlegate.comJorge Augustowsky Lexusj.augustowski@uol.com.brJosé Fernandez Vidal LEXBRIDGEluciana@lexbridge.com.brJose Mollo M/Legatejose.mollo@mlegate.comJuçanã Souza Valejucana.souza@vale.comLarissa Dantas Ruiz Pozzato & Ruiz Advogadoslarissa@pozzatoruiz.com.brLuiz Paulo Silveira APSISluiz.silveira@apsis.com.brMarcelo Aparecido Martins de Oliveira NPV FINANCASmartins@npvfinancas.com.brMarcio Bertelli Castro Monteirombm.bertelli@hotmail.comMauro Jacob Gaia Silva Gaede & Associadosjacob@gaiasilvagaede.com.brMichele Gomes Alves Soares BANCO BRADESCO4100.micheleg@bradesco.com.brMiguel Bahury ANEFACbahury@globo.comRené Dutra LEXBRIDGEluciana@lexbridge.com.brRodney Nilson Levinrodney.nilson@levinglobal.comRodrigo Cossovan Derivados do Brasilrodrigo.cossovan@dvbr.com.brRodrigo M. Amato Mark to Marketrodrigo.amato@mark2market.com.brThais Fleury Levinthais.fleury@levinglobal.comThais Gil Menezes Valethais.menezes@vale.com
  2. 2. ANEFAC - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXECUTIVOS DE FINANÇAS, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE22INFORMES1. Foi feito um balanço das atividades do CBAN, de acordo com os seus respectivosobjetivos (apresentação disponível para download no blog).2. Em linhas gerais, o contato com órgãos reguladores no Brasil foi destacado, na medidaem que se deseja que a produção interna tenha alguma ressonância em âmbitonacional.3. Participação com comentários ao Código de Autorregulação do Comitê de Fusões eAquisições (CAF).4. A reunião com a CVM foi o destaque do primeiro ciclo de contatos realizados peladiretora executiva Ana Cristina França de Souza, juntamente com o vice-presidenteda ANEFAC Rio René Martins, e o Diretor de Mercado de Capitais e também integrantedo CBAN, Miguel Bahury.5. No mercado internacional, foi destacado o estreitamento com três organizações: International Valuation Standards Council (IVSC)o Órgão responsável pela padronização dos procedimentos em avaliação emâmbito internacional;o Incluiu nossa participação no grupo de tradução das normas de avaliação IVS,a serem lançadas ainda em abri/2013 International Institute of Business Valuation (IIBV)o Resultado de uma associação entre o IVSC com a ASA, tradicional associaçãoprofissional de avaliadores norte-americana, com objetivos educacional e deformação profissional.o Trouxemos o curso BV 301 de Avaliação de Intangíveiso Ver se o mercado tem interesse no BV 302 – Tópicos avançados em Avaliaçãode Ativos Intangíveis International Association of Consultants, Valuators and Analists (IACVA)o Formação de um capítulo brasileiro da associação via ANEFACo Formação de 7 professores certificados internacionalmente com o CVAo Montagem de cursos de avaliação em português, para formação de novosavaliadores internacionalmente certificados.o Os cursos terão início em agosto de 2013.o O IACVA também convida os diferentes grupos de trabalho do CBAN ou seusmembros independentes a produzir artigos para publicação.PRODUÇÃO DE DIRETRIZES E ORIENTAÇÃO TÉCNICA
  3. 3. ANEFAC - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXECUTIVOS DE FINANÇAS, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE33Foi lembrada a produção dos documentos no ano passado: Orientação 01 do CBAN (OCBAN 01), que consiste principalmente na justificativa paraa existência do CBAN e suas relações com o IVSC. Orientação 02 (OCBAN 02) dá as diretrizes de ética profissional e das melhorespráticas na confecção de laudos de avaliação em geral. Diretriz Técnica (DT), que aborda a metodologia do fluxo de caixa descontado.Foi feita a apresentação da produção dos documentos iniciados no ano passado – atendendoaos objetivos de normalização dos procedimentos de avaliação com base nas normasinternacionais: Orientação (OCBAN) 03 - Avaliação a Valor Justo – coordenado por Rodney Appiano eAna Cristina França de Souza. Diretriz Técnica (DT) Ativos Intangíveis – com coordenação de Luiz Paulo Silveira eLarissa Ruiz. DT de Avaliação de Instrumentos Financeiros – com coordenação de Eric Barreto eRodrigo Amato.OCBAN 03 - Valor Justo O objetivo desta orientação é interpretar as diferentes concepções de Valor Justo ecomo estar diferenças se aplicam na área de avaliação. Vai funcionar como um “documento-mãe” com abertura para a produção dasdiretrizes Técnicas específicas por Ativo e Passivo a ser avaliado. Deve combinar uma generalização teórica (definição e aplicação do conceito) comuma parte prática. A proposta seria aproximar o conceito e aplicação do Valor Justo um pouco mais aindado que o CPC 46, uma vez que traria exemplos práticos e comentaria a Lei das S/A. Clodiana sugere a inserção de ativos biológicos como uma das partes práticas.Convidada a coordenar uma DT específica sobre o assunto. Rodney indica suas colegas de trabalho da Levin para coordenarem uma DT sobre suaespecialidade – Ativos Fixos avaliados a Valor Justo. Lembrada a publicação próxima do Wiley Guide para Avaliação com Valor Justo sob oIFRS em português revisado pela APSIS – foi pedido um anúncio no blog paraacompanhamento do CBAN. José Elias ficou de enviar um artigo sobre a questão para publicação no blog.DT Ativos Intangíveis
  4. 4. ANEFAC - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXECUTIVOS DE FINANÇAS, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE44 O objetivo é montar um quadro conceitual (Framework) para fornecer premissas noato da avaliação. Levantou-se a importância de definir não só a essência dos intangíveis, mas tambémas correlações jurídicas presentes no CPC, incluindo a parte técnica, com abordagense metodologias aplicáveis para sua avaliação. Clodiana sugeriu abordar os intangíveis na Aquisição de Controle Compartilhado, oque foi prontamente aceito por todos seguido de um convite (aceito) para contribuirnesta parte. O professor Eduardo Zanotelli agregou-se a este grupo de trabalho (GT) O professor José Eduardo ficou de enviar um artigo para postar no blog, e lembrouque o material do IACVA, na qual pretendemos nos basear, é muito focado para osEUA, precisando ser adaptado para o Brasil.DT Instrumentos Financeiros Os diretores de Avaliação da ANEFAC São Paulo estiveram em contato em São Paulono ano passado com Chris Thorne, Diretor Técnico do IVSC, sobre esta questão. Naocasião em que a ANEFAC promoveu um jantar palestra com o diretor do IVSC, estecomentou que o projeto do IVSC de um Technical Information Paper (TIP) sobre oassunto tem sido permanentemente revisado, revisões estas que têm sidoacompanhadas de perto pelos diretores do CBAN de São Paulo. Os diretores lembram ainda que a mesma revisão tem sido dependentes dos últimosdebates do IAS 39 entre IASB e FASB. Levantam a questão sobre o teor da DT: seria mais prático, trazendo fórmulas, oumais teórico – geral? Trazendo aspectos práticos seria mais direcionado para ajudarum público alvo leigo. Ana Cristina acha que o teórico deve ser enfatizado, e lembraque o ponto principal é a uniformização dos parâmetros. O professor da FACC e COPPEAD Adriano Rodrigues, presente na sala do Rio deJaneiro, é um especialista voluntário para este projeto, e ficou de indicar maispessoas para participar deste GT também. Do mesmo modo, a Clodiana também ficoude indicar uma pessoa da Petrobrás. Os professores Eric e Rodrigo apresentaram um cronograma de desenvolvimento da DTna apresentação em anexo – FASE 1, FASE 2 E FASE 3, com a fase 3 apenas podendoser desenvolvido em 2014 devido à agenda do IASB.Regimento Interno Mauro Jacob, advogado tributarista especializado do CBAN, encaminhou uma minutasobre o que seria um Regimento Interno, Estatuto ou Código do CBAN. Ressaltou que
  5. 5. ANEFAC - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXECUTIVOS DE FINANÇAS, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE55tudo depende do formato do próprio CBAN. Suas opiniões técnicas sobre tributaçãoserão publicadas no blog e enviadas para todos.PRÓXIMOS PASSOS Foi pedido para divulgar nome, e-mail e empresa dos participantes para contatosfuturos. Reuniões bimestrais na primeira quarta-feira do mês

×